fbpx

Acabou o sonho dos brasileiros na corrida na neve

Acabou o sonho dos brasileiros na corrida na neve Marcio Villar foi obrigado a abandonar a competição. Crédito: Marcio Villar

Não deu para os brasileiros Marcio Villar e Diego Costa que tiveram que abandonar a Arowhead 135, competição de ultramaratona que está rolando em Minnesota, um dos estados mais frios dos Estados Unidos assim como para a maioria dos atletas que largaram ontem por volta das 11hrs no horário brasileiro.

As condições da prova nesse ano são as mais extremas da história onde a temperatura chegou a -67c, sem contar a sensação termina que fazia a sensação de frio ainda maior, tornando a prova muito mais difícil. Tanto que dos 64 atletas que largaram, 48 já abandonaram e 16 ainda seguem no desafio.

O primeiro a abandonar foi Diego com 60km concluídos. A medida que ele ia suando com a grande quantidade de roupa que usava, uma camada de gelo ia se formando em suas costas, tornando o ato de correr praticamente impossível e para salvar a sua vida, optou por desistir e adiar o sonho para o futuro.

Diego Costa não conseguiu avançar por conta da hipotermia. Crédito: Diego Costa

“O Sonho quase virou pesadelo. Um tal de Winter Storm Jayden chegou e nos tirou da prova! Muita neve e temperatura abaixo dos -60°C. Consegui fazer 60 km, mas a hipotermia causada pelo suor do esforço na neve fofa, junto com o frio desumano, fez um iceberg nas minhas costas! Não deu para continuar e a Mãe natureza venceu! Agradeço a todos pelas orações e torcida! ” – Comentou Diego após se reestabelecer.

Já Márcio Villar conseguiu ir um pouco além. Ainda na noite de ontem, ele conseguiu chegar no primeiro checkpoint onde se recuperou um pouco e partiu em busca do sonho de dobrar essa prova. Mas também acabou vítima da hipotermia e saiu da prova para também salvar a sua vida.

“Não morri por sorte, o maior sufoco que passei em minha vida, fiquei todo congelado, se não tivesse passado o snowmobile na hora, já era. Estou triste por ter abandonado, mas nunca tinha chegado essa temperatura aqui. Estava bem, mas na madrugada despencou muito a temperatura e com muitas subidas e descidas, numa dessas descidas em um vale eu nunca tinha visto nada igual. Quando desci tudo congelou, eu acelerei para tentar aquecer, mas com 67 negativos não tem como, só estou vivo porque passou um snowmobile e me resgatou. Estava bem preparado e aclimatado vinha tranquilo porque queria dobrar a prova, essa madrugada nunca vou esquecer” – Diz Márcio sobre a prova.

O Esportes de A à Z lamenta o fim do sonho dos atletas e torce para a rápida recuperação de ambos e que estejam em breve prontos para outras competições.  

Última modificação emSábado, 02 Fevereiro 2019 17:39