Maratona do Rio contada por Antônio Carlos Ferreira

Maratona do Rio contada por Antônio Carlos Ferreira Com 18 maratonas no currículo, Antônio participou das primeiras edições da Maratona do Rio. Crédito: Arquivo Pessoal

Como tradição, o Esportes de A à Z começa uma série de reportagens sobre a Maratona do Rio e hoje começa explorando um pouco da sua história. Será que você imagina correr com o celular tirando foto? GPS? Tênis de vários tipos? Chips para marcação de tempo? Planilha de treinamento? Esses artigos comuns de hoje em dia, era algo que não existia nos primórdios da Maratona do Rio em que o professor e treinador Antônio Carlos Ferreira vivenciou na primeira fase da corrida no final da década de 70 que será realizada neste domingo com largada no Pontal e chegada no Aterro do Flamengo.

Diferente do que está sendo anunciado, a Maratona do Rio existe desde 1979 com organização da Printer da Eleonora Mendonça. Mas a partir de 1980, chegou-se a ter duas edições anuais organizada por Luís Inácio Weneck que poucos anos depois, passou a ser oficial com a forte divulgação que tinha no Jornal do Brasil. A corrida foi mudando de organizadores ao longo da década de 90 e a partir de 2003, assumiu o nome oficial de Maratona do Rio organizada pela Spiridon de João Traven e Carlos Sampaio, completando 15 anos em 2017.

Antônio é uma dessas testemunhas vivas da Maratona do Rio e conheceu bem de perto sua evolução com muitas histórias para contar e fatos curiosos a qual o Esportes de A à Z teve o prazer de conversar.


“Quando comecei a correr em 1978 tinha 16 anos e nós não tínhamos muitas informações de treino. O que tínhamos era uma revista que se saísse em janeiro, só chegava as bancas em março. Os primeiros relógios que chegaram, apenas marcavam o tempo e uma primeira mudança foi um da Casio que marcava as voltas, mas só até 26 e não dava para marcar uma maratona completa que ele era feito para milhas e não quilômetros. Tênis então? Nossa! Eram só tênis neutro e cada marca lançava de dois a três modelos por ano”- Recorda sobre esse passado remoto de equipamentos.

Sua primeira participação na Maratona do Rio foi em 1981, quando o Jornal do Brasil organizava a corrida com largada e chegada no Leme e muitas voltas pela orla da zona sul para completar o percurso.


“Fui num esquema doido e já sabia que não ia completar a prova. Só sabia o que era a maratona pelas olimpíadas e não imaginava que realmente fariam os 42km e achei que não fariam algo aqui e acabei me inscrevendo. No dia, consegui correr 22km e foi meu máximo, já que eu só aguentava correr 5 a 8km” – Fala sobre sua primeira maratona.

No começo nem noção de treino tinha antes de entrar para faculdade de ed. física. Crédito: Arquivo Pessoal

No ano seguinte, já começando a correr atrás, ele voltou e completou a prova. A partir daí, já cursando a faculdade de educação física, ele foi capaz de melhorar bastante e baixar seu tempo. Não satisfeito e treinando mais ainda, em 1985 treinou e conseguiu completar a prova abaixo das 3hrs.

Suas participações na Maratona do Rio foram até 1992 em uma que aconteceu em paralelo ao ECO-92, evento que na época discutiu o meio ambiente na cidade e desde então, ele vem treinando atletas tanto de desempenho, como atletas que querem um melhor bem-estar de vida. Somente recentemente ele participou de uma maratona em Roterdã na Holanda e outra em Berlim nos últimos anos com a assessoria Mitokondria em que é o diretor-técnico.

Na primeira fase da Maratona do Rio, os percursos eram mudados constantemente. A primeira largou e terminou na Urca, como tiveram edições com largada em Niterói e vinha cruzando a Ponte Rio-Niterói e outras com saída na Barra e chegada dentro da Quinta da Boa Vista.
Hoje Antônio tem participação em cerca de 400 corridas sendo nelas, um total de 18 maratonas percorridas, a maioria aqui no Rio.

“Uma dica que dou é para quem for correr domingo é que já tenha toda a sua estratégia armada e procurar não experimentar nada, só se realmente acontecer alguma surpresa. Procure descansar bem esses dias para poder correr bem no dia.” – Finaliza com dicas para quem vai participar da Maratona.

Assista ao vídeo com Antônio contando um pouco de sua história abaixo:

Mídia

Crédito: Ricardo Dungó/Esportes de A à Z

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.