COI reitera que a Rússia não está garantida em Pyeongchang 2018

O presidente do COI, Thomas Bach, convidou os Comites Nacionais para competir nos Jogos Olímpicos de Inverno Pyeongchang de 2018 Crédito imagem: COI O presidente do COI, Thomas Bach, convidou os Comites Nacionais para competir nos Jogos Olímpicos de Inverno Pyeongchang de 2018

O Comitê Olímpico Internacional reiterou que uma decisão sobre a participação da Rússia nos Jogos Olímpicos de Pyeongchang de 2018 será feita em uma data posterior. Durante as celebrações de um ano, o presidente do COI, Thomas Bach, convidou todos os Comitês Nacionais Olímpicos (NOCs) a competir nos Jogos do próximo ano. Foram levantadas dúvidas sobre a participação da Rússia nos Jogos após a publicação do segundo Relatório McLaren em dezembro. Mais de 1.000 atletas russos (de verão, inverno e nos esportes paralímpicos) estiveram envolvidos em um sistema de doping patrocinado pelo Estado semelhante a uma "conspiração institucional" que o advogado canadense Richard McLaren alegou quando publicou a segunda parte de seu relatório em Londres.

O COI confirmou que o país recebeu o convite, juntamente com todos os outros NOCs, mas sublinhou que isto não garante a sua participação nos Jogos. "O Comitê Olímpico Russo foi convidado na semana passada, juntamente com os outros Comitês Olímpicos Nacionais", disse um porta-voz do COI. "A decisão sobre a elegibilidade das equipes e atletas será feita numa fase posterior." Procedimentos disciplinares foram abertos pelo COI contra 28 russos que competiram no Sochi 2014. A Comissão Oswald do COI está investigando alegações de manipulação de amostras em Sochi 2014, enquanto também analisa todas as amostras fornecidas por atletas russos em Londres 2012.

Outra comissão do COI, presidida por Samuel Schmid, ex-presidente da Confederação Suíça e membro da Comissão de Ética do COI, está abordando a "conspiração institucional entre atletas de esportes de verão e inverno que participaram com autoridades russas no Ministério do Esporte e sua infra-estrutura , Tais como RUSADA, CSP e o laboratório de Moscou junto com o FSB". Uma decisão poderia ser tomada após a conclusão deste processo, mas nenhum prazo ainda foi confirmado. Em dezembro, o presidente do Comitê Olímpico Russo Alexander Zhukov afirmou que o país não deveria ser proibido pelo COI de competir nos Jogos do próximo ano. A Rússia evitou uma proibição geral nos Jogos Olímpicos Rio 2016, com decisões sobre a extensão da participação de sua participação de atletas tomadas pelas Federações Internacionais. O Comitê Paraolímpico Internacional (IPC), no entanto, proibiu o país dos Jogos depois de suspender o Comitê Paralímpico da Rússia.

Raphael Oliveira

Raphael Oliveira, Carioca morador de Uberlândia desde 2011 pós-graduado em Jornalismo Esportivo pela Faculdades Integradas Hélio Alosno (FACHA-RJ), apaixonado por esportes fundador do site de notícias esportivas “Esportes de A a Z” onde se divide entre editor e fotógrafo, possui na currículo cobertura de eventos como Grand Slam de Judo, Mundial de Judo, Liga Mundial de Vôlei, Finais do NBB e Superliga de Vôlei, Mundial de Natação Paralímpica, NBA e UFC e Paralímpiadas Rio 2016.