fbpx

Skate

Skate (55)

Pâmela Rosa e japonês Yuto Horigome se sagram campeões

Uma final à altura do maior mundial de skate da história da América Latina. Na manhã deste domingo, 30/04, os skatistas do Skate Toral Urbe Open  (STU Open) entraram na pista da Praça Duó, diante de uma arena lotada, para a grande decisão. E o grau de dificuldade das manobras comprovou o altíssimo nível da competição. No Open Feminino, o pódio teve dobradinha brasileira, com Pâmela Rosa em primeiro e Gabriela Mazetto em segundo. A austríaca Julia Bruckler ficou com a terceira colocação. No Masculino, o japonês Yuto Horigome usou toda a pista e com muita ousadia e versatilidade garantiu o título, seguido pelo neozelandês Tommy Finn e pelo amador brasileiro Lucas Alves. Ao longo de todo o torneio, os juízes avaliaram mais de 3.000 manobras dos competidores, entre erros e acertos.

Com muita velocidade e 100% de aproveitamento na bateria, a bicampeã mundial e duas vezes medalha de ouro nos X Games, Pâmela Rosa, embaixadora do Oi STU Open, entrou na decisão determinada a conquistar o título. Usando muito bem toda a pista, a skatista de São José dos Campos levantou a plateia com manobras perfeitas como um frontside smith grind e um backside rockslide no corrimão maior.

"Estou muito feliz. Só tenho a agradecer à organização do evento, que foi fantástico, e a todos que me apoiam. Foi uma experiência incrível competir aqui no Rio, com toda essa torcida e energia. A pista da Praça Duó também ficou maravilhosa e foi muito gostoso andar nela", comentou Pâmela Rosa, sem esconder que pretende fazer de tudo para estar nos Jogos de Tóquio 2020, quando o skate estará presente pela primeira vez.

Na avaliação dos competidores do STU Open, os juízes usaram como critérios o nível de dificuldade das manobras, a quantidade de aterrissagens corretas (menor número de faltas), além da utilização do maior número de espaços e obstáculos na pista. Na disputa masculina, o embaixador do Oi STU Open Kelvin Hoefler começou bem na bateria, mandando, entre outras manobras, um lindo kickflip backside rockslide. Porém, não conseguiu manter a mesma pegada na sequência e com algumas falhas ficou com a sexta colocação no torneio.

Melhor para o japonês Yuto Horigome, que com muito estilo obteve 83.83 como nota final, levando o título. O neozelandês Tommy Finn também se destacou pelo grau de dificuldade das manobras e, com 80.83, ficou em segundo. Mas a história mais incrível na competição foi, sem dúvida, a de Lucas Alves. O curitibano iniciou a disputa ainda no Round 1, composto apenas por amadores, e com uma trajetória sensacional chegou ao terceiro lugar no pódio. "Cheguei a ficar em primeiro na bateria, mas acabei errando três manobras na parte final e perdi pontos. Estou muito feliz. Quase não tenho palavras para descrever. É uma conquista muito importante para a minha carreira", declarou o skatista, que espera se profissionalizar nos próximos anos com foco nos jogos olímpicos.


Ao todo, as finais do  STU Open contaram com a presença de representantes de oito países e quatro continentes: Brasil (seis), França (quatro), Argentina, Estados Unidos, Holanda, Áustria, Japão e Nova Zelândia.

Classificação Final Open Masculino

Yuto Horigome (JAP) - 83.83

Tommy Fynn (NEW) - 80.33

Lucas Alves (Curitiba) - 78.33

Joseph Garbaccio (FRA) - 74.67

Vincent Milou (FRA) - 74.33

Kelvin Hoefler (BRA)  - 73.67

Carlos Ribeiro "Dudu" (BRA) - 71.00


Classificação Final Open Feminino 

Pâmela Rosa (BRA) - 84.83
Gabriela Mazetto (BRA) - 80.33
Julia Brueckler (AUS) - 80.33

Mariah Duran (USA) - 70.33

Candy Jacobs (HOL) - 68.50
Charlotte Hym Paris (FRA) - 62.83

Helene Gerard (FRA) - 58.17

Vitória da Silva (BRA) - 50.00

Kelvin Hoefler e Pâmela Rosa brilham em suas categorias e avançam em primeiro

A tarde deste sábado, 29/04, mostrou que não só a dificuldade das manobras como a pressão cresceu na pista da Praça Duó durante o Skate Total Urbe Open (STU Open) - maior mundial de skate da América Latina. Em busca das 16 vagas (8 em cada categoria) na grande decisão deste domingo, 30/04, a partir das 9h, os skatistas arriscaram cada vez mais pelas maiores notas. Kelvin Hoefler, com 92.67, foi o melhor na Semifinal do Open Masculino, seguido pelo neozelandês Tommy Finn (92.00) e pelo francês Vicent Milou (90.67). No Qualifying Feminino, Pâmela Rosa ficou em primeiro, com 85.33, tendo a norte-americana Mariah Duran em segundo (84.67) e a também brasileira Gabriela Mazetto em terceiro (79.67). 


Ao todo, as finais do STU Open contarão com a presença de representantes de oito países e quatro continentes: Brasil (seis), França (quatro), Argentina, Estados Unidos, Holanda, Áustria, Japão e Nova Zelândia.


O dia de competições começou com o Round 5 do Open Masculino, que contou com 32 competidores - os 16 classificados após os rounds anteriores, além dos 16 Silver e Gold Wild Cards convidados. Já na semifinal, Kelvin Hoefler, com manobras que levantaram a galera, entre elas, um Caballerial Backside Lipslide, fechou em primeiro nas duas baterias. Destaque ainda para os também brasileiros Lucas Alves, amador que trilhou um longo caminho desde o Round 1 até chegar à decisão do torneio, e Carlos Ribeiro, que arrancou a oitava posição na final. Luan Oliveira não conseguiu repetir o desempenho do round anterior e acabou ficando com o 11º lugar, fora das finais.

 

"A torcida brasileira é a melhor do mundo. Correr aqui, sem dúvida, é especial. Foi bem difícil. O nível hoje foi muito alto, e amanhã, com certeza, será maior ainda. Mas a expectativa é a melhor possível", comentou Kelvin Hoefler, dentro da arena lotada para a competição deste sábado. 

Entre as mulheres, Pâmela Rosa mostrou a que veio e, com uma sequência bastante limpa de manobras (apenas um erro entre as 10 tentativas), obteve a primeira colocação entre as 32 participantes do Qualifying, garantindo a primeira das 8 vagas na final deste domingo.

"Fiquei bem tranquila e errei apenas uma manobra em toda a bateria. Fiz um rockslide muito bom no corrimão grande e consegui passar para a decisão. Agora, é manter a tranquilidade pra amanhã e curtir a final", disse Pâmela Rosa.

Amador Lucas Alves, de 19 anos, vence Round 4 do STU Open e encabeça lista de classificados para disputa com tops mundiais neste sábado

Muita vibração a cada manobra cravada. Tanto dos skatistas quanto do público presente na Praça Duó. Terceiro dia de competições do  Skate Total Urbe Open ( STU Open) - maior mundial de skate da América Latina -, esta sexta-feira, 28/04, foi marcada pela conclusão do Round 3 e pela disputa do Round 4 do torneio. No final, melhor para o curitibano Lucas Alves, de 19 anos, que, com 89 pontos, garantiu o primeiro lugar entre os 16 classificados para o Round 5, neste sábado, 29/04, a partir das 11h. Também neste sábado acontecem as semifinais do Open Masculino (a partir das 15h10), além do Qualifying Feminino, a partir das 13h10.

O Round 3 começou na última quinta-feira, 27/04, porém, por conta das condições climáticas, teve suas últimas cinco baterias (de 13 previstas) adiadas para esta sexta. Trinta skatistas se classificaram para o Round 4, onde se juntaram aos 10 profissionais convidados pré-classificados na briga por 16 vagas para o Round 5. Com uma linha de manobras muito bem ensaiada, Lucas Alves somou a maior pontuação entre as cinco baterias do quarto round e encabeçou a lista dos que avançaram para enfrentar, neste sábado, nomes como Kelvin Hoefler, Luan Oliveira, Ryan Decenzo, Micky Papa, Tommy Fynn e Dave Bachinsky, entre outros. 

"Fiquei muito feliz. Não estava muito bem na primeira fase, me senti um pouco mal, mas consegui passar, vim evoluindo, e cheguei até aqui. Me senti muito bem hoje, consegui andar bem e acho que vou conseguir repetir isso amanhã", comentou Lucas Alves, que trilhou um longo caminho, desde o Round 1, apenas de amadores, até chegar ao Round 5 da competição. Além dele, outros três amadores brasileiros detonaram nas manobras e também conseguiram se classificar para a próxima fase: Lucas Rabelo, em sétimo; Diego Oliveira, em oitavo; e Luiz Neto, em décimo.

Neste sábado, 32 skatistas entram na pista para o Round 5 do Open Masculino, disputando 16 vagas para a semifinal, programada para começar às 15h10. Antes disso, às 13h10, as mulheres vão pra pista, competindo no Qualifying por oito vagas na grande decisão, neste domingo, 30/04, a partir das 9h. Entre os destaques femininos, a bicampeã mundial pela World Cup Skateboarding (WCS) e duas vezes medalha de ouro nos X Games, Pâmela Rosa, além da austríaca Julia Bruckler, das norte-americanas Alexis Sablone e Mariah Duran e da holandesa Candy Jacobs.

Classificação Round 4 STU Open

Lucas Alves (BRA) - 89.00

Marcelo Jimenez (CHI) - 87.33

Yuto Horigome (JAP) - 83.67

Joseph Garbaccio (FRA) - 82.00

Leonardo Spanghero (BRA) - 81.67

Matias Dell Olio (ARG) - 81.67

Lucas Rabelo (BRA) - 81.33

Diego Oliveira (BRA) - 81.33

Carlos Henrique "Ique" (BRA) - 80.67

Luiz Neto (BRA) - 80.33

Vincent Milou (FRA) - 80.33

Lucas Carvalho "Xaparral" (BRA) - 80.33

Egor Kaldikov (RUS) - 80.00

Jhony Melhado (BRA) - 80.00

Matheus De Souza (BRA) - 80.00

Mauro Esteban Iglesias (ARG) - 77.67

Confira a programação de competição do STU Open

 

Sábado, 29

8h45 às 9h - Vistoria CBSk / FASERJ

9h às 10h - Treino Livre Open Feminino

10h às 11h - Treino Open Masculino Round 5

11h às 13h10 - Round 5 Open Masculino (quatro baterias de oito competidores)

13h10 às 15h05 - Qualifying Open Feminino (quatro baterias de oito competidores)

15h10 às 16h10 - Semifinal Open Masculino (duas baterias de oito competidores)

Ítalo Romano mostra que o Skate é para todos

Um dos destaques do STU Open, o curitibano Ítalo Romano mostra que o skate também pode ser um esporte para todos. Único atleta com deficiência na competição, competiu junto com os outros atletas e conseguiu chegar até a terceira rodada da competição.

Sua história começou em 2001 e logo após sofrer um acidente. Ao sair para acampar com seus amigos, ele foi brincar de andar na rabeira do trem e acabou caindo, perdendo as suas duas pernas. A tragédia poderia ter sido o seu fim, mas foi um novo ponto de partida.

Sua vida mudou após uma brincadeira com seus amigos, ele perdeu suas pernas. Crédito: Bruno Neves Lopes/EAZ

“Só pensava em como ia conseguir brincar com meus amigos e eles vinham me tirar em casa e comecei a perceber que fui bem acolhido por eles. Percebi que minha vida o esporte seria a boa e não parei mais. ” – Conta.

Após seu acidente, ele começou a andando de cadeira de rodas por Curitiba, a cidade onde mora, mas percebeu que andar de skate seria mais rápido e foi outro motivo para continuar no esporte.

Seu primeiro campeonato foi em 2011 em Curitiba. Após participar de um programa de televisão, ele foi desafio a participar da Super Rampa, campeonato organizado por Bob Burnquist na Califórnia e ele encarou os 27 metros da rampa que assusta qualquer um.

Fora o skate, ele joga também o vôlei adaptado. Crédito: Bruno Neves Lopes/EAZ

E ele é bem inquieto. Fora o skate adaptado, ele também joga vôlei adaptado. “Tenho uma equipe em Curitiba onde jogo com meus amigos e não gosto de ficar parado. Se eu puder, vou ir tentando outros esportes para ir praticando”.

Um de seus sonhos e ir para as paralimpiadas. “Gostaria muito de ir aos jogos de Tóquio em 2020, mas parece que o skate adaptado não vai fazer parte da programação. Não vou deixar de treinar e se der para ir pelo vôlei, vou fazer o meu possível. ” – Completa.

Nas ruas de Curitiba, ele anda de skate para chegar mais rápido nos lugares. Crédito: Bruno Neves Lopes/EAZ 

 

Catarinense Luiz Neto é o melhor entre os amadores no primeiro dia de disputas do Skate Total Urbe Open

Suor, emoção e muito empenho nas manobras. Nesta quarta-feira, 26/04, na Praça Duó, Barra da Tijuca, foi dado início às competições do  Skate Total Urbe Open (STU Open), maior mundial de skate da América Latina. E foi dia de os competidores amadores se entregarem na pista em busca das oito vagas no Round 3 do torneio, que acontece nesta quinta-feira, 27, e já contará com skatistas profissionais pré-classificados. Ao final das duas baterias de estreia, Luiz Neto, de Florianópolis (SC), foi o grande vencedor, seguido por Tiago Picomano (Belo Horizonte-MG) e Victor Bob (Recife-PE).

 A competição rendeu pontos para o ranking brasileiro amador. O dia de disputas começou com o Round 1, que contou com 12 baterias de seis skatistas. Do total de 12 vagas para o Round 2, três eram destinadas a atletas de fora. Os nove melhores brasileiros e os três melhores estrangeiros classificados, então, avançaram ao Round 2, no qual competiram com os 12 melhores amadores pré-classificados nas seletivas estaduais. Foi ao final deste segundo round, de quatro baterias com seis participantes, que Luiz Neto garantiu a melhor pontuação.

“Não esperava esse resultado. É uma felicidade imensa. É mais legal ainda assim, quando você não espera que vai acontecer. Muito grato por estar aqui e conquistar o respeito de todos. A expectativa daqui pra frente é a mesma: andar de skate com os amigos e me divertir”, comentou o vencedor, que se classificou em oitavo no Round 1 e detonou no segundo round.

 As disputas do STU acontecem em formato de Jam Session Ordenada, onde os competidores se alternam na pista em ordem pré-determinada. Cada competidor poderá tentar uma manobra por vez e, acertando ou errando, deve esperar todos os outros competidores tentarem suas manobras para poder tentar sua segunda manobra e assim por diante. A classificação final é determinada de acordo com a pontuação obtida pelo atleta no somatório geral das baterias de cada round.

 “Esse é um formato dinâmico e moderno, que vem sendo usado pela World Cup Skateboarding (WCS) já há algum tempo e que se assemelha às sessões do dia a dia do skatista, onde um determinado skatista tenta uma manobra e, na sequência, cede o lugar para que um amigo tente sua manobra. Ou seja, esse formato acaba aproximando a competição da prática diária do esporte. Isso gera um dinamismo para o evento, pois agiliza as sessões e dá oportunidade para que mais skatistas participem em um mesmo cronograma de disputa”, analisa Ed Scander, vice-presidente da Confederação Brasileira de Skate (CBSk).

 

Resultados desta quarta-feira

 

Round 1

 

Lucas Rabelo - 85.00

Lucas Alves - 83.00

Vinicius Costa - 82.67

Anderson Resende - 76.67

João Victor Formiguinha - 76.63

Yuri Facchini - 76.00
Matheus de Souza - 75.33
Luiz Neto - 75.33
Tiago Picomano - 75.00

Kaio Cravalho - 72.33
Talles Silva - 72.33
Arthur Molon Silveira - 70.33
Juan Ignacio Menicucci (ARG) - 69.67
Adrian Sayan Monteverde (PER) - 59.33
Joel de Castro - 58.00


Round 2

 

Luiz Neto - 81.33

Tiago Picomano -78.33

Victor Bob - 78.33

Lucas Alves - 78.00

Matheus de Souza - 76.00
João Victor Formiguinha - 75.33
Anderson Resende - 74.67
Lucas Rabelo - 73.67

Resultados completos em www.stuopen.com 

 

Entenda como funciona o STU Open

No Open Masculino, 176 skatistas competem, sendo 104 profissionais (78 brasileiros e 26 estrangeiros) e 72 amadores (54 brasileiros e 18 estrangeiros). No feminino, serão 28 as competidoras, sendo 19 do Brasil e nove de fora. Além disso, o Comitê Técnico Organizador (CTO) ofereceu 20 Wild Cards: 16 para o Open Masculino e quatro para o Feminino.

 

As etapas do Open Masculino são organizadas da seguinte forma. O Round 1 classificou 12 amadores para o Round 2. No Round 2, os 24 classificados (12 do Round 1 + 12 pré-classificados nas seletivas estaduais) se enfrentaram por oito vagas na fase seguinte. No Round 3, os oito amadores classificados no Round 2 se juntam aos competidores profissionais (brasileiros e estrangeiros) previamente inscritos. Classificam-se os 30 melhores resultados para o Round 4.

 

No Round 4, os 30 classificados se juntam aos 10 pré-classificados com Bronze Wild Cards em busca de 16 vagas. Já no Round 5, os 16 mais bem colocados no Round 4 se juntam aos outros 16 profissionais convidados pelo Comitê Organizador (Silver e Golden Wild Cards), entre eles, nomes como Kelvin Hoefler, Luan Oliveira, Dave Bachinsky. Destes 32 competidores, 16 passam à semifinal, e, em seguida, oito avançam à final. No Open Feminino, 32 skatistas disputam o Round 1, e as oito melhores seguem para a grande decisão.

Programação desta quinta-feira

9h - Vistoria CBSk / Faserj

10h às 13h - Credenciamento

10h às 14h - Treino dos competidores profissionais. Round 3 (seis baterias de 16 competidores + uma bateria de oito)

14h às 22h - Round 3 Open Masculino (13 baterias de oito competidores)

Pâmela e Kelvin são destaques no Skate Total Urbe Open

A praça Duó na Barra da Tijuca recebe nesta semana o Skate Total Urbe Open, evento na modalidade Street com 224 atletas de 17 países com destaque para os brasileiros Kelvin Hoefler pentacampeão mundial na categoria e Pâmela Rosa que aos 16 anos, ganhou medalha de ouro nos X-Games.

Com mais experiência, Kelvin é nada menos que cinco vezes campeão mundial na categoria e seu nome inclusive está incluído no Guinness, o livro dos recordes. Para esta competição ele vem bem animado.

“Acredito que o skate a cada dia evoluiu mais e já estou há 16 anos no skate e nunca teve uma premiação alta como a desse campeonato e dá para ver pelo nível do campeonato com metade de estrangeiros e será uma grande disputa. ” – Conta

Destaque no feminino, Pâmela chega cheia de moral para a disputa.

Com 17 anos, Pâmela já é campeã do X-Games. Crédito: Ricardo Erlich/EAZ

“Estou feliz que um evento como esse está acontecendo no Brasil, ainda mais no Rio de Janeiro e com uma grande premiação como essa e estou muito feliz com isso tudo. Agora com o skate nas olimpíadas, vai crescer muito. ” – Diz

Se tem algo em comum entre eles, é o fato dos dois estarem sempre juntos nas competições e um apoiando o outro:

 “A primeira vez que vi a Pâmela ela estava muito confortável no treino das meninas numa competição no interior de São Paulo de onde somos. Ee percebi que ela seria diferenciada e não é à toa que ela ganhou o título mundial. Ela é como uma irmã para mim onde nos ajudamos bastante” – Falta Kelvin sobre Pâmela.

Outros destaques do Brasil são os atletas Luan Oliveira Duas vezes campeão da Street League e do Tampa Pro e Felipe Gustavo também finalista do torneio de Tampa. No feminino, a veterana norte-americana Alexis Sablone, vice-campeã da WCS em 2015 e terceira colocada no ranking da Street League; da também norte-americana Mariah Duran, atual quarta colocada na Street League; e da holandesa Candy Jacobs, segunda colocada no Circuito Mundial da WCS em 2016. Entre as brasileiras confirmadas, destaque para Karen Feitosa e Jessica Florêncio, segundo e terceiro lugares, respectivamente, no Campeonato Brasileiro de Street 2016 (atrás apenas de Pâmela).

Veja a programação do evento:

 

Quarta, 26

9h - Vistoria CBSk / Faserj

10h às 12h - Credenciamento

10h às 13h - treino amador (seis baterias de 12 competidores)

13h às 19h - Round 1 Amador (12 baterias de seis competidores)

19h às 22h - Round 2 Amador (quatro baterias de seis competidores)

 

Quinta, 27

9h - Vistoria CBSk / Faserj

10h às 13h - Credenciamento

10h às 14h - Treino dos competidores profissionais. Round 3 (seis baterias de 16 competidores + uma bateria de oito)

14h às 22h - Round 3 Open Masculino (13 baterias de oito competidores)

 

Sexta, 28

9h - Vistoria CBSk / Faserj

10h às 13h - Credenciamento

10h às 13h - Treino Open Masculino Round 4 (cinco baterias de oito competidores)

13h às 14h - treino Open Feminino (duas baterias de 16 competidoras)

14h às 18h - Round 4 Open Masculino (cinco baterias de oito competidores)

18h às 19h - Treino profissionais pré-classificados (uma bateria de 16 competidores)

19h às 22h - Round 5 Open Masculino (quatro baterias de oito competidores)

 

Sábado, 29

9h - Vistoria CBSk / Faserj

10h às 14h - Credenciamento

10 às 11h30 - Treino Open Feminino (duas baterias de 16 competidoras)

11h30 às 13h - Treino Open Masculino Semifinal (duas baterias de oito competidores)

13h às 16h - Qualifying Open Feminino (quatro baterias de oito competidoras)

16h às 18h - semifinal Open Masculino (duas baterias de oito competidores)

 

Domingo

8h - Vistoria CBSk / Faserj

9h às 10h - Credenciamento

9h às 9h25 - Treino finalistas Open Feminino (uma bateria de oito competidoras)

9h30 às 9h55 - Treino finalistas Open Masculino (uma bateria de oito competidores)

10h Às 10h40 - Final Open Feminino (uma bateria de oito competidoras)

10h45 às 11h25 - Final Open Masculino (uma bateria de oito competidores)

11h30 às 12h - Cerimônia de premiação

 

Confira a programação completa das atrações do STU Open

 

SHOWS

 

Sábado, 29/04, a partir das 17h

 

17h: DJ Tamenpi

19h: Marcelo D2 e Convidados

21h30: DJ Tamenpi

Domingo, 30/04, a partir das 15h

 

13h: Playlist Oi
15h: DJ Tamenpi
19h: Filipe Ret

20h30: Karol Conká

 

OFICINAS

 

26/04 (Quarta) 
15h às 16h30​: Mesa Redonda Coletivo Fotografia Ronaldo Land, Clissa Rodrigues, Rene Jr, Alex Carvalho e Carol Bertrand
17h às 18h30: Talk com Dalmo Roger/Video Skate

19h às 20h30 – Talk Homegrown/Arte Core

 

27/04 (Quinta)

15h às 16h30: Mesa Redonda Expo Multigrab
17h às 18h30: Talk com Sesper
19h às 20h30: Talk com Rio Ramp Design

28/04 (Sexta)

13h às 15h: Oficina de Tipografia – Guga Liuzzi (a partir de 8 anos)

15h às 17h: Oficina de Grafitti com Marcelo Ment ( a partir de 8 anos)

17h às 18h30: Talk com Dj Tamenpi

19h às 20h30: Talk com Flavio Samelo e MOTTILLAA

 

29/04 (Sábado)

10h às 12h​: Oficina infantil – desenho com R. Villas (a partir de 3 anos)

13h às 15h​: Oficina de Ilustração com MOTILLAA (a partir de 6 anos)

15h às 17h​: Oficina de vídeos de skate com celular – Francisco Guimarães e Yan Felipe (a partir de 8 anos)

 

30/04 (Domingo)

10h às 11h​: Oficina SK8 no Bowl com Francisco Guimarães e Yan Felipe (a partir de 6 anos)

11h às 13h​: Grafitti para crianças com Guilherme Memi (a partir de 6 anos)

14h às 16h​: Grafitti e Stencil com Bruno Big (a partir de 8 anos)

16h às 18h: Aula prática de fotografia com Ronald Land na pista street (a partir de 8 anos)

 

STU Gallery (funcionamento das 10h às 22h)

 

• Arte:  Flavio Samelo (SP);  SESPER (SP) e Mottillaa (RJ)

• Fotografia - Ronaldo Land (RJ); Alex Carvalho (RJ); Clissa (RJ); Renne Jr. (RJ);  Carol Bertrand (RJ)

• Vídeo: Dalmo Roger fará a curadoria dos filmes que serão projetados e exibidos durante o evento

 

• Expo de Shapes: Multi Grab

Bicampeã da WCS e dos X Games, Pâmela Rosa se diz ansiosa para o Skate Total Urbe Open

O calor do público na Praça Duó e o visual da praia da Barra da Tijuca serão marcas do evento e formarão o cenário perfeito para a conquista de um título internacional. Sobretudo para os atletas brasileiros. A pouco mais de 10 dias para o início do Skate Total Urbe Open – maior mundial de skate da América Latina, que acontece de 25 a 30 de abril –, a bicampeã dos X Games e do Circuito da World Cup Skateboarding, Pâmela Rosa, de 17 anos, não esconde a ansiedade pelo evento, do qual também é embaixadora. Afinal, será uma oportunidade única de disputar uma competição desse porte no Brasil e, de quebra, com a moldura da Cidade Maravilhosa.

 

"Estamos acostumados com eventos grandes apenas nos Estados Unidos e na Europa, então, fiquei super contente com essa possibilidade de andar de skate com meus amigos do Brasil e de fora aqui, no meu país. Isso tudo acontecerá na Cidade Maravilhosa, próximo à praia. Enfim, não teria como perder um evento tão importante como o  STU Open. Quero fazer o meu melhor na competição. Além disso, os Jogos Olímpicos estão chegando logo, logo, e farei de tudo para não ficar de fora", comentou Pâmela, que se tornou, no ano passado, a mais jovem atleta a ganhar uma medalha de ouro na competição de street dos X games, aos 16 anos.

 

De fato, Pâmela, nascida em São José dos Campos (SP), é uma das grandes promessas do skate brasileiro para os Jogos de Tóquio 2020, quando o esporte passará a fazer parte do programa olímpico. O Brasil terá direito a 12 vagas na disputa, sendo três para cada uma das seguintes categorias: street profissional, street feminino; park profissional, park feminino. A classificação acontecerá de acordo com o Circuito Mundial de 2019.

 

A jovem atleta é representante de uma nova geração de meninas que vem fazendo bonito no esporte e detonando nas manobras aqui e lá fora. Tal desempenho é resultado do crescimento e da democratização da prática do skate. Segundo pesquisa encomendada à Datafolha pela Confederação Brasileira de Skate (CBSk) em 2015, o número de skatistas mulheres quase dobrou no país desde 2009. Hoje, elas somam mais de 1,6 milhão.

 

Além de Pâmela, a competição feminina do STU Open terá a presença de grandes nomes: a veterana norte-americana Alexis Sablone, vice-campeã da WCS em 2015 e terceira colocada no ranking da Street League; a também norte-americana Mariah Duran, atual quarta colocada na Street League; e a holandesa Candy Jacobs, segunda colocada no Circuito Mundial da WCS em 2016. Ainda entre as brasileiras confirmadas, destaque para Karen Feitosa e Jessica Florêncio, segundo e terceiro lugares, respectivamente, no Campeonato Brasileiro de Street 2016 (atrás apenas de Pâmela).

 

No torneio masculino, feras brasileiras como Kelvin Hoefler - campeão do Supercrown da Street League e pentacampeão mundial pela WCS - e Luan Oliveira - duas vezes campeão da Street League e do Tampa Pro - também garantiram presença. Já a lista de atletas estrangeiros conta com o canadense Ryan Decenzo (duas vezes ouro nos X Games e skatista da Street League) e o australiano Tommy Fynn (skatista da Street League e finalista top do Tampa Pro), além dos argentinos Matias Dell Olio e Gerónimo Bravo e do chileno Victor Alfonso Orozco.

 

Importante ressaltar que, após quase uma década, o Rio de Janeiro – já reconhecido internacionalmente por sediar eventos esportivos de sucesso – voltará a receber uma grande competição da modalidade street (a última foi em 2009, na praia de Copacabana). O STU Open é chancelado pela International Skateboard Federation (ISF), a World Cup Skateboarding (WCS), a Confederação Brasileira de Skate (CBSk) e a Federação de Skateboard do Estado do Rio de Janeiro (Faserj), e soma pontos para o ranking da WCS. A disputa também terá a maior premiação já vista em um torneio de skate na América Latina e uma das maiores do mundo, num total de R$ 400 mil. Ao todo, serão 224 competidores.

 

 

Rio de Janeiro se prepara para receber maior competição mundial de street skate da América Latina

Os apaixonados pelo universo do skate já podem preparar o fôlego. Vem aí a maior competição mundial de street da América Latina: O Oi Skate Total Urbe Open (Oi STU Open) – etapa do Circuito Mundial de Street 2017. A disputa vai acontecer de 25 a 30 de abril, na Praça Duó, Barra da Tijuca, e contará com 224 skatistas nas categorias Open Masculino (profissional e amador) e Open Feminino. Nomes importantes no cenário mundial como Kelvin Hoefler e Pamela Rosa já estão confirmados no evento, que terá a presença de outras grandes expressões da modalidade. O Oi STU Open entra para a história do esporte das rodinhas, com a maior premiação já vista em um torneio de skate na América Latina e uma das maiores do mundo, totalizando R$ 400 mil.
 
“É muito importante um evento como o Oi STU Open no Brasil, pelo tamanho e qualidade na organização. Tenho certeza de que este campeonato vai ser um marco para a modalidade do street skate da América Latina, tanto pelo nível de organização e premiação, quanto pelo alto nível dos atletas. É uma ótima oportunidade para que grandes skatistas reforcem o seu reconhecimento e também para que as revelações do skate nacional despontem para o mundo”, avalia o campeão Kelvin Hoefler.
 
Após quase uma década, o Rio de Janeiro – já reconhecido internacionalmente por sediar eventos esportivos de sucesso – voltará a receber uma grande competição da modalidade street (a última foi em 2009, na praia de Copacabana). O Oi STU Open (Skate Total Urbe) é chancelado pela International Skateboard Federation (ISF), a World Cup Skateboarding (WCS), a Confederação Brasileira de Skate (CBSk) e a Federação de Skateboard do Estado do Rio de Janeiro (Faserj), e soma pontos para o ranking da WCS.
 
“O Oi STU OPEN é a oportunidade de potencializarmos um movimento legítimo, múltiplo e com amplas possibilidades. O objetivo sempre foi falarmos do movimento urbano e suas mais diversas manifestações espontâneas, como a música, a arte e o audiovisual, tendo o skate como fio condutor de toda a história, além de recolocar o Brasil novamente no circuito dos grandes eventos internacionais de street, tendo em vista que somos um dos maiores picos de skate do mundo, junto aos EUA”, diz Eduardo Quintes, gestor do projeto da Rio de Negócios, organizadora do evento.
 
De acordo com o vice-presidente da CBSk, Ed Scander, a competição vem mesmo para ser um marco histórico. 
 
“O Oi STU Open será o mais importante campeonato de street da história do skate latino-americano por reunir mais de 224 dos melhores skatistas amadores da América Latina e os profissionais do mundo. Em relação às demais etapas brasileiras do Circuito Mundial de Street Skate, nunca houve tantos competidores reunidos, e a premiação de R$ 400 mil é a maior da história!”, comenta. 
 
Para o evento, a pista da Praça Duó, um dos skate spots preferidos dos cariocas, terá seu projeto inicial concluído, com a construção de um novo trecho de obstáculos. O Oi Skate Total Urbe Open (Oi STU Open) também contará com diversas atrações e a montagem de um grande espaço de convivência, que irá explorar toda a interface do skate com a cultura urbana, abrangendo arte, música e comportamento.
 
“O Oi STU Open é o evento mais importante da história do skate brasileiro e é uma honra para a Faserj poder participar desde o início da sua concepção. O fato do Rio de Janeiro receber mais uma vez uma competição mundial deste porte e ter skatistas do estado envolvidos e participando deste processo é fundamental como valorização dos competidores locais”, comemora André Viana, presidente da Federação de Skateboard do Estado do Rio de Janeiro (Faserj).
 
Vale lembrar que o skate será esporte olímpico a partir de Tóquio 2020, e o street uma das duas modalidades presentes nos Jogos. Por isso, o Oi STU Open será uma ótima oportunidade de ver em ação skatistas de todo o mundo que deverão representar seus países no Japão. Com destaque para os competidores brasileiros, já que o Brasil é uma das potências do skate e favorito à conquista de medalhas.

Pedro Barros é tetracampeão em Madureira

Pedro Barros é tetracampeão no Bowl Jam. Crédito: Bruno Neves Lopes/Esportes de A à Z

 

O Parque Madureira na cidade maravilhosa ferveu mais uma vez com os melhores do mundo no Skate. Mas não teve jeito: O vencedor continuou o mesmo e conquistando o tetracampeonato, o catarinense Pedro Barros venceu a etapa carioca do Bowl Jam com manobras perfeitas que levantaram o público que lotou a arquibancada e impressionou os juízes da competição.

“Estou muito feliz de sair de Madureira aqui com mais o título. Foi muito legal estar aqui e dar uma alegria a esse público presente. O nível da competição aumenta a cada ano e fiz o que pude para conquistar esse título de novo. ” – Conta sobre sua vitória. 

Grande revelação do torneio deste ano, o curitibano Iago Magalhães, de 19 anos, falou sobre a emoção de subir ao pódio pela primeira vez como profissional. 

Pedro em sua primeira participação fez o suficiente para garantir o título. Crédito: Bruno Neves Lopes/Esportes de A á Z

"Me faltam palavras para descrever o que estou sentindo. A vibe da galera foi incrível e chegar ao pódio em meu primeiro campeonato profissional, ao lado dos maiores nomes do skate mundial, é uma sensação incrível. Acertei minha linha, consegui fazer minha volta e estou muito feliz", comentou Iago.

A disputa

Com direito a show dos Raimundos ao vivo, os oito atletas tiveram três oportunidades para conseguir a melhor nota diante da percepção dos juízes que julgam o movimento, a subida e a criatividade de cada atleta

Pedro Barros já com a sua primeira chance, conseguiu nota acima de 90 pontos e ficou difícil de alcançá-lo. Em sua segunda descida, ele pode aumentar ainda mais a nota chegando a 95 e somente o italiano Ivan Federico é que fez 90, seguido do brasileiro Iago Magalhães que ficou em terceiro.

Iago Magalhães foi o grande destaque na disputa e acabou em terceiro. Crédito: Bruno Neves Lopes/Esportes de A à Z

Resultado:

1. Pedro Barros  95.00 

2. Ivan Federico  90.33

3. Iago Magalhães 87.67

4. Murilo Peres - 84.67

5. Rony Gomes 83.33 

6. Josh Borden  82.33

7. Danny Leon  82.33

8. Ítalo Penarrúbia  69.33

 

Pedro Barros se destaca e é favorito ao tetracampeonato

Pedro Barros caprichou em sua primeira volta e saiu como primeiro nas semifinais. Crédito: Bruno Neves Lopes/Esportes de A à Z

 

No coração da zona norte do Rio de Janeiro, o Parque Madureira está neste fim de semana recebendo grandes nomes do skate mundial para a disputa do Bowl Jam. E sob um forte calor, os atletas suaram bastante na semifinal que foi realizada hoje para garantir uma vaga na final. E os brasileiros são maioria.

O grande destaque foi o catarinense Pedro Barros, atual tricampeão da etapa e vem confirmando seu favoritismo ao fazer a melhor sequência de manobras e sair como primeiro colocado. 

“Este é um evento clássico e a organização é impecável com a galera se divertindo bastante. Sei que amanhã o nível vai se elevar e a galera vai jogar duro. Hoje fiz uma volta boa e espero amanhã conseguir surpreender com algum movimento diferente, quem sabe elevar mais a altura do meu salto” – Conta Pedro sobre seu desempenho.

O carioca Bob Burnquist não conseguiu avançar para as finais, mas deu show. Crédito: Bruno Neves Lopes/Esportes de A à Z

A disputa:

A disputa foi em duas baterias de oito atletas com cada um tendo três chances de 45s para somar mais pontos e impressionar os juízes.

Na primeira bateria, o italiano Ivan Frederico veio com tudo dando com várias manobras e mostrando por que é um dos novos nomes da modalidade. Mas quem acabou tendo a maior pontuação com os juízes foi Italo Penarrúbia que acabou em terceiro lugar.

O italiano Ivan Federico teve uma das maiores notas da disputa. Crédito: Bruno Neves Lopes/Esportes de A á Z

Na segunda e mais acirrada bateria, Pedro Barros logo em sua primeira tentativa, fez a pontuação necessária para ficar em primeiro com 93 pontos numa boa disputa contra Iago Magalhães que ficou em segundo no geral. Essa bateria contou com a lenda Bob Burnquist, mas mesmo ele acabou ficando de fora da disputa.

A final do Bowl Jam será amanhã às 10 horas.

Resultado:

1. Pedro Barros - 93.33

2. Iago Magalhães - 88.00

3. Ítalo Penarrúbia - 85.67

4. Danny Leon - 84.33

5. Ivan Federico - 84.33

6. Murilo Peres - 83.67

7. Josh Borden - 82.67

8. Rony Gomes - 81.33

 

Assinar este feed RSS