fbpx

Ricardo Erlich

Ricardo Erlich

URL do site:

Flamengo dá um baile e está na final do mundial

Depois de um início nervoso, o Flamengo conseguiu uma vitória maiúscula nas semifinais do mundial interclubes diante do Austin Spurs dos Estados por 90 a 58 e disputará pela segunda vez o título da competição que está sendo realizada na Arena Carioca 1 na cidade maravilhosa.

O cestinha do jogo foi Balbi pelo Flamengo com 19 pontos. Ele contribuiu totalmente com a classificação para a final comandando o time junto com Marquinhos e Varejão e chegaram a vitória de forma segura.

“É importante o resultado e a vitória. O Flamengo tirou da quadra o Austin Spurs e fizemos essa partida para dar uma alegria ao time depois do momento difícil pelo qual o clube passou. Vamos agora nos concentrar contra o nosso adversário que promete fazer um jogo mais difícil e promete fazer a disputa pelo título mais emocionante”. – Comentou após a partida.

O técnico Gustavo de Conti foi fundamental na partida quando ainda no primeiro quarto, ele pediu tempo quando o time perdia por 10 pontos de vantagem e dali deu inicio a virada que culminou com a vitória maiúscula do time.

“Não tínhamos muita informação sobre esse time já que eles vieram com seis jogadores diferentes do que normalmente eles jogam e só tínhamos informações individuais da equipe. E simplesmente fizemos o nosso jogo e por termos vários jogadores bons que se revezam, fica mais fácil direcionar o time. E hoje o Baldi jogou muito e foi fundamental na vitória e essa é uma característica do Flamengo. Não iremos mudar para o jogo contra o AEK no domingo e será uma partida difícil, mas faremos o melhor” - Comentou após o jogo.

O Jogo

O time do Flamengo começou errando bastante no primeiro quarto e permitiu que sem muita dificuldade, o time do Austin Spurs abrisse o placar em 11 a 2 o que obrigou o técnico Gustavo de Conti a pedir tempo. Na base da conversa, ele conseguiu arrumar o time e ele cresceu! Com uma cesta de 3 pontos de Marquinhos, o time chegou a virada no 14 a 13 e ainda teve tempo para ampliar fechando o primeiro quarto em 20 a 15.

Anderson Varejão foi importante embaixo do garrafão. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

No segundo, o Flamengo manteve o mesmo ritmo de jogo que acabou o primeiro quarto e se aproveitando dos constantes erros do time adversário de quando tinha o ataque e ainda conseguiu ampliar um pouco a vantagem. Ao final, o placar foi de 44 a 29.

A sequência do terceiro quarto só mostrou a superioridade do time rubro-negro. Com 4 cestas de 3 pontos seguidas, o Flamengo ampliou ainda mais a sua vantagem e anulou o time americano que passou o quarto acertando apenas 9 pontos. Ao final, o placar foi de 67 a 40.

O último quarto só confirmou o quanto o Flamengo estava bem na partida. A vantagem ainda se ampliou ainda mais e a torcida só aumentava a sua comemoração. O placar final foi de 90 a 58 e o Flamengo está na final.

 

 

AEK vence San Lorenzo e também chega a final

ZTime grego ganhou com facilidade também a partida. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

 

O adversário doFlamengo será o AEK da Grécia que não encontrou dificuldades em vencer o time do San Lorenzo por 86 a 64 e avançar a final. O grande destaque dos gregos foi James Delroy que foi o cestinha do time com 15 pontos e 8 rebotes. Mas quem foi o cestinha da partida foi Tucker com 17 pontos.

“Essa é a minha primeira decisão com o time do AEK e fizemos uma partida excelente e perfeita. Focamos na defesa e usamos as cestas de 3 pontos como forma de abrir vantagem no placar e chegar a final. Jogamos como se tivéssemos na Grécia e com esse espírito jogaremos o próximo jogo” – Comentou Luca Banchi, treinador da equipe.

A vitória dos gregos veio principalmente no desempenho do time no segundo quarto, quando abriram o placar em 45 a 26, dificultando qualquer reação dos argentinos que irão disputar o terceiro lugar no domingo.

A final será neste domingo as 18hrs entre Flamengo x AEK. Mas as 15hrs, entram em quadra os times do San Lorenzo e do Austin Spurs para a disputa do terceiro lugar.

  • Publicado em Basquete

Conheça um pouco sobre o mundial Interclubes de Basquete

O Esportes de A à Z estará mais internacional que nunca já neste fim de semana e ao longo dos próximos dias. Estaremos acompanhando de perto dois grandes torneios: O torneio intercontinental de clubes de basquete pela primeira vez e emendaremos com o Rio Open de tênis. Nessa postagem, vamos falar um pouco das expectativas do torneio de basquete.

Desde os jogos olímpicos de 2016 que a cidade do Rio de Janeiro não recebe dois grandes torneios de forma seguida, o que sinceramente não me agrada. Mas já que seus organizadores optaram por esse caminho, resta-nos estar presente e trazer as novidades com o que acontecer de melhor neles e estará presente no site e basta você acessar e nos acompanhar.

O Interclubes de Basquete que será disputado na Arena Carioca 1 e volta ao formato antigo onde quatro clubes disputam o torneio que durou entre 1966 e 1987 quando o torneio foi pausado. O formato do campeonato chegou até a voltar em 1996, mas somente de 2013 a 2017 que a competição voltou com dois times na disputa. Não houve competição em 2018 para se ter a disputa atual.

Mas vamos falar dos atuais representantes: O Flamengo que é dono da casa que enfrenta Austin Spurs dos Estados Unidos e na outra partida teremos o San Lorenzo da Argentina que é o atual campeão da Liga das Américas contra o AEK da Grécia, campeão da Liga dos Campeões da Europa. Os vencedores jogarão a final e os derrotados farão uma partida para decidir o terceiro colocado.

 

O que podemos notar é o seguinte: Como em qualquer torneio interclubes que qualquer federação tenta criar, acaba que o espetáculo realmente não conta necessariamente com os melhores times do mundo. A comparação que dou um exemplo vem do vôlei, onde times americanos não participam das competições. No futebol, os europeus até participam, mas não dão a importância devida a competição, preferindo o título europeu e somente os sul-americanos valorizam os torneios devidamente.

A mesma lógica está valendo para este torneio que teremos aqui no Rio. A Fiba (Federação Internacional de Basquete) está tendo aproximação com a NBA e teremos um time dos Estados Unidos na competição que será o Austin Spurs, um time que disputa a G-Ligue, uma liga de desenvolvimento do campeonato de lá. O destaque do time é o capitão Dejuan Blair que por muitos anos disputou a liga principal e segue sua carreira no Austin.

Time do Austin Spurs representa os Estados Unidos na competição. Crédito: Divulgação/FIBA

Este time é associado ao San Antonio Spurs que joga a liga principal e prepara os jogadores por lá para jogarem no time principal. Se realmente viesse o campeão de lá, veríamos de perto o Golden Stade Warrios que atualmente é tetracampeão. 

O Aek da Grécia é o representante europeu. Crédito: Divulgação/FIBA

Na Europa, devido a uma desavença entre a Euroligue a Fiba por conta do calendário de seleções e não autorizou que os principais clubes viessem ao Brasil disputar o torneio. Sendo assim, a federação internacional criou uma outra competição chamada de Liga dos Campeões da Europa com times médios e por méritos próprios, o AEK da Grécia foi o vencedor diante do Mônaco da França. O destaque do time é Vice Hunter que tem sido o MVP dos jogos do time grego e tem o capitão Dusan Sakota que depois de passar por uma cirurgia em 2010, retomou a sua carreira e segue firme comando os time. Caso não houvesse essa disputa, teríamos o Real Madrid da Espanha nessa disputa.

O San Lorenzo vem forte desde sua recriação em 2014. Crédito: Divulgação/Fiba

Pela América do Sul, teremos o San Lorenzo da Argentina que foi o último campeão da Liga das Américas. O time do Papa Francisco que voltou a formar seu time em 2014 depois de uma longa pausa, voltou forte ganhando o título argentino por dois anos seguidos e é considerado forte. Tem cinco jogadores na seleção argentina, um da uruguaia e sem contar a participação de dois americanos. São fortes em todas as funções do campo. O capitão do time é o americano Jerome Meyinsse que foi campeão pelo Flamengo em 2014. O técnico Gonzalo Garcia também tem essa coincidência com o time carioca onde foi treinador em 2011-2012.

Time da casa, o Flamengo é o único a tentar o bicampeonato. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

E temos o Flamengo que é o único time da competição que já disputou a competição em 2014 e foi campeão diante do Macabi Haifa de Israel também jogando no Rio. Os únicos jogadores remanescentes do time que foi campeão que estarão em quadra será Olivinha e Marquinhos, sem contar que o time conta com Anderson Varejão que está há quase um ano jogando pelo clube e os demais, chegaram na renovação promovida com a chegada do técnico Gustavo de Conti. O clube nem é o atual campeão da NBB, só está na competição por ser o time da casa e o clube passou por uma semana difícil com o incêndio do alojamento do time onde 10 promessas do futebol morreram.

Estaremos lá acompanhando as partidas na sexta-feira e o primeiro confronto será AEK x San Lorenzo as 18hrs seguido pelo confronto do Flamengo x Austin Spurs às 21hrs. No domingo, o confronto de terceiro lugar será 15hrs e a grande final às 18hrs. Quem será que leva essa?

Em breve, voltaremos a falar do Rio Open de tênis. Nos acompanhe!

Marcio Villar conta por que não conseguiu dobrar a Arowhead esse ano

Foi numa nevasca de -55c que só acontece uma vez a cada vida que foi realizada entre 28 e 30 de janeiro a arrowhead, considerada uma das ultramaratonas mais difíceis do mundo onde o atleta tem que percorrer 217 km por uma trilha na neve cercado por eucaliptos. Foi nesse cenário que os cariocas que Diego Costa e Marcio Villar tentaram completar a prova e acabam frustados com o excesso de frio que poderiam ter levado eles a morte.

Marcio em especial tinha um sonho de fora vencer os 217 km da competição oficial, dobrar a distância para ser o primeiro do mundo a ter dobrar as principais competições de ultramaratonas de ambiente extremos do mundo e essa em especial, foi a única que conseguiu. Mas o sonho foi adiado por mais um ano! Veja a explicação dele no vídeo abaixo contando como foi a experiência nessa tentativa frustada.

 

  • Publicado em Videos

Rifa ajuda na participação de um atleta no mundial de Duathlon

Você já ouviu falar do duatlhon? Não seria triatlhon? é quase isso! é o esporte em que se combina apenas o ciclismo e a corrida. E em abril na cidade de Pontevedra na Espanha, teremos o mundial da modalidade com representantes brasileiros e tivemos a oportunidade de conversar com Josias Nepomuceno, atual campeão carioca e terceiro no brasileiro.

Ele que trabalha como bombeiro civil no Rio, é casado e pai de duas crianças. Sua vida se reveza nos plantões na madrugada, seus treinos na área do Recreio, morando em Campo Grande e sua família e está tendo uma carreira bem meteórica. Começou correndo em Mesquita na baixada fluminense num projeto social e entrou na vida do Duatlhon em 2013, onde começou sua caminhada rumo ao título estadual e uma ótima participação no brasileiro que lhe rendeu a vaga no mundial deste ano.

Quadro está lendo rifado para ajudar na participação de Josias no mundial. Crédito: Julio Tio Verde

Mas para poder participar do mundial, ele que não conta com nenhum tipo de patrocínio, está indo na base de rifas e apoios como no quadro da artista Janaina Garrot em que você pode adquirir um número com ela e ajudar nos custos da viagem dele. A artista faz parte da equipe que ele treina e quem está cuidando dos custos e de sua programação é sua treinadora Denise Chapernel.

Assista ao vídeo seguir onde ele fala um pouco mais de sua carreira

 

  • Publicado em Videos
Assinar este feed RSS