Raphael Oliveira

Raphael Oliveira

Raphael Oliveira, Carioca morador de Uberlândia desde 2011 pós-graduado em Jornalismo Esportivo pela Faculdades Integradas Hélio Alosno (FACHA-RJ), apaixonado por esportes fundador do site de notícias esportivas “Esportes de A a Z” onde se divide entre editor e fotógrafo, possui na currículo cobertura de eventos como Grand Slam de Judo, Mundial de Judo, Liga Mundial de Vôlei, Finais do NBB e Superliga de Vôlei, Mundial de Natação Paralímpica, NBA e UFC e Paralímpiadas Rio 2016.

URL do site:

O último ato da etapa de abertura da Volvo Ocean Race

Vestas 11th Hour Racing acelera rumo à Lisboa com vantagem e deve confirmar vitória neste sábado (28) na capital portuguesa. Disputa pelo pódio segue aberta com aproximação do Dongfeng Race Team.

O Vestas 11th Hour Racing deve confirmar a vitória da primeira etapa da Volvo Ocean Race, entre Alicante e Lisboa. O barco de Charlie Enright se mantém firme no topo praticamente de ponta a ponta do percurso de 1.450 milhas náuticas. A tendência é que o veleiro de bandeira dinamarquesa cruze a linha de chegada na madrugada deste sábado (28), horário de Brasília, manhã em Lisboa.

''Aqui todos estão pensando no final, mas ninguém está falando sobre isso ainda. Nós temos que fazer o nosso trabalho! Não podemos relaxar...temos que continuar navegando o mais rápido possível", disse o velejador Tom Johnson, do Vestas 11th Hour Racing.

A briga pelos outros lugares do pódio segue aberta. O espanhol MAPFRE se mantém em segundo lugar, mas sem poder respirar. O team AkzoNobel, da brasileira Martine Grael (foto), e agora o chinês Dongfeng Race Team apertam nas milhas finais.

"Há uma grande diferença entre os três primeiros e nós. Acho que a situação é complicada, mas podemos pegar ainda o terceiro'', escreveu no blog da Volvo Ocean Race o comandante do Dongfeng Charles Caudrilier.

''A nossa chance pra pegar os Vestas será na entrada de Lisboa, que sempre tem suas surpresas'', disse o espanhol Antonio 'Neti' Cuervas-Mons, do MAPFRE.

Frota segue firme rumo a Portugal

Após o susto das ultimas horas quando uma mangueira de tanque de lastro falhou, a equipe Vestas 11th Hour Racing segue firma para a "marca virtual", apelidado de Porto Santo Norte. É quase diretamente contra o vento, o que significa que as equipes deverão realizar alguns jibes até a marca, mas esta parte do Leg 1 está em grande parte configurando como um concurso de velocidade.

O MAPFRE não está facilitando o líder. Com uma configuração de vela diferente, a equipe espanhola conseguiu igualar a velocidade com o barco Vestas, enquanto navegava com uma direção ligeiramente mais favorável em direção à marca, ganhando cerca de 4 milhas entre as 07:00 e as 13:00 GMT. "As condições são bastante agradáveis", disse Rob Geenhalgh no MAPFRE. "20 nós de vento, e fazendo cerca de 20 nós de velocidade de barco, mas todos têm boas velocidades e bom vento agora ... Isso corre até o waypoint. Nós ficamos um pouco para o leste, esperando que possamos reduzir esse déficit para menos de 10 milhas pelo ponto de passagem ".

O barco AkzoNobel continua a ocupar o terceiro lugar, relativamente seguro em comparação com o pacote de perseguição, mas ainda incapaz de fazer incursões no par na frente. As posições no grupo de perseguição permanecem em fluxo. Menos de 10 milhas separam o quarto do sétimo lugar. "As sutilezas desses barcos são algo sobre o que ainda estamos trabalhando", disse Steve Hayles, o navegador de Sun Hung Kai / Scallywag. "Às vezes, somos rápidos, mas outras vezes, nosso ritmo está faltando. Mas uma oportunidade de correr duro contra times como Brunel e Dongfeng, equipes de segunda geração que já fizeram essa corrida antes, é uma ótima oportunidade para aprender".

Leg 1 - Relatório de Posição - Quinta-feira 26 de outubro (Dia 5) - 13:00 UTC

1. Vestas 11th Hour Racing - distância até o final - 572.0 milhas náuticas
2. MAPFRE + 12,2nm
3. AkzoNobel +13.3
4. Dongfeng Race Team +22.9
5. Sun Hung Kai / Scallywag +29,7
6. Team Brunel +32.7
7. Torne a Tide on Plastic +33.0

Vestas 11th Hour Racing lidera a frota ao redor de Porto Santo

A equipe Vestas 11th Hour Racing continua a liderar a regata depois de deixar a ilha de Porto Santos para estibordo. A próxima marca virtual, Porto Santos Norte está logo a frente ao norte da frota, antes de uma ligeira curva direita que irá para Lisboa e a linha de chegada. "As três da manhã penso, e estamos chegando ao arredondamento (Porto Santos) agora", disse Simon Fisher, o navegador no barco Vestas. "Vamos voltar para baixo agora e apontando quase para Lisboa". A equipe teve um susto durante a noite, quando uma mangueira saiu de um tanque de lastro de água e 800 litros de água que deveria ter ajudado a estabilizar o barco em vez disso, inundou parte do barco "Ironicamente, eu vim aqui para fazer uma análise de desempenho porque o barco não estava se comportando como o esperado", explicou o capitão Charlie Enright. "Quando me sentei na estação de navegação, pude ver um pouco de água na parte de trás do barco. E a mangueira de lastro de água havia soltado. Isso explicou a questão do desempenho". A água foi rapidamente recuperada de volta para o lastro, a mangueira reconectada e a equipe voltou para 100 por cento. O foco será manter a MAPFRE e a equipe AkzoNobel atrás e configurar a abordagem final para Lisboa no sábado.

Mais adiante na frota, a equipe de corrida de Dongfeng está começando a desfazer o grupo de quatro embarcações que lutam pelo quarto lugar, a menos de duas milhas à frente do grupo. "É importante contornar a ilha primeiro. Agora vamos navegar contra o vento, então quanto mais você estiver no norte, mais você estará liderando", disse o navegador Pascal Bidégorry. "Para este grupo, é melhor estar à frente. É por isso que empurramos tanto durante a noite".

Dentil/Praia Clube vai precisar de forças para se manter de pé na competição

A terceira partida da série melhor de cinco das semifinais da Superliga feminina de vôlei 16/17 entre Dentil/Praia Clube e Vôlei Nestlê será decisiva, uma vez que a equipe praiana precisa vencer fora de casa para se manter viva na competição. O Vôlei Nestlé (SP) receberá o Dentil/Praia Clube (MG), às 19h, no ginásio José Liberatti, em Osasco (SP). O time de Osasco lidera a série com duas vitórias e está a um resultado positivo da final. Na série o time de Osasco levou a melhor no primeiro duelo por 3 sets a 1 (em Osasco) e no segundo por 3 sets a 0 (em Uberlândia)

Apesar da vantagem na série, a levantadora Dani Lins, do Vôlei Nestlé, ressaltou que não tem nada decidido e pediu o apoio da torcida de Osasco.

"Temos mais um jogo em casa e não vai ser fácil. Elas não desistem nunca, têm um elenco muito bom e temos que estar preparadas para isso. Vamos lotar o caldeirão em casa", apostou Dani Lins.

Pelo lado do Dentil/Praia Clube, o treinador Ricardo Picinin mostrou confiança na recuperação da equipe no duelo contra o Vôlei Nestlé.

"Disse às jogadoras ao final da segunda partida que não tem nada perdido. A melhor de cinco dá essa possibilidade de o time reverter a situação. Com a qualidade do nosso elenco e das nossas atletas é possível. Já evoluímos desde o último jogo e em algumas situações temos que ser mais assertivos, mas vamos trabalhar para isso. Agora é tudo ou nada, então vamos dar o sangue dentro de quadra", apostou Ricardo Picinin.

Apesar de ter retornado aos treinamentos a escalação da central Fabiana ainda é dúvida na equipe mineira, Picinin falou sobre o assunto: "A Fabiana é importante em qualquer time do mundo. Estamos trabalhando com ela em quadra, fazendo saltos e bloqueios de ataque. Ela tem evoluído, tem se sentido bem. Agora, temos que esperar essa resposta dela. Talvez jogue. Se estiver em condições, joga. Mas temos que ver tudo: se ela vai estar bem fisicamente, com ritmo de jogo. O tratamento com nossa comissão técnica foi maravilhoso. Ela quer muito jogar, ajudar a equipe e nós queremos que ela jogue. Vamos ver como ela se comporta nesses últimos treinos para bater o martelo" 

Outro ponto importante tem sido o rodizio de atletas em quadra principalemnte Alix, Michelle, Carla e Ellen. A capitã Walewska falou sobre o assunto e pediu para a equipe reunir forças e ir em busca do unico resultado que interessa: "A gente tem rodado muito as jogadoras durante o jogo. Dificulta muito. Ter uma base que joga o tempo inteiro, fica mais fácil. A série é longa, temos que pensar nisso. Vai ser um jogo muito difícil nesta sexta-feira no José Liberatti. Temos que reunir forças, não temos tempo para chorar ou sorrir até lá"

Assinar este feed RSS