Redação

Redação

Brasil avança com duplas às quartas e oitavas de final na etapa da Polônia

Ágatha (esq) comemora com Duda ponto durante partida em Olsztyn. Crédito:Divulgação/FIVB

 

O Brasil segue na briga por medalhas na etapa da Polônia do Circuito Mundial de vôlei de praia 2017. Nesta sexta-feira (21.07), no naipe feminino, Ágatha/Duda (PR/SE) e Larissa/Talita (PA/AL) superaram suas adversárias e chegaram às quartas de final. Entre os homens, Alison e Bruno Schmidt (ES/DF) também venceram e estão na fase de oitavas de final do torneio disputado na cidade de Olsztyn.

Ágatha e Duda vão enfrentar nas quartas de final as tchecas Kolocova e Kvapilova, às 5h30 (de Brasília). Os dois times haviam se enfrentado na fase de grupos, com vitória das tchecas. Já Larissa e Talita encaram as alemãs Julia Sude e Chantal Laboureur no mesmo horário. Em seis encontros entre as duplas, as brasileiras somam cinco vitórias.

Além das disputas das quartas de final, neste sábado (22.07) ocorrem também os jogos das semifinais. Caso as duas duplas brasileiras vençam, se encontrarão na semi, garantindo ao menos um time verde e amarelo na decisão da etapa de Olsztyn.

No naipe masculino, que está uma rodada atrás, Alison e Bruno Schmidt encaram nas oitavas de final os russos Oleg Stoyanovskiy e Artem Yarzutkin, às 4h30 (de Brasília). Os brasileiros campeões olímpicos venceram o único encontro entre os times, valendo o bronze do Major Series de Porec. As quartas de final e semifinais do naipe masculino também serão realizadas neste sábado.

Nesta sexta, Larissa e Talita, que ficaram em primeiro na chave, jogaram apenas uma partida. Elas superaram as alemãs Karla Borger e Margareta Kozuch por 2 sets a 1 (21/7, 16/21, 15/12), 41 minutos. Já Ágatha e Duda disputaram uma rodada a mais, da repescagem, quando venceram as finlandesas Lahti e Lehtonen por 2 sets a 1 (21/14, 18/21, 15/11), em 50 minutos. Horas depois, nas oitavas, triunfo por 2 sets a 0 (21/19, 21/19) sobre as polonesas Jagoda Gruszczynska e Kinga Kolosinska.

Alison e Bruno Schmidt disputaram apenas uma partida nesta sexta-feira, pela fase de grupos. Eles superaram os poloneses Fijalek e Bryl por 2 sets a 1 (14/21, 21/14, 15/11), em 50 minutos, e garantiram primeiro lugar da chave H. Com isso, avançaram em primeiro e não tiveram que passar pela repescagem, também realizada hoje.

Outras cinco duplas brasileiras deram adeus ao torneio nesta sexta-feira. Fernanda Berti e Bárbara Seixas (RJ) caíram nas oitavas de final, enquanto Pedro Solberg/Guto (RJ) ficaram na repescagem. Já Álvaro/Saymon (PB/MS), Evandro/André (RJ/ES) e Vitor Felipe/George (PB) foram eliminados na fase de grupos do torneio.

A etapa quatro estrelas da Polônia distribui 300 mil dólares em prêmios aos atletas, além de 800 pontos à dupla campeã. Este é o 13ª ano consecutivo que a Polônia recebe uma etapa, sendo um dos locais mais tradicionais do tour.

O Brasil lidera o quadro de medalhas em etapas do Circuito Mundial realizadas na Polônia. Até hoje foram realizados 15 eventos no naipe masculino e outros 13 no feminino. Os brasileiros possuem 17 medalhas no masculino (oito ouros, quatro pratas e cinco bronzes) e 16 medalhas no feminino (nove ouros, duas prata e cinco bronzes).

CONFIRA OS RESULTADOS DO TORNEIO FEMININO
http://worldtour.2017.fivb.com/en/wpol2017/women/results/maindraw

CONFIRA OS RESULTADOS DO TORNEIO MASCULINO
http://worldtour.2017.fivb.com/en/mpol2017/men/results/maindraw

Mateus Evangelista é prata no salto e chega a três medalhas no Mundial de Atletismo Paralímpico

Um dia após brilhar nos 100m, rondoniense fecha performance no Estádio Olímpico de Londres mais uma vez no pódio. Crédito: Marcio Rodrigues/MPIX/CPB  

Mateus Evangelista retornou ao Estádio Olímpico de Londres nesta sexta-feira, 21, e conquistou novamente uma medalha para o Brasil no Campeonato Mundial de Atletismo Paralímpico. O atleta da classe T37 (paralisados cerebrais) voltou a ser a estrela da participação brasileira, agora com o vice-campeonato no salto em distância. Assim, o país acumula seis ouros, seis pratas e cinco bronzes - 17 medalhas ao todo. O evento se encerrará neste domingo, 23.  
 
O rondoniense de 23 anos já havia garantido um ouro nos 100m e uma prata nos 200m na capital britânica. Nesta sexta, foi superado apenas pelo chinês Guangxu Shang, que também havia lhe tirado a vitória no salto em distância nos Jogos do Rio 2016. Mateus ficou com a prata com o salto de 6,10m, obtido em sua quarta tentativa. A primeira posição ficou com o asiático (6,58m - novo recorde do campeonato). Completou o pódio o ucraniano Vladyslav Zahrebelnyi, com 5,95m. 
 
"Eu demorei bastante para conseguir entrar na prova, mas fui crescendo a cada salto. O chinês começou bem logo de cara. Saio muito satisfeito desse Mundial, porque conquistei medalha nos 100m, nos 200m e aqui no salto em distância. Esperava dois pódios e conquistei três, então não tenho do que reclamar", disse Mateus que, por falta de oxigênio na hora do nascimento, teve uma paralisia cerebral que prejudicou os movimentos do seu lado direito do corpo.  
 
Edson Pinheiro também subiu ao pódio. O acreano foi terceiro colocado nos 100m da T38, também para paralisados cerebrais. Ele cumpriu a prova em 11s30, atrás apenas do australiano Evan O'Hanlon, que venceu a disputa com 11s07 - mesmo tempo do chinês Jianwen Wu, atual campeão paralímpico, que ficou com o segundo lugar. Edson repete o resultado dos Jogos do Rio 2016, atrás justamente dos mesmos atletas que o superaram há um ano. 
 
Elizabeth Gomes ficou com a oitava posição no lançamento de disco F55 (15,41m). Petrúcio Ferreira (22s17) e Yohansson Nascimento (22s43) passaram com o primeiro e o terceiro melhores tempos, respectivamente, à final dos 200m T47 (amputados de braço). A decisão será disputada neste sábado, 22, às 15h40 (de Brasília). Vale ressaltar que os dois já foram medalhas de ouro e prata em Londres, respectivamente, nos 100m da mesma classe. Por fim, Daniel Martins completou os 800m T20 (deficientes intelectuais) em 2min05s53 - não suficientes para ir à briga pelo pódio. 
 
Programação dos brasileiros - sábado (22/7)*
8h20 - Rodrigo Parreira (semifinal dos 100m T36)
15h06 - Thiago Paulino (final do lançamento de disco F57)
15h40 - Yohansson Nascimento e Petrúcio Ferreira (final dos 200m T47)
16h10 - Rodrigo Parreira (final dos 100m T36) - caso avance
16h30 - Daniel Martins (final dos 800m T20) 
*Horário de Brasília

Brasil avança com três duplas à fase eliminatória na Polônia

Talita prepara jogada para Larissa durante partida da fase de grupos. Crédito:Divulgação/FIVB

 

O Brasil começou o torneio de Olsztyn, na Polônia, com resultados importantes pelo Circuito Mundial de vôlei de praia 2017. Três duplas avançaram à fase eliminatória no torneio feminino, enquanto, no naipe masculino, que está uma rodada atrás, foram duas vitórias e três derrotas na estreia, nesta quinta-feira (20.07).

Larissa e Talita (PA/AL) conquistaram dois triunfos no grupo A e saíram em primeiro lugar da chave, indo direto às oitavas de final. Elas venceram as polonesas Gromadowska e Kociolek por 2 sets a 1, e as norte-americanas Fendrick e Ross por 2 sets a 0.

Nas oitavas de final, as tricampeãs brasileiras jogam contra as vencedoras do duelo entre as alemãs Borger/Kozuch e Mashkova/Samalikova, do Cazaquistão.

Já Ágatha/Duda (PR/SE) e Fernanda Berti/Bárbara Seixas (RJ) conquistaram uma vitória e uma derrota nos grupos D e F, e assim terão que disputar a repescagem. Ágatha e Duda encaram as finlandesas Taru Lahti e Riikka Lehtonen, enquanto Fernanda Berti e Bárbara Seixas jogam contra as argentinas Ana Gallay e Georgina Klug.

Se vencerem na repescagem, Ágath/Duda encaram as polonesas Gruszczynska/Kolosinska, já Berti e Bárbara Seixas, se avançarem, duelarão com as suíças Joana Heidrich e Anouk Vergé-Dépré nas oitavas de final da competição polonesa.

Masculino
No naipe masculino o Brasil começou com duas vitórias, de Alison/Bruno Schmidt (ES/DF) e Pedro Solberg/Guto (RJ). Por terem vencido na estreia, eles disputam o primeiro lugar da chave nesta sexta-feira, podendo avançar direto às oitavas de final do torneio.

Os brasileiros campeões olímpicos encaram os poloneses Fijalek/Bryl, enquanto Pedro/Guto joga contra Hyden/Dohertt, dos Estados Unidos, pela liderança.

Já Álvaro Filho/Saymon (PB/MS), Evandro/André Stein (ES/RJ) e Vitor Felipe/George (PB), que perderam na primeira partida, disputarão o jogo valendo a terceira colocação da chave. Com isso, automaticamente terão que disputar a repescagem, sem chances de avançarem em primeiro.Os adversários de Alvinho e Saymon serão Rudol e Szalankiewicz, da Polônia.

Já Evandro/André jogam contra Oleg Stoyanovskiy e Artem Yarzutkin, da Rússia. Vitor Felipe e George tentam seguir na competição encarando os belgas Koekelkoren e Tom van Walle.

A primeira fase conta com oito grupos de quatro equipes, que jogam entre si em eliminatória dupla (quem perde duas partidas seguidas, está fora, quem vence duas partidas fica em primeiro). Os líderes de cada chave vão direto às oitavas de final, enquanto segundos e terceiros colocados disputam uma fase a mais, da repescagem.

A etapa quatro estrelas da Polônia distribui 300 mil dólares em prêmios aos atletas, além de 800 pontos à dupla campeã. Este é o 13ª ano consecutivo que a Polônia recebe uma etapa, sendo um dos locais mais tradicionais do tour.

O Brasil lidera o quadro de medalhas em etapas do Circuito Mundial realizadas na Polônia. Até hoje foram realizados 15 eventos no naipe masculino e outros 13 no feminino. Os brasileiros possuem 17 medalhas no masculino (oito ouros, quatro pratas e cinco bronzes) e 16 medalhas no feminino (nove ouros, duas prata e cinco bronzes).

CONFIRA OS RESULTADOS DO TORNEIO FEMININO
http://worldtour.2017.fivb.com/en/wpol2017/women/results/maindraw

CONFIRA OS RESULTADOS DO TORNEIO MASCULINO
http://worldtour.2017.fivb.com/en/mpol2017/men/results/maindraw

Com apoio da torcida, Brasil vence Bélgica em Cuiabá

Brasileiras levaram a melhor sobre as belgas por 3 sets a 0 e duelarão com a Holanda nesta sexta-feira em busca de um lugar na Fase Final. Crédito: Divulgação/FIVB

A seleção brasileira feminina de vôlei começou com vitória a etapa do Brasil do Grand Prix. Com o apoio de 3.380 torcedores que compareceram ao ginásio Aecim Tocantins, as brasileiras levaram a melhor sobre a Bélgica, nesta quinta-feira (20.07), por 3 sets a 0 (28/26, 25/19 e 25/20), em 1h27 de jogo, em Cuiabá (MT). Brasileiras e belgas formam ao lado da Holanda e dos Estados Unidos, o grupo I da competição.

Com o resultado, o Brasil subiu para o quarto lugar na classificação geral e retornou ao grupo das cinco seleções que avançam à Fase Final. No entanto, a rodada ainda será encerrada na madrugada de sexta-feira (21.07).

O Brasil voltará à quadra nesta sexta-feira (21.07), às 14h05 (horário local)/15h05 (horário de Brasília), contra a Holanda.

A oposta Tandara foi a maior pontuadora do confronto, com 17 pontos. A ponteira Rosamaria, com 15, a capitã Natália e a central Carol, com 13 cada, também pontuaram bem pela equipe verde e amarela. Pelo lado da Bélgica, a atacante Grobelna foi o destaque, com 16 acertos.

O principal destaque das brasileiras no confronto foi o bloqueio, com 13 pontos do fundamento. As centrais Carol e Adenízia marcaram cinco pontos cada uma de bloqueio.

Maior pontuadora do duelo, a oposta Tandara comentou sobre o resultado da partida e importância do jogo na briga pela classificação para Fase Final.

“Foi um jogo importante na nossa busca pela classificação para Fase Final na China e esses três pontos conquistados foram fundamentais. Hoje ainda sentimos um pouco o fuso horário e acredito que vamos jogar melhor contra a Holanda. Esses três pontos foram a recompensa de toda a adversidade que enfrentarmos com fuso horário e cansaço. A torcida nos incentivou durante toda a partida e foi muito bom jogar dentro de casa”, disse Tandara.

O treinador José Roberto Guimarães fez uma análise da atuação do Brasil no duelo contra a Bélgica.

“Estamos mantendo uma média muito boa de bloqueios durante toda a competição. Já o nosso passe e a defesa precisam melhorar. E para evoluirmos nesses fundamentos temos que treinar mais. Foi importante temos vencido e conquistado esses três pontos, mas sabemos que precisamos evoluir em alguns aspectos para enfrentar as melhores seleções do mundo”, disse José Roberto Guimarães, que também falou sobre o duelo desta sexta-feira contra a Holanda.

“A Holanda não tem como característica um bloqueio pesado e é uma equipe muito voluntariosa na defesa. Elas estão vivendo um bom momento, já se classificaram para  a fase final e estão jogando com velocidade. Além disso, elas têm jogadoras experientes que jogam juntas há algum tempo. É um jogo chave para nossa equipe, pois se ganharmos vamos dar um passo importante para a classificação”, explicou José Roberto Guimarães.

Entenda o Grand Prix

No Grand Prix, de sete a 23 de julho, as 12 principais seleções disputarão a fase de classificação. A cada semana serão formados três grupos com quatro seleções em cada, definidas em sorteio. Ao fim da fase classificatória, as cinco equipes mais bem classificadas avançarão à Fase Final, que contará ainda com a China, país sede. A Fase Final acontecerá de dois a seis de agosto, em Nanjing, na China.

No primeiro fim de semana da competição, o Brasil venceu a Bélgica e a Turquia, respectivamente, por 3 sets a 0 e 3 sets a 2 e foi superado pela Sérvia por 3 sets a 0. Na segunda semana, as brasileiras estrearam com vitória sobre a Sérvia por 3 sets a 0 e foram superadas pela Tailândia pelo mesmo placar e pelo Japão por 3 sets a 2.

O Brasil é o atual campeão do Grand Prix e luta pelo 12º título da competição.

O JOGO

A Bélgica começou melhor e fez 6/3. O time europeu foi para o 1º tempo técnico com quatro de vantagem (8/4). Bem no saque e nos contra-ataques, as brasileiras deixaram tudo igual no marcador (10/10). A Bélgica voltou a abrir vantagem no marcador e fez 17/14. A oposta Tandara se destacava no ataque e com bom aproveitamento do bloqueio, o Brasil virou o marcador (22/21). O final da parcial foi disputado ponto a ponto e com destaque para a oposta Tandara, as brasileiras fecharam a parcial por 28/26.

O segundo set seguiu equilibrado. Com um ponto de saque da ponteira Natália, o Brasil abriu um ponto (13/12). As brasileiras foram para o segundo tempo técnico com um de vantagem (16/15). Bem no bloqueio, as brasileiras abriram três pontos (20/17) no final da segunda parcial e o técnico da Bélgica pediu tempo. O Brasil seguiu melhor e venceu o segundo set por 25/19.

O Brasil começou bem o terceiro set e fez 6/4. Bem no saque, as brasileiras fizeram 14/10. O Brasil seguiu melhor e foi para o segundo tempo técnico vencendo por 16/11. As brasileiras seguraram uma reação da Bélgica e, com destaque para o bloqueio, venceram a parcial por 25/20 e o jogo por 3 sets a 0.

EQUIPES:

BRASIL: Roberta, Tandara, Natália, Rosamaria, Adenízia e Carol. Líbero – Suelen 
Entraram: Monique, Macris e Amanda 
Técnico – José Roberto Guimarães 

BÉLGICA: Herbots, Leys, Grobelna, Janssens, Ilka e Lemmens. Líbero – De Tant 
Entraram: Jasmien, Van Gestel, Jodie 
Técnico – Gert Vande Broek

Assinar este feed RSS