Redação

Redação

Brasil tem sexta-feira com ouro no futebol de 5 e em mais sete modalidades no Parapan de Jovens

A sexta-feira foi dourada para a Seleção Brasileira de futebol de 5 (para cegos) nos Jogos Parapan-Americanos de Jovens São Paulo 2017. A equipe do Brasil venceu a Argentina por 1 a 0, com gol de Jonathan, para se consagrar a campeã do torneio. Além do futebol de 5, o país ainda levou medalhas de ouro em sete outras modalidades neste penúltimo dia de disputas do evento.
 
No futebol para cegos, assim como em muitos outros esportes, esta é uma das maiores rivalidades. Na estreia da competição, na terça-feira, a Argentina havia vencido o Brasil pelo mesmo placar, deixando os brasileiros apreensivos por se tratar de um torneio curto. "Chegamos com receio na primeira partida, mas hoje entramos para ganhar mesmo, com gana, para deixar a taça aqui", contou o autor do gol.
 
Para o técnico Fábio Vasconcelos, o título foi merecido pelo amadurecimento que a Seleção apresentou durante a competição. "Vim com a ideia de trabalhar com esses jovens para renovar a Seleção principal, que ganha tudo, mas já está envelhecendo. E aqui tem muitos jogadores novos, de 15 ou 16 anos, que nunca jogaram partidas internacionais ou que jogam pouco em seus clubes. Então foram crescendo dentro da competição, trabalhando a parte psicológica, mesmo com a pressão muito grande da comparação com a Seleção adulta. Achei que hoje fizeram uma excelente partida, mereceram a vitória, e me deixaram bastante feliz por terem acompanhado minha ideia", analisou o treinador.
 
Tênis em cadeira de rodas
No último dia de competições do tênis em cadeira de rodas, disputado no Clube Espéria, Brasil e Argentina consolidaram-se como as duas grandes forças do torneio. 
 
Na simples masculina, o Brasil fez a dobradinha com Jucelio Torquato e Fabio Bernardes, com ouro e prata, respectivamente. Na simples feminina, mais duas medalhas para o Brasil: Maria Fernanda Alves perdeu para a argentina Antonella Pralong por 2 sets a 0 e ficou com a prata. O bronze foi para Jade Lanai Moreira, que superou Nicole Maria Dhers, da Argentina, por 2 sets a 0.
 
Jade e Maria Fernanda ainda levaram a prata nas duplas após perder a final para as argentinas Antonella e Nicole Maria. Ontem, a dupla masculina formada por Jucelio e Fabio levou a medalha de ouro.
 
Natação
A modalidade encerrou as atividades hoje e o Brasil levou 61 medalhas nos quatro dias de competição, sendo 27 de ouro, 17 de prata e 17 de bronze. Um dos destaques do grupo brasileiro foi Matheus Ribeiro, que nadou cinco provas e levou cinco medalhas de ouro. "Quando cheguei aqui, não esperava baixar meus tempos como fiz aqui. E consegui ser mais rápido em todas as provas individuais e fiquei com ouro em todas elas. Estou bem satisfeito", resumiu Matheus.
 
Tênis de mesa
Nesta sexta-feira, as disputas por medalhas na modalidade foram por equipe. O time formado por Danielle Rauen, Lethicia Rodrigues e Iolanda de Almeida ficou com a medalha de ouro. Também levou o ouro o trio masculino formado por Marlison Alfaia, Gustavo Laskosky e Paulo Fonseca, no torneio classes 6-10.
 
Além das duas medalhas de ouro, o Brasil ainda levou uma prata com Camila Ribeiro, Maria Laura Freitas e Raiza da Silva, que formaram o time feminino das classes 6-10.
 
Goalball
A sexta-feira foi de medalha de ouro para as meninas e classificação à final para os meninos. No feminino, o time brasileiro goleou o México por 10 a 0 para comemorar o título. No masculino, repetiu-se o mesmo placar também contra os  mexicanos. A equipe enfrenta a Argentina na final, neste sábado, às 10h.
 
Vôlei sentado
Em um jogo bem disputado, as brasileiras levaram a melhor sobre os Estados Unidos para subir ao topo do pódio. Até chegar à final, o Brasil não havia perdido nem um set, mas na decisão, depois de abrir 1 a 0 (25 a 15), viram as americanas se fortalecerem e vencer o segundo set (25 a 23), igualando o placar. No terceiro, as brasileiras fizeram 25 a 20, fecharam a partida em 2 a 1 e comemoraram a medalha dourada. O time masculino ficou com o bronze ao vencer a República Dominicana por 3 a 0.
 
Bocha
Um ouro e uma prata foram conquistadas por brasileiros nesta sexta. A medalha dourada foi para Lucas Araújo, na classe BC3, que venceu o colombiano Carlos Torres por 5 x 3. Na classe BC4, Marcial Quadros, do Brasil, perdeu para Cristian Salcedo, da Colômbia, por 6 x 4 e ficou com a prata.
 
Basquete em cadeira de rodas
O time masculino alcançou a final da competição nesta sexta-feira. Os brasileiros ficaram com a vaga ao vencer a Colômbia por 63 a 27. Os rivais na decisão deste sábado serão os mexicanos, que venceram a Argentina por 74 a 49. A final começa às 11h.
 
Futebol de 7
Após garantirem a classificação à final com uma vitória por 7 a 3 sobre a Venezuela na quinta-feira, o Brasil teve a sexta-feira para descansar para a final deste sábado. O confronto que vale a medalha de ouro será contra a arquirrival Argentina, às 11h30.
 
Para mais informações sobre o Parapan de Jovens, confira o site do evento (www.saopaulo2017.com). Acompanhe também as redes sociais dos Jogos.
 
Instagram: @2017saopaulo
Twitter: @2017saopaulo

Jacarepaguá receberá evento de boxe neste sábado

Neste sábado (25), a Associação Carioca de Boxe (ACB) promoverá a Segunda Etapa da modalidade em Jacarepaguá. O evento começará a partir das 16h, na academia Vittoria Club, na Pechincha. Os amantes do boxe poderão desfrutar gratuitamente de 23 lutas interestaduais, com atletas de Minas Gerais, Saquarema (RJ), Espírito Santo, Rio Grande do Sul e Bahia.  A homenageada da tarde será Marcia Lomardo, que foi a primeira árbitra de boxe do Brasil.

 

 O combate principal será entre Tainan “Carrapato” Mateus (Alessandro Leite-Nobre Arte) e Luiz Henrique Barros (Equipe André Roubert), peso combinado 53 Kg. Carrapato vai para sua terceira luta no profissional. Até agora, tem uma vitória e uma derrota, por pontos. O atleta da Associação Carioca de Boxe/Alessandro Leite-Nobre Arte  já realizou mais de 40 lutas na categoria amadora. Já o desafiante Luiz Henrique fará a sua estreia no profissional, mas já fez 42 lutas amadoras. O cardcompleto está logo abaixo.

 

As lutas têm uma duração máxima de três rounds, de três minutos cada. Sempre com um intervalo de um minuto entre qualquer round para descansar.

 

Haverá no evento uma tenda, onde as pessoas que prestigiarem as lutas poderão fazer a doação de 1 kg de alimento não perecível.  A entrada é franca.

 

  

Curiosidades

 

A santista Marcela Paula Souza se tornou a primeira brasileira a comandar uma luta nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.  Desde 2000, a santista é árbitra pela Confederação Brasileira de Boxe. Ela passou por competições regionais, nacionais, pré-olímpicas e pré-Pan-Americano.

Serviço:

 

Pesagem: Das 12h30 às 13h30;

Homenagens: 15h30;

Horário das lutas: 16h;

Local: Rua Professor Henrique Costa, nº 841, Pechincha, em Jacarepaguá (Academia Vittoria Club);

Entrada um 1 kg de alimento não perecível.

 

 

 

Card Oficial das lutas:

Luta 1-Masculino-infantil-47kg.
-Daniel de Paula-Vitória x Wilhian de L. Corrêa (Equipe Valmir Chinês);
Luta 2- Masculino-53kg-Elite.
-Luis Carlos de Oliveira (Instituto Todos na Luta) x Danilo Tavares (Equipe Valmir Chinês);
Luta 3-feminina- elite-57kg.
-Juliane Gomes de Medeiros- Vitória x Raiane Vinuto (Boxe Saquarema);
Luta 4- Feminina-Elite-60kg.
Éster dos Santos Lima (Equipe Fight Company)  x Sônia Breder Afonso (Equipe Marca da Promessa- MG);
Luta 5-masculino-Kadet-57kg.
-Michael Daivson Cruz (Equipe Popeye) x Weverton de L. Corrêa (Equipe Valmir Chinês);
Luta 6- masculino-Elite-60 kg.
-Douglas Reis do Carmo- Centro Esportivo x Levy Isidoro (Art Fighters);
Luta 7- Masculina -Elite-60 kg.
-Adailton Paulo Medeiros (Equipe Marca da Promessa-MG) x Harles Juvino (Nova União);
Luta 8- Masculina-Elite-60 kg.
Winther Schuarzenneguer (Equipe Marca da Promessa) x Cláudio Coutinho (Nova União);
Luta 9- Masculina-Elite-60 kg.
-Jeferson de O. Ferreira (Equipe Valmir Chinês) x Ronaico de S. Marinho (Nova União);
Luta 10- masculina Elite-64 kg

 -Rafael Santos de Jesus (Vitória) x Henrique Coelho (Acad. Santa Rosa);
Luta 11- Masculina-Elite-64 kg.
-Lucas A. De Sousa (Instituto Todos na Luta) x Júlio César (Vitória);

 Luta 12- Masculino-Elite-64 kg.
-Oswaldo de Melo Costa (Equipe Popeye) x Yarley J. Martins (Nova União); Luta 13-masculina-Kadet-64 kg.
-Claison Silva-Boxe Saquarema x Lucas Favares Maria (equipe Fight Company);
Luta 14- Masculino Elite-69 kg.
-Rafael Sousa-Centro esportivo x  Breno Pretrugaro (Vitória);
Luta 15-Masculino-Elite- 69kg.
-Raylander Rodrigues (Boxe Saquarema) x João Gabriel S. Brito (Equipe Marca da Promessa-MG);
Luta 16-Masculina-Elite-69kg.
-Weverton F. De Sousa (Equipe Marca da Promessa) x Walace A. Pereira ( Equipe Wilhiam);
Luta 17- Masculina-Elite-75kg.
-Jonas Santos de Andrade- Equipe Popeye x -Valmir da Silva- Equipe Valmir Chinêz.
Luta 18- Masculina-Elite- 75kg.
-Silas Santana-Equipe Valmir Chinês x Antônio Junior S. (Negão)- Nova União.
Luta 19- Masculina Elite- 81kg.
-Gustavo Guzzo de Aquino- Acad. Santa Rosa x David José dos Santos- Art Fighters.
Luta 20- Masculina Elite-91kg.
-Dário Barreto Alves- Equipe Valmir Chinês x Paulo Melo Jr- Boxe Saquarema.
Luta 21- Masculina-Elite + de 91kg

Peterson Melo (Alessandro Leite-Nobre Arte) x Renato King (Nova União);
Luta 22-Masculina-Elite + de 91 kg.
-Ricardo S. Fonseca- Art Fighters x Pedro Neto- Vitória.
Luta 23- Luta Profissional - Peso combinado- 53 kg.

-Tainan "Carrapato" Matheus- Alessandro Leite/Nobre Arte x Luiz Henrique de O. Barros- Equipe André Roubert. 

  • Publicado em Boxe
  • 0

Revezamento Volta à Ilha apresenta percurso 2017 com mudança nas Praias da Joaquina e Campeche

Ao longo de suas vinte e duas edições o Revezamento Volta à Ilha passou por muitas mudanças. A prova cresceu em tamanho e proporção e atualmente atraí aproximadamente quatro mil corredores para a capital catarinense. A prova que começou com apenas alguns "malucos" correndo ao redor de Florianópolis, tornou-se a maior prova do gênero na América Latina. E ao longo desses 22 anos o percurso também precisou sofrer alterações para adequar-se à evolução da cidade e as necessidades das equipes, que tem pela frente 140 km divididos em 17 trechos com diferentes quilometragens, níveis de dificuldade e tipos de terreno. 

Ainda em 1996, quando a prova foi realizada pela primeira vez, o percurso total era de 155 km. Já entre 1997 e 2003 a organização, sempre a cargo da Eco Floripa, acrescentou alguns pontos e o revezamento passou a ter 150 km. Durante os anos de 2004 a 2011 a prova retomou suas origens com a quilometragem de 155 km e a partir de 2012 passou a ter os 140 km atuais. E com as mudanças de distância total da prova vieram também algumas modificações nos trechos.

Em 2017 a prova manterá praticamente toda o percurso da edição passada, com uma pequena mudança nos trechos das Praias da Joaquina e Campeche, trechos 12 e 13. A modificação inclui apenas a alteração na quilometragem dos percursos, sendo que a 12ª etapa passa a ter 4,9 km (distância anterior do trecho 13) e o 13ª etapa passa a ser mais longa, com 7,7 km, assumindo a quilometragem que antes pertencia ao trecho 12.

"Todas as mudanças são feitas buscando, em primeiro lugar, oferecer uma prova segura e divertida para os nossos quatro mil corredores. É importante que os atletas sintam-se sempre desafiados e tenham uma experiência inesquecível no Revezamento Volta à Ilha", explica o Prof. Carlos Duarte, idealizador da prova.

 

Confira os 17 trechos e o grau de dificuldade do Revezamento Volta à Ilha:

1 – Largada – Avenida Beira-Mar Norte – 10,1 km – Fácil

2 – Rodovia SC-401 (Decathlon) – 9,8 km – Difícil

3 – Santo Antônio de Lisboa (Praça) – 8,0 km – Moderado

4 – Praia da Daniela – 5,1 km – Moderado

5 – Jurerê Antigo (fim da praia) – 5,3 km – Moderado

6 – Cachoeira do Bom Jesus (Rua Otácilio Costa Neto) – 10,4 km – Muito, muito difícil

7 – Praia Brava (Rua Ari Kardec B. Melo) – 5,2 km – Difícil

8 – Praia dos Ingleses (praia, final da R. Dante de Patta) – 4,7 km – Fácil

9 – Praia do Santinho (Posto Guarda-Vidas) – 8,4 km – Muito difícil

10 – Praia do Moçambique – 5,7 km – Muito difícil

11 – Barra da Lagoa (cidade da Barra) – 8,1 km – Muito difícil

12 – Praia da Joaquina (Posto Guarda-Vidas) – 4,9 km – Muito difícil

13 – Praia do Campeche – 7,7 km – Muito difícil

14 – Praia da Armação (perto da Lagoa do Peri) – 9,3 km – Difícil

15 – Praia dos Açores (Morro do Sertão) – 16,7 km – O mais difícil

16 – Tapera (Fazenda da Ressacada) – 15,2 km – Difícil

17 – Via Expressa Sul (Saco dos Limões) – 6,2 km – Fácil

Chegada – Avenida Beira-Mar Norte - Trapiche

Spartan Race chega à cidade do Rio de Janeiro, em junho, para a primeira etapa da temporada 2017

Sucesso em 2016, ano de estreia no Brasil, a Spartan Race, maior corrida com obstáculos do mundo, já tem data definida para a largada da sua segunda temporada em território nacional. Depois de passar por Pirapora do Bom Jesus (SP) e Itaipaiva (RJ), a competição, que já recebeu mais de dois milhões de participantes ao redor do mundo e tem cronometragem individual, vai fincar sua bandeira, de vez, na Cidade Maravilhosa. No dia 11 de junho, o CEFAN - Centro de Educação Física Almirante Adalberto Nunes, situado na Avenida Brasil, recebe a prova a partir das 6h30.  A localização, que fica a cerca de 30 minutos da Zona Sul e tem acesso facilitado pela Linha Vermelha e Linha Amarela, vai de encontro com o interesse do evento em facilitar o deslocamento dos inscritos para a prova.

Preparada para receber diversos perfis em um único dia de competições, a Spartan Race será dividida em quatro categorias: Elite, com direito a troféu e premiação em dinheiro, competitiva, para atletas que buscam alto nível de competição, open, uma prova feita para todas as idades e sexos. Nessa categoria, os competidores podem se ajudar e competir em grupo. No entanto, a cronometragem é individual, e a categoria kids, módulo em que crianças de 4 a 13 anos dão seus primeiros passos no esporte de forma lúdica e com muita diversão em obstáculos personalizados.  

O slogan “Join The Revolution” – junte-se à revolução, em português – dá ideia dos planos do evento no Brasil. Muito mais que um simples evento esportivo, o festival contará com um amplo estacionamento, variedade de Food Trucks, dentre outras surpresas e ativações. Criada em 2007, no Estados Unidos, a Spartan Race está presente em 27 países, com destaque para a América do Norte, Europa e Ásia.

Em seu ano de estreia no Brasil, a Spartan Race mostrou que é muito do que uma simples competição esportiva. Com massiva presença de público, famílias e amigos, o evento comprovou que é possível juntar em um mesmo ambiente pessoas dos mais variados perfis com o entendimento comum de divertir-se e levar uma vida mais saudável. A cereja no bolo é a prova Kids. De maneira divertida, as crianças iniciam sua vida esportiva sob os olhares dos pais e familiares. Venha compartilhar desta emoção única. Vale lembrar que, para a primeira etapa da temporada 2017 no Brasil, os espectadores e atletas terão acesso a diversas atrações. Além de oferecer um serviço de Valet Parking (estacionamento) ao preço de R$ 20, que deve ser pago apenas em dinheiro na entrada, o festival contará com música, lojinhas de produtos, Food Trucks, ativação de patrocinadores e um ambiente para lá de agradável.

Apesar de ter apenas duas edições no Brasil, a Spartan Race já é bem-sucedida na América Latina. Prova disso foi a presença de chilenos, argentinos, uruguaios e mexicanos, que vieram ao país apenas para participar da competição. Os interessados em participar da primeira edição do festival na cidade do Rio de Janeiro devem se inscrever, a partir das 10h do dia 27 de março, por meio do site www.spartanracebrasil.com.br. Os preços variam de R$ 85 a R$ 150 reais e os participantes podem escolher entre as categorias Elite, Competitiva, Open e Kids.

Atleta de alto rendimento, Vera Saporito faz questão de ressaltar o caráter familiar do evento. Presente na etapa de São Paulo, em 2016, ela não tem dúvidas de que a Spartan Race é uma competição perfeita para ser feita ao lado de pessoas que você gosta, com muita alegria. Além disso, contou sobre sua experiência de ter corrido a prova e acompanhado a filha durante a corrida Kids. 

"É uma prova ideal para levar a família inteira participar e reunir amigos. No ano passado, eu, por exemplo, competi, levei minha irmã e tive a oportunidade de ver minha filha dando os primeiros passos no esporte. É uma prova super familiar. Acho que a paisagem faz com que todos se sintam motivados a praticar uma atividade física, ainda mais estando ao lado de pessoas conhecidas. A experiência é bem legal, já que você, antes e depois da prova, tem de conviver e conhecer novas pessoas. O fato de acompanhar de perto a superação de amigos e familiares transforma tudo em algo ainda mais prazeroso", afirmou. 

SERVIÇO:

Spartan Race - Etapa Rio de Janeiro
Data: 11 de junho de 2017
Local: CEFAN - Centro de Educação Física Almirante Adalberto Nunes – Rio de Janeiro (RJ)
Endereço: Av.Brasil, 10.590 - Penha - RJ
Inscrições: www.spartanracebrasil.com.br

Assinar este feed RSS