Redação

Redação

Strava traz executivo para ampliar operação no Brasil e lança campanha global

 

 

O Strava, a rede social para atletas que recebe um milhão de novos usuários por mês, anunciou essa semana Guilherme Guimarães, ex-Twitter, como novo executivo para liderar suas operações no Brasil. “A decisão de abrir a operação por aqui foi fácil, pois o país tem uma grande importância para a empresa, com aproximadamente 10% do número de usuários total da plataforma. Nosso objetivo é acelerar o crescimento, oferecendo uma experiência ainda melhor para o atleta brasileiro”, conta o Gerente Geral para o Strava Brasil, que é formado em Publicidade e Propaganda e Jornalismo pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) e é mestre em Gestão do Esporte pela Universidade de Sheffield (Inglaterra).

 

O aplicativo e website conectam milhões de pessoas ativas todos os dias. No mundo são 30 milhões de usuários. Todo tipo de atleta pertence ao Strava, não importa onde more, qual esporte ame ou qual dispositivo use. De acordo com as informações extraídas da rotina dos atletas, a plataforma consegue gerar estatísticas bem interessantes. Por exemplo, com base nos dados dos corredores que fizeram a Maratona do Rio de Janeiro em 2017, mulheres mantêm ritmo de corrida melhor (pace) do que homens. Outra informação que reúne dados dos treinos dos corredores aponta que a faixa etária entre 50 e 59 anos foi a de pessoas mais comprometidas nos treinamentos (464 quilômetros nas 13 semanas anteriores à maratona). Já a faixa etária de 18 a 29 anos foram os menos comprometidos em treinamento (367 quilômetros nas 13 semanas antes da maratona), o que representa mais de 21% de diferença.

 

#GiveKudos

 

Em paralelo ao anúncio do executivo, a marca lança globalmente a campanha #GiveKudos, ou #DêKudos em tradução livre, para a expressão comparada aos “likes” na plataforma. Em 2017 foram mais de 2,3 bilhões de kudos entre os 30 milhões de usuários do Strava.

 

 “Em nossos melhores momentos, nossa comunidade está incentivando e motivando as pessoas a viver uma vida mais saudável e ativa”, afirma James Quarles, CEO do Strava. “Estamos convencidos de que as próprias pessoas mantêm as outras ativas e pensamos na campanha #GiveKudos para alimentar esse espírito”, complementa.

 

Um estudo independente recente da Glasgow Caledonian University com mais de 8.000 atletas que usam o Strava teve resultados notáveis: 69% relataram que o uso do Strava teve um impacto positivo em sua felicidade, e 83% disseram que o Strava melhorou sua motivação para o exercício. #GiveKudos é uma continuação de uma inspiração que começou com a campanha #AthletesUnfiltered (#AtletasSemFiltro, em tradução livre), destacando os valores da comunidade do Strava e o espírito de união do esporte. O Strava incentiva os atletas a acessarem a campanha agora em givekudos.strava.com.

 

Desenvolvida em parceria com a Stink Studios, “Give Kudos” será veiculada no Brasil nos meios digitais. E será a primeira campanha de marketing em que a empresa usará além da publicidade digital, o modelo out of home, no exterior, como um componente significativo, que inclui anúncios impressos e digitais, vídeos, um conjunto de adesivos e filtros, além do site da campanha. Os anúncios serão exibidos em outdoors, nas ruas, em pontos de ônibus e estações de compartilhamento de bicicletas nas cidades de Londres, Paris, São Francisco, Chicago e Los Angeles.

Paulistano é o campeão do NBB

O Paulistano/Corpore é o grande campeão do NBB CAIXA 2017/2018. Neste sábado (02/06), em pleno Ginásio Hugo Ramos, em Mogi das Cruzes, a equipe da capital paulista venceu o Jogo 4 das Finais contra o Mogi das Cruzes/Helbor, por 82 a 76, e fechou a série em 3 a 1.

Pela terceira vez nas Finais, o Paulistano conquistou seu primeiro título do NBB CAIXA. A equipe é a quarta diferente a se sagrar campeã do maior campeonato de basquete do país – Flamengo tem cinco troféus, Brasília três e Bauru um.

Nenhum jogador do Paulistano tinha o título do NBB CAIXA no currículo e sete deles fizeram parte do vice-campeonato na temporada passada. Para o técnico Gustavo De Conti, a conquista é a primeira de âmbito nacional em sua carreira.

"O sentimento é de felicidade e de agradecimento ao clube Paulistano por tudo que nos proporciona.Todos os times merecem ser campeões,m mas fomos muito regulares durante toda a temporada, com direito a vitórias com grandes diferenças no placar e também com um certo nível de dominância", exaltou De Conti.

A dupla Yago e Lucas Dias combinou para 41 pontos - 24 dos 28 da equipe no segundo tempo - e comandou a vitória alvirrubra neste sábado. O armador foi o cestinha da equipe, com 21 (7/10 nos arremessos de quadra), sendo nove no terceiro quarto. Já Lucas marcou 20 pontos, nove no último período, e ainda contribuiu com cinco rebotes.

“Eu sempre jogo com muita confiança e hoje não foi diferente. Sempre que o Gustavo me coloca em quadra eu busco ajudar o time com meu basquete. Hoje eu consegui converter bolas importantes e ajudar o Paulistano a vencer o jogo e conquistar esse título histórico”, disse Yago.

 “Estou feliz demais por ter buscado uma coisa que queria sempre. Sempre vi grandes jogadores, como Marcelinho, chegando em Finais e sendo campeão. Esse título é muito importante para a carreira de um jogador. Ano passado tivemos um momento muito difícil, ainda mais para mim, que me machuquei. Isso ficou marcado para todos. Nos preparamos e trabalhamos a temporada inteira para chegar nesse momento. Agora o sentimento é de alegria”, analisou Lucas Dias.

Autor de 13 pontos e sete rebotes neste sábado, o pivô Guilherme Hubner foi eleito o MVP das Finais. Com grandes atuações, o jogador fechou a série como jogador mais eficiente do Paulistano (13,5 por jogo), com sólidas médias de 11,7 pontos e 6,2 rebotes por partida.

"Eu estava focado em jogar basquete. Não queria ser o MVP, mas sim ajudar meu time e fazer meu trabalho em quadra. O Gustavo determinou algumas funções específicas para mim na série e estava focado em executar tudo o que ele pediu", disse Hubner.

O jogo que definiu o campeão teve dois tempos completamente distintos. Na primeira metade, as duas equipes tiveram grande aproveitamento ofensivo e o placar foi de 54 a 47. Já nos 20 minutos finais, o nervosismo entrou em quadra e a produção dos times caiu praticamente pela metade (29 a 28 para o Mogi).

No início do último quarto, a diferença a favor do Paulistano chegou a 12 pontos (70 a 58). Mas Mogi não se entregou e, no embalo de Jimmy e Larry, chegou a baixar o prejuízo para apenas quatro pontos (74 a 70). Depois disso, a tensão tomou conta da partida e o placar ficou quase dois minutos sem ser alterado (78 a 75). Foi então que Deryk converteu arremesso fundamental e praticamente selou o título dos alvirrubros.

Do lado mogiano, o grande destaque ficou por conta do ala Jimmy. Cestinha do jogo, com 28 pontos, o camisa 18 teve atuação espetacular e cravou seu novo recorde pessoal no NBB CAIXA, com direito a 63,1% de aproveitamento nos arremessos de quadra (12 acertos em 19 tentativas). Além disso, ainda apanhou nove rebotes e totalizou 30 de eficiência.

"Estamos muito frustrados por termos perdido em casa, mas muito honrados por conseguirmos chegar ao segundo lugar do NBB, que é muito difícil. O Paulistano teve todo o mérito de sair com o título. Foi a terceira vez que eles chegaram à final e essa foi a nossa primeira. Queríamos o topo, claro, mas infelizmente não conseguimos. Nunca faltou entrega e nem dedicação para a nossa equipe. Saímos orgulhosos", disse o comandante mogiano Guerrinha.

Confira todos os resultados das partidas das Finais do NBB CAIXA:

Jogo 1 – Mogi 82 x 99 Paulistano

Jogo 2 – Paulistano 70 x 84 Mogi

Jogo 3 – Paulistano 88 x 84 Mogi

Jogo 4 – Mogi 76 x 82 Paulistano

 

 

Jesper Svensson e Kirsty Jahn vencem o IRONMAN Brasil 2018

O IRONMAN Brasil segue surpreendendo e mostra porque é uma das provas mais técnicas do calendário internacional. Depois de ter o recorde mundial estabelecido no ano passado, com o britânico Tim Don,  desta vez o topo do pódio ficou com um estreante nas distâncias full. O sueco Jesper Svensson fez sua primeira prova com 3,8 km de ciclismo, 180 km de ciclismo e 42,2 km de corrida em Florianópolis e não poderia ter sido melhor, pois venceu com o tempo de 8h08min06seg, A segunda colocação ficou com o brasileiro Igor Amorelli, campeão em 2014, que marcou 8h14min29seg, enquanto o também brasileiro Thiago Vinhal foi o terceiro, com 8h19min11seg.

Entre as mulheres, a vitória também foi estrangeira. A canadense Kirsty Jahn, que havia sido vice-campeã no IRONMAN 70.3 Florianópolis, em abril, manteve o bom momento e garantiu o primeiro lugar com a marca de 8h54min57seg, seguida pela norte-americana Sarah Piampiano, com 9h03min33seg, e a brasileira Bruna Mahn, 9h10min37seg. Cada um dos vencedores levou oito mil dólares para casa e pontos no ranking para o Mundial de Kona.

Um dia azul e de temperatura alta marcou a 18ª edição do IRONMAN Brasil. Com isso, os tempos também  foram mais altos, mas nem por isso fáceis. No masculino e no feminino, os triatletas tiveram bastante trabalho para completar o desafio da prova. Sorte do público, que mais uma vez prestigiou o evento desde cedo em Jurerê Internacional. 

No masculino, o brasileiro Igor era o favorito em razão do excelente momento e da vitória no IRONMAN 70.3 Florianópolis. Mas um problema no pedal no início do ciclismo acabou com o sonho do brasileiro do segundo título em casa. Sorte de Jesper, que fez uma ótima natação e manteve a ponta no ciclismo e corrida para conseguir sua primeira conquista no full.

“Eu disse que talvez pudesse me surpreender e foi o que aconteceu. Estou muito contente por estrear em um IRONMAN vencendo, ainda mais aqui no Brasil. Foi uma prova incrível e eu percebi que hoje poderia ser meu dia ao sair da água e ver que estava me sentindo bem. Fiquei surpreso em conseguir abrir no ciclismo e mantive um bom ritmo na corrida. Com certeza quero voltar aqui ano que vem, foi uma grande prova”, destacou.

Bastante chateado, Igor reconheceu que o dia não foi bom. “Hoje foi um dia muito duro. As coisas não saíram como eu esperava, mas não dá para reclamar de um segundo lugar. Minha vontade sempre é vencer, mas nem sempre é possível. Queria agradecer ao apoio da torcida e parabenizar o Jesper pela boa prova”, declarou o triatleta, que já tem a vaga para Kona garantida. 

Feminino

No feminino, a briga foi mais disputada, com algumas atletas se revezando na ponta. Na corrida, Kristy conseguiu se destacar, seguida por Sarah Piampiano, e fechou a prova com seu melhor tempo na carreira. Além disso, o resultado deixou a vencedora mais perto de Kona.

“Esse foi o meu melhor tempo em IRONMAN. A prova aqui é incrível, com percurso lindo e desafiador e público apoiando o tempo todo. Eu não comecei minha temporada muito bem e esse resultado foi extremamente importante para mim. Com certeza aqui é um lugar que eu retornarei para competir mais vezes", afirmou a canadense.

A brasileira Bruna Mahn, segunda em abril, na Praia dos Ingleses e melhor brasileira deste domingo, destacou a energia da cidade. “A energia de Florianópolis é incrível. A semana toda aqui é especial, o povo respira IRONMAN. Eu consegui dois bons resultados no 70.3 e agora e meu objetivo é buscar uma vaga em Kona. Vou disputar uma etapa do Ironman na Alemanha e correr atrás dos pontos que faltam”, encerrou.

Resultados – Elite

 

Masculino

 

1º Jesper Svensson (SUE) - 8h08min06seg

2º Igor Amorelli (BRA) - 8h14min29seg

3º Thiago Vinhal (BRA) - 8h19min11seg

 

Feminino

 

1ª Kirsty Jahn (DIN) - 8h54min57seg

2ª Sarah Piampiano (EUA) - 9h03min33seg

3ª Bruna Mahn (BRA) - 9h10min37seg

 

 

Circuito Rio Antigo: correndo por ruas, alamedas e jardins de história na Quinta da Boa Vista

Pelo segundo ano consecutivo a Quinta da Boa Vista recebe uma etapa do Circuito Rio Antigo. No dia 24 de junho cerca de cinco mil atletas são esperados para as provas de 5 e 10K de um dos mais tradicionais circuitos de corrida de rua do Rio.

Antes restrito às ruas do centro da cidade, o Circuito Rio Antigo começa a se consolidar também em outros pontos da capital fluminense com importante valor histórico. A Quinta da Boa Vista é um deles.

“Esta etapa é um dos raros momentos em que os participantes têm a chance de passar por lugares cheios de história, mas também com um ambiente perfeito para uma atividade esportiva como a corrida e a caminhada. Aliás é o que muita gente vem fazer na Quinta da Boa Vista diariamente”, conta Virgílio de Castilho, organizador do evento.

O Circuito Rio Antigo este ano tem quatro etapas. A primeira foi na Lapa, em 25 de março. Depois da Quinta da Boa Vista, o circuito chegará à Cinelândia, em 16 de setembro, e ao Porto Maravilha, em 9 de dezembro, encerrando a temporada de provas da De Castilho Sports. A novidade este ano é a mandala formada pelas medalhas das quatro etapas.

 

CIRCUITO RIO ANTIGO – ETAPA QUINTA DA BOA VISTA

24 de junho de 2018

Quinta da Boa Vista

Largada: 8h

Distâncias: 5k corrida e caminhada e 10k corrida

Mais informações: www.circuitorioantigo.com.br

 

Assinar este feed RSS