fbpx

Thiago Braz e Darlan Romani estreiam bem na Liga Diamante 2019

Thiago Braz e Darlan Romani estreiam bem na Liga Diamante 2019 Os dois brasileiros conquistaram medalhas na etapa de abertura do principal circuito de competições da IAAF. Crédito: Wagner Carmo/CBAt

Os brasileiros Thiago Braz e Darlan Romani, ambos do Pinheiros, estrearam bem na Liga Diamante, o principal circuito de competições da IAAF. Os dois conquistaram medalha nesta sexta-feira (3/5) na etapa de abertura da competição, disputada no Estádio Khalifa, em Doha, no Catar.

O campeão olímpico Thiago Braz garantiu a prata na prova do salto com vara, com 5,71 m, seu melhor resultado ao ar livre do ano, ratificando índices para o Pan-Americano de Lima e para o Mundial de Doha, que será disputado no mesmo estádio.

O campeão da prova foi o norte-americano Sam Kendricks, ouro no Mundial de Londres 2017 e bronze nos Jogos do Rio 2016, com 5,80 m (ainda tentou 5,85 m). O bronze foi para o japonês Seito Yamamoto, com 5,61 m.

Thiago, que havia ficado domingo em quarto lugar no GP Brasil Caixa, em Bragança Paulista (SP), com 5,45 m, começou a competição desta sexta-feira com 5,46 m, superando na segunda tentativa. Depois passou na primeira 5,61 m, e na segunda 5,71 m. Falhou nos três saltos a 5,80 m.

"Ele poderia ter feito um pouco mais, as tentativas de 4,80 m não foram boas. Mas ele está treinando muito bem e foi a primeira vez em que colocamos 18 passadas na corrida na temporada. E tem os fusos horários - Chula Vista (EUA), Brasil, Doha - e ele estava um pouco cansado. Mas a marca confirma o índice do Mundial e o trabalho segue para acertos da técnica e para manter o nível que ele tem", afirmou o técnico Elson Miranda, de Doha. O próximo compromisso de Thiago Braz será a disputa do Sul-Americano de Lima, no Peru, de 24 a 26/5.  

No arremesso do peso, Darlan voltou a mostrar muita regularidade, terminando em terceiro lugar, com 21,60 m, marca obtida na quarta tentativa. No total, conseguiu cinco arremessos acima dos 21 metros: 21,24 m, 21,42 m, 21,60 m, 21,39 m e 21,23 m.

O recordista sul-americano e campeão da Copa Continental de 2018 só foi superado por duas feras: o norte-americano Ryan Crouser, campeão olímpico no Rio 2016, com 22,13 m, e o neozelandês Tomas Walsh, campeão mundial em Londres 2017, com 22,06.

No GP Brasil Caixa, no dia 28/4, Darlan ficou em segundo lugar, com 21,69 m, perdendo para o nigeriano Chukwuebuka Enekwechi, que marcou 21,77 m. O catarinense também ratificou qualificação para o Pan de Lima e para o Mundial de Doha.

“A regularidade é uma meta importante, assim como arremessar sempre acima dos 21 m”, comentou o atleta de 28 anos.