fbpx

Redação

Redação

Minas Tênis Clube vence Dentil/Praia Clube e segue invicto

O Minas Tênis Clube (MG) é o último invicto na Superliga feminina de vôlei 18/19. Nesta sexta-feira (04.01), o time de Belo Horizonte venceu o duelo mineiro contra o Dentil/Praia Clube (MG) por 3 sets a 2 (26/24, 17/25, 25/22, 23/25 e 15/13), no ginásio do Praia, em Uberlândia (MG). A partida foi válida pela décima rodada do turno e contou com um público de 2.200 pessoas.

O resultado diminuiu a diferença entre os líderes na tabela de classificação. O Dentil/Praia Clube segue em primeiro, com 24 pontos (oito resultados positivos e um negativo). O Minas Tênis Clube, com um jogo a menos, está na segunda colocação, com 22 pontos e oito vitórias.

A central Carol Gattaz marcou 16 pontos, se destacou, foi a mais votada no site da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) e ficou com o Troféu VivaVôlei. A ponteira Gabi foi a maior pontuadora do confronto, com 22 pontos (17 de ataque, três de bloqueio e dois de saque). Pelo lado do Dentil/Praia Clube, a ponteira Fernanda Garay fez 21 pontos.

As duas equipes sofreram com problemas de lesão. O Dentil/Praia Clube não contou com a central Fabiana, com dores no joelho, e perdeu a central Fran ainda no primeiro set com uma torção no joelho esquerdo. Já o Minas Tênis Clube não começou a partida com a ponteira Natália que sentiu o joelho no duelo contra o Sesc RJ antes do recesso.

Ao final do confronto, a central Carol Gattaz fez uma análise do resultado e destacou a postura do time de Belo Horizonte (MG).

“Acredito que tivemos paciência no jogo e sabíamos que a partida seria decidida nos detalhes. Soubemos fazer tudo o que a nossa comissão técnica nos passou e conseguimos a importante vitória. Toda a equipe está de parabéns. Perdemos a Natália, mas a Lana entrou muito bem e conseguiu ajudar a equipe. Uma equipe é assim e, quem entra, consegue desempenhar um bom papel. O mérito desse Viva Vôlei é todo da equipe, e cada atleta tem uma parcela importante nesta vitória”, comentou Carol Gattaz.

No Dentil/Praia Clube, a central Carol lamentou a derrota, mas destacou fatores positivos do confronto.

“Perdemos a Fran, mas a Gabriella entrou muito bem e é isso que buscamos como equipe para mantermos o ritmo mesmo com mudanças no grupo. Foi um jogo difícil e lutamos bastante, mas infelizmente não conseguimos parar o time delas taticamente. No entanto, isso faz parte do nosso crescimento”, analisou Carol.

As duas equipes voltarão à quadra na próxima terça-feira (08.01). O Dentil/Praia Clube jogará com o Sesi Vôlei Bauru (SP), às 19h30, no ginásio Panela de Pressão, em Bauru (SP). Já o Minas Tênis Clube mediará forças com o Fluminense (RJ), às 19h30, no Hebraica, no Rio e Janeiro (RJ).

O JOGO

O Dentil/Praia Clube fez os dois primeiros pontos do jogo. Bem no bloqueio, o time de Uberlândia fez 6/3. A central Fran sentiu o joelho e foi substituída pela jovem Gabriella. O Minas Tênis Clube cresceu de produção e abriu dois pontos (9/7). Se aproveitando dos erros do time da casa, a equipe de Belo Horizonte fez 14/10. A ponteira Rosamaria fez um ponto de saque e o time de Uberlândia encostou no placar (17/15). Quando as donas da casa fizeram 18/17, o treinador Stefano Lavarini pediu tempo. A parcial ficou disputada ponto a ponto. A oposta Bruna se destacou no final da parcial e as visitantes venceram a primeira parcial por 26/24.

O Dentil/Praia Clube começou melhor no segundo set e abriu dois pontos (6/4). Quando as donas da casa abriram três pontos (8/5), o treinador Stefano Lavarini pediu tempo. A paralisação fez bem as visitantes que encostaram no marcador (9/8). Bem no saque, as donas da casa voltaram a abrir no placar (12/8). Jogando com velocidade, o Dentil/Praia Clube manteve a vantagem (16/12). Bem no saque e no bloqueio, o time da casa abriu seis pontos (22/16). A equipe do treinador Paulo Coco foi melhor até o final e venceu o segundo set por 25/17.

Com dois pontos de saque da ponteira Gabi, o Minas Tênis Clube abriu dois pontos (6/4) no início da terceira parcial. O Dentil/Praia Clube se aproveitou dos erros das visitantes e deixou tudo igual no placar (9/9). O set ficou disputado ponto a ponto. A central Mara conseguiu um ponto de bloqueio e o Minas Tênis Clube abriu dois pontos (14/12). As donas da casa cresceram de produção e, com dois pontos de saque da central Carol, viraram o marcador (16/14). A central Mara conseguiu uma boa sequência de saques e o Minas Tênis Clube voltou a liderar o placar (18/16). O final da parcial foi equilibrado. O time de Belo Horizonte venceu o terceiro set por 25/22.

O Minas Tênis Clube fez o primeiro ponto no quarto set. Quando o time de Belo Horizonte abriu três pontos (4/1), o treinador Paulo Coco pediu tempo. O time mineiro seguiu melhor e, numa bola rápida da central Carol Gattaz, as visitantes fizeram 11/8. Com um ponto de ataque da ponteira Gabi, a diferença no placar subiu para quatro pontos (15/11). O Dentil/Praia Clube cresceu de produção e encostou no placar (17/15). O time da casa conseguiu uma grande reação e venceu o quarto set por 25/23.

O quinto set começou disputado ponto a ponto. Com um ponto de ataque da ponteira Fernanda Garay, o Dentil/Praia Clube fez 6/6. A central Carol Gattaz conseguiu um ponto de bloqueio e as visitantes abriram dois pontos (8/6). A ponteira Fernanda Garay subiu de produção e o Dentil/Praia Clube deixou tudo igual no final da parcial (13/13). O Minas Tênis Clube foi bem no saque no momento decisivo e fechou o quinto set por 15/13 e o jogo por 3 sets a 2.

  • Publicado em Vôlei

Hugo Calderano se aproxima do Top-5 Mundial no primeiro ranking de 2019

O mesa-tenista Hugo Calderano está muito próximo de atingir o Top-5 Mundial. Na manhã desta quarta-feira (2), o novo ranking mundial divulgado aponta o brasileiro na mesma posição do mês anterior, a sexta colocação. Porém, a distância para o quinto colocado é muito pequena, de apenas 110 pontos, e pode diminuir ainda mais neste mês, quando será disputado o Aberto da Hungria.

Calderano subiu 765 pontos em relação ao ranking anterior, somando agora 13.955 pontos. O quinto colocado era o japonês Tomokazu Harimoto, mas ele venceu o Grand Finals em dezembro (eliminando o brasileiro na semifinal) e subiu para o terceiro lugar. Por sua vez, o alemão Timo Boll, que estava em terceiro, caiu duas posições e está em quinto, com 14.065. O chinês Fan Zhendong segue liderando a lista, com 17.001 pontos.

A subida do brasileiro se deveu exatamente ao desempenho no Grand Finals, onde chegou na semifinal, superando inclusive o líder do ranking mundial nas quartas de final. Para conseguir diminuir ainda mais a distância para o Top-5 Mundial, Calderano terá de ser ao menos finalista do Aberto da Hungria, que começa no dia 15, pois foi semifinalista desta competição em 2018.

Calderano já é o melhor atleta das Américas desde a criação do ranking mundial e está próximo de ser considerado o melhor atleta das Américas de todos os tempos. O norte-americano Sol Schiff é considerado pela Federação Internacional de Tênis de Mesa (ITTF) como o número 4 do mundo, em 1938. Nesta época, não havia ranqueamento.

O primeiro ranking do ano mostra apenas ajustes nas posições dos demais brasileiros, em razão da ausência de competições internacionais no mês de dezembro. O país voltou a ter cinco atletas no Top-100 dos rankings masculino e feminino, com a subida de Lin Gui (100ª colocação). Gustavo Tsuboi (42º) e Eric Jouti (80º), no masculino, e Bruna Takahashi (73ª) no feminino completam a seleta lista.

Confira a posição de todos os brasileiros ranqueados: 

FEMININO

73ª Bruna Takahashi (73ª no ranking anterior)
100ª Lin Gui (101ª no ranking anterior)
156ª Caroline Kumahara (157ª no ranking anterior)
188ª Jéssica Yamada (189ª no ranking anterior)

MASCULINO

6º Hugo Calderano (6º no ranking anterior)
42º Gustavo Tsuboi (43º no ranking anterior)
80º Eric Jouti (81º no ranking anterior)
104º Thiago Monteiro (105º no ranking anterior)
114º Vitor Ishiy (116º no ranking anterior)
267º Cazuo Matsumoto (268º no ranking anterior)
279º Humberto Manhani (277º no ranking anterior)
863º Carlos Ishida (927º no ranking anterior)
903º Gustavo Yokota (964º no ranking anterior)
994º Vítor Santos (1.053º no ranking anterior)
1.061º Normando Alencar (1.113º no ranking anterior)

1.198º Luan Barbosa (primeira aparição no ranking)

Flamengo conquista título da Copa Super 8

O Flamengo é o campeão da Copa Super 8. Na tarde deste sábado, a equipe do técnico Gustavo De Conti mostrou sangue frio para superar a pressão de um Pedrocão completamente lotado e vencer a decisão do torneio contra o Sesi Franca Basquete, por 79 a 75. Com isso, os rubro-negros garantiram vaga na Liga das Américas da temporada que vem.

O jogador mais valioso da Copa Super 8 foi Marquinhos. Autor de 15 pontos e sete rebotes na vitória contra Franca (18 de eficiência), o camisa 11 rubro-negro teve o maior índice de eficiência do time campeão no torneio, com média de 21,3.

“Esse time foi montado para ser campeão. Tivemos um ‘acidente de percurso’, perdemos uma partida que não podíamos (Liga Sul-Americana) e nos custou muito caro. Colocamos a cabeça nos treinos, melhoramos nossa defesa e começamos a dar mais segurança para o ataque. Entramos em quadra comprometidos e conseguimos esse título e a vaga na Liga das Américas”, disse Marquinhos.

“Fizemos uma partida surpreendente defensivamente. Digo surpreendente porque jogamos quinta-feira 21h, no outro dia viajamos cedo, não descansamos, não treinamos. Pouco sabem o que é, mas fazer o que fizemos hoje aqui vindo dessa sequência de jogos não é para qualquer um”, completou.

Marquinhos foi destaque mais uma vez pelo time do Flamengo. Crédito: João Pires/LNB

Maestro do Flamengo em quadra, o armador argentino Franco Balbi teve atuação de gala e registrou 20 pontos, seis rebotes, quatro assistências e dois roubos de bola, números que fizeram dele o atleta mais eficiente do time rubro-negro, com 20 de valorização.

"Foi uma partida muito difícil. Tínhamos que estar concentrados e não perder foco e foi isso que aconteceu. Fizemos um grande jogo como time. Além da pontuação, todo mundo contribuiu de algum jeito e estou muito orgulhoso do que nossa equipe jogou nessa decisão", afirmou Balbi.

"É uma mudança muito grande do basquete argentino para o brasileiro. Agora estou me sentindo muito melhor e venho fazendo boas partidas. O Gustavinho e o time me dão muita confiança e, agora, está sendo meu melhor momento aqui sem dúvidas", completou o argentino que está em sua primeira temporada no Brasil.

Com a conquista da Copa Super 8, o Flamengo consolidou seus 100% de aproveitamento em finais de campeonato nos últimos seis anos e acumulou seu 13º título em 13 campeonatos disputados (6 Cariocas, 4 NBB’s, uma Liga das Américas, um Mundial e a Copa Super 8).

"Mostramos que o Flamengo, independente das pessoas que estão aqui jogando ou no comando, é um time de chegada, que consegue se recompor rápido. Mesmo com todas as adversidades, passamos os últimos sete anos com 13 finais e 13 títulos. Isso mostra a força que esse clube tem”, declarou o técnico do Flamengo, Gustavo De Conti.

Apesar da derrota, o Franca teve o grande destaque individual da decisão: Alexey. O armador marcou incríveis 10 pontos, 12 rebotes e nove assistências (24 de eficiência) e foi o atleta mais eficiente da final da Copa Super 8. O time francano ainda teve como destaques o pivô Hettsheimeir (17 pontos), o ala Jimmy (15 pontos) e o pivô Cipolini (11 pontos).

 

O Jogo

A decisão da Copa Super 8 começou a mil por hora. Em partida muito física, quem se sobressaiu no início foi o Franca, que abriu cinco pontos (13 a 8). Ainda no primeiro quarto, Franco Balbi entrou em ação e, com dez pontos, liderou a virada do Flamengo, que chegou a ter oito pontos de vantagem (25 a 17). Com sete pontos de Hettsheimeir, o time da casa reagiu e cortou a margem para três pontos ao final do primeiro quarto: 25 a 22.

Consciente com a vantagem nas mãos, o Flamengo ampliou a diferença com uma corrida incrível nos cinco minutos iniciais do segundo período. Com tamanha intensidade na defesa e alta velocidade na transição ofensiva, a equipe do técnico Gustavo De Conti não sofreu uma cesta de quadra sequer, venceu a parcial por 15 a 5 e caminhou para o intervalo com 13 pontos de frente: 40 a 27.

O ritmo dos rubro-negros não diminuiu, e a vantagem que antes era de 13 subiu para 16 pontos (53 a 37) através de uma defesa forte e grande aparição de Marquinhos, autor de sete pontos durante a corrida. A margem foi administrada com sucesso até o final do terceiro quarto, mas o período final tinha muita emoção reservada.

Embalado por sua calorosa torcida, o Franca foi para cima e mudou o cenário da partida. Com mão certeira nas bolas de 3 pontos, a equipe da casa cortou a diferença para apenas dois pontos e incendiou o Pedrocão (69 a 67) restando pouco menos de cinco minutos para o fim.

A resposta do Flamengo foi “na lata”: duas bolas de 3 pontos consecutivas, uma de Jhonatan e uma de Olivinha, o que deixou a vantagem em oito pontos (75 a 67). Em seguida, os francanos até buscaram de novo o resultado e cortaram a margem para três pontos (75 a 72), mas Franco Balbi jogou um balde de água fria no time da casa ao acertar uma bola de 3 com um minuto para acabar (78 a 72), o que praticamente definiu a vitória rubro-negra.

Agora, tanto Flamengo quanto Franca entrarão em quadra no dia 12 de janeiro (sábado). Às 14 horas, o Flamengo fará o clássico de camisa contra o Corinthians, no Ginásio Wlamir Marques, com transmissão ao vivo da Band. Mais tarde, às 18 horas, os francanos medirão forças com o Basquete Cearense, no Pedrocão.

  • Publicado em Basquete

94ª São Silvestre: destaques chegam otimistas

Bem preparados e confiantes. Assim estão os destaques nacionais e internacionais da 94ª Corrida de São Silvestre, programada para está segunda, 31 de dezembro, a partir das 8h20, com largada na Avenida Paulista, altura do número 2000. Os favoritos participaram das coletivas no Novotel Jaraguá  e ressaltaram estar  prontos para fazer um bom papel na principal prova de rua da América Latina.

Entre os brasileiros,Wellington Bezerra, do Cruzeiro, campeão das Dez Milhas Garoto e vice na Maratona de São Paulo, aposta numa boa estratégia. "Quero dar o melhor possível de mim e procurar brigar pelas primeiras colocações. Sei das dificuldades, mas vou fazer uma boa estratégia para poder lutar pelas primeira colocações", declarou.

Seu companheiro de equipe, Gilmar Lopes, terceiro colocado na Volta da Pampulha, destacou que a equipe tem uma motivação  extra. "Este ano é o objetivo fazer ainda mais bonito, pois a equipe do Cruzeiro vai acabar e queremos fechar com chave de ouro. Fiz uma preparação de dois meses de força para poder atingir esse objetivo no dia 31", afirmou.

Éderson Pereira, do Pinheiros, melhor brasileiro em 2017, disse estar em ótimas condições e espera um dia iluminado na segunda. "A expectativa é a melhor possível. Fizemos uma preparação boa nas últimas semanas e agora é descansar. Na segunda é buscar estar perto do favoritos e torcer para estar num dia iluminado e poder brigar pelo primeiro lugar".

Entre as mulheres, Joziane Cardoso, melhor brasileira no ano passado (10ª), e Andréia Hessel, campeã da Maratona de São Paulo 2018, também estão confiantes. "Treinei bastante me dediquei e espero estar no pódio. Este é sempre o objetivo e vamos lutar para isso no dia 31", afirmou Joziane.

Andréia, por sua vez, tem se dedicado às maratonas, mas não descarta ter um bom desempenho na São Silvestre. "Venho de uma temporada diferente, com algumas maratonas. Mas a São Silvestre é importante e uma forma de carimbar essa temporada de forma positiva", afirmou.

Estrangeiros

Dawitt Admasu, bicampeão da prova, foi outro que ressaltou a boa preparação para este ano. "Treinei por seis meses, sinto-me  bem e espero um bom resultado. Estou pronto para isso. Aliás, o mais importante é estar aqui, um país que gosto muito e que tem me dado bastante apoio", declarou o etíope, que agora defende as cores do Bahrein.

A  queniana Ester Kakuri, campeã da Meia Maratona do Rio de Janeiro 2018, também está confiante. "Para mim, estou preparada para um bom dia. Minha expectativa é que isso confirme na corrida e possa estar entre as primeiras", encerrou.

A programação no dia da corrida começará cedo. A categoria Cadeirante começará às 8h20, ficando o pelotão de elite feminino às 8h40. Logo em seguida, às 9h, será a vez da largada do pelotão de elite masculino e atletas da categoria geral. 

Entrega de kits

A entrega de kits acontecerá entre 27 e 30, durante a  EXPO Atleta, que este ano será em novo local: o Palácio de Convenções do Anhembi (Halls Nobres 2 e 3), na Zona Norte de São Paulo, localizado na Rua Professor Milton Rodrigues, s/n, Santana. A programação ficou assim: nos dias 27, 28 e 29 de dezembro, das 9h às 20h, e no dia 30 de dezembro de 2018, das 9h às 16h. Não haverá entrega de kits no dia da prova nem mesmo após a mesma, conforme regulamento.

A entrega será dividida por setores/cores e numeral. O atleta deverá verificar no e-mail cadastrado no ato da inscrição o setor e numeral que deverá retirar seu  kit. Os setores são os seguintes:  Setor Verde, abaixo de 1h20min, de 1.000 a 9.099;  Setor Marrom, entre 1h21min e 1h35min, de 10.000 a 19.199; Setor Azul, entre 1h36min e 1h50min, de 20.000 a 27.399, e Setor Laranja, acima de 1h51min, de 28.000 a 32.499.

 

A entrega de kit para terceiros só será feita mediante Procuração Particular. Informações sobre procedimentos e documentos necessários para a retirada estão informados no site oficial, www.saosilvestre.com.br

 

Assinar este feed RSS