fbpx

Mascote do badminton é lançada no Rio de Janeiro e ganha nome

Mascote do badminton é lançada no Rio de Janeiro e ganha nome Petekin venceu a votação popular para batizar o personagem criado para simbolizar e divulgar o esporte no Brasil. Crédito: Divulgação/BWF

Criada para simbolizar e divulgar o badminton no Brasil, a mascote da modalidade foi lançada neste sábado (dia 16). Em sua primeira aparição pública, em evento realizado na quadra da FAETEC, no Morro da Babilônia, no Leme, na Zona Sul do Rio de Janeiro, o personagem ganhou um nome: Petekin. A votação foi realizada no perfil da Federação Mundial de Badminton (BWF) até a última sexta-feira (dia 15) e o vencedor recebeu 69,94% dos votos. Zé Peteca teve 22,7% dos votos, enquanto Super Minton ficou com 7,36%.

Idealizado pelo desenhista Luciano Carvalho e pelo cenógrafo Clécio Regis, a mascote tem como principal objetivo incentivar a popularização do badminton pelo Brasil, tendo no personagem uma forma de atrair o público infanto-juvenil, ampliar espaço em escolas e clubes e contribuir para o desenvolvimento de projetos sociais. “É um símbolo da modalidade, com cara da peteca. São poucas as modalidades olímpicas com mascote própria. É importante para gerar um apelo entre a garotada”, afirmou o Diretor Técnico da seleção brasileira de badminton, José Roberto Campos.

A história da mascote foi desenvolvida em cima de detalhes marcantes que envolvem os Jogos Olímpicos do Rio 2016. Petekin nasceu em Pequim, na China, no dia do anúncio do Rio como sede dos Jogos Olímpicos, em 2 de outubro de 2009. É filho de pai chinês e mãe brasileira e se mudou para o Rio no dia 24 de março de 2015, a 500 dias do início dos Jogos. Gosta de voar e, claro, praticar o esporte que representa. É excelente aluno na escola, divertido, dinâmico e, assim como o badminton, é muito veloz.

Em sua primeira aparição pública, Petekin bateu bola com crianças da comunidade do Morro da Babilônia, brincou e tirou fotos. Além da mascote, estiveram presentes no evento os atletas que vão representar o Brasil na Universíade de Gwangju, na Coreia do Sul, entre 3 e 14 de julho: Luiz Henrique Junior, Leonardo Alkimin, Ana Paula Campos e Paloma Eduarda da Silva. Eles realizaram uma demonstração de uma partida de badminton e também ensinaram as crianças a praticar a modalidade.

“Eventos como esse são importantes para divulgar o nosso esporte. A mascote atrai as crianças para o badminton. E a presença de atletas mostra para eles que o sonho de virar atleta não é tão distante. Que é possível chegar onde se deseja”, disse Luiz Henrique, que ajudou na entrega de brindes e de quatro kits de badminton da Decathlon distribuídos por meio de um sorteio.