Marcelinho Machado encerra carreira vitoriosa no basquete

Com a derrota do Flamengo para o Mogi por 89 a 72 no 4º jogo da semifinal do NBB, marcou a despedida de Marcelinho Machado, um dos nomes mais importantes do basquete brasileiro nos últimos anos. Ele disputou sua última temporada e anunciou que aos 43 anos não segue mais na carreira como jogador.

Com a camiseta do Flamengo, Marcelinho conquistou todos os títulos possíveis. Foi campeão brasileiro em 6 oportunidades, como também ganhou o campeonato carioca e trouxe títulos importantes como a da Liga das Américas e o mundial em 2014 em casa contra o Macabi.

Já pela seleção, jogou entre 1998 e 2012 onde disputou uma olimpíada em Londres em 2012 como também ganhou três pan-americanos sendo o primeiro atleta a conseguir essa marca.

Entre outros destaques na sua longa carreira, está como um dos maiores pontuadores da história do basquete, sendo o 2º no NBB (Só perdendo para Shamel) e ele ganha em cestas de numa única partida (63) e um dos melhores arremessadores de 3 pontos da história.

Seu último jogo foi disputado em Mogi das Cruzes em uma partida que o Flamengo precisava vencer para forçar o 5º jogo em casa. No primeiro tempo, houve esperança com o time da Gávea na frente, mas Mogi melhorou sua defesa no segundo e aplicou a maior vantagem numa semifinal de NBB da história.

O destaque da partida ficou para Shamel que sozinho fez 40 pontos do time de Mogi. Ele foi o cestinha e principal protagonista nessa despedida de Marcelinho.

 

O Jogo

Primeiro quarto de muitas trocas de liderança por parte dos dois times e muito equilíbrio. O início foi tenso com o Flamengo levando 3 minutos para fazer os dois primeiros pontos. Destaque para Varejão que fez 10 pontos. Placar 17 a 15 pro Mogi

O segundo quarto continuou com a mesma pegada. Os dois times se revezando na liderança do jogo. O Flamengo chegou a abrir 6 pontos de vantagem que o Mogi conseguiu correr atrás e até a reassumir a liderança. Faltando 1s e com 36 a 34 para Mogi, o técnico Neto pediu tempo e na volta, Marquinhos acertou uma bola de três pontos antes da linha do meio de campo e fechando o primeiro tempo em 37 a 36 para o time do Rio.

O Mogi conseguiu anular o time do Flamengo nesse terceiro quarto. Com uma boa defesa, o time conseguiu colocar 11 pontos de vantagem e se aproveitaram dos erros do time carioca. Ao final do quarto, vantagem de 62 a 51 para Mogi.

Completamente irreconhecível, o Flamengo praticamente entregou o jogo no último quarto e o Mogi aumentou ainda mais a vantagem. O time do interior de São Paulo fechou por 89 a 72 e carimbou sua vaga na final do NBB fechando a série em 3 a 1.

Arrasador, Paulistano domina Bauru e abre 2 a 1 na série semifinal

Depois de ser derrotado pelo Sendi/Bauru Basket no Jogo 2, o Paulistano/Corpore mudou a história e, com início arrasador e histórico, venceu o Jogo 3 no Ginásio Antonio Prado Jr, em São Paulo (SP), nesta terça-feira, pelo expressivo placar de 95 a 64. Com isso, o time alvirrubro voltou a ter a vantagem na série semifinal (2 a 1) e ficou a um passo da decisão do NBB.

A vitória alvirrubra por 31 pontos de diferença representou o resultado mais elástico da história das semifinais do NBB. Antes, o recorde era de 28 pontos, registrado duas vezes, sendo um deles sofrido pelo próprio Bauru, na semi de 2012/2013 para o Uberlândia (93 a 65) – série que terminou em 3 a 0.

Com 2 a 1 de vantagem na série, o time do técnico Gustavo De Conti pode fechar a série semifinal contra o Bauru já nesta sexta-feira (11/05), no Ginásio Panela de Pressão, às 20 horas (de Brasília).

O Paulistano abusou e usou de sua principal arma ofensiva na temporada: as bolas de 3. Ao todo, a equipe acertou 17 arremessos longos em 39 tentativas (43,9% de aproveitamento), sendo oito delas no primeiro período. Dos atletas colocados em ação por Gustavo De Conti, somente os pivôs Du Sommer e Guilherme Hubner e o jovem Alex Dória não acertaram arremessos de longa distância. De resto, todos guardaram pelo menos um.

A produção ofensiva do CAP foi bastante dividida. Mesmo. Todos os 12 atletas do elenco entraram em quadra e pontuaram. Os destaques ficaram por conta do garoto Yago Mateus, com 17 pontos e cinco assistências, o ala Jhonatan, que zerou no Jogo 2 e nesta terça-feira registrou 16 pontos (4/5 nas bolas de 3), e o ala/armador peruano Kyle “Zoom” Fuller, com 13 pontos, além de David Nesbitt e Eddy, ambos com nove.

Mas não foi só o aproveitamento de 43% nas bolas de 3 pontos e as 23 assistências que mostram uma atuação quase “perfeita” por parte do Paulistano. Sempre consciente e segura do que estava fazendo, a equipe alvirrubra cometeu apenas dois desperdícios de bola, número expressivamente inferior à média do time na temporada, que é de 12,6 por partida – segunda melhor do campeonato.

Pelo lado do Bauru, a dupla Kendall Anthony e Rafael Hettsheimeir combinou para 37 dos 64 pontos do time na partida (57% da produção da equipe). O armador norte-americano registrou 22 pontos (8/13 nos arremessos de quadra), enquanto que o pivô, que sofreu com dobras durante o jogo inteiro, anotou 15 pontos e cinco rebotes.

Flamengo vence e sobrevive no NBB

O flamengo está vivo nas semifinais do NBB. Sem poder tomar mais nenhum vacilo, o time se fechou e se reabilitou em casa vencendo o Mogi por 71 e 64 e diminuiu a diferença na série para 2 a 1 para o time do interior paulista jogando em casa.

Grande destaque da partida foi Olivinha. Com 20 pontos e 13 assistências, a maioria no primeiro e nos últimos quartos, ele foi decisivo levantando a torcida com sua raça característica.

“Hoje era vencer ou vencer e não tínhamos outra opção. Se não tivéssemos pensando assim, estaríamos chorando agora a derrota e a eliminação. Nosso time entrou com outro foco e outra atitude e fizemos um bom jogo na defesa e fizemos diminuir a vantagem deles e vamos buscar a vantagem lá na casa deles. Estamos pela primeira vez vivendo essa situação de sair com duas derrotas e o Neto nos passou muita tranquilidade e deu tudo certo hoje” – Conta Olivinha sobre o jogo.

Arthur Pecos foi fundamental nas cestas de 3 pontos que ajudaram na vitória do Flamengo. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

Pelo lado do Mogi, Tyrone foi destaque nos arremessos de 3 pontos onde fez 12 dos 19 pontos do seu time. Mas o time deu uma relaxada depois vitórias e permitiu com que o Flamengo pudesse dar um respiro na competição.

“Eles fizeram o que precisavam fazer que vencer. Demos uma acomodada depois das duas vitórias que tivemos. Faltou concentração para gente e vamos aproveitar esses dias de folga e conversar para voltar o foco e tentar a vitória em casa” – Diz Tyrone

O Jogo

Muito diferente do jogo de sexta, o Flamengo entrou com muito mais atitude e lutando por sua sobrevivência na série. No primeiro quarto, o time saiu na frente, mas em duas bolas de 3 pontos de Tyrone, o Mogi virou no placar e chegou a estar na frente. Mas com a torcida empurrando o time da Gávea, a virada foi consequência. O primeiro quarto foi decidido com um placar apertado de 18 a 17. Já no segundo, o Flamengo não saiu em nenhum momento da liderança e conseguiu igualar as chances nas bolas de três pontos que Mogi insistia em acertar também com Larry. Ao final, o primeiro fechou em 38 a 35.

No terceiro quarto, o Flamengo conseguiu abrir uma distância no placar deixando a diferença em 7 pontos e por cerca de dois minutos, não deixou que o Mogi conseguisse pontuar. Mas as bolas de 3 pontos insistiam em cair para os dois lados e anulando o time do interior de São Paulo, o Flamengo conseguiu vencer o jogo por 71 a 64 e diminuiu para 2 a 1 na série das semifinais do NBB.

A próxima partida será em Mogi no sábado as 14hrs. Pelo outro lado da chave, o Paulistano recebe amanhã o Bauru as 19:30 pelo terceiro jogo da série que está em 1 a 1.

Mogi há um passo da final do NBB

Com um time muito coeso e acertando em todas as funções, o Mogi está perto de garantir uma vaga na final do NBB.  Sem se intimidar de jogar na casa do Flamengo, o time do interior paulista venceu por 88 a 74 e botou 2 a 0 na semifinal.

Com ataques muito bem trabalhados e uma ótima defesa, o time do técnico Guerrinha não demorou a se firmar na ponta do placar e, ainda no segundo quarto, levou a diferença para dígitos duplos. Sem perder o controle do jogo em momento algum, a equipe seguiu dominante durante todo o segundo tempo e confirmou o triunfo em solo carioca com autoridade.

“Soubemos jogar o jogo diante do Flamengo que é uma equipe muito forte e fomos em cima do emocional deles. Soubemos prevalecer a defesa e aprendemos a jogar bem fora de casa e apreendemos jogando contra times argentinos na liga das Américas. A série está aberta e ainda restam três jogos. Falta apenas uma partida para gente e vamos focar para conseguir chegar lá. ” – Disse Guerrinha, técnico do Mogi após a partida.

Tyrone foi vaiado e fez a diferença para o Mogi. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

Mogi teve ótimo rendimento coletivo e os oito atletas que entraram em quadra contribuíram de alguma forma, mas os cinco titulares foram brilhantes. O cestinha foi Shamell, com 21, seguido por Jimmy e Larry, que marcaram 16 cada. Já o pivô Caio Torres somou 13 pontos, enquanto que Tyrone registrou oito pontos, nove rebotes e quatro assistências.

“Foco, defesa, coração! Quando você junta essas três coisas, você consegue trazer uma vitória. Temos que aumentar nosso ritmo de defesa para conseguir a vitória na próxima partida e conseguir chegar a final”. – Afirma Tyrone que foi vaiado pela torcida do Flamengo desde o início do jogo.

Já pelo lado do Flamengo, o time jogou muito abaixo do que vinha apresentando ao longo do torneio e pareceu estar no mesmo ritmo da primeira partida em Mogi das Cruzes quando foi derrotado da mesma forma.

“Foi uma sequência do primeiro jogo. Nosso time não produziu ofensivamente e depois tentou arrancar as cestas sem muita lucidez. Demos muita liberdade a eles e foram dois jogos que jogamos abaixo. Mérito deles e agora temos que buscar uma vitória em casa e não tem nada perdido. Só avança quem vencer três jogos”. – Disse Marcelinho após o jogo. Ele que em caso de derrota, antecipará sua aposentadoria.

 

O jogo

 

Mesmo sendo visitante, o Mogi parecia que estava jogando em casa. Em pouco tempo, o time do interior de São Paulo dominou a partida e se estabeleceu na frente com Tyrone jogando muito e levando o time nas costas. No primeiro quarto, o time do Flamengo com a sua torcida até chegou a estar perto no placar perdendo por 4 pontos, mas no segundo, Mogi chegou a abrir 15 pontos de frente e se manteve a frente. Marcelinho até acertou umas duas bolas de três que diminuíram a diferença, mas no fim, Mogi saiu com 45 a 33 no início da partida.

Time do Flamengo precisa vencer próximo jogo para se manter vivo na competição. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

No segundo tempo, bem que a torcida do flamengo tentou levantar a moral do time, mas o time de Mogi estava muito consistente na defesa. Tudo o que eles tiveram que fazer foi administrar a partida. Mogi até chegou até a ter 20 pontos de frente e o time da Gávea até tentou reagir chegando a diminuir para 9. Mas não deu e o Flamengo perdeu por 88 a 74 a segunda partida da semifinal e o Mogi abriu 2 a 0 na série.

O Jogo 3 acontece nesta segunda-feira, às 20 horas, novamente na Arena Carioca. Caso saia vencedor, Mogi garantirá a inédita vaga nas Finais. Já o Flamengo precisa vencer para seguir vivo e forçar a realização do Jogo 4.

Pela outra chave, Paulistano joga em casa contra o Bauru em partida que será realizada daqui a pouco. No primeiro jogo, o time da capital venceu por 78 a 72

Mogi vence Flamengo e larga na frente na semifinal

O Mogi das Cruzes/Helbor fez valer o fator casa e largou na frente na briga por um lugar na decisão do NBB. Neste sábado, com quase cinco mil pessoas no Ginásio Hugo Ramos, o time paulista venceu o Flamengo com autoridade, por 79 a 62, e abriu 1 a 0 de vantagem na série semifinal.

Depois de um primeiro tempo equilibrado (40 a 36), Mogi foi completamente dominante na segunda metade da partida. Já no terceiro quarto, a equipe levou sua vantagem para dígitos duplos. Depois, na última parcial, os donos da casa seguiram controle do jogo e fecharam a partida com tranquilidade nos minutos finais.

“Estávamos jogando um pouco errado no ataque no começo, isso deu a eles alguns contra-ataques. Tínhamos que reduzir a pontuação do Flamengo para menos de 70 pontos para termos alguma chance de ganhar. Fomos para o intervalo vencendo e entramos voando no terceiro quarto, pois sabíamos que seria um momento chave. Conseguimos limitá-los a apenas 62 pontos e essa defesa com certeza foi o diferencial dessa grande vitória”, comentou o ala/pivô Fabrício, do Mogi.

Tyrone e Jimmy foram os grandes personagens da vitória mogiana e juntos somaram para 33 pontos, 18 rebotes e oito assistências. O norte-americano foi o cestinha do jogo, com 17 pontos, e ainda teve um duplo-duplo ao pegar dez rebotes. Já o camisa 18 registrou 16 pontos, oito rebotes e quatro assistências.

Depois de ficar de fora de toda a série quartas de final, por conta de uma lesão muscular, Caio Torres voltou à ativa neste sábado e teve boa participação para o êxito do Mogi. Em 16 minutos em quadra, o pivô somou dez pontos (4/4 nas bolas de 2) e ainda pegou cinco rebotes.

“O Caio foi um dos diferenciais do jogo. Tivemos uma nova arma no ataque e ele é um jogador muito experiente. Na hora que o JP e o Varejão estão sendo marcados por ele, não há desvantagem da nossa parte, pois ele é uma referência, que joga no mesmo nível deles. É claro que com um mês fora, ele está em desvantagem física, mas manteve o nível técnico e taticamente é muito inteligente para jogar", analisou o técnico do Mogi, Guerrinha.

Com variações defensivas ao longo do jogo, Mogi impôs muitas dificuldades ao ataque dos rivais durante todo o jogo e o Flamengo teve sua menor pontuação nesta temporada. No segundo tempo, o time paulista sofreu apenas 26 pontos.

“Mogi veio com uma tática de jogar com cinco caras abertos, a defesa trocando, e não conseguimos explorar os caras grandes dentro do garrafão. Vamos para casa, analisar bem e ter calma, confiança. Foi só uma partida, fora de casa, agora vamos fazer de tudo para vencer as duas partidas lá para não vir para Mogi no Jogo 4 pressionados”, disse Marquinhos, do Flamengo.

Mogi voltou a derrotar o Flamengo depois de quase dois anos. A última vitória mogiana para cima dos rubro-negros tinha sido em 09 de maio de 2016, no Jogo 3 das semifinais da temporada 15/16. De lá para cá eram seis partidas e seis triunfos dos cariocas.

Esta foi a primeira vez na história em que o Flamengo foi derrotado em uma partida das semifinais do NBB  por uma diferença maior do que dez pontos. Maior campeão da história (cinco títulos), o time rubro-negro chegou a esta fase dos playoffs em nove das dez edições.

“Esse jogo já ficou para trás, não vamos mais ganhar. Terminamos a fase de classificação em primeiro para ter a vantagem de jogar mais jogos em casa. Vamos fazer de tudo para continuar nesse clima de confiança ao lado da nossa torcida, pois temos totais condições de vencer as duas partidas lá no Rio”, concluiu Marquinhos.

As duas próximas partidas da série serão disputadas no Rio de Janeiro. O Jogo 2 acontece na sexta-feira (04/05), às 20 horas. O duelo seguinte será no dia 07/05 (segunda), às 20 horas

Flamengo é o primeiro semifinalista da temporada

A classificação do Flamengo às semifinais do NBB CAIXA veio nesta quinta-feira (19/04) com uma dose extra de emoção. Depois de ver o Minas ficar o jogo todo em vantagem, o time rubro-negro conseguiu levar o jogo para a prorrogação e venceu, por 97 a 92, para fechar a série quartas de final em 3 a 0.

Restando dois minutos para o fim do último quarto, o Minas vencia por nove pontos (83 a 74). Mas o Flamengo não se entregou e reagiu de forma impressionante. Com bolas de 3 de Marquinhos e Pecos, a equipe rapidamente cortou a diferença. Depois, com dois lances livres do camisa 11, empatou o jogo em 83 a 83 e a decisão foi para o tempo extra.

Flamengo agora aguarda o vencedor de Mogi e Caxias que jogam hoje a terceira partida. Crédito: Felipe Duest/NB Photo Press

Na prorrogação, a estrela de Marquinhos brilhou. Com 12 dos 14 pontos da equipe nos cinco minutos de desempate, o jogador foi para lá de decisivo para o Flamengo ficar o tempo todo na frente e garantir a vitória e a classificação. Ao todo, o camisa 11 somou 21 pontos, cinco rebotes e cinco assistências.

"Foi um jogo muito doido. Ficamos o jogo inteiro perdendo, mas conseguimos ali no finalzinho dar um sprint, encaixar boas defesas e levamos o jogo para a prorrogação. Isso é Flamengo. Não desistimos em nenhum momento e conseguimos essa vitória para fechar a série", disse Marquinhos.

Outro personagem fundamental para o triunfo rubro-negro foi Arthur Pecos. Sem errar nenhum arremesso, o armador marcou 12 de seus 16 pontos durante o último quarto e teve grande papel na reação carioca, não só pelos pontos marcados, mas também pela energia na defesa.

"Estou muito muito feliz. Nossa equipe trabalha muito e é uma verdadeira família. E no momento de dificuldade, uma família fica junto e foi isso o que aconteceu hoje. Conquistamos uma grande vitória e vamos nessa pra próxima fase. Temos que comemorar hoje, mas depois temos que já pensar na semifinal", afirmou Pecos.

Esta é a nona vez que o Flamengo chega às semifinais do NBB CAIXA. A única vez em que a equipe não ficou entre os quatro melhores foi justamente na temporada passada, quando acabou eliminada pelo Pinheiros nas quartas de final. O rival dos rubro-negros na semifinal sairá do confronto entre Mogi das Cruzes/Helbor e Banrisul/Caxias. Os mogianos lideram a série por 2 a 0 e o Jogo 3 acontece nesta sexta-feira, às 21 horas.

Veja mais algumas imagens da partida:

Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

 

Crédito: Felipe Duest/NB Photo Press

Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

 

Flamengo bate Minas e faz 2 a 0 na série

Em uma atuação coletiva espetacular, mais uma vez o Flamengo demonstrou todo o poder de seu vasto elenco. Com um ritmo incrível desde o início, o rubro-negro carioca demorou um pouco para engatar, mas a partir do segundo quarto dominou o Minas Tênis Clube e chegou à vitória, nesta terça-feira (17/04), na Arena Carioca 1, por 101 a 74, a maior diferença destes playoffs.

Após fechar o primeiro quarto à frente por 23 a 20, o Flamengo foi dominante no segundo e terceiro quarto, ampliando sua vantagem de forma exponencial. Ao todo, foram 60 pontos para o ataque rubro-negro nas parciais, com grandes contribuições de JP Batista (13 pontos no 2º) e Marquinhos (10 pontos no 3º). Com isso, a equipe carioca chegou aos dez minutos minutos com 31 pontos de vantagem (83 a 52) e partida praticamente decidida.

Em uma noite mágica, JP Batista saiu do banco de reservas para dominar o garrafão minastenista. O pivô foi fundamental para ampliar a vantagem rubro-negra, principalmente no segundo quarto, com 13 pontos anotados. Ao todo, foram 21 minutos de atuação para o camisa 13, que deixou a quadra como cestinha da partida, com 23 pontos.

“O mais importante no jogo de hoje foi nossa atitude. Nós sentimos isso no domingo (Jogo 1) e aqui não foi diferente. Sabíamos que estávamos em casa e que seria importantíssimo começar a partida desta forma, com atitude e ritmo”, analisou JP Batista, cestinha da partida, com 23 pontos.

Além de JP, o Flamengo contou com outras inúmeras contribuições importantes. Destaque para Marquinhos (21 pontos e cinco rebotes), Anderson Varejão (dez pontos, seis rebotes e quatro assistências) e MJ Rhett (nove pontos e cinco assistências).

Pelo Minas, as principais ações saíram das mãos do cestinha do time, Wesley (18 pontos e cinco rebotes), do ala Audrei (15 pontos) e do armador Gegê (13 pontos, cinco rebotes e seis assistências).

– Flamengo (1º) 2 x 0 Minas Tênis Clube (9º)
Jogo 1 – Minas 70 x 84 Flamengo
Jogo 2 – Flamengo 101 x 74 Minas
Jogo 3 – 19/04 (quinta), às 19h30, na Arena Carioca 1, no Rio de Janeiro (ao vivo no SporTV)
Jogo 4* – data e horário a definir, na Arena Minas, em Belo Horizonte
Jogo 5* – data e horário a definir, na Arena Carioca 1, no Rio de Janeiro

No último quarto, Flamengo vence mais uma

Foi o jogo 300 de Marcelinho e o 200 de Marquinhos. E eles comandaram mais uma vitória do Flamengo diante do Bauru por 75 a 61 em partida realizada na Arena Carioca 1 e se mantendo na vice-liderança do NBB.

Prestes a encerrar a carreira de jogador, Marcelinho fez hoje sua partida número 300 pelo Flamengo, clube a qual é torcedor desde criança de frequentar o Maracanã e mais uma vez, ele foi fundamental na vitória do time acertando vários arremessos de 3 pontos.

“Sei que estou cada vez mais perto da minha aposentaria e hoje talvez foi a última partida contra o meu irmão que joga no Bauru. Estou curtindo muito essa fase e o carinho que todos estão tendo por mim. A equipe hoje está de parabéns depois de estar perdendo, conseguir buscar a virada e vencer” – Conta Marcelinho sobre o jogo

O Jogo:

Diferente do jogo de quinta, o Flamengo encontrou um time de Bauru disposto a complicar a partida. Logo no início da partida, abriram 3 a 0 no placar. Mas com boas cestas de Varejão, o time da Gávea conseguiu equilibrar a equação e passar a frente, onde se manteve assim até o final do primeiro quarto fechando em 16 a 12.

Marquinhos contribuiu com mais uma vitória para o time. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

No início do segundo quarto, o Flamengo conseguiu por um bom tempo manter sua vantagem de quatro pontos até o Bauru conseguir equilibrar ainda mais a partida e a jogar melhor. Não demorou para vir o empate e a virada foi consequência. Ao final do primeiro tempo, Bauru saiu na melhor e fechou com 32 a 30.

No terceiro, o Bauru conseguiu aplicar um pouco a vantagem no início do quarto, mas em uma boa atuação de Marcelinho nas cestas de 3 pontos, o Flamengo conseguiu a virada e fechou em 53 a 49.

E aí no último quarto, o Flamengo atropelou o Bauru. Com Marquinhos afiado, a diferença ia só aumentando com os constantes erros do time do interior de São Paulo e arremessos do Flamengo iam entrando. A diferença chegou a estar em 17 pontos e foi quando tardiamente o Bauru deu uma reagia, mas o estranho já tinha sido feito. O Flamengo confirmou a vitória em 75 a 61.

Flamengo descansa essa semana por conta da seleção e volta diante do Minas mês que vem. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

Na próxima rodada, o Flamengo encara o Minas em casa, enquanto que o Bauru terá pela frente a Liga Sorocabana em casa também.

Flamengo atropela Franca

No reencontro entre Anderson Varejão e Leandrinho, dois destaques brasileiros que jogaram na NBA e seleção brasileira, melhor para o Flamengo, time de Varejão que conseguiu uma ótima vitória em cima de Franca por 86 x 66 o que manteve o time na vice-liderança do NBB em jogo disputado na Arena Carioca 1.

“Agora no NBB foi Flamengo x Franca e não Anderson x Leandrinho (risos). A gente olha essas coisas, todos fazem as análises de confrontos, mas antes de tudo vem os times. Lá na NBA foi Cleveland x Phoenix e depois nos outros times que ele jogou, Warriors também. O que importa é estarmos bem fisicamente, o resto é consequência”, disse Varejão.

Mas quem esperava por um épico embate entre Varejão e Leandrinho viu Marcelinho Machado roubar a cena. Com 20 pontos (6/10 nas bolas de 3), o jogador emendou uma bela sequência de bolas de 3 pontos que incendiou a torcida rubro-negra na Arena, que ecoou o grito de “Ah, é Marcelinho! Ah, é Marcelinho! Ah, é Marcelinho!”.

“Fico muito feliz por ter ajudado o Flamengo em um jogo grande como esse. É muito legal para o NBB ter Leandrinho e Varejão jogando aqui, engrandece muito o basquete como um todo, traz os olhos de todos os torcedores para a modalidade, isso é importante demais. Se deixar uma brecha para o velhinho aqui, é isso. Deixa eles focarem nos outros caras que eu aproveito aqui (risos)”, disse Marcelinho.

Olivinha estava em noite inspirada na partida. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

A vitória rubro-negra “vingou” a derrota sofrida no primeiro turno para o Franca no Pedrocão. Na ocasião, o clube da Gávea foi dominado pelos francanos, que chegaram à contagem centenária e venceram por expressivos 100 a 82. Com os 20 de diferença, a equipe do técnico José Neto superou o saldo negativo do revés no interior paulista e garantiu uma vantagem sobre o clube da Capital do Basquete em caso de empate de campanhas.

O Jogo

No primeiro tempo, o que se viu foi um Flamengo acertando todas as bolas e um time de Franca que mais parecia que veio ao Rio assistir ao jogo. Errando a maioria das bolas, Franca permitiu que o adversário abrisse uma diferença muito grande logo no primeiro quarto com 18 a 6. No segundo, com Varejão e Olivinha comandando o time, o time da Gávea aumentou ainda mais a vantagem fechando em 43 a 20.

Com várias mudanças em quadra no segundo tempo, o time de Franca começou a equilibrar a partida, algo que o torcedor esperava ver, e fez um jogo mais pareado. Mas com a vantagem já construída no primeiro tempo, o Flamengo se manteve sólido na defesa e fechou o terceiro quarto em 64 a 38. Já no período final, mais relaxado, o Flamengo apenas manteve a bola em movimento e foi o único quarto em que o time de Franca conseguiu dominar o placar, mas tarde demais. Mesmo tirando um pouco a diferença, permitiu o Flamengo ter uma vantagem maior em relação ao primeiro jogo onde perdeu e fechou por 86 x 66.

No sábado, o Flamengo tem pela frente o time de Bauru em casa, enquanto que o Franca encara o time de Minas fora de casa.

Na última bola, Estados Unidos vence Brasil de virada no Desafio Gigantes 3x3

Depois de estar na frente no placar, o time do Brasil-verde não conseguiu vencer a seleção americana no desafio Gigantes 3x3 por 22 a 19 em torneio realizado na Praça do Trem ao lado do Engenhão na zona norte do Rio e acabou com vice-campeonato da competição. Esse torneio contou pontos importantes para o ranking da Fiba e que fará parte do programa olímpico para Tóquio 2020.

Apesar de vir com um time da NBA, a seleção americana não é a melhor no basquete 3x3. “O time do Brasil foi um adversário muito duro, com um armador forte e bom na conclusão das jogadas. A gente sabia que tinha que fazer o nosso jogo. A diferença foi que nós convertemos o último arremesso”. – Comentou Dan Mavraides, eleito o melhor atleta do torneio e responsável por metade dos pontos dos americanos.

O basquete 3x3 é um esporte intenso e de bastante contato físico. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

O time brasileiro não fez feio e quem se destacou foi Leandro “Discreto”, que este ano vai treinar bastante para poder tentar ajudar o Brasil a buscar a vaga olímpica.

“Este torneio foi ótimo para gente. Todos os times tinham condições de ganhar o torneio com a partida sendo decidida nos últimos instantes. Foi ótimo também ter esse público aqui presente nos apoiando e tenho certeza que estarão sempre com a gente” – Conta Discreto sobre o jogo.

No primeiro jogo do dia, a equipe verde do Brasil que contou com Diego Conceição, Leandro “Discreto” Lima, Carlinhos “Soul” Silva Jr. e Marcellus Sarmento venceu a equipe amarela do Brasil que tinha Luiz Felipe Soriani, Douglas Gorauskas, Diguinho Del’Arco e Alfredo Perandini, por 21 x 18 onde tinha se garantido na final.

Time americano comemora o título. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

Já no segundo, a seleção americana derrotou a Sérvia por 21 a 17 numa “vingança” depois de perderem nas quarta-de-finais no mundial do ano passado na França, onde os sérvios foram campeões e se habilitaram a encarar o time brasileiro.

Na grande final, um jogo muito disputado! O Brasil chegou a abrir quatro pontos de frente, mas os americanos iam buscar o jogo e empatavam. Os brasileiros chegaram a ter a vitória na mão quando atingiram os 19 pontos, mas acabaram tomando uma virada e perderam por 22 a 19 frustrando a torcida que estava presente.

Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

 

Assinar este feed RSS