fbpx
Logo
Imprimir esta página

Desafio Gigantes do 3x3 movimenta Zona Norte do Rio

Desafio Gigantes do 3x3 movimenta Zona Norte do Rio vento de basquete que mistura esporte olímpico e cultura urbana será realizado no dia 04 de fevereiro, ao lado do Estádio Olímpico Nilton Santos (Engenhão). Crédito: Maurício Val/Fotocom

Antes do confete do carnaval, um pouco de basquete para esquentar os tamborins. O Desafio “Gigantes do 3x3” vai movimentar a Zona Norte do Rio de Janeiro no primeiro domingo de fevereiro. Alguns dos maiores nomes da modalidade no mundo vão se enfrentar numa quadra montada na Praça do Trem, ao lado do Estádio Olímpico Nilton Santos, o Engenhão, numa disputa de basquete 3x3, a versão do esporte que é disputada com três jogadores em cada time, em meia-quadra e é uma das novidades do programa olímpico dos Jogos de Tóquio 2020. O “Gigantes do 3x3” conta com a chancela da Fiba e vai valer pontos para o ranking mundial, forma de classificação para a Olimpíada. As partidas estão marcadas para o dia 4 de fevereiro, a partir de 9h, com transmissão ao vivo da TV Globo dentro do programa “Esporte Espetacular”. A entrada é gratuita.

Estão confirmadas duas equipes do Brasil, uma Verde e uma Amarela, além de duas potências do basquete internacional: Estados Unidos e Sérvia. Em quadra, a escalação é de feras do 3x3. Luiz Felipe Soriani, melhor brasileiro no ranking internacional, vai ser um dos astros do evento. Destaque também para Douglas Gorauskas, o mais alto (2,06m) e mais pesado (125kg) dos atletas do torneio, e 3º melhor entre os brasileiros, uma posição à frente de Diguinho Del’Arco, justamente o menos alto (1,76m) e mais leve (72kg) dos Gigantes do 3x3.

Mas a parada será dura para os brasileiros. A Sérvia, atual campeã do mundo, virá com o que tem de melhor: Dejan Majstorovic, Marko Savic e Dusan Bulut, simplesmente os três melhores do ranking mundial, além de Marko Zdero. Os Estados Unidos, país do basquete, serão representados pela equipe campeã da NBA 3x em 2017 e bicampeã norte-americana (2014 e 2017). O time que vencer o torneio vai levar um prêmio de 10 mil dólares para casa.

 

“Este será um evento muito especial não só pela qualidade técnica dos jogadores, mas pelo pioneirismo. O basquete 3x3 entrou no programa olímpico dos Jogos de Tóquio 2020, e este é o primeiro campeonato deste nível realizado no Brasil”, diz Pedro Rego Monteiro, diretor-executivo da Effect Sport, organizadora do evento. “Além disso, a disputa vai acontecer na Zona Norte do Rio, que é o centro tradicional da cultura urbana carioca e é o habitat natural dessa modalidade.”

Regras básicas – No basquete 3x3, as equipes são compostas por três jogadores e um reserva. A partida é disputada em meia quadra e dura 10 minutos ou até uma equipe marcar 21 pontos. Não há cesta de três pontos. As bolas de longe valem dois e as de perto, um ponto, assim como o lance livre.

Como o confronto é realizado em meia quadra, o time que está na defesa precisa, ao recuperar a posse, levar a bola para fora da linha de dois pontos (de 3 pontos no basquete tradicional). Mas se a equipe que está atacando pegar um rebote ofensivo, pode ir direto para a cesta porque já estava com a posse.

A bola do basquete 3x3 é menor em sua circunferência do que a do basquete masculino sênior tradicional. O tamanho é o mesmo do basquete feminino (72,3 centímetros) mas com peso do masculino (623 gramas).

O ranking da Fiba (Federação Internacional de Basquete) tem três categorias distintas: individual, equipes e países. No de equipes, somam os pontos dos três melhores jogadores ranqueados. Já no de países, a soma leva em conta os 100 melhores. E é essa pontuação que determina classificação para o Mundial e Jogos Olímpicos.

Última modificação emQuarta, 24 Janeiro 2018 12:08
Esportes de A a Z - Nós Praticamos o Seu Esporte | 2009 - 2017