Ricardo Erlich

Ricardo Erlich

URL do site:

Marcio Villar dá dicas para você que vai correr o Desafio Cidade Maravilhosa na Maratona do Rio

O Esportes de A à Z segue sua sequência de matérias contando todos os detalhes da Maratona do Rio de 2018 e hoje vai tratar da maior novidade deste ano, o Desafio Cidade Maravilhosa, que consiste em correr a Meia Maratona (21km) no sábado e ainda correr a Maratona (42km) propriamente dita no domingo dando um total de 63 km percorridos em dois dias. Será que é para qualquer um?

A organização da Maratona neste primeiro ano disponibilizou 2 mil inscrições neste desafio e elas foram preenchidas muito rapidamente, surpreendendo quantos estariam nessa disputa inédita no Brasil. A inspiração vem da prova da Disney em Orlando, onde são quatro corridas realizadas no mesmo fim de semana, consistindo em 5 km na quinta, 10 km na sexta, 21km no sábado e 42 km no domingo e medalhas especiais são distribuídas para quem completa mais de uma prova, algo que ocorrerá na versão carioca.

Para aqueles que irão o desafio, devem ficar atentos há algumas coisas:

1-  A retirada dos kits é somente hoje e amanhã. O kit será duplo: Virá um para a Meia Maratona com um número de peito e outro numeral para Maratona.  

2- Quando você cruzar a linha de chegada da Meia Maratona no Aterro no sábado, haverá uma sinalização para uma tenda onde você deverá se apresentar comprovando a conclusão da primeira prova e a organização colocará uma pulseira que não deverá ser retirada em nenhum momento. Segundo a prova, será de material que não impedirá que com banho ela se estrague.

3- Com a pulseira, você largará no domingo e percorrerá a Maratona e ao cruzar a linha de chegada, voltará a tenda do desafio onde irá retirar a sua medalha de conclusão das provas.

Mas será que é para qualquer um encarar esses 63 km? Você saberá lidar com essa questão? Para dar uma força, o Esportes de A à Z resolveu te dar uma ajudinha e procurou o maior especialista em ultramaratonas, Marcio Villar que será o palestrante as 16hrs na Expo.

Para quem não conhece, ele recentemente bateu o recorde mundial correndo do caminho francês do recorde de Santiago de Compostela na Espanha. Ele também é dono do recorde mundial correndo sete dias numa esteira num shopping no Rio e outras marcas impressionantes.

Ninguém mais habilitado para dar algumas dicas importantes para você. Assista abaixo o vídeo que preparamos:

Jeitinho Brasileiro manteve Maratona do Rio que será neste fim de semana

O Esportes de A à Z começa hoje sua série de matérias sobre a Maratona do Rio que será neste fim de semana e vamos começar falando como ela se manteve mesmo com a greve dos caminhoneiros que causou muito impacto no país.

Com as manifestações dos caminhoneiros acontecendo no país, muitas pessoas nas redes sociais começaram a especular: “A Maratona do Rio vai ser cancelada? E aqueles que são fora do Rio? Como vou chegar na largada? ”. Mas essas pessoas se engaram e ela vai acontecer normalmente e precisou inclusive usar o famoso “jeitinho brasileiro” como mais um desafio para sua realização. Mas por que ela não poderia ser cancelada?

Mais que uma simples corrida que estamos acostumados a verem ser realizada somente no Aterro do Flamengo no Rio, na região do Pacaembu em São Paulo ou outras regiões que apenas interdita o trânsito por poucas horas numa manhã de domingo, a Maratona do Rio se diferencia completamente pelos números que ela alcança.

 Ela saltou de 3 mil corredores em 2003 quando estreou nos moldes atuais contando com duas distâncias (42k e 6km) e 16 anos depois, tem previsão de receber 38 mil corredores em dois dias de evento e saltando para cinco distâncias (Corrida Infantil, 6km, 10km, 21km e 42km). Considerando que 65% dos participantes são de fora do Rio, muito desse público tende a trazer acompanhantes o que aumenta ainda mais esse número impressionante no seu crescimento.

Olhando pelo lado do atleta, a maioria se inscreveu desde o ano passado quando as inscrições abriram logo após a edição de 2017 até o encerramento dela no final de outubro. Alguns conseguiram de vagas remanejadas nesse ano. Para se treinar para uma Maratona, o treinamento requer meses de sofrimento e angustia contando com a data de 3 de junho como alvo e um adiamento atrapalharia todo um planejamento que iria literalmente pelo ralo considerando que cada um deva estar no seu auge físico.

E sem esses corredores, a cidade do Rio que se planejou para receber esse público, perderia uma de suas maiores divulgações. Após o réveillon e o carnaval, a Maratona do Rio é dos maiores eventos que acontecem na cidade. Ajuda a encher a rede hoteleira, movimenta o comércio, transportes, pontos turísticos, sem contar que posiciona o Rio como destino esportivo que foi reforçado na Copa e os jogos olímpicos e paralímpicos.

Em coletiva de imprensa realizada ontem no Morro da Urca, João Traven, seu idealizador e organizador da corrida, contou que precisou usar do “jeitinho brasileiro” para conseguir trazer o que era preciso para Maratona do Rio continuar com o padrão e qualidade que adquiriu ao longo dos anos.

"Trabalhamos o ano inteiro para colocar a Maratona do Rio de pé. Olhamos para todos os detalhes para que o corredor tenha a melhor experiência possível. Tomamos medidas para em todos os âmbitos para que a prova aconteça da melhor forma possível desde a chegada dos suprimentos até a fluidez do percurso, deslocamento dos corredores, entrega de kits. Em nenhum momento, pensamos em adiar a Maratona e isso não seria bom para ninguém. Lógico que essa greve dos caminhoneiros dificultou um pouco. Para vocês terem noção, as medalhas que vem de Minas Gerais, eu pedi para trazerem dentro de um ônibus para não ficar presa no caminho. Os kits que vem de São Paulo, vieram com escolta armada para não faltar nada para ninguém. Conseguimos aumentar a frota de ônibus para o transporte até as largadas das provas de 42km e 21km. Temos aproximadamente 3 mil pessoas envolvidas nessa grande operação e dedicadas 100%.  Temos certeza que todos os corredores que estiverem na prova serão bem recebidos”. – Finaliza

Para se cancelar um evento desse porte, teria que realmente acontecer uma catástrofe muito grande. Pela Maratona ser 100% na praia, teria que acontecer algum tsunami para impedir a sua realização ou desabar o Viaduto do Joá e a Avenida Niemayer. Voltando para o mundo real, o Rio fica problemático quando acontecem aquelas chuvas de verão em que os serviços ficariam impedidos, mas sendo no outono, esse risco é mínimo.

Não custa lembrar que em Nova Iorque em 2012, a tempestade Sandy que causou muita destruiu na cidade e a maratona foi cancelada. Mas não impediu que os visitantes da cidade fossem para o Central Park e fizessem os 42 km dela dentro do parque. A organização inclusive distribuiu as medalhas para aqueles que correram por lá.

Mais que uma corrida, a Maratona do Rio é um grande evento para a cidade do Rio que através da prefeitura, apoia a realização do evento por tudo o que ela gera e o que poder público é necessário a oferecer.

Expo Run começa amanhã

O evento começa nesta quinta, dia 31 de maio e segue até 2 de junho, no Centro de Convenções Sul América, no Rio de Janeiro, com importantes marcas do segmento de running, beleza, farmácia, suplementos, nutrição, esportivos, acessórios e vestuário. Com entrada gratuita, são esperadas mais de 70 mil pessoas nos três dias de exposição. Para o quinto ano, a área da Expo teve um aumento de 22% e espera crescer em 25% o faturamento. A Expo Rio Run também se destaca por ser ponto de encontro para a retirada dos kits da Maratona CAIXA da Cidade do Rio de Janeiro. Seguindo a tradição, além das atrações dos expositores, haverá uma programação de palestras para os visitantes e exposição das fotos vencedoras do concurso Maratona com Arte. Um dos destaques fica por conta da palestra de Franck Caldeira com o tema "Quilômetros de história".

 

Programação da Expo

 

Quinta-Feira (31 de Maio) - 09h às 19h

Sexta-Feira (01 de Junho) - 08h às 18h

Sábado (02 de Junho) - 08h às 17h

 

Palestras:

 

31 DE MAIO – Quinta-feira

 

11h - O que é a Maratona do Rio

Integrantes do Time Maratona do Rio - Dr. Paulo Lourega (Diretor Médico da Maratona do Rio desde 1987), Dra. Fabíula Schwartz (cardiologista e Diretora da Sociedade de Medicina do Exercício e do Esporte do RJ), Roberta Lima (Nutricionista do esporte com mais de 10 anos de experiência no alto rendimento), Vanessa Protasio (Psicóloga do esporte e Especialista em treinamento mental), Dr. Sérgio Maurício (Ortopedista formado pela UFRJ, especialista em cirurgia de joelho) e Andre Leta (Professor de Educação Física e Treinador de corrida).

 

12h30 - Pronokal - A relação da dieta cetogênica e o impacto no desempenho esportivo

 

13h15 - Estratégias para as provas da Maratona           

Participantes: Alexandre Lima, Rodrigo Issac, Luiza Fellippa / Mediação: Alan Marques         

 

14h30 - Tema: O que não fazer na alimentação e na hidratação 

Participantes: Rafael Brasília, Samara Plentz, Cristina Perroni / Mediação: Roberta Lima          

 

16h -  Poder da mente

Participante: Márcio Villar

 

 

1º DE JUNHO – Sexta-feira

 

11h -  Para onde caminha a corrida 

Participantes: Marcius Duarte, Mário Sérgio Andrade Silva, Rodrigo Lobo

 

13h15 - Gatorade - Tema: Adequação de hidratação e consumo de carboidratos na corrida

Participantes: Priscila Damasceno - nutricionista consultora do Gatorade Sports Science Institute, especialista em esportes endurance e atleta de triathlon

O Instituto GSSI concentra toda a parte científica cuja missão é ajudar atletas a otimizar a saúde e performance através de pesquisas e ações educacionais 

 

14h30 - Quilômetros de história -  com Franck Caldeira

 

16h - Do sonho à realização de estar na maratona mais tradicional do mundo

Participante: Sérgio Xavier Filho / Mediação: Iúri Totti

 

 

2 DE JUNHO – Sábado

 

13h15 - A evolução da Maratona

Participantes: Nélson Evêncio, Alan Marques, Márcia Narloch

 

14h30 - Minha experiência na maratona

Participantes: Cristiano Goldenberg, Bruno Bussade

 

Amanda Nunes mantem cinturão do UFC

Na defesa do título, Amanda Nunes não decepcionou o público carioca que lotou a Jeunesse Arena confirmou seu favoritismo e venceu a americana Raquel Pennington com um nocaute no quarto round no card principal do UFC que também contou com a despedida de Vitor Belfort que saiu com derrota para Lyoto Machida.

Com a noite dedicada a ela, Amanda Nunes saiu vitoriosa. Em sua terceira defesa pelo título na categoria peso galo, ela saiu com a vitória diante da americana Raquel Pennington com uma boa sequência de chutes e se aproveitou no quarto round quando conseguiu fazer ela sangrar, acabando com as suas forças.

Luta chegou até o quarto Round. Crédito: Bruno Lopes/EAZ 

“Eu fiz tudo o que eu treinei. Ela é uma atleta duríssima e sabia que podia ir para uma luta de 5 rounds com ela. Ela pode apanhar muito, mas ela é muito resistente. Quando treinei, eles me deixavam no maior desconforto e fiz o possível para vir dentro. E o cinturão é a razão da minha vida e quando decidi entrar no MMA era para ser campeã e quando o UFC colocou essa categoria, sabia que tinha que vir vencer. Foi muito surreal defender o título no Brasil e sendo a primeira, é algo que me deixou muito feliz e gratificante e estou vivendo o meu sonho. ” – Declarou após sua vitória.

Na despedida de Vitor Belfort, não deu para ele. Lyoto Machida conseguiu desferir um golpe único que derrubou Belfort que chegou a ficar desacordado no octógono dando fim a uma carreira vencedora no UFC.

Machida com um golpe, encerrou a carreira de Vitor Belfort. Crédito: Bruno Lopes/EAZ

“Tenho que valorizar cada momento. Estava confiante nessa luta e fiquei quieto na luta em respeito ao Vitor e tive a oportunidade de poder acertar ele com um único golpe e acabar com a luta. Até me afastei dele em respeito justamente por toda a história que ele construiu ao longo do MMA e se realmente for a última luta dele que ele esteja seguro da sua decisão. ” – Declarou Machida após a luta.

Vitor agradeceu ao público que estava presente hoje no UFC.

“Parabéns ao Machida pela vitória. Ele foi feliz com a vitória de hoje. Quero agradecer ao carinho do publico aqui presente e agradecer a minha família pela noite de hoje. Se você tem uma família, você tem tudo. Quero parabenizar o time do Lyoto e agradecer meu time, meus fãs e minha família. Tudo na vida tem começo, meio e fim. E agora é hora de cuidar da minha família.” – Diz

Nas outras lutas do card principal, John Liniker venceu o americano Brian Kelleher com um nocaute no terceiro round. Já Mackenzie Dern, mal entrou no octógono e venceu a americana Amanda Cooper. O único brasileiro a perder foi Ronaldo Jacaré que saiu derrotado para o americano Kelvin Gastelum por decisão dividida dos juízes.

Mackenzie Dern derrotou Amanda Cooper no primeiro round. Crédito: Bruno Lopes/EAZ

 

O americano Kelvin Gastelum derrotou o Jacaré por decisão dos juízes. Crédito: Bruno Lopes/EAZ 

  • Publicado em UFC
  • 0

Brasileiros se dão bem no card preliminar do UFC 224

Os brasileiros fizeram a festa no Card preliminar do UFC 224. Das 7 lutas previstas, foram quatro vitórias e a maioria por nocaute no Jeunesse Arena.

Na primeira vitória do dia, Markus Peres, o “Maluko” derrotou o americano James Bochnovic por nocaute ainda no primeiro round na categoria peso médio.

“Eu treinei para nocautear no primeiro round, na verdade, mas o cara veio muito afobado, tentando me levar para o chão. Eu não sou faixa preta, mas sou um dos melhores no chão e ele se deu mal. Eu quero lutar mais, meu foco sempre foi esse, lutar o máximo de vezes possível. Dessa vez eu comecei com o pé direito, treinando em casa. Esse que vocês viram dentro do octógono é o verdadeiro Markus.” – Conta sobre a vitória.

Outra vitória de grande destaque foi a vitória Warley Alves na categoria meio-médio. Ele derrotou o russo Sultan Aliev por nocaute no segundo round quando o olho dele praticamente fechou e ficou sem condições de luta.

“percebi que o olho dele estava fechando e vi que podia fechar a luta e comecei a bater em cima. Sabia que ele é um atleta forte e fui cauteloso e quando dei 3 joelhadas dele e ele sentiu e vi que era a hora que tinha para vencer. Comecei a bater nele e consegui chegar lá. Sou brasieiro e tenho garra e vim aqui para ser campeão” – Diz.

Em seguida, foi a vez de Elizeu Zaleski, o capoeira, a lutar e vencer por nocaute no segundo round o americano Sean Strickland.

“Todo mundo sabe que meu adversário era um cara bom eu quero poder vir a lutar com os caras bons e bater que é o que eu mais gosto. Fiz o possível para vencer e consegui e espero continuar aos pouquinhos para poder ser campeão um dia.”

O último brasileiro a vencer no card preliminar foi David Ramos por nocaute ainda no primeiro round o alemão Nick Hein. Ele que mora do outro lado da rua da Arena, se sentiu como se tivesse ido treinar.

“Moro do outro lado da rua da Arena e vencer aqui foi como se eu tivesse saído para treinar. Aproveitei a comidinha da mamãe e uma das minhas alegrias foi ter meu filho me abraçando na véspera da luta e isso é muito aconchegante. Foi minha segunda vitória no UFC e venho buscar sempre a vitória no nocaute sem precisar que a luta se estique por 3 rounds. Agora a minha meta é lutar com o campeão e vencer um passo de cada vez.” – Finaliza.

Outras três lutas aconteceram no octógono montado no Jeunesse Arena. O russo Ramazan Emeev venceu na decisão dos juízes depois de uma luta apertada contra Alberto Mina. O sueco Jack Hermansson conseguiu nocautear no terceiro round Thales Leites e o russo Oleksiy Oliynyk também finalizou o brasileiro junior Albini.

Resultados do Card Preliminar:

Luta 1: Peso-médio: Markus Perez (“Maluko”) x James Bochnovic (EUA) - Markus Perez venceu no primeiro round

Luta 2: Meio Médio: Alberto Mina x Ramazan Emeev (Russo) - Ramazan Emeev venceu por decisão unanime dos juizes

Luta 3: Peso-médio: Thales Leites x Jack Hermansson (sueco) – venceu por nocaute no final do terceiro round

Luta 4: Meio-Médio:  Warlley Alves x Sultan Aliev (Rússia) – Vencedor por nocaute técnico

Luta 5 Meio-médio: Elizeu Zaleski dos Santos Capoeira x Sean Strickland (EUA) – venceu por nocaute no segundo round

Luta 6: Peso-leve: Davi Ramos x Nick Hein (Alemão) – venceu por nocaute no primeiro round

Luta 7: Peso-Pesado: Oleksiy Oliynyk (Russo) venceu por finalização x Júnior Albini

  • Publicado em UFC
  • 0
Assinar este feed RSS