fbpx

Redação

Redação

Vasco derrota Corinthians no NBB

O Vasco conquistou uma vitória importante no NBB. Neste sábado (17/11), em jogo decidido no terceiro quarto, o time comandado por Alberto Bial bateu o Corinthians por 78 a 68, no Ginásio de São Januário, e subiu para o décimo lugar na tabela de classificação.

Com a vitória, o Vasco agora é o décimo colocado e detém campanha de três vitórias em oito jogos (37,5% de aproveitamento). Já o Corinthians, com o resultado, caiu uma posição na tabela de classificação e se tornou o nono colocado, com quatro triunfos em nove jogos (44,4% de aproveitamento).

Cestinha da equipe na temporada, o ala/pivô Gemerson protagonizou outra grande partida com o cruzmaltino. Ao todo, foram 21 pontos e dez rebotes em pouco mais de 39 minutos de quadra, o que lhe rendeu o título de cestinha do duelo. Além dele, o ala/armador norte americano Nick Okorie, com 18 pontos, e o pivô Lucão, que anotou um duplo-duplo de 13 pontos e 12 rebotes, também protagonizaram uma bela partida.

 Foram dois messes muitos complicados para mim por conta da lesão, mas estou muito feliz de conseguir voltar e ajudar a equipe. Sei que preciso pegar um pouco de ritmo, até pela minha limitação física nesse retorno, mas o mais importante no jogo de hoje era a vitória. Estou muito feliz com a vitória e com o meu retorno”, disse o armador Vitinho, do Vasco.

Agora, o Vasco voltará a ação daqui a duas semanas, no dia 29/11 (quinta-feira), contra o São José Basketball, no Ginásio de São Januário, às 20h45

  • Publicado em Basquete

Rio de Janeiro recebe a Maratona Petrobras de Revezamento

No dia 1º de dezembro, o Rio de Janeiro recebe, no Parque Olímpico, a terceira etapa da Maratona Petrobras de Revezamento 2018. Pela primeira vez o espaço vai receber uma prova noturna. A expectativa é que a prova tenha 7 mil participantes e as inscrições podem ser feitas pelo site do evento até o dia 23 de novembro. O percurso, com sistema multivoltas e pistas largas, é ideal para atletas amadores e corredores de todos os níveis de performance, que participam de assessorias esportivas ou fazem parte de grupos de corrida com família e amigos.

Os corredores poderão se inscrever em equipes de 4 ou 8 participantes, nas categorias Feminino, Masculino/Aberta e Sub-19. “É a prova ideal para alcançar aquele tempo pelo qual você vem batalhando ou para juntar os amigos e a família e deixar de lado o estresse, em uma competição desafiadora e ao mesmo tempo divertida”, diz Gary Bach, produtor executivo do projeto.

Nesta edição, a novidade é que 20% das vagas disponíveis serão destinadas aos corredores individuais que, apesar de não terem conseguido montar uma equipe, querem participar dessa experiência. Na categoria individual o atleta percorrerá uma volta no circuito de 5,2km, com troféus para os 3 primeiros classificados.

No primeiro lote, a inscrição com desconto custa R$ 70 por atleta, totalizando R$ 280 para o quarteto e R$ 560 para o octeto. As assessorias de corrida com mais de 30 atletas inscritos têm desconto de 10%. As vagas são limitadas. Para participação na modalidade de 8 atletas a idade mínima é de 16 anos, já nas equipe de quatro pessoas, só serão aceitos maiores de 18 anos.

Além da prova principal, os participantes terão atividades de relaxamento, como estação de ioga e massagem, além de avaliação física por bioimpedância (no dia de retirada do kit e no dia da corrida).

“A corrida de rua no Brasil tem 5,5 milhões de praticantes e o público cresce a cada dia. Uma maratona de revezamento transforma um esporte individual em uma possibilidade de compartilhar sentimentos em equipe”, diz Lauter Nogueira, diretor-técnico da prova.

Ao todo, o circuito será composto por cinco etapas, percorrendo cinco capitais em quatro regiões do país. A Direção Técnica da Maratona Petrobras de Revezamento é da Lauter Nogueira Sports e a produção, da Backstage Rio, com o patrocínio master da Petrobras.

Depois do Rio de Janeiro, a Maratona Petrobras de Revezamento terá etapas em Porto Alegre e São Paulo.

Informações e inscrições no site www.maratonaspetrobras.com.br.

Serviço:

Maratona Petrobras de Revezamento

Data: 1º de dezembro

Local: Parque Olímpico, Av. Embaixador Abelardo Bueno, 3401 - Barra da Tijuca.

Largada: 18h (prova noturna)

Entrega dos kits: 30 de novembro (10h às 21h) e 1º de dezembro (10h às 14h) no Shopping Città América.

 

Rei e Rainha do Mar volta para a praia de Copacabana para a disputa final

Antes da celebração do natal, a famosa Praia de Copacabana será o palco da última etapa do Circuito Rei e Rainha do Mar 2018. O evento, que nasceu em Copa, é velho conhecido dos cariocas e promete muita emoção para os mais de 4.000 atletas esperados na Princesinha do Mar. As inscrições estão abertas pelo site:  www.reierainhadomar.com.br . 

Tradicionalmente, a etapa de dezembro acontece em dois dias. No sábado (22), serão realizadas as provas amadoras que contarão com natação, SUP, corrida, beach biathlon e com as provas kids (de 5 a 13 anos), de natação e corrida. E no dia 23 o Desafio Elite invade as areias, com 10 atletas profissionais se enfrentando divididos em duplas mistas em busca do título de Rei e Rainha do Mar 2018.

Originado em 2008 a partir do Desafio do Leme ao Pontal, uma prova de natação no mar com percurso de 35km, o Rei do Mar surgiu em 2009 e ganhou a adesão das Rainhas no ano seguinte, tornando-se, desta forma, o Rei e Rainha do Mar. Em 2017, o evento marcou a aposentadoria da medalhista olímpica de maratonas aquáticas Poliana Okimoto. Nesta etapa, que marcará o nono ano seguido do evento na praia de Copacabana, será a última etapa do Circuito Rei e Rainha do Mar de 2018.

Domingo, inclusive, também será a vez dos renomados atletas profissionais entrarem em ação para a disputa do Rei e Rainha do Mar

A tetracampeã mundial de maratona aquática, Ana Marcela Cunha, conta um pouco da sua experiência no evento: “O Rei e Rainha do Mar é ímpar, diferente de qualquer evento. Colocar os atletas de elite lado ao lado dos atletas amadores é muito legal, sempre me divirto muito.” A Ana ainda ressalta o quanto é importante para a promoção do esporte a proximidade com o público no dia do Desafio Elite, e como isso é recompensador para os atletas também, que estão habituados a competir sem esse contato com os fãs e admiradores da modalidade. Para a etapa deste ano, a fera das águas abertas se diz animada: “É uma competição divertida, lógico que todos estão ali querendo vencer, mas também mais descontraídos e relaxados. Eu fico muito feliz sempre que a competição encaixa no calendário de provas e, com certeza, em dezembro estaremos aí na etapa de fim de ano do RRM.”

A competição amadora contará com provas de natação, SUP, corrida, beach biathlon e com as provas kids, de natação e corrida. Para os nadadores, serão quatro diferentes distâncias para escolher: Sprint (1km), Classic (2km), Challenge (3,5km) e o Super Challenge (10km). O beach biathlon é ideal para quem quer unir duas paixões, o percurso, que é de 1 km de natação no mar e 2,5 km de corrida na areia. A galera do SUP também poderá escolher, serão duas distâncias: 7 e 14 km. Para os pequenos, as provas de Corrida Kids são destinadas para crianças entre 5 e 13 anos, com distâncias que variam de acordo com a faixa etária, as de Natação Kids também variam, mas essas são para os que têm entre 9 e 13 anos.


Para ficar por dentro de todas as novidades é só acompanhar o site www.reierainhadomar.com.br ou através das redes sociais @reierainhadomar.

Em noite histórica, Brasil Rugby tem recorde de público contra All Blacks Maori no Morumbi

O sábado foi histórico para o Brasil Rugby. Pela primeira vez na história a equipe nacional enfrentou a Nova Zelândia, uma das grandes potências na modalidade, que veio ao país com o time All Blacks Maori, exclusivamente formado por jogadores de origem Maori. E os 34.541 presentes ao Morumbi, em São Paulo, maior público da história de um evento de rugby no Brasil, viram um jogo de alto nível e, apesar da chuva forte, os fãs vibraram bastante durante todo o tempo.

“A gente ficou triste pelo resultado, porque sempre espera um pouco mais. Conseguimos segurar o time deles no primeiro tempo e houve uma queda física natural no segundo tempo, mas o mais importante é que o Brasil mostrou sinais de evolução”,

“O evento deu muito orgulho do povo brasileiro, com bastante torcida. Mas o jogo foi bastante difícil por causa da chuva. A bola estava molhada e isso dificultou para nós”, disse Josh Reeves, autor dos pontos brasileiros. “Quando eu bati na bola, tinha achado que tinha errado. Mas dei sorte que ela fez uma curvinha e acabou entrando”, disse, sobre o penal convertido.

Com a bola escorregadia e o gramado encharcado, o Brasil Rugby começou o jogo com alguns buracos na defesa, mostrando um pouco de nervosismo com uma partida tão importante. O tempo foi passando e os ânimos foram se acalmando. Porém, os All Blacks Maori mostraram o porquê são considerados um dos times mais forte do mundo e, já na parte final da primeira etapa, conseguiram dois tries, com Isaia Walker-Leawere e Ash Dixon, e foram para o intervalo com 14 a 0.

Time faz tradicional Haka para o público no Morumbi. Crédito: João Neto/Fotojump

Na volta para o segundo tempo, exatamente aos 10 minutos, aconteceu o que os mais de 30 mil presentes ao Morumbi estavam esperando. Em um penal cobrado por Josh Reeves, a bola ainda bateu na trave antes de entrar e o Brasil confirmar seus primeiros três pontos no jogo.

Minutos depois, Ash Dixon conseguiu um try e, após o chute de Otere Black, os All Blacks abriram 21 a 3. Ainda deu tempo de saírem mais dois tries para os neozelandeses, sendo o último deles anotado por Jonah Lowe, com o placar final ficando em 35 a 3 para os All Blacks Maori.

Nada que pudesse diminuir a festa da torcida brasileira, que presenciou de perto a Haka, famosa dança Maori feita antes do apito inicial.

O Brasil veio à campo com 1- Lucas Abud, 2- Wilton Rebolo, 3- Jardel Vettorato, 4- Luiz Vieira, 5- Cleber Dias, 6- Devon Muller, 7- Arthur Bergo, 8- André Arruda, 9- Lucas Duque, 10- Joshua Reeves, 11- Robert Tenório, 12- Moisés Duque, 13- Felipe Sancery, 14- Lucas Tranquez, 15- Daniel Sancery. E os reservas 16- Caíque Segura, 17- Endy Willian, 18- Matheus Rocha, 19- Matteo Dell'Acqua, 20- Michael Oliveira, 21- Douglas Rauth, 22- Jacobus De Wet e 23- Stefano Giantorno.

Já o time Maori jogou com 1- Ben May, 2- Ash Dixon, 3- Marcel Renata, 4- Isaia Walker-Leawere, 5- Pari Pari Parkinson, 6- Reed Prinsep, 7- Billy Harmon, 8- Akira Ioane, 9- Jonathan Ruru, 10- Otere Black, 11- Shaun Stevenson, 12- Teihorangi Walden, 13- Rob Thompson, 14- Jonah Lowe, 15- Mattu Landsdown. No banxo, 16- Robbie Abel, 17- Chris Eves, 18- Tyrel Lomax, 19- Jackson Hemopo, 20- Mitch Karpik, 21- Bryn Hall, 22- Josh Ioane e 23 - Matt Proctor.

 

Brasil Rugby 3 x 35 All Blacks Maori

10 de novembro de 2018

Estádio do Morumbi, em São Paulo/SP

Público: 25.571 ingressos vendidos e 34.541 de público total

  • Publicado em Rugby
Assinar este feed RSS