fbpx

Alex Ribeiro vence final brasileira com Jadson André no QS 6000 de Newcastle

Alex Ribeiro vence final brasileira com Jadson André no QS 6000 de Newcastle Brasileiro pega melhor onda e leva o caneco para casa. Crédito: Tom Bennett/WSL

Os brasileiros começaram 2019 como terminaram 2018, ganhando quase tudo no Circuito Mundial da World Surf League. As duas etapas do WSL Qualifying Series com status QS 6000 terminaram em decisões 100% verde-amarelas. A primeira foi o Oi Hang Loose Pro Contest, com o potiguar Jadson André derrotando o catarinense Yago Dora em Fernando de Noronha. A outra acabou neste domingo de boas ondas em Merewether Beach e com Jadson novamente na final, mas desta vez perdendo para o paulista Alex Ribeiro o título do Burton Automotive Pro, no tradicional Surfest Newcastle da Austrália. Com a vitória, o surfista da Praia Grande saltou da 150.a para a quarta posição no ranking liderado por Jadson André, que classifica dez surfistas para a elite dos top-34 da World Surf League.

“Eu nem consigo acreditar que venci esse evento superimportante, de muita história, é um sentimento incrível”, disse Alex Ribeiro, que integrou a seleção brasileira do CT em 2017, mas não conseguiu se manter na elite. “Foi um dia incrível e disputar uma final com meu amigo Jadson (André) foi fantástico para fechar com chave de ouro. Estou feliz por conseguir vencer ele, pois o Jadson está numa fase incrível, surfando muito bem, então eu sabia que seria difícil ganhar dele. Eu tenho trabalhado muito forte nos treinamentos porque quero voltar ao CT e esse resultado vai me ajudar a chegar lá. Agora é já concentrar no próximo QS 6000 em Sydney (que começa na segunda-feira) para me manter entre os top-10”.

Jadson André também estava feliz por chegar em sua segunda final nos dois eventos que competiu no ano que marca seu retorno à elite do CT após uma temporada fora. Ele ganhou uma disputa direta pela ponta do ranking contra o vice-líder Jack Robinson nas semifinais e Alex Ribeiro despachou Matt Banting no outro confronto Brasil x Austrália. Esta foi a quinta vitória brasileira em Newcastle e a segunda que termina com uma decisão 100% verde-amarela. A primeira foi em 2012, quando o catarinense Willian Cardoso derrotou o paulista Filipe Toledo. Os outros vencedores foram o niteroiense Guilherme Herdy em 1996, o catarinense Neco Padaratz em 2006 e o paulista campeão mundial Adriano de Souza em 2008.

“Eu fiquei a semana inteira tentando visualizar a vitória aqui, mas, por algum motivo que não sei porque, sempre acabava achando que ficaria em segundo lugar, o que é muito estranho, mas foi o que aconteceu”, contou Jadson André. “Mas, estou muito feliz por ver o Alex (Ribeiro) ganhar, pois ele é um grande surfista e merece voltar ao CT. Eu não tenho do que reclamar. Foi uma semana ótima para mim aqui em Newcastle e foi muito bom termos boas ondas no último dia. Agora, estou ainda mais animado para competir em Sydney (no outro QS 6000 da Austrália que começa nesta segunda-feira) e espero fazer outra final lá”.

A decisão em Newcastle começou com Alex Ribeiro pegando as primeiras ondas, mas errando as manobras. Jadson André largou na frente surfando bem sua primeira onda que valeu 7,17. O paulista logo entra na briga completando um belo aéreo nota 7,90. Na sequência, consegue 5,77 para assumir a ponta. Jadson passa a arriscar os voos nas esquerdas, mas sem aterrisar das manobras. Alex também tentou e acertou um aéreo reverse que foi parar no espumeiro, mas ressurgiu em pé na prancha com um Boeing 7,67 para trocar pelo 5,77. O potiguar passou a precisar de 8,4 para vencer nos 15 minutos finais.

Jadson tentou até o fim reverter o resultado, pegando direitas para usar a potência do backside, esquerdas para voar nos aéreos, tudo o que tinha feito para derrotar o norte-americano Tanner Gudauskas nas quartas de final e o australiano Jack Robinson nas semifinais, quando o potiguar fez os recordes do ultimo dia, 17,43 pontos somando notas 9,33 num aéreo incrível e 8,10. Mas, o máximo que conseguiu foi uma nota 6,60 para diminuir a vantagem de Alex Ribeiro, mas não impedir a vitória do paulista da Praia Grande por 15,57 a 13,77 pontos.

O campeão estava com os aéreos de frontside no pé para dizimar os adversários que enfrentou no domingo. Jadson acabou batendo os recordes do domingo que Alex Ribeiro tinha registrado na última quarta de final contra o francês Charly Quivront, 16,00 pontos com notas 8,77 e 7,23. Nas semifinais, venceu uma verdadeira batalha aérea com Matt Banting. Ele completou o melhor voo da bateria e a nota 8,73 recebida foi decisiva para a vitória apertada por 15,76 a 15,23 pontos sobre o australiano.

RESULTADOS DO ÚLTIMO DIA DO SURFEST NEWCASTLE:

FINAL DO QS 6000 BURTON AUTOMOTIVE PRO:

Campeão: Alex Ribeiro (BRA) por 15,57 pontos (7,90+7,67) – 6.000 pontos no QS

Vice-campeão: Jadson André (BRA) com 13,77 pontos (7,17+6,60) – 4.500 pontos

SEMIFINAIS – 3.o lugar com 3.550 pontos:

1.a: Jadson André (BRA) 17.43 x 12.07 Jack Robinson (AUS)

2.a: Alex Ribeiro (BRA) 15.76 x 15.23 Matt Banting (AUS)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com 2.650 pontos:

1.a: Jack Robinson (AUS) 13.80 x 13.00 Miguel Tudela (PER)

2.a: Jadson André (BRA) 14.33 x 11.34 Tanner Gudauskas (EUA)

3.a: Matt Banting (AUS) 13.00 x 1.50 Leonardo Fioravanti (ITA)

4.a: Alex Ribeiro (BRA) 16.00 x 11.50 Charly Quivront (FRA)