fbpx

Redação

Redação

Trials define titulares na luta por vagas nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020

A Confederação Brasileira de Wrestling realizou no último fim de semana o Trials 2019,seletiva disputada na Arena 2 do Parque Olímpico para definir os lutadores titulares nos primeiros torneios do ano das 18 categorias olímpicas que vão ser disputadas nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 e também da divisões não olímpicas. Os atletas passam a formar equipe nacional até o Campeonato Brasileiro, previsto para o mês de maio, onde devem defender o posto. Para ficar com a vaga, os titulares (veja a lista completa abaixo) disputaram combates nos moldes dos torneios internacionais com dois de pesagem e lutas.

“Para a Confederação e a comissão técnica foi muito importante poder avaliar os atletas em lutas que talvez não acontecessem em torneios eliminatórios. O objetivo de realizar a seletiva em dois dias foi justamente prepará-los para uma temporada com pesagem e lutas em dois dias e sem tolerância de peso. Todos mostraram comprometimento, e demonstraram que passaram o fim do ano treinando. O resultado foi alto nível técnico do Trials”, comemorou Roberto Leitão, Superintendente da Confederação Brasileira de Wrestling.

No estilo greco-romano, o mineiro Diego Romanelli voltou a categoria até 60kg e superou o cazaque naturalizado brasileiro Marat Garipov. Já na categoria até 87kg, o paulista Ronisson Brandão venceu André Pinto e retomou a titularidade perdida em 2018. No wrestling feminino, Kamila Barbosa venceu disputa acirrada na divisão até 50kg contra Susana Santos e Caroline Soares. Já Gracyenne Helena ficou com a vaga até 53kg. A ausência ficou por conta da vice-campeã mundial, Aline Silva, que se recupera de lesão sofrida em 2018.

No estilo livre, um dos principais nomes do esporte Antoine Jaoude venceu na categoria até 125kg. Daniel Nascimento, Marcos de Brito e Marcus Calazans triunfaram nas categorias até 57kg, 65kg e 74kg, respectivamente. O carioca Pedro Rocha confirmou o favoritismo e manteve a titularidade na divisão até 86kg. Cassio de Oliveira completou a lista de divisões de peso olímpicas ao ser o número um da categoria até 97kg.

"Vencer é sempre especial. O Trials teve cada “lutão” de tirar o fôlego e agradeço aos meus companheiros de treino da equipe de São José dos Campos e ao treinador do Nisdany Perez. Todas as lutadoras fizeram uma preparação forte para essa seletiva e a categoria até 50kg é uma das mais disputadas. Agora sei que tenho que trabalhar dobrado para seguir como titular.”, agradeceu Kamila, goiana radicada em São José dos Campos.

Confira abaixo a lista dos atletas titulares em cada categoria olímpica e não olímpica.
Estilo greco-romano
60kg - Diego Romanelli
67kg - Joilson Júnior
77kg - Angelo Moreira
87kg - Ronisson Brandão
97kg - Davi Albino
130kg - Eduard Soghomonyan

Estilo Livre
57kg - Daniel Nascimento
65kg - Marcos de Brito
74kg - Marcus Calazans
86kg - Pedro Rocha
97kg - Cassio de Oliveira
125kg - Antoine Jaoude

Wrestling Feminino
50kg - Kamila Barbosa
53kg - Gracyenne Helena
57kg - Giullia Penalber
62kg - Lais Nunes
68kg - Dailane Reis
76kg - Keila Calaça

Categorias não olímpicas
Estilo greco-romano
55kg – Sargis Khachatryan
72kg – Kenedy Pedrosa
82kg – Adil Hendersson

Estilo Livre
61kg – João Pedro de Souza
70kg – Hugo Vianna
79kg – Gabriel Goes
86kg – Pedro Rocha
92kg – Gabriel Rocha

Wrestling feminino
55kg – Rosimere de Brito
59kg – Karoline Santana
65kg – Grabriela Rocha
72kg – Kauany Ramos

Hugo Calderano termina entre os oito melhores da primeira etapa do Circuito Mundial

O brasileiro Hugo Calderano fechou neste sábado (19) a sua participação no Aberto da Hungria de Tênis de Mesa, em Budapeste, ficando entre os oito melhores da competição. Na partida das quartas de final, ele foi superado pelo chinês Wang Chuqin, por 4 a 2 (11/5, 6/11, 8/11, 4/11, 14/12 e 5/11) e não se classificou para a semifinal. Os quatro vencedores das quartas de final foram chineses. Além de Chuqin, Xu Xin, Fan Zhendong e Lin Gaoyuan vão disputar o título da etapa.

Assim como já acontecera desde a estreia no Aberto da Hungria, Calderano começou muito bem o jogo. Fez um excelente primeiro set, vencendo por 11 a 5. Mas depois, encontrou extrema dificuldade com o estilo de jogo do chinês. A partir do segundo set, o brasileiro não conseguiu mais impor seu ritmo, encontrando extrema dificuldade nas devoluções. Chuqin abriu 6 a 1 na segunda parcial, fechando em 11 a 6. No terceiro set, o adversário abriu uma diferença ainda maior, de 7 a 1. Calderano ainda conseguiu reagir, mas não deu tempo de tentar a virada.

No quarto set, o brasileiro começou bem, fazendo 3 a 1. Após o adversário virar para 6 a 3, o técnico Jean-René Mounie pediu tempo, mas Calderano não conseguiu reverter o quadro, sendo batido por 11 a 4. Mesmo precisando vencer três parciais consecutivas, Calderano não se abateu e equilibrou finalmente o confronto, obrigando o técnico chinês a pedir tempo quando a partida estava 9 a 8 para o brasileiro. Porém, Chuqin não conseguiu a reação, perdendo por 14 a 12. No sexto set, o chinês voltou a impor as mesmas dificuldades ao brasileiro na devolução e conseguiu a vitória por 11 a 5, fechando o confronto.

No ano passado, Calderano foi semifinalista da mesma competição, o que poderá representar uma pequena perda de pontos no ranking mundial, mas não de colocação (deve manter-se na sexta posição), pois os adversários atrás dele na lista e que participaram da competição na Hungria não chegaram nesta fase. A diferença do brasileiro para o sétimo colocado (o sul-coreano Sangsu Lee) é de quase 600 pontos, enquanto o oitavo colocado (Wong Chung Ting, de Hong Kong) está quase 1.300 pontos atrás.

Flamengo vai disputar mundial em casa

A Copa Intercontinental está de volta ao Brasil. Depois de quatro anos da última edição realizada em solo verde-amarelo, o torneio, desta vez, contará com quatro times e acontecerá nos dias 15 e 17 de fevereiro, na Arena Carioca 1, no Rio de Janeiro (RJ).

Austin Spurs (EUA), campeão da NBA G-League, AEK Atenas (Grécia), campeão da Champions League da Europa, San Lorenzo de Almagro (Argentina), que conquistou o título da última Liga das Américas, e Flamengo, anfitrião e último clube brasileiro a ser campeão da Copa Intercontinental, serão os participantes.

O torneio será realizado no formato de mata-mata, com duas semifinais no dia 15 de fevereiro (sexta-feira), e, dois dias depois, 17 de fevereiro (domingo), as disputas do terceiro lugar e da grande Final. Os confrontos das semis serão: San Lorenzo de Almagro x AEK Atenas, e Flamengo x Austin Spurs.

Esta é a primeira edição da história da Copa Intercontinental da FIBA que contará com os atuais campeões da NBA G-League, da Champions League da Europa e da Liga das Américas.


Austin Spurs, atual campeão da NBA G-League, será o 1º rival do Flamengo. Crédito:Cam Bartlett/SnappedByCam

“Estamos empolgados em trazer a Copa Intercontinental da FIBA de volta às Américas e celebrar esta edição na excelente quadra olímpica do Rio de Janeiro, que foi a sede de tantos grandes momentos durante os Jogos de 2016. Os campeões da Liga das Américas da FIBA e da Liga dos Campeões de Basquete vão lutar e tentar criar suas próprias histórias. Também gostaria de expressar minha gratidão à cidade do Rio de Janeiro, à Confederação Brasileira de Basquete, à Liga Nacional de Basquete e ao clube anfitrião, o Flamengo, por sua colaboração”, disse o Secretário Geral da FIBA, Andreas Zagklis.

“Esse ano temos o prazer de confirmar a crescente grupo de equipes que competirá na Copa Intercontinental da FIBA no próximo mês. Além disso, a entrada dos campeões da NBA G-League para a Copa Intercontinental da FIBA é um sinal adicional da grande colaboração estabelecida pela FIBA e pela NBA através duma série de iniciativas em conjunto”, acrescentou Andreas Zaglikis.

O vice-comissário da NBA, Mark Tatum, comemorou a presença do campeão da NBA G-League na Copa Intercontinental.

San Lorenzo, atual campeão da Liga das Américas, estará na disputa. Crédito: Divulgação/FIBA

“Ter o Austin Spurs da NBA G League jogando na Copa Intercontinental da FIBA representa uma oportunidade fantástica, não apenas para que os jogadores demonstrarem suas habilidades de NBA, mas também para que a própria liga seja representada no cenário internacional”, disse Mark Tatum. “Estamos muito expectantes para este evento em fevereiro e agradecemos aos nossos parceiros da FIBA por esta colaboração única”, completou.

A última vez que a Copa Intercontinental aconteceu no Brasil foi em 2015. Na ocasião, o Bauru Basket, então campeão da Liga das Américas, mediu forças com o Real Madrid (ESP), dono do título da Euroliga daquele ano, no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo (SP), e ficou com o vice-campeonato.

AEK Atenas, da Grécia, é o atual campeão da Champions League da Europa. Crédito: Divulgação/AEKBC.gr

O único título brasileiro no torneio veio através do Flamengo, no ano anterior, em 2014. Na Jeunesse Arena, a equipe rubro-negra, que havia sido campeã da Liga das Américas daquele ano, contou com o apoio de sua para superar o Maccabi Tel-Aviv (ISR), campeão da Euroliga, e soltar o grito de campeão.

A última edição da Copa Intercontinental da FIBA aconteceu em San Cristóbal de la Laguna, Tenerife (ESP), em setembro de 2017, e teve como campeão o Iberostar Tenerife (Espanha) que, após uma vitória difícil por 76 a 71 contra os campeões da Liga das Américas, Guaros de Lara (Venezuela), sagrou-se campeão do torneio.

 

 

Calendário da Copa Intercontinental 2019*:

15/01 (Sexta-feira)

San Lorenzo (ARG) x AEK Atenas (GRE)

Flamengo x Austin Spurs (NBA G-League)

17/01 (Domingo)

Disputa de 3º lugar

Final

*Horários a definir

  • Publicado em Basquete

Bia vence a primeira no Australian Open e desafia número 2 do mundo

Em mais uma grande atuação, a tenista paulista Beatriz Haddad Maia estreou com vitória, na madrugada desta segunda-feira, na chave principal do Australian Open.

Bia bateu a norte-americana Bernarda Pera, 68o. do mundo, em 2 sets a 1, parciais de 6/3 5/7 6/4, em 2h22min de partida. “Foi muito bom hoje. Estava muito quente e consegui me manter bem forte de cabeça e acho que isso foi o diferencial. Pra menina era primeira rodada, ela estava um pouco mais nervosa. Em alguns momentos as duas oscilaram, mas faz parte”, analisou Bia, que antes havia vencido as três rodadas do qualifying.

Pela segunda rodada, a tenista número 1 do Brasil e 195o. do mundo terá um desafio pela frente: a alemã Angelique Kerber, número 2 do mundo, que passou pela eslovena Polona Hercog, por duplo 6/2. As duas canhotas se enfrentarão pela primeira vez.

“Contra a Kerber é ficar firme, manter meu jogo. Aproveitar o ritmo, já que já joguei contra uma canhota e continuar fazendo o meu jogo, não me preocupar com a minha adversária e, principalmente, acreditar em mim!”, afirmou a brasileira que tentará o feito inédito também de chegar à terceira rodada do Australian Open (no ano passado parou na segunda rodada).

  • Publicado em Tênis
Assinar este feed RSS