fbpx

Redação

Redação

Brasil fecha participação no mundial entre os 10 primeiros

Daiene Dias, Felipe Lima e Etiene Medeiros colocaram o Brasil no pódio neste domingo (15), último dia de Campeonato Mundial de Natação em piscina curta, que é realizado em Hangzhou, na China. O trio conquistou medalhas de bronze nos 100m borboleta, 50m peito e 50m livre, respectivamente. As medalhas de Etiene e Daiene foram as primeiras na história da Natação feminina em Mundiais em provas olímpicas. Com as conquistas deste último dia de torneio, o Brasil encerrou sua participação na competição na 9ª colocação no quadro de medalhas com dois ouros e seis bronzes.

Etiene Medeiros chegou à final dos 50m livre querendo deixar para trás os 50m e os 100m costas nos primeiros dias de competição. Com o terceiro melhor tempo da semifinal – que, inclusive, foi recorde sul-americano – de 23s82, a pernambucana caiu na água e não só baixou sua marca para 23s76, como conquistou mais uma medalha de bronze para o Brasil.

“Foi uma competição muito complicada, cheia de altos e baixos, então estou feliz de conseguir finalizá-la dessa forma. Foi uma prova difícil. Quando cheguei e vi o que tinha acontecido, quase não acreditei. Estou muito feliz”, falou a medalhista.

Nos 100m borboleta, Daiene Dias, que, assim como Etiene Medeiros, quebrou o recorde sul-americano da prova no último sábado – 56s40 - chegou a liderar a prova nos primeiros 50m, mas viu as americanas Kelsi Dahila e Kendyl Stewart tomarem a ponta. A brasileira, porém, não desistiu e manteve seu ritmo forte para garantir mais uma medalha para o Brasiil com o tempo de 56s31.

“Com certeza foi uma surpresa. Vim para cá querendo estar em uma final, mas, quando se tem uma raia, se tem uma chance. Fui atrás da minha e consegui. É uma grande vitória para a Natação feminina do Brasil”, falou Daiene.

Apenas com o oitavo tempo das eliminatórias, Felipe Lima melhorou seu desempenho para conquistar uma medalha no Mundial. Dos 26s01 da semifinal, o atleta da seleção brasileira nadou para 25s80 e garantiu mais uma medalha de bronze para o Brasil. João Gomes Júnior, também na final, obteve o sexto lugar, com o tempo de 26s02.

"Ontem, o meu objetivo era conseguir entrar na final e deu certo na raia 8, quase fiquei fora. Hoje vim para dar meu máximo e obtive minha melhor marca da vida. Estou muito feliz por conseguir essa medalha individual", falou Lima.

O revezamento 4x100m medley garantiu uma vaga na final com o segundo melhor tempo das eliminatórias (3m26s86). Do time inicial, formado por: Guilherme Guido, Diego Prado, Nicholas Santos e Breno Correia, apenas Prado foi substituído. Ele deu lugar a Felipe Lima. Na disputa por medalha, o Brasil terminou na quarta colocação com o tempo de 3m22s00.

Confira o desempenho dos brasileiros neste último dia de competição

50m livre feminino

Etiene Medeiros – bronze – 23s76

100m borboleta feminino

Daiene Dias – bronze – 56s31

50m peito

Felipe Lima – bronze – 25s80

João Gomes Júnior – 6º – 26s02

Revezamento 4x100m medley masculino

Brasil – 4º - 3m22s00

Argentina é campeã do Desafio Internacional de Beach Rugby

A praia de Ipanema, no Rio de Janeiro, mais uma vez foi palco para o Desafio Internacional de Beach Rugby,  realizado neste sábado (15). E a Argentina foi quem levou a melhor, tanto com os Pumas, no torneio masculino, quanto com as Pumitas, no feminino. Tupis e Yaras ficaram em segundo lugar, nos dois triangulares, com o Uruguai em terceiro.

“É claro que a gente sempre vem para vencer, mas também é muito importante desenvolver novos talentos. Nosso trabalho é de longo prazo e a renovação está em andamento. Tivemos momentos bem difíceis, onde elas puderam mostrar seu valor”, disse o técnico da Seleção Feminina, Reuben Samuel.

 Crédito: Luiz Pires/Fotojump

“Em cinco anos de torneio houve uma evolução no conceito que temos para essa disputa. Nos últimos dois anos, que comandei o time, tentei usar alguns critérios, como jogadores do sistema de alto rendimento que não jogaram tantos minutos na temporada, quais queremos dar experiência internacional, que a gente vê alguma projeção maior, além dos meninos do desenvolvimento. A gente fica satisfeito então com as pequenas vitórias dentro de campo, o esforço contra a Argentina e a vitória contra o Uruguai”, reforçou Fernando Portugal, técnico da Seleção Masculina.

Sob sol forte e sensação térmica de 40 graus, a arena de beach rugby recebeu um público animado e a bateria do Bradesco. E os primeiros jogos do dia levantaram a torcida, com o Brasil encarando o Uruguai. No masculino, vitória apertada dos Teros por 7 a 6. Já no feminino as Yaras levaram sem dificuldades, vencendo por 11 a 3.

Na sequência o Brasil encarou a Argentina e foi superado, tanto no masculino, quanto no feminino. Enquanto os Tupis foram caíram por 7 a 2, com dois tries de Estrela, as Yaras fizeram jogo foi bastante equilibrado, com as Pumitas levando a melhor por 7 a 5, com 4 tries de Bianca.

Nos confrontos entre os adversários, duas vitórias dos argentinos sobre os uruguaios: 9 a 4 no masculino e 7 a 3 no feminino.

Na segunda rodada do triangular, os Tupis cresceram e devolveram o placar contra o Uruguai, anotando 7 a 6, com mais dois tries de Estrela. Já as Yaras tiveram mais dificuldades, mas ganharam das uruguaias por 6 a 3, com Rafa Zanellato se destacando.

Diante dos Pumas, os Tupis novamente mostraram muita garra e fizeram jogo duro. A vitória foi dos argentinos, por 7 a 5, mas os brasileiros em nenhum momento baixaram a cabeça, chegando a marcar dois tries com um atleta a menos. Já as Yaras começaram bem contra as Pumistas, mas levaram a virada e caíram por 6 a 3.

Com mais duas vitórias sobre dos sobre os uruguaios, ambos os torneios tiveram a Argentina em primeiro lugar, o Brasil em segundo e o Uruguai em terceiro. O Desafio Internacional de Beach Rugby encerra a temporada 2018 do rugby brasileiro.

 

Resultados do Desafio Internacional de Beach Rugby

Masculino

Brasil 6 x 7 Uruguai

Uruguai 4 x 9 Argentina

Brasil 2 x 7 Argentina

Brasil 7 x 6 Uruguai

Uruguai 3 x 6 Argentina

Brasil 5 x 7 Argentina

Feminino

Brasil 11 x 3 Uruguai

Uruguai 3 x 7 Argentina

Brasil 5 x 7 Argentina

Brasil 6 x 3 Uruguai

Uruguai 0 x 9 Argentina

Brasil 3 x 6 Argentina

  • Publicado em Rugby

Nicholas Santos é bicampeão mundial nos 50m Borboleta

Nicholas Santos é, novamente, campeão Mundial de natação. Aos 38 anos, o atleta da seleção brasileira conquistou, neste sábado (15), no Centro Olímpico de Hangzhou, na China, o bicampeonato dos 50m borboleta. Nicholas também fez parte do revezamento 4x50m medley que conquistou a medalha de bronze neste sábado. Bronze também para Brandonn Almeida nos 400m medley. O dia também teve dois recordes sul-americanos para nadadoras brasileiras.

Recordista mundial dos 50m borboleta em piscina curta, Nicholas Santos chegou como um dos favoritos ao título da prova. Ele, que havia acabado de ajudar o revezamento 4x50m medley do Brasil a conquistar a medalha de bronze, voltou para a piscina minutos depois para confirmar seu nome no lugar mais alto do pódio com o tempo de 21s81. Aos 38 anos, Nicholas Santos é o atleta mais velho a conquistar medalhas em Campeonatos Mundiais.  

“Estou muito feliz. Confesso que estava um pouco preocupado, por conta da disputa do revezamento e todo protocolo que exige, mas consegui dar meu melhor e saí com mais uma medalha de ouro para o Brasil. Com 38 anos, nadei essas duas provas quase uma hora. Isso me deixa bastante contente”, disse.

O revezamento 4x50m medley garantiu sua classificação para a final com o melhor tempo das eliminatórias: 1m32s18. Da primeira formação (Guilherme Guido, Felipe Lima, Matheus Santana e Cesar Cielo), apenas Santana foi substituído por Nicholas Santos.

Na disputa pela medalha, a equipe de atletas experientes da seleção brasileira mostrou que ainda pode dar muito trabalho às outras equipes. Guilherme Guido, Felipe Lima, Nicholas Santos e Cesar Cielo, todos com mais de 30 anos e inúmeras conquistas na carreira, garantiram mais uma medalha de bronze para o Brasil: 1m31s49.

“Medalha importante para o time, que é um time de veteranos, e mostra que podemos chegar bem em Tóquio. Importante para mim também. Bati na trave duas vezes nos 50m e nos 100m costas, mas desta vez deu tudo certo e saímos com a medalha para o Brasil”, falou Guilherme Guido.

Nos 400m medley, Brandonn Almeida garantiu uma vaga na final com o segundo tempo (4m04s58). Na raia 5, o atleta da seleção seleção brasileira viu o japonês Daiya Seto disparar na frente. Ele, porém, que ficou um pouco atrás nos primeiros 200m metros, se recuperou para finalizar a prova com o tempo de 4m03s71 e garantir mais uma medalha para o Brasil.

“Sabia que o Seto está um pouco à frente dos demais, mas hoje vim para a piscina querendo muito esta medalha. Tinha que colocar todas as minhas forças nesta prova e deu certo. Consegui um bronze que vale muito para mim”, explicou Brandonn.

Nas semifinais deste sábado (15), Daiene Dias e Etiene Medeiros foram os grandes destaques. As duas estabeleceram os novos recordes sul-americanos dos 100m borboleta (56s40) e 50m livre (23s82), respectivamente. Com os tempos, as duas garantiram vagas nas finais que serão disputadas na manhã deste domingo (16), no horário brasileiro. Felipe Lima (26s91) e João Gomes Júnior (25s94) estão na disputa por medalha dos 50m peito. Marcelo Chierighini terminou os 100m livre com o 12º tempo (46s93).

Nas eliminatórias, realizadas na noite de sexta-feira (14), no horário brasileiro, apenas o integrante do quarteto campeão e recordista mundial dos 4x200m livre Leonardo Santos não avançou à final nos 400m medley. Ele terminou com o 15º tempo (4m08s93).

Com as três conquistas deste sábado, o Brasil chega a cinco medalhas na competição: duas de ouro e três de bronze.

Revezamento 4x50m medley masculino

Brasil – Bronze – 1m31s49

50m borboleta masculino

Nicholas Santos - ouro - 21s81

400m medley masculino

Brandonn Almeida - bronze - 4m03s71

Leonardo Santos – 15º - 4m08s93

100m borboleta feminino

Daiene Dias – na final – 56s40

100m livre masculino

Marcelo Chierighini – 12º - 46s93

50m livre feminino

Etiene Medeiros – na final – 23s82

50m peito

João Gomes Júnior – na final – 25s94

Felipe Lima – na final – 26s91

Brasil bate recorde mundial no revezamento 4x200m

Fernando Scheffer, Luiz Altamir, Leonardo Santos e Breno Correia, sem esquecer de Leonardo de Deus, entraram para a história nesta sexta-feira (14), em Hangzhou, na China. A equipe, que formou o revezamento 4x200m livre masculino não só garantiu a primeira medalha de ouro para o Brasil no Campeonato Mundial de Natação em piscina curta, como estabeleceu o novo recorde Mundial da prova. Esta é a primeira medalha de ouro da seleção brasileira na competição.

O Brasil se classificou para a final apenas com o sexto tempo. O quarteto inicial, formado por Fernando Scheffer, Luiz Altamir, Leonardo de Deus e Breno Correia, garantiu a raia 7 para o a Seleção no período da noite, no horário chinês. Para a final, Leonardo Santos entrou na vaga de Leonardo de Deus.

“Esse título e recorde mundial coloca a gente em evidência, mostrando que a nova geração está chegando. Chegamos para ficar. Estou muito feliz de estar com esses caras aqui. São a nova cara da Natação brasileira. Não estamos aqui à toa”, disse Leonardo Santos.

“Faz tempo que chegamos e esse título comprova isso. Colocamos nosso nome no papel e não vamos parar por aqui. Nossa meta é chegar em Tóquio para consolidar nosso nome entre os melhores do mundo”, explicou Fernando Scheffer.


O quarteto deu liga. Luiz Altamir iniciou seus 200m e terminou segundo lugar. Fernando Scheffer caiu na água e colocou o Brasil em primeiro lugar, sempre abaixo do recorde mundial da prova. Leonardo Santos manteve o ritmo forte da seleção brasileira, que perdeu posições para Rússia e China. Breno Correia, porém, tratou de colocar o Brasil no topo do pódio com o tempo de 6m46s81.

“Essa medalha mostra a dedicação de cada um aqui. Nós acordamos cedo, passamos por dificuldades, temos nossa vida em universidades também, suamos, choramos, somos seres humanos como qualquer pessoa e chegar aqui e conseguir levar o nome do Brasil ao topo do pódio é algo inexplicável”, contou Luiz Altamir.

“Nos firmamos no cenário mundial. Todos viram o que a gente pode fazer. Estamos entre os melhores. Agora, um passo de cada vez, vamos em busca do Mundial do ano que vem, depois Jogos Olímpicos, que é o nosso objetivo principal”, finalizou Breno Correia.

Guido a três centésimos da medalha

Guilherme Guido chegou à final dos 50m costas como um dos principais nomes da prova. Em uma disputa muito forte contra Evgeny Rylov (ouro 22s58), Ryan Murphy (prata 22s63) e Shane Ryan (22s76), Guilherme Guido terminou a disputa com o tempo de 22s79 e na quinta colocação.

“Tenho consciência que acertei minha prova. Foi uma disputa muito forte, com um nível técnico muito alto. Claro que fico um pouco chateado de não ter conseguido a medalha, mas feliz de estar brigando de igual para igual em uma final de Mundial. Vou com tudo para o revezamento amanhã”, explicou.

Cesar Cielo chegou à final de sua prova favorita como tempo de 21s06. Na disputa por medalha, o campeão olímpico nadou para 21s20 e ficou na sétima colocação. O campeão foi o russo Vladimir Morozov (20s33), a prata para o americano Caleb Dressel (20s54) e o bronze para o sul-africano Bradley Tandy (20s94). Um dos favoritos, Benjamin Proud foi desclassificado.

“Não consegui encaixar a prova como ontem. Fiz força e o corpo não respondeu como eu queria. Estou feliz de estar mais uma final nesse momento da minha carreira e agora vou focar nos revezamentos que faltam”, disse o campeão olímpico.

Estreante em Campeonatos Mundiais, Caio Pumputis esteve mais uma vez em uma disputa por medalha. Depois de conquistar o 5º lugar nos 200m medley, o atleta da seleção brasileira terminou os 100m quatro estilos com o tempo de 52s28 e na oitava colocação.

“Errei a virada do nado costas. Poderia ter conseguido um tempo melhor, mas estou feliz de participar de mais uma final. Este é meu primeiro Mundial absoluto e é um aprendizado grande”, contou o jovem nadador.

Recordista mundial dos 50m borboleta, Nicholas Santos está em mais uma final de Campeonato Mundial na carreira. O atleta da seleção brasileira, de 38 anos, garantiu um lugar na disputa decisiva com o tempo de 21s96. A prova será disputada na manhã deste sábado (de Brasília).

“Achei que meu desempenho foi bom. Nadei para 21s96 e amanhã espero estar na minha melhor forma. Temos o revezamento 4x50m medley, que tem chance de medalha, e o 50m borboleta também. Vamos com tudo. Quero o máximo de medalhas que podemos conseguir aqui”, falou o recordista mundial.

Também recordista mundial, mas nos 50m costas, Etiene Medeiros está fora da briga pelo tricampeonato mundial em piscina curta. Ela cometeu um erro na saída da prova e terminou a disputa com o 15º tempo na competição (26s91).

Nas eliminatórias desta sexta-feira, Matheus Santana não conseguiu avançar às semifinais dos 50m borboleta. Ele, na eliminatória, nadou para 23s08 e empatou com o finlandês Riku Poytakivi, mas, na série desempate, o europeu levou a melhor sobre o brasileiro e avançou às semifinais.

Veja o desempenho dos brasileiros nesta sexta-feira

100m medley masculino

Caio Pumputis – 8º - 52s28

50m borboleta masculino

Nicholas Santos – na final – 21s96

50m livre masculino

Cesar Cielo – 7º - 21s20

50m costas feminino

Etiene Medeiros – 15ª – 26s91

50m costas masculino

Guilherme Guido – 5º - 22s79

Revezamento 4x200m livre

Brasil – 6m46s81

Assinar este feed RSS