Com ouro Stefannie Koyama, Brasil conquista cinco medalhas em Tbilisi

O Brasil faturou medalhas em todas as categorias em disputa no primeiro dia do Grand Prix de Tbilisi. Foram cinco, sendo uma de ouro, duas de prata e duas de bronze. O destaque brasileiro foi, mais uma vez, Stefannie Koyama (48kg) que derrotou a ucraniana Maryna Cherniak na decisão por waza-ari e conquistou seu segundo ouro seguido em eventos do Circuito Mundial da Federação Internacional de Judô. Há três semanas, Koyama foi campeã do Grand Slam de Baku. Érika Miranda (52kg) e Rafaela Silva (57kg) também chegaram à decisão de suas categorias e ficaram com a prata. Phelipe Pelim (60kg) e Charles Chibana (66kg) conquistaram o bronze.

"Estou muito feliz em ter conquistado meu segundo ouro na terceira competição pela seleção brasileira. Obrigado a todos que torceram", disse Stefannie Koyama.

Para chegar à final, ela precisou fazer três lutas. Estreou com ippon sobre a britânica Kimberley Renicks. Depois passou pela francesa Melanie Clement por waza-ari e, na semifinal, conseguiu o ippon contra Taciana Cesar, brasileira que defende as cores da Guiné-Bissau. Na decisão, nova vitória por waza-ari contra Cherniak.

O Brasil esteve ainda em outras duas finais com Érika Miranda (52kg) e Rafaela Silva (57kg). A meio-leve passou por Chelsie Giles, da Grã Bretanha, por waza-ari e por Charline Van Snick, da Bélgica, no golden score depois de uma punição. Na decisão, acabou derrotada pela francesa Amandine Buchard por waza-ari e ficou com a prata.

Mesmo desempenho da campeã olímpica, Rafaela Silva, que venceu Khulan Tseregbaatar, da Mongólia, por dois waza-aris, e Natalia Golomidova, da Rússia, na semifinal por uma punição da adversária no golden score. Na decisão, acabou sofrendo uma chave de braço da russa Irina Zabludina e terminou na segunda colocação.

Um dos bronzes do dia veio com Phelipe Pelim (60kg) que se recuperou da derrota para Albert Oguzov, venceu Mehman Sadigov (AZE), na repescagem, e Mukhriddin Tilovov (UZB) na disputa de terceiro lugar para chegar ao pódio.

O outro bronze veio com Charles Chibana (66kg). Ele chegou até a semifinal depois de vencer Strahinja Bucic (SRB), Shalva Gazashvili (GEO) e Sergiu Oleinic (POR), mas acabou derrotado por Lasha Giunashvili (GEO). Na disputa de bronze, venceu Matej Poliak (SVK) por ippon. Nessa mesma categoria, Daniel Cargnin caiu nas oitavas de final e não chegou à disputa por medalhas. Confira as súmulas nos arquivos ao final do texto.

O Brasil terá mais quatro judocas em ação no Grand Prix de Tbilisi neste sábado, primeiro de abril: Victor Penalber (81kg), Mariana Silva (63kg), Yanka Pascoalino (63kg) e Maria Portela (70kg). No domingo, Gustavo Assis (90kg), Rafael Buzacarini (100kg), Luciano Corrêa (100kg), David Moura (+100kg) e Maria Suelen Altheman (+78kg) encerram a participação brasileira na Geórgia.

 

Medalhistas

Ouro

Stefannie Koyama (48kg/FPJUDO/E.C. Pinheiros/SP)

Prata

Érika Miranda (52kg/FGJ/Sogipa/RS)

Rafaela Silva (57kg/FJERJ/Instituto Reação/RJ)

Bronze

Phelipe Pelim (60kg/FPJUDO/E.C. Pinheiros/SP)

Charles Chibana (66kg/FPJUDO/E.C. Pinheiros/SP)

 

Sábado 01/04

Victor Penalber (81kg/FJERJ/Instituto Reação/RJ)

Mariana Silva (63kg/FMJ/Minas Tênis Clube/MG)

Yanka Pascoalino (63kg/FPJUDO/E.C. Pinheiros/SP)

Maria Portela (70kg/FGJ/Sogipa/RS)

 

Domingo 02/04

Gustavo Assis (90kg/FMJ/Minas Tênis Clube/MG)

Rafael Buzacarini (100kg/FPJUDO/Assoc. Vila Sônia/SP)

Luciano Corrêa (100kg/FMJ/Minas Tênis Clube/MG)

David Moura (+100kg/FJERJ/Instituto Reação/RJ)

Maria Suelen Altheman (+78kg/FPJUDO/E.C. Pinheiros/SP)  

Stefannie Koyama conquista ouro no Grand Slam de Baku

Stefannie Arissa Koyama, de apenas 21 anos, derrotou a sérvia Milica Nicolic e conquistou, nesta sexta-feira, 10, o ouro no Grand Slam de Baku, sua primeira medalha defendendo as cores do Brasil. Filha de mãe brasileira e pai japonês, a atleta nasceu na cidade de Gunma, no Japão, e chegou a disputar uma competição pela seleção japonesa. Neste ano, por indicação da comissão técnica, participou da Seletiva Tóquio 2020 – I Etapa e venceu a disputa, garantindo uma das três vagas no peso ligeiro (até 48kg). 

No último fim de semana, ela lutou o Aberto Europeu de Praga, mas foi derrotada logo na primeira luta. 

No Azerbaijão, por outro lado, Koyama conquistou a medalha de forma categórica vencendo por ippon suas três lutas antes da final – contra Aisha Gurbanli (AZE), Maryna Cherniak (UKR) e Taciana Lima (GBS). Na decisão, pontuou com dois waza-aris sobre Nicolic.

"Hoje fiz minha estreia em Grand Slam aqui em Baku e consegui conquistar o ouro. Estou muito feliz com essa medalha e agradeço a todos que torceram por mim", disse Koyama.

O Brasil ainda chegou a outras três disputas por bronze com Sarah Menezes (52kg), Gilmara Prudêncio (57kg) e Eric Takabatake (60kg). Sarah estreou com vitória contra Nazakat Azivova (AZE) por waza-ari. Nas quartas, foi para o golden score com Karolina Pienkowska (POL), que acabou sofrendo a terceira punição. Mas na semifinal contra a romena Alexandra-Larisa Florian, foi Sarah quem teve três punições. Na disputa do bronze, acabou sendo projetada por Anja Stangar, da Eslovênia, logo no começo da luta e não conseguiu reverter o resultado, terminando na quinta colocação.

História muito parecida com a de Eric Takabatake. Ele venceu Natig Gurbanli(AZE) por ippon e Yanislav Gerchev(BUL) graças a uma punição do adversário no golden score. Na semifinal, encarou mais de dois minutos de golden score contra Mukhriddin Tilovov (UZB) e acabou sofrendo a terceira punição. Na disputa do bronze, contra Orkhan Safarov, do Azerbaijão, foi imobilizado até o ippon.

A última disputa de medalha veio com Gilmara Prudêncio (57kg).  Ela passou por Gunel Bakirzada (AZE) na estreia por ippon, mas foi derrotada por Chen-Ling Lien (TPE) nas quartas-de-final. O ippon na repescagem contra Leyla Shahin (AZE) valeu a vaga na disputa de 3º lugar contra Julia Kowalczyk (POL). Mas a brasileira não conseguiu se impor ante a polonesa e acabou sofrendo o ippon.

No sábado (11), é a vez de Alex Pombo (73kg) e Eduardo Yudy Santos (81kg) lutarem a partir das seis da manhã, no horário de Brasília. As finais estão marcadas para começar às 10h. A FIJ transmite a competição ao vivo no portal www.ippon.tv. E os resultados serão divulgados em tempo real no twitter da CBJ, o @noticiascbj. 

No domingo, 12, Bruno Mendonça (90kg), Rafael Silva (+100kg), Samanta Soares (78kg), Melina Scardua (78kg) e Camila Yamakawa (+78kg) encerram a participação brasileira no torneio que distribui mil pontos no ranking mundial para o campeão, 700 para os vices, 500 para os terceiros e 360 para os quintos colocados. As súmulas desta sexta e as chaves de sábado.

Judô brasileiro começa Pan com 3 medalhas

O judô brasileiro começou muito bem a disputa dos Jogos Pan-Americanos Toronto 2015, faturando as três primeiras do Time Brasil na competição. E foi logo um pódio completo: ouro para Érika Miranda (52kg), prata para Felipe Kitadai (60kg) e bronze para Nathália Brigida (48kg). O primeiro lugar da atleta de Brasília, a mais experiente da equipe feminina aos 28 anos, foi histórico por dois motivos: foi a primeiro ouro do Brasil no Canadá e também o primeiro da categoria meio-leve feminina em Jogos Pan-Americanos. 

“Nem sabia desse tabu. Espero que essa seja a primeira de muitas medalhas que vão vir para a categoria. Serve para que todas as meninas que sejam do 52kg acreditem que a categoria é muito forte”, disse a duas vezes medalhista em Mundiais – prata no Rio 2013 e bronze em Chelyabinsk 2014. 

Tagged sob

Rafael Silva sofre lesão, David Moura é convocado

Rafael Silva sofreu uma lesão do tendão do músculo peitoral maior direito durante treino de força nesta segunda-feira, em São Paulo, e não poderá disputar os Jogos Pan-Americanos Toronto 2015. Para o lugar dele foi convocado David Moura, atual número 12 do mundo entre os pesados. Rafael Silva será submetido a um procedimento para reparação da lesão no próximo dia 30 de junho de 2015, conduzido pelo dr. Breno Schor, médico da Confederação Brasileira de Judô.

“Estou muito triste por não poder lutar os Jogos Pan-Americanos e defender as cores do meu País, mas estou tranquilo e certo de que voltarei mais forte. Agradeço as inúmeras mensagens de apoio e conto com a torcida de todos para retornar o mais rápido possível. Ficarei na torcida pelo sucesso do nosso time no Canadá”, afirmou Rafael.

Tagged sob

Atletas do Pan lideram a Seleção Brasileira no Super Desafio BRA de Judô em São José/SC

Contando com dois judocas da equipe Pan-Americana, a Seleção Brasileira de Judô encara nessa segunda-feira, 22, a Colômbia, no 2º Super Desafio BRA de Judô de 2015. Esse será o último torneio oficial de Maria Portela (70kg) e Alex Pombo (73kg) antes do embarque para Toronto, no Canadá. O Super Desafio BRA de Judô será realizado na Arena do Centro Multiuso de São José (SC), a partir das 18h, com transmissão ao vivo do SporTV. A entrada é gratuita.

Além de Maria e Alex, o Brasil mescla juventude e experiência com os atletas Eric Takabatake (60kg), Tamires Crude (57kg) e Eduardo Bettoni (90kg), comandados pelo técnico Mario Tsutsui. Já a Colômbia, do treinador Baudilio Hernandez, vem para o Super Desafio BRA com os judocas John Jairo Futtinico (60kg), Yadinis Amaris (57kg), Christopher Franco (73kg), Luisa Bonilla (70kg) e Pedro Castro (90kg).

Brasil vence Super Desafio BRA por 4 a 1 contra a Colômbia

Em mais um dia inspirado, a seleção brasileira de judô venceu pela segunda vez no ano o Super Desafio BRA, nesta segunda-feira, 22, em São José, Santa Catarina. O adversário desta edição foi a Colômbia, que veio com o seu time principal. Pra garantir o título, os brasileiros venceram quatro combates contra apenas um dos colombianos.

O ligeiro Eric Takabatake foi quem abriu caminho para a conquista com a primeira vitória do dia. Em luta equilibrada contra John Futtinico, Takabatake sofreu uma punição, ficando em desvantagem, mas conseguiu levar o adversário a ser punido duas vezes, o que garantiu a vitória ao brasileiro, estreante em Super Desafios.

Mayra Aguiar e Charles Chibana voltam à liderança do ranking mundial

A atualização do ranking mundial desta semana que teve a adição dos resultados do Grand Prix de Dusseldorf e descontou metade dos pontos do GP da Alemanha em 2014, trouxe duas boas notícias para o Brasil. Mesmo sem pisar no tatame, o meio leve Charles Chibana e a meio pesado Mayra Aguiar voltaram à liderança de suas categorias no ranking mundial. O feito dos atletas brasileiros ganha ainda mais importância porque apenas três países possuem dois atletas como tops em suas categorias: Brasil, Mongólia (os ligeiros Boldbaatar Ganbat e Urantsetseg Munkhbat) e Geórgia (o meio médio Avtandili Tchrikishvili e o médio Varlam Liparteliani).

“Estar bem posicionada no ranking é importante para sair de cabeça-de-chave nas principais competições do ano. Chegar à liderança, dá uma motivação extra para buscar resultados ainda melhores em 2015”, disse a campeã mundial, que está convocada para o Grand Prix de Samsun, na Turquia, que será disputado no último final de semana de março.

Começa nesta terça-feira o maior treinamento de campo do Brasil

Nos próximos dez dias a cidade de Saquarema, Região dos Lagos do Rio de Janeiro, receberá a nata do judô mundial para o Treinamento Internacional de Campo organizado pela Confederação Brasileira de Judô (CBJ) em parceria com o Comitê Olímpico do Brasil (COB). Seleções de 12 países dividirão os tatames com os atletas brasileiros no maior evento deste gênero realizado no Brasil e ficarão concentradas treinando no Centro de Desenvolvimento de Voleibol (CDV) até o dia sete de fevereiro.

A atividade contará com a presença de cerca de 200 atletas vindos de países tradicionais na modalidade como Japão, França, Itália, Holanda, Alemanha, Estados Unidos, além de novas forças como Portugal, Israel, Eslovênia, Líbano, Irlanda e Áustria. A delegação brasileira, naturalmente, será a maior em número de judocas, contando com 85 atletas – 61 da equipe sênior e 24 das categorias de base.

Assinar este feed RSS