fbpx

Italianos são bicampeões do Rei e Rainha do Mar

Italianos são bicampeões do Rei e Rainha do Mar Dario Verani cruza a linha de chegada levando o bicampeonato para Itália. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

O posto 6 na praia de Copacabana é o cantinho onde normalmente pela manhã, muitos atletas saem para nadar ou praticar stand up. Mas o canto olímpico também recebe os melhores do mundo da maratona aquática e viu a dupla italiana formada por Rachele Bruni e Dario Verani serem bicampeões do Rei e Rainha do Mar, competição que fecha o calendário na cidade maravilhosa.

“Essa é uma corrida dificil por ser muito curta. Começamos um pouco mais atrás e viemos recuperando na penúltima volta quando a Rachele conseguiu sair da água em primeiro e ai só acelerei para fechar para vencer e ficamos muitos felizes” – Comentou Dario sobre a vitória.

Ana Marcela Cunha que foi eleita a melhor nadadora do mundo chegou em quarto. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

Os italianos voltaram a vencer a competição neste ano. A primeira vez foi em 2016 no ano olímpico em que Raquele foi medalhista de prata e nadar onde conheciam o terreno, facilitou a vitória para eles.

“Fiquei muito feliz de ganhar o Rei e Rainha do Mar pela segunda vez. Está é uma competição muito bonita e disputada. As duplas que aqui estavam eram muitos fortes e fecho bem meu ano. Hoje à noite já volto para a Itália para as festas de fim de ano” – Diz Rachele.

Competidores nadavam 350 metros e corriam mais 50m nesta edição. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

Em segundo lugar, ficou a dupla holandesa formada por Esmee Vermeulen e Pepijn Smits e somente na terceira posição é que tivemos uma dupla brasileira com Vivi Jungblut e Guilherme Costa.

Ana Marcela Cunha que foi eleita a melhor nadadora do mundo na maratona aquática pela Fina e também pelo COB no prêmio olímpico ficou apenas na quarta posição junto com Colonese, mas saiu satisfeita com o seu rendimento.

“Desde o mundial de Abu-Dabi, venho com o pé no freio. Tive recentemente na ásia para receber o prêmio de melhor do mundo e as trocas de horário cansam bastante. Esse Rei e Rainha do Mar talvez foi o mais forte da história e fizemos o possível. Eu errei na segunda saída da água e tive que botar o Vitor para nadar mais, mas deu para embolar a chegada e foi por pouco. Ano que vem o meu objetivo é a seletiva para as olimpiadas e o mundial também”. Falou Ana Marcela no final.

Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

A competição

Cada dupla definia quem seria o primeiro a nadar na prova e enquanto a maioria das duplas optou por começar pela mulheres, os americanos começaram com Zane Grothe e a tática funcionou apenas na primeira volta onde ele saiu muito a frente das outras duplas.

Mas Megan Melgaard não conseguiu sustentar a liderança e foi logo alcançada pelas outras duplas e caíram para o último lugar de onde não saíram mais. Quem se deu bem nessa segunda volta foi Léo de Deus que deu lugar para Betina Lorscheitter que conseguiu administrar o ritmo e manter a liderança na terceira saída da água.

Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

Na quarta volta, quem saiu na frente foi Guilherme Costa com Victor Colonese na cola. Foi então que Ana Marcela começou a pressão para cima de Vivi Jungblut e ambas sairam juntas na volta seguinte.

Os homens voltaram para água e o italiano Dario Verani começou a se aproximar da liderança saindo em segundo e incomodando Victor Colonese. A liderança para eles foi acontecer somente na penúltima volta quando Rachele pasou Ana Marcela e deixou para Dario completar a prova em primeiro lugar.

Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ