Carnaval brasileiro encanta o público mas fica fora do pódio

Equipe Livre - Brasil Crédito imagem: Satiro Sodré/CBDA Equipe Livre - Brasil

Carnaval como o brasileiro ninguém faz. A nova Rotina Livre da Equipe sincronizado, que tinha a maior festa popular brasileira como tema, foi muito aplaudida pelo público que lotou as arquibancadas do Aquatic Center de Toronto inclusive pela homenagem feito ao Canadá exibindo sua folha símbolo na entrada. Com alto grau de dificuldade, e apresentando elementos facilmente reconhecidos como o Cristo Redentor feito por uma das gêmeas Feres e já feito por Lara Teixeira no dueto dos dos Jogos do Rio/2007, o time brasileiro marcou 82,9000 pontos e com a soma com a Rotina Técnica, deu quinta-feira passada, totalizou 163,7605 pontos. Mas não foi o suficiente para convencer a banca de juízes para tirar os EUA do pódio, bronze com 166,0351. Assim como no dueto, o Brasil terminou em 4º lugar. Desde 1999, o Brasil não deixava de trazer alguma medalha na bagagem.

 

- Gostamos do que fizemos aqui. Sabíamos que seria difícil recuperar a desvantagem frente às americanas, mas competimos com garra e apresentamos uma coreografia muito mais difícil e artística do que a delas. Mas o que importa é que queremos fazer história no nado e abrir caminho para as próximas gerações - disse Branca Feres. 

O time vencedor foi o do anfitrião Canadá, com 178,1094 pontos. O México voltou a se apresentar bem com uma coreografia bem humorada que fazia homenagens a palhaços, como os ídolos do país, Cantinflas e Chaves, garantindo a prata. O Brasil foi o sétimo dos oito países a se exibir, logo atrás do Canadá (quinto) e México (sexto). O maior adversário pelo bronze do Pan, os EUA, encerraram a competição. A quinta posição ficou com a Argentina, 155,3198.

- Estou muito feliz e encantada em ter competido aqui. E isto me dá mais bagagem pro Mundial de Kazan. Nossa coreografia tem muitos elementos difíceis, com alto grau de dificuldade e que requer mais tempo e entrosamento. E isto, nosso grupo tem, dentro e fora da piscina, uma torcendo pelas outras. Foi muito legal vir ao Pan e agora é melhorar ainda mais nossa performance. A Julie, nossa treinadora canadense, não gosta de coisas óbvias, prefere inova. Achei a rotina dos EUA muito "old fashioned", toda formal, sem novidades. Mas o nome pesa - resumiu Sabrine Lowe que fez sua estreia, depois de ter ficado na reserva na Rotina Técnica. Hoje, ela trocou de lugar pela caçula do grupo, Maria Clara Coutinho. Completam a equipe: Lara Teixeira, Branca Feres, Beatriz Feres, Duda Miccuci, Luisa Borges, Lorena Molinos e Maria Bruno.

Classificação: Ouro = Canadá - 178,1094 / Prata = México - 172,5073 / Bronze = EUA - 166,0351 / 4º Brasil - 163,7605. 

Raphael Oliveira

Raphael Oliveira, Carioca morador de Uberlândia desde 2011 pós-graduado em Jornalismo Esportivo pela Faculdades Integradas Hélio Alosno (FACHA-RJ), apaixonado por esportes fundador do site de notícias esportivas “Esportes de A a Z” onde se divide entre editor e fotógrafo, possui na currículo cobertura de eventos como Grand Slam de Judo, Mundial de Judo, Liga Mundial de Vôlei, Finais do NBB e Superliga de Vôlei, Mundial de Natação Paralímpica, NBA e UFC e Paralímpiadas Rio 2016.