fbpx

Raphael Oliveira

Raphael Oliveira

Raphael Oliveira, Carioca morador de Uberlândia desde 2011 pós-graduado em Jornalismo Esportivo pela Faculdades Integradas Hélio Alosno (FACHA-RJ), apaixonado por esportes fundador do site de notícias esportivas “Esportes de A a Z” onde se divide entre editor e fotógrafo, possui na currículo cobertura de eventos como Grand Slam de Judo, Mundial de Judo, Liga Mundial de Vôlei, Finais do NBB e Superliga de Vôlei, Mundial de Natação Paralímpica, NBA e UFC e Paralímpiadas Rio 2016.

URL do site:

Brasil conquista melhor resultado da história no Mundial de Duplas Mistas

Pedra a pedra, o Brasil comprovou esta semana a sua evolução no curling, na disputa do Mundial de Duplas Mistas, em Östersund, na Suécia. Com três vitórias em sete partidas, Aline Gonçalves e Marcio Cerquinho terminaram sua participação nesta quinta-feira, dia 26, em 17º lugar, melhor colocação do país na história. A parceria brasileira ficou bem perto de conseguir uma vaga entre os 16 melhores times e avançar para o mata-mata. A vaga escapou no critério de desempate do Draw Shot Challenge (também conhecido como Last Stone Draw), que é a média das distâncias dos lançamentos de cada país antes das partidas.

“Ficamos muito perto da classificação, em 17º lugar, e conseguimos pontos importantes para o Brasil no ranking de duplas mistas da WCF (World Curling Federation). Tínhamos chances de passar à próxima fase dependendo de uma combinação de resultados, e isso quase aconteceu. No geral, foi uma boa campanha”, disse Aline Gonçalves.

O Brasil ficou numa chave difícil na competição, enfrentando adversários da Alemanha, Áustria, Canadá, Coreia do Sul, Guiana, Irlanda do Norte e República Tcheca. Isso não impediu que Aline e Márcio derrotassem países com tradição nos esportes de inverno, com vitórias sobre os alemães (8 a 4), austríacos (8 a 5) e irlandeses (7 a 6).

O resultado mais emblemático, porém, foi contra o Canadá, país que lidera o ranking mundial de duplas mistas. O placar final foi de derrota por 7 a 5, mas os brasileiros chegaram ao último end à frente no marcador, num duelo muito equilibrado contra Laura Crocker e Kirk Muyres.

“Nós levamos muitas lições desse campeonato. Não há mais grupos fáceis. Tivemos momentos frustrantes, mas também mostramos que podemos jogar de igual para igual com as potências do esporte. Foi nosso primeiro ano juntos e, com mais experiência e mais jogos em condições similares, podemos achar nosso ritmo e desenvolver um sistema para progredir como dupla”, afirmou Aline.

O Campeonato Mundial de Duplas Mistas de Curling vai até o fim de semana em Östersund. É a 11ª edição do evento. O Brasil estreou em 2014 e, desde então, mostra evolução. Em 2014 e 2015, conquistou apenas uma vitória em cada edição do Mundial. Em 2016, venceu dois jogos. Em 2017, foram três triunfos e a 28ª colocação. Este ano, o país entra pela primeira vez no top 20 e mostra que está perto de mudar de patamar na modalidade.

O curling é um dos esportes de inverno mais populares do mundo. A disputa consiste no lançamento de pedras até o alvo do outro lado da pista. A fim de alterar a velocidade e a trajetória da pedra, os atletas usam vassouras para abrir caminho no gelo. As partidas de duplas são disputadas em oito ends (períodos) e cada time lança seis pedras. A cada end, as pedras mais próximas do centro do alvo valem pontos. No fim, vence quem tiver somado mais pontos no jogo.

Confira os resultados do Brasil no Mundial 2018:
21/4 (sábado): Brasil 1 x 6 República Tcheca
22/4 (domingo): Brasil 8 x 4 Alemanha
22/4 (domingo): Brasil 5 x 7 Canadá
23/4 (segunda-feira): Brasil 8 x 5 Áustría
24/4 (terça-feira): Brasil 2 x 10 Coreia do Sul
25/4 (quarta-feira): Brasil 3 x 6 Guiana
26/4 (quinta-feira): Brasil 7 x 6 Irlanda

  • Publicado em Curling

Brasil estreia neste sábado no Mundial de Duplas Mistas, na Suécia

O Brasil faz sua estreia neste sábado, dia 21, no Campeonato Mundial de Duplas Mistas de Curling, em Östersund, na Suécia. O país será representado na competição pela parceria formada por Aline Gonçalves e Marcio Cerquinho. O primeiro confronto está marcado para 15h de Brasília contra Zuzana Hajkova e Tomas Pau, da República Tcheca. O evento terá cobertura ao vivo no seguinte link:

www.youtube.com/worldcurlingtv

A dupla brasileira está no Grupo E do Mundial. Terá pela frente adversários da Alemanha, Áustria, Canadá, Coreia do Sul, Guiana, Irlanda do Norte e República Tcheca. As 16 melhores parcerias da fase de grupos avançam às oitavas de final. A partir daí, a disputa passa a ser em sistema de mata-mata. A competição vai até o próximo dia 28.

Essa é a 11ª edição do Campeonato Mundial. O Brasil estreou em 2014 e, desde então, jamais esteve ausente.

“Para o Brasil, este Mundial tem o potencial de representar uma consolidação do curling de duplas. É a quinta participação seguida. E houve uma evolução significativa entre a primeira, em 2014, e agora, 2018. Esperamos contribuir ainda mais para essa melhoria e levar o país mais longe na competição”, diz Aline Gonçalves.

Em 2014 e 2015, o Brasil conquistou uma vitória em cada edição do Mundial. Em 2016, venceu dois jogos e fez partidas equilibradas em seu grupo. Em 2017, foram três triunfos e por pouco não veio a classificação para as oitavas de final.

Os dois jogadores brasileiros já têm experiência prévia na competição. Aline vai jogar pela quarta vez (2014, 2015 e 2016). Marcio Cerquinho já esteve na disputa em 2017.

“Nossa expectativa é melhorar a campanha do ano passado, que é a melhor do Brasil até hoje em duplas mistas. Esperamos obter a quarta vitória, o que nos colocaria em boa posição para avançar aos playoffs. Faremos nosso melhor para que isso aconteça”, acrescenta Aline, que ao lado de Cerquinho conquistou no ano passado o título brasileiro de duplas mistas em Toronto, no Canadá.

A Suíça é a atual detentora do título mundial de duplas mistas de curling, com a parceria formada por Jenny Perret e Martin Rios. Nos Jogos Olímpicos de Inverno PyeongChang 2018, a medalha de ouro foi para os canadenses Kaitlyn Lawes e John Morris.

O curling é um dos esportes mais populares entre as modalidades de inverno. A disputa consiste no lançamento de pedras até o alvo do outro lado da pista. Para alterar a velocidade de deslocamento da pedra, os atletas usam vassouras a fim de diminuir o atrito com o gelo. As partidas de duplas são disputadas em oito ends (períodos) e cada time lança seis pedras. A cada end, as pedras mais próximas do centro do alvo valem pontos. No fim, vence quem tiver somado mais pontos no jogo.

Confira a tabela completa do Brasil na primeira fase do Mundial:

21/4 (sábado): Brasil x República Tcheca, 15h
22/4 (domingo): Brasil x Alemanha, 9h30
22/4 (domingo): Brasil x Canadá, 16h
23/4 (segunda-feira): Brasil x Áustría, 6h15
24/4 (terça-feira): Brasil x Coreia do Sul, 3h
25/4 (quarta-feira): Brasil x Guiana, 12h45
26/4 (quinta-feira): Brasil x Irlanda, 4h
Obs.: horários de Brasília

  • Publicado em Curling

O último ato da etapa de abertura da Volvo Ocean Race

Vestas 11th Hour Racing acelera rumo à Lisboa com vantagem e deve confirmar vitória neste sábado (28) na capital portuguesa. Disputa pelo pódio segue aberta com aproximação do Dongfeng Race Team.

O Vestas 11th Hour Racing deve confirmar a vitória da primeira etapa da Volvo Ocean Race, entre Alicante e Lisboa. O barco de Charlie Enright se mantém firme no topo praticamente de ponta a ponta do percurso de 1.450 milhas náuticas. A tendência é que o veleiro de bandeira dinamarquesa cruze a linha de chegada na madrugada deste sábado (28), horário de Brasília, manhã em Lisboa.

''Aqui todos estão pensando no final, mas ninguém está falando sobre isso ainda. Nós temos que fazer o nosso trabalho! Não podemos relaxar...temos que continuar navegando o mais rápido possível", disse o velejador Tom Johnson, do Vestas 11th Hour Racing.

A briga pelos outros lugares do pódio segue aberta. O espanhol MAPFRE se mantém em segundo lugar, mas sem poder respirar. O team AkzoNobel, da brasileira Martine Grael (foto), e agora o chinês Dongfeng Race Team apertam nas milhas finais.

"Há uma grande diferença entre os três primeiros e nós. Acho que a situação é complicada, mas podemos pegar ainda o terceiro'', escreveu no blog da Volvo Ocean Race o comandante do Dongfeng Charles Caudrilier.

''A nossa chance pra pegar os Vestas será na entrada de Lisboa, que sempre tem suas surpresas'', disse o espanhol Antonio 'Neti' Cuervas-Mons, do MAPFRE.

Frota segue firme rumo a Portugal

Após o susto das ultimas horas quando uma mangueira de tanque de lastro falhou, a equipe Vestas 11th Hour Racing segue firma para a "marca virtual", apelidado de Porto Santo Norte. É quase diretamente contra o vento, o que significa que as equipes deverão realizar alguns jibes até a marca, mas esta parte do Leg 1 está em grande parte configurando como um concurso de velocidade.

O MAPFRE não está facilitando o líder. Com uma configuração de vela diferente, a equipe espanhola conseguiu igualar a velocidade com o barco Vestas, enquanto navegava com uma direção ligeiramente mais favorável em direção à marca, ganhando cerca de 4 milhas entre as 07:00 e as 13:00 GMT. "As condições são bastante agradáveis", disse Rob Geenhalgh no MAPFRE. "20 nós de vento, e fazendo cerca de 20 nós de velocidade de barco, mas todos têm boas velocidades e bom vento agora ... Isso corre até o waypoint. Nós ficamos um pouco para o leste, esperando que possamos reduzir esse déficit para menos de 10 milhas pelo ponto de passagem ".

O barco AkzoNobel continua a ocupar o terceiro lugar, relativamente seguro em comparação com o pacote de perseguição, mas ainda incapaz de fazer incursões no par na frente. As posições no grupo de perseguição permanecem em fluxo. Menos de 10 milhas separam o quarto do sétimo lugar. "As sutilezas desses barcos são algo sobre o que ainda estamos trabalhando", disse Steve Hayles, o navegador de Sun Hung Kai / Scallywag. "Às vezes, somos rápidos, mas outras vezes, nosso ritmo está faltando. Mas uma oportunidade de correr duro contra times como Brunel e Dongfeng, equipes de segunda geração que já fizeram essa corrida antes, é uma ótima oportunidade para aprender".

Leg 1 - Relatório de Posição - Quinta-feira 26 de outubro (Dia 5) - 13:00 UTC

1. Vestas 11th Hour Racing - distância até o final - 572.0 milhas náuticas
2. MAPFRE + 12,2nm
3. AkzoNobel +13.3
4. Dongfeng Race Team +22.9
5. Sun Hung Kai / Scallywag +29,7
6. Team Brunel +32.7
7. Torne a Tide on Plastic +33.0

Assinar este feed RSS