fbpx

Brasil fecha participação no mundial entre os 10 primeiros

Daiene Dias, Felipe Lima e Etiene Medeiros colocaram o Brasil no pódio neste domingo (15), último dia de Campeonato Mundial de Natação em piscina curta, que é realizado em Hangzhou, na China. O trio conquistou medalhas de bronze nos 100m borboleta, 50m peito e 50m livre, respectivamente. As medalhas de Etiene e Daiene foram as primeiras na história da Natação feminina em Mundiais em provas olímpicas. Com as conquistas deste último dia de torneio, o Brasil encerrou sua participação na competição na 9ª colocação no quadro de medalhas com dois ouros e seis bronzes.

Etiene Medeiros chegou à final dos 50m livre querendo deixar para trás os 50m e os 100m costas nos primeiros dias de competição. Com o terceiro melhor tempo da semifinal – que, inclusive, foi recorde sul-americano – de 23s82, a pernambucana caiu na água e não só baixou sua marca para 23s76, como conquistou mais uma medalha de bronze para o Brasil.

“Foi uma competição muito complicada, cheia de altos e baixos, então estou feliz de conseguir finalizá-la dessa forma. Foi uma prova difícil. Quando cheguei e vi o que tinha acontecido, quase não acreditei. Estou muito feliz”, falou a medalhista.

Nos 100m borboleta, Daiene Dias, que, assim como Etiene Medeiros, quebrou o recorde sul-americano da prova no último sábado – 56s40 - chegou a liderar a prova nos primeiros 50m, mas viu as americanas Kelsi Dahila e Kendyl Stewart tomarem a ponta. A brasileira, porém, não desistiu e manteve seu ritmo forte para garantir mais uma medalha para o Brasiil com o tempo de 56s31.

“Com certeza foi uma surpresa. Vim para cá querendo estar em uma final, mas, quando se tem uma raia, se tem uma chance. Fui atrás da minha e consegui. É uma grande vitória para a Natação feminina do Brasil”, falou Daiene.

Apenas com o oitavo tempo das eliminatórias, Felipe Lima melhorou seu desempenho para conquistar uma medalha no Mundial. Dos 26s01 da semifinal, o atleta da seleção brasileira nadou para 25s80 e garantiu mais uma medalha de bronze para o Brasil. João Gomes Júnior, também na final, obteve o sexto lugar, com o tempo de 26s02.

"Ontem, o meu objetivo era conseguir entrar na final e deu certo na raia 8, quase fiquei fora. Hoje vim para dar meu máximo e obtive minha melhor marca da vida. Estou muito feliz por conseguir essa medalha individual", falou Lima.

O revezamento 4x100m medley garantiu uma vaga na final com o segundo melhor tempo das eliminatórias (3m26s86). Do time inicial, formado por: Guilherme Guido, Diego Prado, Nicholas Santos e Breno Correia, apenas Prado foi substituído. Ele deu lugar a Felipe Lima. Na disputa por medalha, o Brasil terminou na quarta colocação com o tempo de 3m22s00.

Confira o desempenho dos brasileiros neste último dia de competição

50m livre feminino

Etiene Medeiros – bronze – 23s76

100m borboleta feminino

Daiene Dias – bronze – 56s31

50m peito

Felipe Lima – bronze – 25s80

João Gomes Júnior – 6º – 26s02

Revezamento 4x100m medley masculino

Brasil – 4º - 3m22s00

Nicholas Santos é bicampeão mundial nos 50m Borboleta

Nicholas Santos é, novamente, campeão Mundial de natação. Aos 38 anos, o atleta da seleção brasileira conquistou, neste sábado (15), no Centro Olímpico de Hangzhou, na China, o bicampeonato dos 50m borboleta. Nicholas também fez parte do revezamento 4x50m medley que conquistou a medalha de bronze neste sábado. Bronze também para Brandonn Almeida nos 400m medley. O dia também teve dois recordes sul-americanos para nadadoras brasileiras.

Recordista mundial dos 50m borboleta em piscina curta, Nicholas Santos chegou como um dos favoritos ao título da prova. Ele, que havia acabado de ajudar o revezamento 4x50m medley do Brasil a conquistar a medalha de bronze, voltou para a piscina minutos depois para confirmar seu nome no lugar mais alto do pódio com o tempo de 21s81. Aos 38 anos, Nicholas Santos é o atleta mais velho a conquistar medalhas em Campeonatos Mundiais.  

“Estou muito feliz. Confesso que estava um pouco preocupado, por conta da disputa do revezamento e todo protocolo que exige, mas consegui dar meu melhor e saí com mais uma medalha de ouro para o Brasil. Com 38 anos, nadei essas duas provas quase uma hora. Isso me deixa bastante contente”, disse.

O revezamento 4x50m medley garantiu sua classificação para a final com o melhor tempo das eliminatórias: 1m32s18. Da primeira formação (Guilherme Guido, Felipe Lima, Matheus Santana e Cesar Cielo), apenas Santana foi substituído por Nicholas Santos.

Na disputa pela medalha, a equipe de atletas experientes da seleção brasileira mostrou que ainda pode dar muito trabalho às outras equipes. Guilherme Guido, Felipe Lima, Nicholas Santos e Cesar Cielo, todos com mais de 30 anos e inúmeras conquistas na carreira, garantiram mais uma medalha de bronze para o Brasil: 1m31s49.

“Medalha importante para o time, que é um time de veteranos, e mostra que podemos chegar bem em Tóquio. Importante para mim também. Bati na trave duas vezes nos 50m e nos 100m costas, mas desta vez deu tudo certo e saímos com a medalha para o Brasil”, falou Guilherme Guido.

Nos 400m medley, Brandonn Almeida garantiu uma vaga na final com o segundo tempo (4m04s58). Na raia 5, o atleta da seleção seleção brasileira viu o japonês Daiya Seto disparar na frente. Ele, porém, que ficou um pouco atrás nos primeiros 200m metros, se recuperou para finalizar a prova com o tempo de 4m03s71 e garantir mais uma medalha para o Brasil.

“Sabia que o Seto está um pouco à frente dos demais, mas hoje vim para a piscina querendo muito esta medalha. Tinha que colocar todas as minhas forças nesta prova e deu certo. Consegui um bronze que vale muito para mim”, explicou Brandonn.

Nas semifinais deste sábado (15), Daiene Dias e Etiene Medeiros foram os grandes destaques. As duas estabeleceram os novos recordes sul-americanos dos 100m borboleta (56s40) e 50m livre (23s82), respectivamente. Com os tempos, as duas garantiram vagas nas finais que serão disputadas na manhã deste domingo (16), no horário brasileiro. Felipe Lima (26s91) e João Gomes Júnior (25s94) estão na disputa por medalha dos 50m peito. Marcelo Chierighini terminou os 100m livre com o 12º tempo (46s93).

Nas eliminatórias, realizadas na noite de sexta-feira (14), no horário brasileiro, apenas o integrante do quarteto campeão e recordista mundial dos 4x200m livre Leonardo Santos não avançou à final nos 400m medley. Ele terminou com o 15º tempo (4m08s93).

Com as três conquistas deste sábado, o Brasil chega a cinco medalhas na competição: duas de ouro e três de bronze.

Revezamento 4x50m medley masculino

Brasil – Bronze – 1m31s49

50m borboleta masculino

Nicholas Santos - ouro - 21s81

400m medley masculino

Brandonn Almeida - bronze - 4m03s71

Leonardo Santos – 15º - 4m08s93

100m borboleta feminino

Daiene Dias – na final – 56s40

100m livre masculino

Marcelo Chierighini – 12º - 46s93

50m livre feminino

Etiene Medeiros – na final – 23s82

50m peito

João Gomes Júnior – na final – 25s94

Felipe Lima – na final – 26s91

Brasil bate recorde mundial no revezamento 4x200m

Fernando Scheffer, Luiz Altamir, Leonardo Santos e Breno Correia, sem esquecer de Leonardo de Deus, entraram para a história nesta sexta-feira (14), em Hangzhou, na China. A equipe, que formou o revezamento 4x200m livre masculino não só garantiu a primeira medalha de ouro para o Brasil no Campeonato Mundial de Natação em piscina curta, como estabeleceu o novo recorde Mundial da prova. Esta é a primeira medalha de ouro da seleção brasileira na competição.

O Brasil se classificou para a final apenas com o sexto tempo. O quarteto inicial, formado por Fernando Scheffer, Luiz Altamir, Leonardo de Deus e Breno Correia, garantiu a raia 7 para o a Seleção no período da noite, no horário chinês. Para a final, Leonardo Santos entrou na vaga de Leonardo de Deus.

“Esse título e recorde mundial coloca a gente em evidência, mostrando que a nova geração está chegando. Chegamos para ficar. Estou muito feliz de estar com esses caras aqui. São a nova cara da Natação brasileira. Não estamos aqui à toa”, disse Leonardo Santos.

“Faz tempo que chegamos e esse título comprova isso. Colocamos nosso nome no papel e não vamos parar por aqui. Nossa meta é chegar em Tóquio para consolidar nosso nome entre os melhores do mundo”, explicou Fernando Scheffer.


O quarteto deu liga. Luiz Altamir iniciou seus 200m e terminou segundo lugar. Fernando Scheffer caiu na água e colocou o Brasil em primeiro lugar, sempre abaixo do recorde mundial da prova. Leonardo Santos manteve o ritmo forte da seleção brasileira, que perdeu posições para Rússia e China. Breno Correia, porém, tratou de colocar o Brasil no topo do pódio com o tempo de 6m46s81.

“Essa medalha mostra a dedicação de cada um aqui. Nós acordamos cedo, passamos por dificuldades, temos nossa vida em universidades também, suamos, choramos, somos seres humanos como qualquer pessoa e chegar aqui e conseguir levar o nome do Brasil ao topo do pódio é algo inexplicável”, contou Luiz Altamir.

“Nos firmamos no cenário mundial. Todos viram o que a gente pode fazer. Estamos entre os melhores. Agora, um passo de cada vez, vamos em busca do Mundial do ano que vem, depois Jogos Olímpicos, que é o nosso objetivo principal”, finalizou Breno Correia.

Guido a três centésimos da medalha

Guilherme Guido chegou à final dos 50m costas como um dos principais nomes da prova. Em uma disputa muito forte contra Evgeny Rylov (ouro 22s58), Ryan Murphy (prata 22s63) e Shane Ryan (22s76), Guilherme Guido terminou a disputa com o tempo de 22s79 e na quinta colocação.

“Tenho consciência que acertei minha prova. Foi uma disputa muito forte, com um nível técnico muito alto. Claro que fico um pouco chateado de não ter conseguido a medalha, mas feliz de estar brigando de igual para igual em uma final de Mundial. Vou com tudo para o revezamento amanhã”, explicou.

Cesar Cielo chegou à final de sua prova favorita como tempo de 21s06. Na disputa por medalha, o campeão olímpico nadou para 21s20 e ficou na sétima colocação. O campeão foi o russo Vladimir Morozov (20s33), a prata para o americano Caleb Dressel (20s54) e o bronze para o sul-africano Bradley Tandy (20s94). Um dos favoritos, Benjamin Proud foi desclassificado.

“Não consegui encaixar a prova como ontem. Fiz força e o corpo não respondeu como eu queria. Estou feliz de estar mais uma final nesse momento da minha carreira e agora vou focar nos revezamentos que faltam”, disse o campeão olímpico.

Estreante em Campeonatos Mundiais, Caio Pumputis esteve mais uma vez em uma disputa por medalha. Depois de conquistar o 5º lugar nos 200m medley, o atleta da seleção brasileira terminou os 100m quatro estilos com o tempo de 52s28 e na oitava colocação.

“Errei a virada do nado costas. Poderia ter conseguido um tempo melhor, mas estou feliz de participar de mais uma final. Este é meu primeiro Mundial absoluto e é um aprendizado grande”, contou o jovem nadador.

Recordista mundial dos 50m borboleta, Nicholas Santos está em mais uma final de Campeonato Mundial na carreira. O atleta da seleção brasileira, de 38 anos, garantiu um lugar na disputa decisiva com o tempo de 21s96. A prova será disputada na manhã deste sábado (de Brasília).

“Achei que meu desempenho foi bom. Nadei para 21s96 e amanhã espero estar na minha melhor forma. Temos o revezamento 4x50m medley, que tem chance de medalha, e o 50m borboleta também. Vamos com tudo. Quero o máximo de medalhas que podemos conseguir aqui”, falou o recordista mundial.

Também recordista mundial, mas nos 50m costas, Etiene Medeiros está fora da briga pelo tricampeonato mundial em piscina curta. Ela cometeu um erro na saída da prova e terminou a disputa com o 15º tempo na competição (26s91).

Nas eliminatórias desta sexta-feira, Matheus Santana não conseguiu avançar às semifinais dos 50m borboleta. Ele, na eliminatória, nadou para 23s08 e empatou com o finlandês Riku Poytakivi, mas, na série desempate, o europeu levou a melhor sobre o brasileiro e avançou às semifinais.

Veja o desempenho dos brasileiros nesta sexta-feira

100m medley masculino

Caio Pumputis – 8º - 52s28

50m borboleta masculino

Nicholas Santos – na final – 21s96

50m livre masculino

Cesar Cielo – 7º - 21s20

50m costas feminino

Etiene Medeiros – 15ª – 26s91

50m costas masculino

Guilherme Guido – 5º - 22s79

Revezamento 4x200m livre

Brasil – 6m46s81

Brasil é tetracampeão no Raia Rápida

Bruno Fratus foi destaque ao derrotar o bicampeão olímpico Anthony Ervin. Crédito: Bruno Lopes/EAZ

 

Já virando tradição, o Raia Rápida foi disputado em uma manhã chuvosa no Maria Lenk, no Parque Olimpico e o Brasil conquistou o título mais uma vez sendo tetracampeão da competição. Disputado pela primeira vez com quarteto misto, Eitene Medeiros, Dayana de Paula, João Junior e Bruno Fratus se aproveitavam do fator casa e dominaram tanto no individual quanto no revezamento 4x50m medley.

A primeira a pular na água foi Etiene Medeiros no nado costas e ela conseguiu vencer todas as baterias disputando contra Hellen Moffitt que chegou muito perto.

Etiene Medeiros venceu todas as baterias e garantiu a vitória no estilo costas. Crédito: Bruno Lopes/EAZ

“Estou muito feliz de disputar o Raia Rápida que abriu as portas para as mulheres pela primeira vez. Costumo treinar com a Andrea da Argentina e foi boa a brincadeira hoje.” – Conta sobre a vitória

Já no estilo peito João Gomes Junior venceu numa disputa apertada contra o italiano Fabio Scozzoli

“Foi muito bom ter essa interação com as mulheres, já que em 2020, haverá a prova mista na competição. Viemos aqui para divertir o público e saio feliz com o resultado que obtivemos por aqui. ” – Conta.

Daynara de Paula fez seu melhor tempo do ano no estilo borboleta. Crédito: Bruno Lopes/EAZ

 

No borboleta, Daynara de Paula conseguiu obter seu melhor tempo do ano na segunda bateria com 26.44s, mas acabou sentindo o cansaço e não conseguiu vencer a americana Kendyl Stewart.

“Fazia tempo que não nadava nessa marca e estava precisando de uma marca dessas. Foi muito bom sentir a galera apoiando e será um gás para treinar bem rumo as olimpíadas de 2020” – Finaliza Daynara

A grande disputa estaria no estilo livre num duelo entre Bruno Fratus e Anthony Ervin, bicampeão olímpico. E o brasileiro conseguiu vencer todas as baterias.

“Essa competição é bem divertida e gostosa de participar. Essa minha fase quer dizer que estamos começamos a construir um bom ciclo olímpico e uma competição como essa é bom para ajudar a divulgar o esporte em nosso país” – Diz Bruno

João Gomes Junior larga para sua vitória no estilo peito. Crédito: Bruno Lopes/EAZ

E para finalizar o domínio brasileiro, no 4x50m medley, os brasileiros dominaram de ponta a ponta da prova e em mais uma disputa entre Fratus e Ervin que finalizou com o Brasil campeão do torneio.

Equipe do Brasil também dominou o revezamento 4x50m medley e faturou competição. Crédito: Bruno Lopes/EAZ

 .

Raia Rápida 2017 – Resultados

 

COSTAS  

1º - Etiene Medeiros (BRA) -28s

2º- Hellen Moffitt (EUA) – 28.74s

Andrea Berrino (ARG) – eliminada na 2º bateria

Elena Gemo (ITA) – Eliminada na 1º bateria

 

PEITO

1º - João Junior (BRA) – 27.25s

2º - Fabio Scozzoli (ITA) – 27.68s

Chuck Katis (EUA) – Eliminado na 2º bateria

Facundo Miguelena (ARG) – Eliminado na 1º bateria

 

BORBOLETA

1º - Kendyl Stewart (EUA) – 26.28s

2º - Daynara de Paula (BRA) – 26.76s

Elena Di Liddo (ITA) – Eliminada na 2º bateria

María Belén Díaz (ARG) – Eliminada na 1º bateria

 

LIVRE –

1º - Bruno Fratus (BRA) – 22,36s

2º - Anthony Ervin (EUA) – 22.64s

Lorenzo Benatti (ITA) eliminado na 2º bateria

Federico Grabich (ARG) – Eliminado na 1º bateria

 

REVEZAMENTO 4x50m medley

1º - Brasil – 1:45:53

2º - Estados Unidos – 1:46:53

3º - Itália – 1:46:67

4º- Argentina – 1:49:38s

 

PONTUAÇÃO TOTAL

1º - Brasil – 17 pontos

2º - Estados Unidos – 16 pontos

3º - Itália – 6 pontos

4º - Argentina– 5 pontos

 

Mais informações:

www.raiarapida.com.br

 

Atletas do Raia Rápida participam de clínica social e treinam na piscina do Maria Lenk

Desafio será neste domingo a partir das 10h. Crédito: Satiro Sodré

 

Foi dada a largada para o Desafio Raia Rápida 2017. Na manhã desta sexta-feira, dia 13, as equipes do Brasil, Argentina, Itália e Estados Unidos fizeram o primeiro treino na piscina do Parque Aquático Maria Lenk e ainda participaram de uma clínica com mais de 130 crianças dos projetos sociais da Baixada Fluminense, Bonsucesso, Costa Verde e Região dos Lagos. A interação aconteceu de forma teórica e prática.  

Após uma conversa no auditório com os grandes campeões Anthony Ervin, Bruno Fratus e Chuck Katis, as crianças puderam nadar, fazer perguntas e ouvir alguns ensinamentos do trio João Gomes Jr., Etiene Medeiros e Daynara de Paula. O Desafio Raia Rápida acontece neste domingo, dia 15 de outubro, com disputas emocionantes, individuais e por equipe, em provas de 50m. O evento conta com entrada gratuita e os portões serão abertos às 8h

“Foi uma manhã muito especial com as crianças. Tenho certeza que teremos uma grande competição no domingo. Serão provas rápidas, com ótimos nadadores e um formato muito empolgante. Teremos um evento muito especial com boas disputas”, declara o bicampeão olímpico, Anthony Ervin.

A ação reuniu os pequenos atletas do Centro Educacional Olga Benário Prestes, de Bonsucesso, do Colégio Colégio Estadual Artur Vargas, de Angra dos Reis, Golfinhos da Baixada e Projeto Monike Azevedo, da Região dos Lagos. João Gomes Júnior, medalha de prata no Mundial de Budapeste, ficou orgulhoso com a chance de ensinar a garotada na piscina do Maria Lenk. 

Esse tipo de ação é muito importante. Para eles é muito legal estar perto dos ídolos, das pessoas que eles assistem na televisão, mas acho que para mim é mais importante ainda. Sinto que estou deixando um legado para o esporte. É muito bom poder ajudar e ver essa criançada na água. Eles precisam saber que a natação é uma opção. Tenho certeza que com o esporte serão pessoas melhores. Foi um dia foi incrível, tão importante quanto domingo”, disse João Júnior, que apesar do clima festivo e de solidariedade, manteve a seriedade quando o assunto foi o Desafio deste domingo. 

Domingo é dia de bater na frente. A gente quer ganhar de novo. Estamos muito animados para empenhar um resultado positivo. É um formato muito diferente, divertido, mas é para valer. E a gente quer sair daqui no domingo com o primeiro lugar”, finaliza. 

A equipe verde e amarela, atual tricampeã do Desafio Raia Rápida, é formada por Etiene Mederios, Bruno Fratus, Daynara de Paula e João Gomes Jr.  No último Mundial de natação, João Júnior foi prata nos 50m peito. Etiene conquistou a medalha de ouro nos 50m costas, Bruno Fratus foi prata nos 50m livre e no revezamento 4x100m. Os resultados credenciam o time brasileiro ao lugar mais alto do pódio no Raia.  Além do time canarinho, EUA, Italia e Argentina garantirão muita emoção e disputas braçada a braçada.  A equipe americana trará Anthony Ervin (livre), bicampeão olímpico nos 50m livres. Já o destaque entre os hermanos é Federico Grabich (livre), um dos melhores atletas da história da natação argentina. Outro forte atleta é o italiano Fabio Scozzolli (peito).  

Foi uma experiência inesquecível. Não sei algum dia na minha vida eu vou ter essa chance novamente. Estar pertinho desses nadadores tão incríveis e tão importantes para a natação do mundo inteiro. Fiquei do lado do Bruno Fratus, consegui tirar fotos com todos eles. Além de ter nadado em uma piscina tão importante, realmente foi muito emocionante”, empolga-se Wesley Souza – Projeto CEAV Angra dos Reis

 

Formato da competição:

Cada país será representado por quatro atletas, que competirão em provas individuais e de revezamento, sempre nadando no seu melhor estilo (borboleta, costas, peito e livre). Os atletas disputam provas eliminatórias sempre na distância de 50m. Os últimos colocados de cada prova são eliminados da série seguinte, até que restem apenas dois nadadores para a final de cada modalidade.  Logo depois, os nadadores voltam à piscina para a segunda fase do desafio com um empolgante revezamento 4x50m medley.  A equipe com maior pontuação nas duas fases será a grande campeã.

 

Equipe Brasil:

Etiene Medeiros - costas

Daynara de Paula - borboleta

João Junior - peito

Bruno Fratus – livre

 

Equipe Itália:

Elena Gemo – costas

Elena Di Liddo - borboleta

Fabio Scozzoli - peito

Lorenzo Benatti – livre

 

Equipe Estados Unidos:

Hellen Moffitt - costas

Kendyl Stewart - borboleta

Chuck Katis - peito

Anthony Ervin – livre

 

Equipe Argentina:

Andrea Berrino - costas

María Belén Díaz - borboleta

Facundo Miguelena - peito

Federico Grabich – livre

Estados Unidos e Argentina confirmam presença no Desafio Raia Rápida

Disputa será neste domingo no Maria Lenk. Crédito: Bruno Lopes/EAZ

 

Feras da natação mundial participam neste domingo (15) do Desafio Raia Rápida, no Parque Aquático Maria Lenk. Os brasileiros Etiene Medeiros, Bruno Fratus e João Gomes Jr., além do italiano Fabio Scozzoli são alguns dos nomes mais badalados na competição. Além das estrelas já confirmadas, os times dos EUA e Argentina prometem belos confrontos dentro d´água. A equipe americana trará Anthony Ervin, bicampeão olímpico nos 50m livres. Já o destaque entre os hermanos é Federico Grabich, um dos melhores atletas da história da natação argentina. A disputa será no domingo, mas sexta-feira todos os atletas promoverão um treino aberto para a imprensa, além de participar de uma clínica de natação com crianças de projetos sociais. No domingo, os 16 nadadores competirão em provas individuais e por equipe nos 50m. Os brasileiros e americanos estiveram presentes em todas as edições desde 2012. Os italianos participam desde 2015, enquanto os argentinos farão sua estreia. Pela primeira vez, o Raia Rápida será disputado por homens e mulheres.

 

Time EUA

A sensação do momento é o americano Anthony Ervin, que conquistou o ouro nos Jogos Rio 2016 e repetiu o feito que havia conseguido em Sydney, nos Jogos Olímpicos de Sydney, em 2000, quando também venceu os 50m livres e ganhou a medalha de ouro. O experiente nadador dividirá a responsabilidade com Kendyl Stewart, bronze nos 100m borboleta no Pan-Pacífico de 2014. Hellen Moffitt é atual campeã mundial universitária dos 100m borboleta. Aos 22 anos, ela passa pelo melhor momento de sua carreira conseguindo pódios nas fortíssimas competições americanas e chegando a seleção dos Estados Unidos. No Raia Rápida, Hellen rencontrará Elena Di Liddo e Daynara de Paula, adversárias que venceu na Universíade. Chuck Katis, bronze nas 100 e 200m peito no NCAA (Campeonato Universitário Americano) em 2015, fecha a equipe dos Estados Unidos. Chuck idealizou uma organização sem fins lucrativos que leva mágicos para fazerem visitas e espalhar alegria para jovens pacientes com câncer. Ele começou o projeto em seu estado natal, Virgínia, e expandiu a ação para outros locais nos Estados Unidos. A equipe norte-americana lutará pelo bicampeonato no Desafio Raia Rápida.

 

Time Argentina

Participando pela primeira vez do Desafio, os argentinos tentarão surpreender os rivais. Com nadadores experientes e especialistas em seus estilos, eles virão dispostos a brigarem pelo título. Federico Grabich, do nado livre, é considerado um dos melhores atletas da história da natação argentina e já conquistou uma medalha de bronze nos 100m no Mundial de Kazan, em 2015. Já Andrea Berrino é uma grande conhecida do público brasileiro. Apesar de ser argentina, a nadadora, especialista em nado costas, compete no Brasil desde 2015 e inclusive venceu a prova dos 100m costas, no Troféu Maria Lenk, neste ano.

Completando a lista, Facundo Miguelena, nadador do estilo peito, é detentor de cinco recordes nacionais e também conquistou a medalha de bronze nos 100 e 200m no Sul-Americano de Mar del Plata, em 2014. E María Belén Díaz também é a atual recordista nos 50m borboleta, tanto em piscina curta, quanto longa. A atleta também é campeã sul-americana no revezamento 4x100m medley, em 2016, Assunção.

 

Formato da competição:

Cada país será representado por quatro atletas, que competirão em provas individuais e de revezamento, sempre nadando no seu melhor estilo (borboleta, costas, peito e livre). Os atletas disputam provas eliminatórias sempre na distância de 50m. Os últimos colocados de cada prova são eliminados da série seguinte até que restem apenas dois nadadores para a final de cada modalidade.  Logo depois, os nadadores voltam à piscina para a segunda fase do desafio com um empolgante revezamento 4x50m medley.  A equipe com maior pontuação nas duas fases será a grande campeã.

 

Equipe Brasil:

Etiene Medeiros - costas

Daynara de Paula - borboleta

João Junior - peito

Bruno Fratus – livre

 

Equipe Itália:

Elena Gemo – costas

Elena Di Liddo - borboleta

Fabio Scozzoli - peito

Lorenzo Benatti – livre

 

Equipe Estados Unidos:

Hellen Moffitt - costas

Kendyl Stewart - borboleta

Anthony Ervin - livre

Chuck Katis - peito

 

Equipe Argentina:

Andrea Berrino - costas

María Belén Díaz - borboleta

Facundo Miguelena - peito

Federico Grabich – livre

Palco do Raia Rápida reúne estrelas da natação e crianças de projetos sociais na sexta-feira, 13 de outubro

ão, que contará com mais de 130 crianças, acontece às 9h30, no Maria Lenk. Na sequência, atletas participam de treino aberto à imprensa. Crédito: Bruno Lopes/EAZ

 

O Parque Aquático Maria Lenk receberá, no próximo dia 15, grandes estrelas da natação nacional e internacional. Nomes como Etiene Medeiros (BRA), Bruno Fratus (BRA), Anthony Ervin (EUA) e Fabio Scozzoli (ITA) estão confirmados nas emocionantes disputas de 50m nado livre, costas, peito e borboleta. Mas, antes disso, na sexta-feira (13), os atletas participarão de uma ação social com crianças do Centro Educacional Olga Benário Prestes, de Bonsucesso, do Colégio Colégio Estadual Artur Vargas, de Angra dos Reis, e dos projetos sociais de natação como os o Golfinhos da Baixada e o Projeto Monike Azevedo. Além de treinarem e interagirem com as crianças através de uma clínica e uma palestra no auditório, os atletas, logo na sequência, farão um treino oficial aberto à imprensa e concederão entrevistas a partir de 11h (as atividades com as crianças iniciarão às 9h30).

Já no domingo a disputa é para valer. Brasil, Estados Unidos, Argentina e Itália entrarão na água em busca do título do Desafio Raia Rápida. Dois homens e duas mulheres de cada país disputarão provas de 50m de nado livre, costas, borboleta e peito. O Brasil, que será representado por Etiene Medeiros, Bruno Fratus, João Gomes Júnior e Daynara de Paula disputará o tetracampeonato da competição.  A entrada para o público é gratuita, mas quem estiver disposto a ajudar poderá levar uma lata de leite em pó que será doada ao Instituto Pró Criança Cardíaca.

 

Programação Desafio Raia Rápida

 

6ª FEIRA – 13/10

 

9h30 - Ação social com jovens do Centro Educacional Olga Benário Prestes e Colégio Estadual Artur Vargas e dos projeto sociais Monike Azevedo, Golfinhos da Baixada

11h  - Entrevistas + Treino Aberto

 

DOMINGO – 15/10

Desafio Raia Rápida - a partir das 9h

 

Formato da competição:

Cada país será representado por quatro atletas, que competirão em provas individuais e de revezamento, sempre nadando no seu melhor estilo (borboleta, costas, peito e livre). Os atletas disputam provas eliminatórias sempre na distância de 50m. Os últimos colocados de cada prova são eliminados da série seguinte até que restem apenas dois nadadores para a final de cada modalidade.  Logo depois, os nadadores voltam à piscina para a segunda fase do desafio com um empolgante revezamento 4x50m medley.  A equipe com maior pontuação nas duas fases será a grande campeã. Os homens disputarão as provas de nado livre e peito. Mulheres competirão no costas e borboleta.

Desafio Raia Rápida confirma a 6ª edição com grande novidade: o desafio agora é misto

 Raia Rápida acontece dia 15 de outubro, no Parque Aquático Maria Lenk (RJ). Crédito: Bruno Lopes/EAZ

 

Em sua sexta edição, o Desafio Raia Rápida, apresentado por Shell, Lei de Incentivo ao Esporte e patrocinado por Piraquê, apresenta os representantes do Brasil na competição. O evento, que já se tornou um dos grandes acontecimentos da natação mundial e que conta com disputas emocionantes nos 50m, individuais e por equipe, terá uma equipe brasileira embalada pelas recentes conquistas no Campeonato Mundial de Budapeste, na Hungria. Etiene Medeiros, Bruno Fratus, João Junior e Daynara de Paula são os nomes que tentarão alcançar o tetracampeonato. O Raia Rápida acontece dia 15 de outubro, no Parque Aquático Maria Lenk (RJ). Além do Brasil, três outros países importantes para a natação mundial ainda serão anunciados para o Desafio, garantindo muita emoção e disputa braçada a braçada.

"É um evento muito diferenciado. Estou muito empolgada pelo convite, nossa equipe está muito motivada, estamos vindo fortes e dispostos a dar o máximo para que seja uma ótima competição e que o público se divirta", declara Etiene.

Atual tricampeão, o quarteto brasileiro tentará manter o título em provas nas modalidades costas, peito, borboleta e livre. No último Mundial, realizado em piscina longa, em Budapeste, Etiene Medeiros conquistou a medalha de ouro nos 50m costas, Bruno Fratus conquistou a prata nos 50m livres e no revezamento 4x100m livre, 

"O Raia Rápida é um evento com formato único e extremamente atrativo para a torcida, torna a natação um esporte ainda mais emocionante! Representar a Equipe Brasil nessa disputa é empolgante! Com a adição de provas mistas até mesmo no programa Olímpico, disputas nesse formato são uma realidade no nosso esporte e se tornarão cada vez mais populares", empolga-se Bruno Fratus.

Além dos dois medalhistas, João Gomes Jr. chegará forte ao evento. No Mundial de Budapeste ele conquistou medalha de prata nos 50m peito com o recorde das Américas.

"Eu adoro participar do Raia Rápida. O evento tem um formato muito legal e dinâmico. Antigamente eram quatro homens, com provas de 50, então é uma prova mais rápida. E agora com o novo formato, junto com as mulheres, será muito desafiador, vai ser muito interessante. Estou muito empolgado para competir com elas", explica João Gomes Jr.

 

Formato da competição:

Cada país será representado por quatro atletas, que competirão em provas individuais e de revezamento, sempre nadando no seu melhor estilo (borboleta, costas, peito e livre). Os atletas disputam provas eliminatórias sempre na distância de 50m. Os últimos colocados de cada prova são eliminados da série seguinte, até que restem apenas dois nadadores para a final de cada modalidade.  Logo depois, os nadadores voltam à piscina para a segunda fase do desafio com um empolgante revezamento 4x50m medley.  A equipe com maior pontuação nas duas fases será a grande campeã.

  

Equipe Brasil no Raia Rápida 2017:

Etiene Medeiros - costas

Daynara de Paula - borboleta

João Junior - peito

Bruno Fratus – livre

Brasil é tricampeão no Desafio Raia Rápida

Time brasileiro formado por Henrique Rodrigues, João Gomes jr, Henrique Martins e Bruno Fratus foi tricampeão da competição. Crédito: Bruno Lopes/Esportes de A à Z

A edição de 2016 do Raia Rápida mudou de casa, mas continuou com o Brasil sendo campeão. A equipe formada por Henrique Rodrigues, João Gomes Jr, Henrique Martins e Bruno Fratus se sagrou tricampeã ao vencer a última competição a ser realizada no parque aquático e que contou com a presença do campeão dos 50m rasos nas olimpíadas, o americano Anthony Irvin. 

“É muito bom voltar ao Rio de Janeiro para competir no Raia Rápida. Eu já tinha planejado voltar para o evento antes mesmo de disputar os Jogos Olímpicos. Eu gostei bastante daqui... desde a primeira vez que vim há três anos. Foi uma experiência incrível, com uma vibração positiva muito grande. Foi a minha primeira prova depois dos jogos onde ganhei o ouro nesta mesma piscina e agora estou disposto a sonhar em voltar aos jogos daqui há quatro anos. ” – Conta Anthony Irvin que venceu a prova dos 50m rasos disputando a final contra Bruno Fratus.

Americano Anthony Irvin venceu novamente no mesmo palco das olimpíadas. Crédito: Bruno Lopes/Esportes de A à Z

Nas provas individuais que fazem parte da competição, O Brasil foi campeão no nado com João Gomes Junior no nado peito e com Henrique Martins no nado borboleta, o que ajudou o país a ficar com mais pontos.

“Hoje é um dia importante para natação brasileira e se tivemos uma oportunidade de divulgar o esporte para as crianças para ajudar elas a virem a praticar a natação e para o público que é muito mais importante que o resultado em si da competição. Foi bom aproveitar essas águas olímpicas e agora só teremos oportunidades daqui há quatro anos em Tóquio. ” – Diz Bruno Fratus.

Bruno Fratus comemora vitória do Brasil no Revezamento 4x50m. Crédito: Bruno Lopes/Esportes de A à Z

No revezamento 4x50 que valia o dobro dos pontos, O Brasil dominou a prova de ponta a ponta e não deu chance para a equipe da África do Sul que chegou em segundo, seguido dos americanos e dos italianos

 

Raia Rápida 2016 – Resultados

 

COSTAS – Final individual (homem a homem)

1º - Gehard Zandberg (AFS) – 25:54

2º - Simoni Sabbioni (ITA) – 25:63

Henrique Rodrigues (BRA) eliminado na 2ª bateria

Eugene Godsoe (EUA) eliminado na 1ª bateria

Largada do nado costas. Crédito: Bruno Lopes/Esportes de A à Z

 

PEITO – Final individual (homem a homem)

1º - João Gomes Junior (BRA) – 27:09

2º - Giulio Zorzi (AFS) – 27:52

Fabio Scozzoli (ITA) eliminado na 2ª bateria

Mike Alexandrov (EUA) eliminado na 1ª bateria

 

BORBOLETA – Final individual (homem a homem)

1º - Henrique Martins (BRA) – 23.34

2º - Tim Phillips (EUA) – 23:66

Roland Schoeman (AFS) eliminado na 2ª bateria

Daniele D'Angeli (ITA) eliminado na 1ª bateria

 

LIVRE – Final individual (homem a homem)

1º - Anthony Ervin (EUA) – 22:32

2º - Bruno Fratus (BRA) – 22:63

Douglas Erasmus (AFS) eliminado na 2ª bateria

Mirco Di Tora (ITA) eliminado na 1ª bateria

 

REVEZAMENTO 4x50m medley

1º - Brasil – 1:38:43

2º - África do Sul – 1:39:88

3º - Estados Unidos – 1:40:49

4º - Itália – 1:41:22

 

PONTUAÇÃO TOTAL

1º - Brasil – 15 pontos

2º - África do Sul – 11 pontos

3º - Estados Unidos – 7 pontos

4º - Itália – 3 pontos

 

 

Mais informações:

www.raiarapida.com.br

 

Equipes definidas para a disputa do Raia Rápida

Parque Aquático receberá alguns dos melhores nadadores do mundo no Raia Rápida. Crédito: Ricardo Erlich/Esportes de A à Z

 

O desafio Raia Rápida será entre os dias 24 e 25 de setembro no Parque Aquático dentro do Parque Olímpico. A disputa será eliminatório como nos anos anteriores onde a cada rodada, um atleta é eliminado até definir o campeão individual e a competição fecha com o revezamento 4x50m que vale bastante pontos para cada país participante.

Este ano, a disputa será entre Brasil, último bicampeão do desafio, Estados Unidos que conta com o campeão olímpico Anthony Ervin, África do Sul e Itália que buscam um título inédito na competição.

Conheça o perfil de cada atleta que irá competir este ano.

 

Perfil dos atletas - BRASIL 

Bruno Fratus – 27 anos – Rio de Janeiro – nado livre

Bruno Fratus é um dos destaques do time brasileiro. Crédito: Gilvan de Souza

Especialista em nado livre, Bruno é um dos principais nadadores do Brasil. Participou de duas edições de Jogos Olímpicos: em Londres 2012, terminou em quarto lugar nos 50m livre, e nos Jogos Rio 2016, ficou com a sexta colocação na mesma modalidade. 

É recordista Sul-americano dos 4x50m livre, com o tempo de 1m26s42, obtido em 7 de maio de 2009, junto com César Cielo, Nicholas Santos e Fernando Silva. No Campeonato Pan-Pacífico de Natação de 2014 (Gold Coast, Austrália), Fratus participou do revezamento brasileiro dos 4x100m livre. Ao lado de João de Lucca, Marcelo Chierighini e Nicolas Oliveira, conquistaram a primeira medalha do Brasil nesta competição: bronze.

Bruno foi o capitão da equipe brasileira que disputou a primeira edição do Raia Rápida, em 2013.

Guilherme Guido – 29 anos – São Paulo – costas

Especialista em nado costas, Guido é atleta do Clube Pinheiros desde os 15 anos, quando começou a competir profissionalmente. Participou de duas edições de Jogos Olímpicos: Pequim-2008 e Rio-2016. Em sua segunda participação, este ano, chegou às semifinais dos 100m costas e terminou em sexto no revezamento 4x100 medley. Atualmente, detém seis recordes sul-americanos, o último conquistado em abril deste ano, no Paraguai.

Integrou a equipe brasileira campeã da edição de 2014 do Raia Rápida.

João Gomes Jr – 30 anos – Espírito Santo – peito

Especialista em nado peito, João é atleta do Clube Pinheiros. Sua estreia em Jogos Olímpicos foi no Rio 2016 com um quinto lugar nos 100m peito e a sexta colocação no revezamento 4x100 medley. Não conseguiu a vaga para Londres 2012 por muito pouco. Foi finalista dos 50m peito nos Mundiais de Barcelona-2013 e Roma-2009. Tentou ser jogador de futebol no Espírito Santo, quando ainda era criança, mas não se destacou. Foi aí que descobriu a natação e afirma que virou um vício. Deu uma pausa de quatro anos na carreira para se formar em Sistema de Informação. Não se vê atuando na educação física como a maioria dos atletas.

Representou o Brasil na segunda edição do Raia Rápida, em 2013.

Henrique Martins – 24 anos – São Paulo – borboleta

Especialista no nado borboleta, Henrique participou dos Jogos Olímpicos Rio 2016 -  21º colocado nos 100m borboleta e sexto lugar no revezamento 4x100 medley. Aos 10 anos ele sofria com dores no peito quando realizava exercícios e, por uma indicação médica, entrou na natação. O pai e o irmão começaram a nadar para incentivá-lo. Passou por diversos clubes como Clube Regatas, Círculo Militar e Pinheiros. Treinou na Itália e nos Estados Unidos antes de chegar ao Minas Tênis Clube, seu clube atual. Henrique tem como especialidade os 100m borboleta, prova que vem representando o Brasil em diversas competições.

 

TIME EUA:

Anthony Ervin Burbank (livre) - 35 anos, 1.91m, 75 kg

Campeão olímpico dos 50m livre em Sydney-2000 e no Rio-2016 e com o revezamento 4x100m livre no Rio-2016 e medalha de prata com o revezamento 4x100m livre em Sydney-2000. Campeão mundial dos 50m e 100m livre em Fukuoka-2001 e medalha de prata com o revezamento 4x100m livre em Barcelona-2013. Medalha de prata no Pan-Pacífico nos 50m livre em Yokohama-2002 e em Gold Coast-2014. Curiosidade: Ao vencer a final dos 50m livre no Rio-2016 tornou-se o nadador mais velho a vencer uma prova em Jogos Olímpicos, superando Michael Phelps que havia conquistado o feito cinco dias antes.

 

Eugene Godsoe (costas) Greensboro, 28 anos, 1.88m, 77 kg

Vice-campeão mundial nos 50m borboleta em Barcelona-2013. Vice-campeão mundial nos 50m costas e com o revezamento 4x100m medley em Doha-2014. Vice-campeão pan-americano nos 100m costas e 100m borboleta em Guadalajara-2011 e bronze nos 100m costas em Toronto-2015. Curiosidades: Apaixonado por música, Godsoe toca piano e canta. Ele chegou a ter uma banda chamada “Take your marks” e atualmente faz carreira solo, postando sempre na internet seus novos sons.

 

Mike Alexandrov Sofia (peito) - (Bulgária), 31 anos, 1.93 m, 91 kg

Campeão mundial em piscina curta com o revezamento 4x100m medley em Dubai-2010. Campeão dos 100m e 200m peito no The Duel in The Pool em 2009. Finalista nos 100m peito no Mundial de Melbourne-2007. Campeão

americano dos 100m peito em 2010. Curiosidade: Nasceu na Bulgária e competiu pelo país nos Jogos Olímpicos de 2004 e 2008. Como tinha dupla cidadania, em 2009 optou por representar os Estados Unidos. Alexandrov já treinou com o renomado Dave Salo e estrelas como os campeões olímpicos Kosuke Kitajima e Oussama Mellouli.

 

Tim Phillips (borboleta) -  Haimhausen, Alemanha, 25 anos, 1.80m, 93 kg

Campeão mundial com o revezamento 4x100m medley em Kazan-2015. Campeão universitário nos 50m e 100m borboleta e com os revezamentos 4x100m livre e vice-campeão com o revezamento 4x100m medley em Shen zhen-2011. Medalhista de bronze nos 100m borboleta no Mundial Júnior de Monterrey-2008. Curiosidade: Nascido na Alemanha, Phillips é um aficionado por esportes tendo praticado quando mais jovem futebol e golfe. Nas horas vagas tem como hobby pedalar e jogar futebol com os amigos.

TIME ÁFRICA DO SUL:

 

Gerhard Zandberg (costas) – Pretória – 33 anos, 2.04m, 100kg

Campeão mundial dos 50m costas em Melbourne-2007 e bronze em Barcelona-2003, Roma-2009 e Xangai-2011. Campeão dos Jogos da Comunidade Britânica com o revezamento 4x100m livre em Melbourne-2006. Medalha de bronze nos 50m costas no Campeonato Mundial de piscina curta em Manchester-2008.

Curiosidade: Zandberg é um dos sete nadadores em toda a história a ter quatro medalhas na mesma prova em Campeonatos Mundiais de Esportes Aquáticos.

 

 

Giulio Zorzi (peito) – Johanesburgo – 27 anos, 1.90m, 85kg

Medalhista de bronze nos 50m peito no Campeonato Mundial de Barcelona-2013. Campeão mundial universitário nos 50m peito em Kazan-2013.

Curiosidade: Quando jovem, Zorzi começou a treinar com Cameron Van Der Burgh, de quem se tornou um grande amigo. No Campeonato Mundial de Barcelona, em 2013, foi uma surpresa ao conquistar a medalha de bronze nos 50m peito. Ouviu o hino nacional abraçado ao seu amigo Van Der Burgh, que venceu a prova na ocasião.

 

Roland Schoeman (Borboleta) – Pretória – 36 anos, 1.90m, 84kg

Campeão olímpico com o revezamento 4x100m livre, vice-campeão nos 100m livre e bronze nos 50m livre em Atenas-2004. Campeão mundial dos 50m livre e 50m borboleta em Montreal-2005 e dos 50m borboleta em Melbourne-2007.

Curiosidade: além da velocidade, Schoeman também se destaca pelo carisma. Em 2001, conquistou a primeira medalha da África do Sul em Campeonatos Mundiais de Esportes Aquáticos. Mas conquistou o público ao aparecer com uma touca de banho antes de uma de suas provas, e ao imitar um samurai ao ser apresentado em outra prova.

 

Doug Erasmus (livre) – Durban – 24 anos – 1,84m, 76kg

Campeão dos Jogos da África nos 50m livre e com o revezamento 4x100m livre em Brazzaville-2015. Semifinalista nos 50m livre na Universíade de Kazan-2013. Atual vice-campeão sul-africano nos 50m livre em piscina longa.

Curiosidade: Erasmus derrotou o campeão olímpico Roland Schoeman nos 50m livre na seletiva nacional para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. No Rio 2016, Erasmus terminou na 29ª colocação geral.

 

TIME ITÁLIA:

 

Simone Sabbione (costas) – Itália – Rimini, 19 anos, 1.85 m, 79 kg

 

Campeão olímpico da juventude nos 100m costas, vice-campeão com o revezamento 4x100m livre e medalha de bronze nos 50m costas em Nanjing-2014. Medalha de bronze com o revezamento 4x50m medley misto no Mundial de curta em Doha-2014. Medalha de bronze nos 100m costas no Europeu de Londres-2016.

 

Curiosidade: Sabbioni tornou-se o primeiro italiano a subir ao pódio europeu na prova dos 100m costas, mas, na ocasião, lamentou o bronze. Com seu recorde italiano de 53s34, teria vencido Camille Lacourt e levado ouro.

 

Fabio Scozzoli (peito) – Lugo, 28 anos, 1.88 m, 82 kg

 

Vice-Campeão mundial nos 50m e 100m peito em Xangai-2011. Campeão mundial em piscina curta nos 100m peito em Istambul-2012 e vice em Dubai-2010. Vice-campeão mundial universitário nos 100m peito em Belgrado-2009. Campeão europeu nos 50m peito em Budapeste-2010 e nos 100m peito em Debrecen-2012.

 

Curiosidade: Apesar da Itália ter tradição na natação e de ter até um campeão olímpico no nado peito (Domenico Fioravanti em 2000), Fabio Scozzoli é o primeiro campeão mundial italiano no masculino. Ele obteve o feito no Campeonato Mundial de piscina curta de 2012, em Istambul, nos 100m peito

 

Daniele D’Angelo (borboleta) – Roma, 21 anos, 1.90 m, 85 kg

 

Medalha de bronze no Campeonato Italiano nos 100m borboleta e nos 50m borboleta e vice-campeão com o revezamento 4x100m livre. Semifinalista nos 100m borboleta na Universíade de Gwanju-2015.

 

Curiosidade: considerado como uma das mais promissoras revelações da natação italiana, D’Angelo é atleta do Circolo Canottieri Aniene, mesmo clube dos medalhistas olímpicos e campeões mundiais Federica Pellegrini e Filippo Magnini.

 

Mirco Di Tora (livre) -  Ferrara, 30 anos, 1.88 m, 83 kg

 

Campeão europeu com o revezamento no 4x100m medley e vice-campeão nos 50m costas em Debrecen-2012. Campeão europeu de piscina curta com o revezamento 4x50m medley em Rijeka-2008 e Szczecin-2011 e vice em Eidhoven-2010.

 

Curiosidade: Di Tora tem como ídolos o compatriota Emanuele Merisi, medalhista olímpico, e o americano Aaron Peirsol, uma lenda do nado de costas. Também admira em Peirsol o fato de surfar e se divertir a qualquer hora nas águas, “um pouco como eu”, disse certa vez.

 

Também no domingo, 25, será realizado pela primeira vez o Festival Raia Rápida, quando atletas amadores terão a chance de nadar nas raias olímpicas em provas nas categorias Open e Kids, logo pela manhã. Para este, as inscrições já estão abertas no site raiarapida.com.br/festival.

Assinar este feed RSS