fbpx

Brasil bate recorde mundial no revezamento 4x200m

Brasil bate recorde mundial no revezamento 4x200m iz Altamir, Leonardo Santos, Fernando Scheffer, Breno Correia e Leonardo de Deus entram para história. Crédito: Divulgação/CBDA

Fernando Scheffer, Luiz Altamir, Leonardo Santos e Breno Correia, sem esquecer de Leonardo de Deus, entraram para a história nesta sexta-feira (14), em Hangzhou, na China. A equipe, que formou o revezamento 4x200m livre masculino não só garantiu a primeira medalha de ouro para o Brasil no Campeonato Mundial de Natação em piscina curta, como estabeleceu o novo recorde Mundial da prova. Esta é a primeira medalha de ouro da seleção brasileira na competição.

O Brasil se classificou para a final apenas com o sexto tempo. O quarteto inicial, formado por Fernando Scheffer, Luiz Altamir, Leonardo de Deus e Breno Correia, garantiu a raia 7 para o a Seleção no período da noite, no horário chinês. Para a final, Leonardo Santos entrou na vaga de Leonardo de Deus.

“Esse título e recorde mundial coloca a gente em evidência, mostrando que a nova geração está chegando. Chegamos para ficar. Estou muito feliz de estar com esses caras aqui. São a nova cara da Natação brasileira. Não estamos aqui à toa”, disse Leonardo Santos.

“Faz tempo que chegamos e esse título comprova isso. Colocamos nosso nome no papel e não vamos parar por aqui. Nossa meta é chegar em Tóquio para consolidar nosso nome entre os melhores do mundo”, explicou Fernando Scheffer.


O quarteto deu liga. Luiz Altamir iniciou seus 200m e terminou segundo lugar. Fernando Scheffer caiu na água e colocou o Brasil em primeiro lugar, sempre abaixo do recorde mundial da prova. Leonardo Santos manteve o ritmo forte da seleção brasileira, que perdeu posições para Rússia e China. Breno Correia, porém, tratou de colocar o Brasil no topo do pódio com o tempo de 6m46s81.

“Essa medalha mostra a dedicação de cada um aqui. Nós acordamos cedo, passamos por dificuldades, temos nossa vida em universidades também, suamos, choramos, somos seres humanos como qualquer pessoa e chegar aqui e conseguir levar o nome do Brasil ao topo do pódio é algo inexplicável”, contou Luiz Altamir.

“Nos firmamos no cenário mundial. Todos viram o que a gente pode fazer. Estamos entre os melhores. Agora, um passo de cada vez, vamos em busca do Mundial do ano que vem, depois Jogos Olímpicos, que é o nosso objetivo principal”, finalizou Breno Correia.

Guido a três centésimos da medalha

Guilherme Guido chegou à final dos 50m costas como um dos principais nomes da prova. Em uma disputa muito forte contra Evgeny Rylov (ouro 22s58), Ryan Murphy (prata 22s63) e Shane Ryan (22s76), Guilherme Guido terminou a disputa com o tempo de 22s79 e na quinta colocação.

“Tenho consciência que acertei minha prova. Foi uma disputa muito forte, com um nível técnico muito alto. Claro que fico um pouco chateado de não ter conseguido a medalha, mas feliz de estar brigando de igual para igual em uma final de Mundial. Vou com tudo para o revezamento amanhã”, explicou.

Cesar Cielo chegou à final de sua prova favorita como tempo de 21s06. Na disputa por medalha, o campeão olímpico nadou para 21s20 e ficou na sétima colocação. O campeão foi o russo Vladimir Morozov (20s33), a prata para o americano Caleb Dressel (20s54) e o bronze para o sul-africano Bradley Tandy (20s94). Um dos favoritos, Benjamin Proud foi desclassificado.

“Não consegui encaixar a prova como ontem. Fiz força e o corpo não respondeu como eu queria. Estou feliz de estar mais uma final nesse momento da minha carreira e agora vou focar nos revezamentos que faltam”, disse o campeão olímpico.

Estreante em Campeonatos Mundiais, Caio Pumputis esteve mais uma vez em uma disputa por medalha. Depois de conquistar o 5º lugar nos 200m medley, o atleta da seleção brasileira terminou os 100m quatro estilos com o tempo de 52s28 e na oitava colocação.

“Errei a virada do nado costas. Poderia ter conseguido um tempo melhor, mas estou feliz de participar de mais uma final. Este é meu primeiro Mundial absoluto e é um aprendizado grande”, contou o jovem nadador.

Recordista mundial dos 50m borboleta, Nicholas Santos está em mais uma final de Campeonato Mundial na carreira. O atleta da seleção brasileira, de 38 anos, garantiu um lugar na disputa decisiva com o tempo de 21s96. A prova será disputada na manhã deste sábado (de Brasília).

“Achei que meu desempenho foi bom. Nadei para 21s96 e amanhã espero estar na minha melhor forma. Temos o revezamento 4x50m medley, que tem chance de medalha, e o 50m borboleta também. Vamos com tudo. Quero o máximo de medalhas que podemos conseguir aqui”, falou o recordista mundial.

Também recordista mundial, mas nos 50m costas, Etiene Medeiros está fora da briga pelo tricampeonato mundial em piscina curta. Ela cometeu um erro na saída da prova e terminou a disputa com o 15º tempo na competição (26s91).

Nas eliminatórias desta sexta-feira, Matheus Santana não conseguiu avançar às semifinais dos 50m borboleta. Ele, na eliminatória, nadou para 23s08 e empatou com o finlandês Riku Poytakivi, mas, na série desempate, o europeu levou a melhor sobre o brasileiro e avançou às semifinais.

Veja o desempenho dos brasileiros nesta sexta-feira

100m medley masculino

Caio Pumputis – 8º - 52s28

50m borboleta masculino

Nicholas Santos – na final – 21s96

50m livre masculino

Cesar Cielo – 7º - 21s20

50m costas feminino

Etiene Medeiros – 15ª – 26s91

50m costas masculino

Guilherme Guido – 5º - 22s79

Revezamento 4x200m livre

Brasil – 6m46s81