Polo feminino do Brasil empata com Canadá na estreia do Pan

Mirella Coutinho Crédito imagem: Satiro Sodré /SSPress/Divulgação CBDA Mirella Coutinho

Em jogo muito disputado e com ótima atuação da seleção do Brasil, brasileiras e canadenses empataram em sete gols na primeira rodada do polo aquático feminino no Pan de Toronto. As parciais foram de BRA 2:1 CAN, 1:2, 3:2, 1:2. A arbitragem foi de Garibaldi (Argentina) e Vazquez (Venezuela). A equipe feminina brasileira volta a jogar na próxima 5ª feira, 9/07, contra a Venezuela, às 9h08, de Brasília. Os jogos de polo aquático acontecem no ‘Atos Markham Pan Am / Parapan Am Centre’.

O Brasil começou jogando com Tess, Zablith, Canetti, Izabella, Amanda, Mirella e Gabi. Os gols brasileiros foram de Izabella Chiappini (2), Mirella Coutinho (2), Melani Dias (2) e Amanda Oliveira. Somente não entraram na piscina Diana, Luiza e a goleira Victoria. O Canadá marcou sete gols com jogadoras diferentes: Monika Eggens, Krystina Alogbo, Dominique Perrault, Katie Monton, Shae Fournier, Christine Robinson e Emma Wright.

Com o outro jogo da chave B também terminou empatado - Venezuela 11 x 11 Porto Rico - as seleções favoritas (Brasil e Canadá) devem decidir a liderança do grupo no saldo de gols contra as outras integrantes do grupo. 

- Quem diria que não sairíamos satisfeitos de um empate contra o Canadá dentro da casa do adversário. Dava pra ganhar, faltou muito pouco, mas o resultado não deixa de ser maravilhoso e prova nossa evolução - disse Roberto Chiappini, auxiliar-técnico da equipe brasileira.

Ainda este ano, brasileiras e canadenses jogaram duas vezes na Super Final da Liga Mundial, na China, com duas vitórias do Canadá: 11 a 8 e 8 a 6. Mas em janeiro, pela primeira vez, as brasileiras venceram as canadenses, nesta mesma piscina, pela Copa Uana, válida como Pré-Mundial, que classificou a equipe para o Mundial de Kazan, por 9 a 8. Na decisão, as canadenses se recuperaram e venceram por 10 a 4. 

O Brasil saiu na frente com um gol de Izabella, e não se abateu com o empate conseguido pelas canadenses. Manteve sua dinâmica e saiu na frente do quarto, com um gol de Mirella, que assim como Izabella chutou de fora para balançar as redes. No segundo período, o Canadá cresceu e virou o jogo, mas Izabella na metade final do período igualou o placar novamente. 

O terceiro período foi o melhor do time brasileiro. Após levar um gol do Canadá no início, as brasileiras empataram com Mirella, viraram e abriram dois gols de vantagem com dois gols de Melani. Entre estes gols, um penalti perdido pelo Canadá, com a jogadora Stephanie Valin chutando pra fora. Mas faltando apenas quatro segundos pro fim do terceiro quarto, o Canadá diminuiu a desvantagem pra um gol. 

No quarto final, as canadenses vieram com tudo pra garantir a vitória em casa. Chegaram a virar o placar, mas Amanda Oliveira, aos 2'33" pro fim do jogo, deu números definitivos. As duas equipes tiveram a chance da vitória no minuto final. Primeiro o Brasil numa jogada de jogadora a mais, depois o Canadá desperdiçou seu lance derradeiro. Aliás, houve muitas jogadas desperdiçadas de jogadora extra pros dois lados: o Brasil aproveitou 4 em 10 jogadas, e o Canadá teve aproveitamento ainda pior, 1 em 7. 

- O time jogou bem, faltou alguns detalhes e era muito importante ter ganho, pois nos afastaríamos de uma semifinal contra os EUA. Mas não há nada perdido, pois agora deve ser decidido no saldo quem ficará em primeiro na chave. Das partidas no Pré-Mundial pra cá, melhoramos muito pois agora tivemos a chance de treinarmos juntas por mais tempo. Isto sempre é complicado pois tem gente que joga no Brasil, outras nos EUA. Mas com este treinamento em conjunto, a tendência é melhoraramos cada vez mais - resumiu a goleira Tess Oliveira, um dos destaques da partida, com defesas decisivas, incluindo uma no final do jogo.

Nesta fase de classificação, os dois times brasileiros jogam pelo grupo B. A seleção feminina, após a estreia contra as canadenses, joga na sequência contra a Venezuela, na 5ª feira (9/7), e contra Porto Rico, no sábado (11/7). No dia seguinte, domingo (12/7), haverá os jogos semifinais e pelas demais colocações. Do time que disputou a Super Final feminina da Liga Mundial, na China, houve apenas uma alteração: saiu Flávia Fernandes e entrou Diana Abla.

No outro jogo da chave B, a do Brasil, Venezuela e Porto Rico empataram em 11 gols, parciais VEN 3:2 PUR, 5:3,1:5,2:1. Destaque para a portorriquenha Paola Medina Monteiro, artilheira do jogo com quatro gols. A melhor pontuadora da Venezuela foi a capitã Yineidy Araujo Marin, com três gols. Já pelo grupo A, os Estados Unidos, atual campeão olímpico, goleou o México por 25 a 3. Neste jogo, duas americanas também fizeram quatro gols: a capitã Margaret Steffens e Ashley Grossman. As outras equipes do grupo, Argentina e Cuba só estreiam amanhã (qua, 8/07) contra México e EUA, respectivamente.

A seleção masculina estreia logo mais, às 19h, de Brasília, contra o mesmo adversário, o anfitrião Canadá. O time será o mesmo que brilhou na última Liga Mundial ao conquistar uma inédita medalha de bronze. Após enfrentar os canadenses, os brasileiros jogarão na sequencia contra Venezuela e México, na 4ª feira, 8/7 e na 5ª feira, 9/07, respectivamente. A outra chave da competição é composta por Equador, Cuba, EUA e Argentina. Depois disso, os brasileiros só jogarão a partir de 2ª feira, 13/7, quando acontecem as semifinais e a disputa do 5º ao 8º lugar.

Raphael Oliveira

Raphael Oliveira, Carioca morador de Uberlândia desde 2011 pós-graduado em Jornalismo Esportivo pela Faculdades Integradas Hélio Alosno (FACHA-RJ), apaixonado por esportes fundador do site de notícias esportivas “Esportes de A a Z” onde se divide entre editor e fotógrafo, possui na currículo cobertura de eventos como Grand Slam de Judo, Mundial de Judo, Liga Mundial de Vôlei, Finais do NBB e Superliga de Vôlei, Mundial de Natação Paralímpica, NBA e UFC e Paralímpiadas Rio 2016.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.