fbpx

Brasil conquista o tricampeonato no Mundial de Beach Tennis por equipes

O Time Brasil conquistou o tricampeonato do Mundial de Beach Tennis por Equipes, neste sábado, ao superar a anfitriã Rússia na decisão por 2 a 1. A equipe nacional chegou ao troféu em Moscou após as vitórias nas duplas masculina e feminina, apesar da derrota nas duplas mistas.

Essa foi a terceira final consecutiva da equipe brasileira, que chegou aos títulos em 2013 e 2018. Nos últimos dois anos, as decisões foram contra a Itália, que desta vez parou na semifinal. Diante da Rússia, o Brasil encarou a empolgada torcida local para se sagrar campeã.

A manhã começou com Joana Cortez e Rafaella Miiller vencendo as russas Irina Glimakova e Daria Churakova por 7/5 e 6/2. Depois, André Baran e Vinícius Font garantiram o troféu com o triunfo sobre Sergey Kuptsov e Nikita Burmakin por 6/2 e 6/3. O confronto terminou com a disputa do jogo de duplas mistas, em que Marcela Vita e Thales Santos perderam para Irina e Nikita por 4/2, 1/4 e 10-7.

"Foi uma conquista sensacional, incrível. Fomos campeões duas vezes em dois anos. Tenho muito orgulho desses jogadores, pois todos deram o máximo. É bom trabalhar com uma equipe unida desta forma, em que estão todos juntos. Foi um desafio muito duro jogar aqui contra a Rússia, mas conseguimos mais uma vez. Agora, vamos relaxar, descansar, mas logo vamos pensar no próximo desafio, em outubro, no Catar, para buscar outro grande resultado", comemorou o capitão Alex Minozzi, italiano ex-número 1 do mundo e referência no Beach Tennis Mundial, em referência aos Jogos Mundiais de Praia.

A campanha brasileira começou com a vitória sobre a Polônia por 3 a 0 na quarta-feira. Na quinta-feira, o time superou a Espanha por 2 a 1. Na semifinal, disputada na sexta, a vitória foi sobre a Alemanha por 3 a 0. Na decisão deste sábado, a disputa começou acirrada, com as russas chegando abrir 5 a 1 no primeiro set da partida, mas Joana e Rafaella conseguiram reagir e garantir a virada.

"Ganhar aqui da Rússia foi inesquecível. O fato de estarmos perdendo de 5 a 1 e conseguirmos a virada, foi totalmente demais. É sempre maravilhoso representar o Brasil, estou muito feliz. Só tenho a parabenizar a todos da equipe e agradecer a CBT e todos que torceram no Brasil", destacou Joana Cortez.

Presente nos três títulos mundiais brasileiros, Vinícius Font também celebrou a conquista especial, que foi confirmada na vitória dele com o parceiro André Baran.

"Conquistar esse terceiro título é fantástico para mim, ainda mais jogando ao lado do Baran, que é meu parceiro. Não fizemos grandes jogos contra a Espanha e contra a Alemanha, mas na final foi simplesmente fantástico. Jogamos para cima, de forma agressiva e conseguimos fazer tudo o que queríamos", frisou Font.

Brasileira e alemã levam o título do feminino no Rio Beach Tennis Tour em Niterói

O Brasil ficou com o título na chave feminina profissional do Rio Beach Tennis Tour, torneio ITF mundial com premiação de US$ 3 mil mais hospedagem aos principais atletas.O evento conta com o patrocínio da Secretaria de Esportes e Lazer do município de Niterói (RJ) e é disputado na charmosa praia de São Francisco. A paranaense Raffaella Miiller, hoje radicada em Miami, nos EUA, e a alemã Maraike Biglmaier, ex-número 1 do mundo, superaram na final a ex-líder do ranking, a carioca Joana Cortez, oitava do mundo, e a paranaense Marcela Vita, 11ª, por 2 sets a 0 com parciais de 6/3 6/0. 
 
A dupla com a brasileira quarta do mundo e a germânica quinta colocada engata a segunda conquista consecutiva e vão marcar 90 pontos no ranking mundial da Federação Internacional de Tênis. Elas foram as campeãs em novembro do ano passado em um dos maiores eventos do mundo, em Aruba, no Caribe. Rafa, Vita e Joana Cortez fizeram parte da Seleção Brasileira campeã Mundial por equipes ano passado em Moscou, na Rússia. 
 
"Todos os jogos são duros, temos que entrar focadas para ganhar. Elas cometeram um pouco mais de erros que o normal, o resultado acabou sendo um pouco mais dilatado", disse Rafa: "Pudemos ver que todas nós estávamos cansadas, elas um pouco mais que nós, elas erraram um pouco mais que o normal, tivemos um placar mais elástico, mas vários games com iguais e essa pequena diferença desses pontos importantes resultaram no placar", complementou Biglmaier.
 
"Sempre incrível ser campeã e vamos com muita confiança para a próxima semana, foi um perfeito começo aqui no estado do Rio," seguiu a alemã que vai curtir a conquista e aproveitar as belezas de Niterói nesta segunda-feira: "Um pouco de celebração hoje à noite, amanhã um dia de folga, talvez vamos ver algumas praias aqui por Niterói e mais lugares pois quando estamos jogando o torneio não conseguimos ver nada".
 
Para Miiller, o triunfo é importante por conta do forte evento que contou com duplas como as italianas Nicole Nobile, sétima do mundo, e Veronica Casadei, 13ª, eliminadas na semifinal por Cortez e Vita, e a dupla das italianas Eva D´Elia e Veronica Visani, nonas do mundo, eliminadas nas quartas pelas russas Irina Gllimakova/Daria Churakova.
 
"O nível da competição tava fortíssimo, vieram praticamente todas as melhores jogadoras do Brasil e também várias do melhor nível mundial. Para nós é muito importante ter esse ritmo de jogo pois treinamos separadas", seguiu Rafa.
 
Final masculina adiada para segunda-feira com presença de favoritos italianos e russo . Brasileiros eliminados na semi
 
A dupla campeã do masculino será definida apenas nesta segunda-feira às 9h45 por conta da falta de luz natural. Na semifinal as duplas estrangeiras superaram as brasileiras. Melhor dupla do mundo, o russo Nikita Burmakin, segundo do ranking, e o italiano Tomaso Giovannini, terceiro, venceram batalha de quase três horas contra os santistas Marcus Ferreira e Thales Santos por 7/6 (7/3) 6/7 6/2. Thales e Marcus superaram nas quartas de final por 2/6 7/5 6/4 a dupla que vinha de trêes títulos seguidos do catarinense André Baran, cria de Gustavo Kuerten e Larri Passos no tênis e do número 1 nacional, Vinicius Font. Burmakin vai em busca do título que lhe dará a chance de voltar ao topo do mundo. Os italianos Luca Cramarossa, quinto do mundo e ex-líder do ranking, e Mikael Alessi, atual campeão do mundo e sexto do ranking, superaram o niteroiense Ralff Abreu e o carioca Diogo Carneiro por 6/4 6/3 em partida com grande apoio da torcida aos beachtenistas da casa.
 
"Foi bem difícil hoje, sol muito forte, nossos oponentes da semifinal jogaram muito bem, conseguimos sobreviver. Tivemos sorte no começo do segundo set vencendo games de iguais para conseguir a quebra, depois que abrimos vantagem . O placar de 6/2 não mostra o que foi também o set", disse Burmakin: "Ganhar o torneio me dará boa condição de virar o número 1 e vamos fazer nosso melhor na final que será bem dura contra oponentes bem complicados".
 
Cramarossa, que foi campeão em 2017 em Niterói, destacou os pontos positivos para a vitória mesmo com torcida contra: "Foi uma semi muito difícil eu e meu parceiro jogamos muito bem, conseguimos devolver muito bem o saque deles e sacamos muito bem também, determinante para a vitória. Foi difícil pois está muito quente e essa época é bem frio na Itália e jogar fora de nosso país não é fácil pois a torcida está contra, mas fomos muito bem. Enfretamos nossos amigos Nikita e Tomaso e sem dúvida será um jogo bem complicado, esperamos jogar bem para ganhar o torneio". 
 
A competição conta com 282 atletas de 11 países e dez jogadores no top 10 do masculino e feminino. Além do Brasil o evento tem jogadores da França, Rússia, Alemanha, Chile, Argentina, Venezuela, México, Letônia e África do Sul. 
 
Dupla carioca leva o título no ITF US$ 0 e soma pontos no ranking 
 
A dupla formada pelo carioca Luiz Gimpel e o baiano radicado no Rio de Janeiro, Kuteer Vollmer, marcou um duplo 6/3 contra os campineiros Gabriel Santos/Flavio Arouca e levaram o título do torneio ITF US$ 0. Eles irão marcar 10 pontos no ranking mundial. No torneio ITF US$ 3 mil eles perderam nas oitavas diante da dupla número 1 do mundo formada pelo russo Nikita Burmakin e o italiano Tomaso Giovannini. 
 
"A final foi bem dura apesar do placar não mostrar isso. Feliz com esses pontos para avançar no ranking. No torneio ITF US$ 3 mil perdemos um jogo duro contra os melhores do mundo, acabamos quebrados no 5/5 e no segundo set não fomos bem. Valeu a experiência e agora é seguir com tudo no circuito. Treinamos juntos no Rio e agora é seguir evoluindo", disse Vollmer.
 
No feminino o troféu ficou com a venezuelana Maria Ceballos e a argentina Jessica Orselli que derrotaram a dupla formada pelas cariocas Nathália Costa e Paula Cortez por 7/5 1/6 7/6 (7/3). 

Auger-Aliassime derrota tricampeão Cuevas novamente

Na partida mais esperada da primeira rodada do Torneio Aberto do Brasil - ATP 250 - Brasil Open 2019, o canadense Felix Auger-Aliassime derrotou o uruguaio Pablo Cuevas, tricampeão do torneio, de virada, por 5/7, 6/3 e 6/3. O jogador de 18 anos disputa a segunda rodada nesta quinta-feira (28) contra o espanhol Albert Ramos-Viñolas por volta das 15h30.

Vice-campeão no Rio de Janeiro, Auger-Aliassime venceu Cuevas pela segunda semana consecutiva. “Saquei muito bem, algo que poderia ter me ajudado na final semana passada. As condições aqui são mais rápidas, então isso ajudou meu saque desde o início. No primeiro set, mesmo perdendo, estava jogando bem”, analisou o canadense.

Sobre o duelo com Ramos-Vinõlas, Auger-Aliassime espera mais uma batalha. “É uma chave difícil aqui. Ele é um jogador experiente, mas acho que tenho minhas chances”, acrescentou o jogador mais jovem do top 100.

Pela segunda rodada, o argentino Marco Trungellitti passou pelo brasileiro Thiago Wild, com parciais de 6/4 e 7/5. “O Marco fez uma partida muito constante. As condições aqui são bem rápidas e ele tirou proveito, principalmente no saque. Mas estou feliz de ter conseguido minha primeira vitória em ATP e quero permanecer nessa crescente”, avaliou o paranaense de 18 anos.

O próximo adversário de Trungelliti será o argentino Guido Pella, que não encontrou dificuldades para derrotar o espanhol Roberto Carballes Baena por 6/2 e 6/4.

Outro confronto de quartas de final já definido será entre o argentino Leonardo Mayer e o chileno Christian Garin. Mayer precisou de três sets para eliminar o italiano Lorenzo Sonego por 6/1, 3/6 e 6/3. Em jogo de 2h46 e três tie-breaks, Garin passou pelo espanhol Jaume Munar, por 7/6(5), 6/7(4) e 7/6(2).

Após conquistar seu primeiro título no Rio de Janeiro, o sérvio Laslo Djere estreou nesta quarta com vitória diante do italiano Alessandro Giannessi, por 7/6(5), 4/6 e 6/4. Seu oponente na segunda fase, não antes das 19h30 desta quinta (28), será o tunisiano Malek Jaziri, cabeça de chave 2.

Sob atenção inédita na carreira, o sérvio reconhece que é difícil retomar a concentração. “Recebi muitas mensagens das pessoas, sou muito grato por isso, mas quero continuar a ser o mesmo cara de uma semana atrás, trabalhando diariamente”, afirmou Djere, que revelou no Rio ter perdido os pais por câncer.

A rodada de quinta começa às 12h30 com o confronto de segunda rodada entre o boliviano Hugo Dellien e o argentino Juan Ignacio Londero. A seguir, o principal favorito João Sousa enfrenta o norueguês Casper Ruud.

 

Bellucci e Rogerinho avançam à semi de duplas

A dupla brasileira formada por Thomaz Bellucci e Rogério Dutra Silva se garantiu na semifinal do Brasil Open nesta quarta-feira (27). Com clima de Copa Davis na Quadra 1, os paulistas superaram o salvadorenho Marcelo Arevalo e o americano Jamie Cerretani por 4/6, 6/4 e 10-6.

“É sempre bom jogar com a quadra cheia de gente. O pessoal compareceu, apoiou, gritava a cada ponto e com certeza isso nos dava motivação extra. Dentro das dificuldades que tivemos, conseguimos reverter, então ficamos felizes que alcançar mais uma semifinal”, afirmou Bellucci. Na última semana, os dois foram vice-campeões no Rio.

Rogerinho também ressaltou a importância da presença da torcida para pressionar os adversários. “São poucas vezes que a gente joga em casa, então tem que aproveitar. Quanto mais eles puderem participar, melhor”, comentou.

“A gente jogou o segundo set inteiro pressionado. Não tivemos muita chance no saque deles, ao contrário do primeiro set. Levamos para um momento de pressão e nós prevalecemos porque tivemos mais qualidade nesse momento”, completou Bellucci. A dupla encara na semifinal os britânicos Luke Bambridge e Jonny O’Mara.

 

Duelo entre Auger-Aliassime e Cuevas é destaque na noite desta quarta-feira no Brasil Open

A programação de quarta-feira reserva o duelo mais esperado da primeira rodada do Torneio Aberto do Brasil - ATP 250 - Brasil Open 2019. Tricampeão do Brasil Open e quinto favorito, o uruguaio Pablo Cuevas faz sua estreia no reencontro com o canadense Felix Auger-Aliassime, de apenas 18 anos e uma das principais sensações do circuito do tênis mundial. O jogo começa às 19h30, na quadra central. 

Os dois se enfrentaram na semifinal do ATP do Rio de Janeiro na semana anterior, e Aliassime levou a melhor em três sets. O equilíbrio do duelo também é visível no ranking: Cuevas é o número 59, enquanto o canadense ocupa a 60ª posição. Por isso, Auger-Aliassime espera mais um confronto complicado.

"Vai ser um jogo muito difícil, eu conheço ele (Cuevas) bem agora, sei o tão bom que ele é. Talvez a única vantagem que tenho é que venci na semana passada e isso me dá confiança para repetir o que fiz. Sei que vou ter muito trabalho, vai ser um jogo difícil, mas espero avançar", afirmou o canadense. 

Auger-Aliassime também espera que as condições do torneio possam ajudá-lo ainda mais, em especial com o saque e a bola mais rápida. 

"As condições são boas. Não sei dizer se são melhores para mim, vamos ver isso ao longo da semana. Mas para o meu saque é boa. Espero conseguir alguns pontos mais fáceis com meu saque e com a bola mais rápida. No geral, eu acho que são boas condições", finalizou a promessa canadense. 

A programação da quadra central começa às 12h30 com o duelo entre atletas que treinavam juntos na academia de Rafael Nadal. O espanhol Jaume Munar, algoz do brasileiro Pedro Sakamoto, enfrenta o chileno Christian Garin, e espera um jogo difícil. 

"Será uma partida complicada. Treinamos juntos na Academia do Rafa Nadal, com os mesmos treinadores. Será uma partida bem difícil, ele (Garin) também é um jogador jovem, que está jogando bem. Eu preciso entrar com muita vontade, estou treinando bem e me sinto confiante para chegar ainda mais longe", disse Munar. 

Na quadra 1, a programação começa às 12h30 com o sérvio Laslo Djere, campeão do Rio de Janeiro, contra o italiano Alessandro Giannessi.

Ainda nesta quarta-feira, o argentino Leo Mayer, quarto favorito, enfrenta o italiano Lorenzo Sonego, e Guido Pella, também argentino, terá pela frente o espanhol Roberto Carballes Baena, já pela segunda rodada do torneio. 

O último jogo do dia terá o argentino Marco Trungelliti contra o vencedor do duelo entre o brasileiro Thiago Wild e o sueco Elias Ymer, que será definido na noite desta terça-feira.

 

BELLUCCI E ROGERINHO SALVAM TRÊS MATCH POINTS E VÃO ÀS QUARTAS

Os brasileiros Thomaz Bellucci e Rogério Dutra Silva confirmaram a boa fase e venceram a parceria formada pelo argentino Leonardo Mayer e o português João Sousa, semifinalistas do Australian Open, em duelo dramático, com parciais 6/7(3) 7/6(4) 12-10.

No match tie-break, os paulistas tiveram que salvar três match points e viraram o placar de 6-9 para 12-10. Agora nas quartas de final, eles voltam à quadra nesta quarta-feira, por volta das 15h na quadra 1, para enfrentar os vencedores da partida entre Arneodo (MON)/Nys (FRA) e Arevalo (ESA)/Cerretani (USA).

"Fizemos um jogo consistente. Fizemos boas devoluções. Foi um bom jogo, sabíamos que seria um jogo difícil e o importante é ganhar. Estamos trabalhando bem durante a semana e isso faz a diferença", afirmou Bellucci.

"Jogar em casa é muito bom, e a torcida tem jogado muito com os brasileiros. Quando Bellucci sacou no match point contra, ele sacou muito bem e a cada saque que ele dava a torcida ia à loucura, e isso contagia muito a gente", disse Rogerinho. 

 

Confira a programação completa de quarta-feira, 27/02:

 

Quadra Central - 12h30

Christian Garin (CHI) vs [6] Jaume Munar (ESP) - Fox Sports
[4] Leonardo Mayer (ARG) vs Lorenzo Sonego (ITA) - Fox Sports
Roberto Carballes Baena (ESP) vs [3] Guido Pella (ARG) - Bandsports


Não antes das 19h30
[5] [WC] Pablo Cuevas (URU) vs Felix Auger-Aliassime (CAN) - Fox Sports e Bandsports
Marco Trungelliti (ARG) vs [WC] Thiago Seyboth Wild (BRA) or Elias Ymer (SWE) - Fox Sports

Quadra 1 - 12h30

[Q] Alessandro Giannessi (ITA) vs Laslo Djere (SRB) 
S. Gille (BEL) / J. Vliegen (BEL) vs [4] L. Bambridge (GBR) / J. O'Mara (GBR) 
[3] R. Jebavy (CZE) / A. Molteni (ARG) vs M. Marterer (GER) / A. Mies (GER) 
R. Arneodo (MON) / H. Nys (FRA) or M. Arevalo (ESA) / J. Cerretani (USA) vs [WC] T. Bellucci (BRA) / R. Dutra Silva (BRA)

Resultados parciais de terça-feira: 

Simples: 

[6] Jaume Munar (ESP) d. [Q] Pedro Sakamoto (BRA) - 6/3 6/2
[7] Juan Ignacio Londero (ARG) d Paolo Lorenzi (ITA) -7/6(3) 6/1
Hugo Dellien (BOL) d [Q] Pedro Martinez (ESP) - 6/1 6/2
Albert Ramos-Vinolas (ESP) d [Q] Facundo Bagnis (ARG) - 6/1 6/3

Duplas
[3] R. Jebavy (CZE) / A. Molteni (ARG) d R. Carballes Baena (ESP) / M. Jaziri (TUN) 6/0 6/3
M. Marterer (GER) / A. Mies (GER) d [WC] I. Marcondes (BRA) / R. Matos (BRA) 6/7(11) 6/0 10-6
[WC] T. Bellucci (BRA) / R. Dutra Silva (BRA) d. [2] L. Mayer (ARG) / J. Sousa (POR) 6/7(3) 7/6(4) 12-10
F. Delbonis (ARG)/ M. Gonzalez (ARG) d. D. Marrero (ESP)/P. Oswald (AUT), 6/4 6/4

Djere é o campeão do Rio Open

Depois de uma semana de muitos jogos e vitórias mais que improváveis e que levaram a uma decisão jamais esperada pelo público, o Rio Open conheceu seu campeão inédito em torneios ATP. Trata-se do sérvio Laslo Djere de 23 anos e que chegou ao seu primeiro título com a vitória por 2 sets a 0 com parciais de 6/3 e 7/5 sobre a promessa canadense Felix Auger-Aliassime.

O sérvio chegou ao título/vice-campeonato depois de comentar em entrevista ontem que perdeu seus país para o câncer e emocionou aqueles que ouviram a sua história. Ele que é do mesmo país de Djokovic e quem se inspira, começou eliminando o favorito ao torneio, o austríaco Dominic Thien, cabeça de chave número 1 do torneio e 8 do ranking da ATP. Depois foi a vez do japonês Taro Daniel, o norueguês Casper Ruud e não precisou disputar as semifinais com a desistência do eslovaco Alzaz Bedene.

Djere contou que perdeu os país e dedicou o título em memória deles. Crédito: Bruno Lopes/EAZ

“Estou muito feliz com essa vitória que foi algo que sonhei desde o início da minha vida, mas não nas circunstâncias que queria. Sei que não é fácil o que passei e como sou inspiração para outros garotos, tenho que seguir em frente. Minha expectativa não era de vencer o torneio e acabei jogando muito bem, mas com meu treinador, fomos acertando as coisas aos poucos e é um momento espetacular e vim focando jogo a jogo e acabei conseguindo o título na primeira final que disputei. Com esse título, vou subir bastante no ranking e isso vai me ajudar a escolher os torneios sem participar dos qualis. Não penso num torneio especifico daqui para frente, mas apenas quero seguir trabalhando e fazer o meu melhor” – disse o campeão na coletiva de imprensa.

O canadense é o atleta mais jovem a chegar uma final de ATP e faturar o título da competição. Sua campanha começou eliminando ninguém menos que o italiano Fabio Fognini, cabeça de chave número 2 do torneio e número 16 do ranking mundial. Depois passou pelo chileno Chirstian Garin, o espanhol Jaume Munjar e o uruguaio Pablo Cuevas nas semifinais. Auger-Alliassime foi além e conseguiu conquistar a torcida vestindo a camiseta da seleção brasileira.

O canadense tem tudo para ser um dos grandes nomes no circuito em breve. Crédito: Bruno Lopes/EAZ

“Hoje o saque não funcionou e outras coisas também. Fisicamente estava bem desgastado por conta da semana, mas por outro lado, foi uma ótima semana e isso é o que conta. Espero para o futuro evoluir e tenho que olhar para frente agora. Semana que vem vou jogar o Brasil Open e devo estreia na terça e espero poder dar um bom espetáculo ao público por lá” - Contou

O Jogo

No primeiro set, Djere entrou um pouco mais relaxado e conseguiu logo no segundo game do jogo conseguir uma quebra para cima do canadense e saiu com 3 a 0. Auger-Alliassime até reagiu e conseguiu devolver uma quebra e até ameaçou uma reação, mas acabou levando outras duas e o set acabou em 6 a 3 para o sérvio.

Crédito: Bruno Lopes/EAZ

No segundo, o canadense saiu quebrando o serviço do sérvio e abriu 2 a 0. Parecia que ele ia caminhar melhor no set quando acabou sendo quebrado e a partida seguiu empatada até o 5 a 5, quando Djere confirmou seu serviço e depois de salvar por três vezes o match point, acabou cedendo e o sérvio saiu com o título da competição.

Bellucci erra e título de duplas foi para Chileno e Argentino

E mais uma vez o Brasil bateu na trave no Rio Open. Depois de estarem fazendo uma boa partida, Bellucci que jogou com Rogerinho cometeu uma dupla falta e deram o título para Nicolas Jarry e Máximo Gonzalez por 2 sets a 1 com parciais de 7/6, 6/3 e 10/7, frustrando a torcida que lotou a quadra Gustavo Kuerten e que criou um ambiente de Copa Davis para ajudar os brasileiros.

“Fizemos uma ótima campanha pelo torneio e é um prazer jogar com um amigo no torneio que só aumenta ainda mais a minha alegria. Nunca passamos por algo parecido com o Bellucci ter feito duas duplas faltas no final e tenho certeza que não foi fácil a ele.” – Comentou Máximo Gonzalez após a partida.

Dupla vem jogando alguns torneios juntos e estão mais entrosados. Crédito: Bruno Lopes/EAZ

Já o chileno Nicolas Jarry comentou que não foi fácil jogar contra a torcida brasileira que o tempo todo apoiava Bellucci e Rogerinho.

“Não é fácil jogar contra a torcida que criou um clima de Copa Davis. Ficamos concentrados ao longo da partida e a pressão por vencer em casa estaria do outro lado da quadra e tudo o que podíamos fazer é dar o nosso melhor e assim conseguimos chegar ao título” – Disse.

Já pelo lado dos brasileiros, ficou a frustação pela perda do título, mas contou bastante a ótima semana que tiveram jogando jogos. Para Bellucci, o saque que derrubou ele no final da partida, é o ponto em que ele tem tentado trabalhar mais e não vem acertando.

Bellucci e Rogerinho jogam em São Paulo também nas duplas, apesar de polêmica. Crédito: Bruno Lopes/EAZ

“O saque tem me incomodado nos últimos tempos. É o que tenho trabalho nos últimos tempos e espero que melhore. Essa semana não saquei bem. Ali nos dois últimos pontos e poderia ter colocado a bola em quadra e num momento de tensão, estávamos mais nervosos por jogar em casa, mas isso não pode apagar o que fizemos essa semana. Tivemos muito perto de vencer e semana que vem já tem outro torneio.” – Diz, ao dizer que semana que vem estarão jogando juntos a dupla mais uma vez no Brasil Open.

Rogerinho diz que queria muito trazer o caneco para o país.

“Vamos aprendendo ao longo do nosso caminho e temos que tirar o melhor. Foi uma semana muito boa e tenho que agradecer ao Thomaz. Queríamos muito trazer o caneco de campeão e foi uma atmosfera muito boa em quadra com a torcida gritando ao nosso favor. Espero um clima parecido com esses para a próxima semana. – Finalizou.

O Jogo

O primeiro set da partida foi de extremo equilíbrio em que as duplas acertaram todos os pontos com o jogo sendo decidido no tie break. E com ótimas respostas, os brasileiros fizeram 7/4 e fecharam em 7/6.

Crédito: Bruno Neves Lopes/EAZ

Já no segundo, Gonzalez e Jarry entraram quebrando o serviço dos brasileiros e abrindo 3 a 0 logo de cara. Depois apenas tiveram que confirmar seus pontos e fecharam em 6/3 levando a decisão para o super tie break.

O final da partida foi extremamente parelho e seguiu equilibrada até o 7 a 7, quando a Gonzalez e Jarry confirmaram seu ponto passando o placar para 8 a 7 e Bellucci errou os dois saques entregando o título para o argentino e o chileno.

Final de simples será da nova geração do tênis

Com apenas 18 anos de idade, o canadense Felix Auger-Aliassime está na final do Rio Open. Ele que entrou como convidado do torneio, conseguiu derrotar nas semifinais o uruguaio Pablo Cuevas, ex-top 20 do ranking da ATP por 2 sets a 1, com parciais de 6/3, 3/6 e 6/3.

Crédito: Felipe Duest/NB Photopress

Ele vai disputar o título com outro garoto, o sérvio Laslo Djere de apenas 23 anos de idade que nem precisou entrar em quadra, após Bedene desistir de jogar por conta de uma lesão na perna direita.

A final de simples será disputada amanhã as 17 horas.

Bedene sente lesão na perna direita e Djere avança à final

O esloveno Aljaz Bedene sentiu uma lesão na perna direita e não poderá disputar a semifinal do Rio Open apresentado pela Claro, programada para este sábado, no Jockey Club Brasileiro. Com isso, o sérvio Laslo Djere garantiu a vaga na grande final deste domingo, a primeira dele em um torneio nível ATP 500.

"Eu senti dores na perna direita um dia antes da minha estreia no Rio Open. Na partida de ontem (contra o boliviano Hugo Dellien), dei um pique e a dor piorou", explicou Bedene. "Estava ansioso para o confronto contra Djere, depois de bons jogos que fiz na gira sul-americana, e estava gostando de jogar no Rio. Sinto por ter que me retirar da partida, peço desculpas para meus fãs e agradeço o apoio que recebi nesta semana. Espero voltar a jogar no Rio Open."

A outra semifinal, entre a sensação do torneio, o canadense Felix Auger-Aliassime, e o uruguaio Pablo Cuevas, campeão de 2016, será neste sábado, às 18h. Na sequência, os brasileiros Thomaz Bellucci e Rogério Dutra Silva disputam o título de duplas contra o argentino Maximo Gonzalez e o chileno Nicolas Jarry.

Bellucci e Rogerinho estão na final do Rio Open

Pela primeira vez em seis anos, o Brasil terá uma dupla disputando a final do Rio Open. Thomaz Bellucci e Rogerio Dutra Silva chegaram a final da competição ao vencer por 2 sets a 0 com parciais de 6/4 e 7/6 a dupla do tcheco Roman Jebavy e o argentino Andres e Molteni em jogo disputado na despedida da quadra 1.

A dupla foi formada de última hora num convite do diretor do torneio que disse que eles disputariam juntos a chave de dupla. E de alguma forma, a dupla encaixou e estão se divertindo em quadra.

“Não sabia que ia jogar dupla em foi cima da hora. O Lui disso que tinha convite de dupla e falou que estava com o Thomaz e estamos na final. A importância para o torneio é muito grande de poder ter um brasileiro na final. Espero poder ter um final ao melhor estilo copa Davis, ter um caldeirão ali na final. ” – Disse Rogerinho após a vitória.

Bellucci vai abrir mão de jogar em casa o qualy em Sp para jogar a final. Crédito: Bruno Lopes/EAZ

Para Bellucci, é triste ter que abrir mão do ATP 250 de São Paulo em que disputaria o qualyfing para poder jogar a final aqui. Mas certamente é uma escolha que eles estão fazendo para conseguir disputar um título, ainda mais no Brasil.

“É muito ruim não ter um jogador da casa para jogar lá. Mas essa decisão não é nossa e temos que focar aqui e dar o nosso melhor. Apoio no tênis brasileiro sempre é muito baixo e isso é chato, estamos aqui no rio e não vamos jogar sp. Estamos fazendo um belo trabalho juntos e estamos muito felizes está no final”. – Comentou.

A final da competição de duplas será disputada amanhã contra a dupla formada entre o argentino Maximo Gonzalez e o chileno Nicolas Jarry que venceram hoje o último cabeça de chave que ainda sobrevivia ao torneio dos colombianos Cabal e Farah por 2 sets a 1 com parciais de 3/6, 7/5 e 10/7.

Rogerinho jogará sua segunda final de ATP 500. Crédito: Bruno Lopes/EAZ

“Não vimos nenhum ponto do jogo deles e conhecemos o jogo do Maximo, mas do jarry nunca joguei. Eles vêm jogando alguns torneios juntos e temos que pensar como entraremos em quadra e isso que é o mais importante. Vamos dar o nosso melhor e trazer esse título para gente.” – Finalizou Bellucci

Melo e Soares estão fora do Rio Open

O Rio Open segue com a sina de derrubar os que vieram como favoritos para a competição. E dessa vez, a dupla cabeça de chave número 1 formada por Bruno Soares e Marcelo Melo foi derrotada por seus compatriotas Tomaz Bellucci e Rogerio Dutra por 2 sets a 1 com parciais de 6/2, 6/7 e 10 a 5 e estão fora do torneio.

“Estamos aqui como franco-atiradores na competição e jogando sem grande compromisso e nosso jogo está encaixando muito bem e quem diria que iriamos chegar a semifinal da competição. O torneio do Rio está com um nível muito bom e vamos continuar assim e quem sabe não chegamos à final? ” – Declarou Bellucci após a vitória.

Bruno Soares diz que ficou aliviado em pela primeira vez não ter ido até as semifinais na competição e reconheceu a derrota.

“Eles souberam jogar muito bem e mereceram a vitória. No primeiro set começamos bem e eles vieram com um ritmo bem forte e nos venceram. No segundo lutamos bastante e conseguimos levar até o super tie break, onde eles souberam nos vencer e estamos fora do torneio” – Lamentou após a derrota.

No outro jogo envolvendo brasileiros na competição, Demoliner e Nielsen que venceram o primeiro set, acabam tomando uma virada e perderam a partida também no super tie break.

Chave de simples mais aberta que nunca

Cuevas está em busca do bicampeonato na competição. Crédito: Felipe Duest/NB Photopress

O Uruguaio Pablo Cuevas vem rumando mais uma vez para o bicampeonato na competição. Ele venceu sem dificuldades o argentino Londero por 2 sets a 0 com parciais de 6/1 e 6/4 e está nas quartas-de-final da competição.

“Estou começando a jogar mais forte depois de um ano passado muito ruim. Ano passado estive lesionado e as coisas não aconteceram, mas estou começando a emendar novamente. Meu jogo voltou a encaixar e aqui é um lugar que me sinto bem” – Declarou após o jogo.

O último cabeça de chave da competição, o português João Souza foi eliminado por Casper Ruud por 2 sets 1 com parciais de 6/3, 3/6 e 6/4.

O Rio Open segue amanhã com as partidas de quartas-de-final da chave de simples e as semifinais das duplas. Veja a programação:


QUADRA GUGA KUERTEN a partir das 3:00 pm
A. Bedene (SLO) vs [Q] H. Dellien (BOL) 
L. Djere (SRB) vs [Q] C. Ruud (NOR) 
J. Munar (ESP) vs [WC] F. Auger-Aliassime (CAN) 
A. Ramos-Vinolas (ESP) vs P. Cuevas (URU)

QUADRA 1

  1. Gonzalez (ARG) / N. Jarry (CHI) vs [2] J. Cabal (COL) / R. Farah (COL) 
    [WC] T. Bellucci (BRA) / R. Dutra Silva (BRA) vs R. Jebavy (CZE) / A. Molteni (ARG)

Duplas brasileiras se destacam no terceiro dia do Rio Open

A noite do terceiro dia de competições no Rio Open reservou boas emoções na estreia da chave de duplas. Diferente a chave de simples em que o último favorito, o argentino Diego Schwartman sentiu dores nas costas e abandonou, Marcelo Melo e Bruno Soares e Cabal e Farah venceram seus compromissos e avançaram no torneio.

Chave de simples fica em aberto

Com o abandono de Schwartman que desistiu no segundo set depois de estar perdendo por 6/1 e no segundo abandonar no 4/1, a chave de simples será disputada por jogadores que estão com ranking acima do número 65 e qualquer coisa pode acontecer.

Thiago Monteiro ficou pelo caminho no torneio. Crédito: Bruno Lopes/EAZ

O brasileiro Thiago Monteiro que poderia se aproveitar e trazer a oportunidade de título para o para o eslovaco Alizaz Bedene por 2 sets a 0 com parciais de 6/3 e 6/4 e acabou dando adeus a competição.

“Ontem eu consegui encaixar meu jogo contra o português, mas hoje, contra o Bedene era um jogo diferente e a forma como ele joga, não fica compatível com o meu jogo não me dei bem. Uma pena não poder dar essa alegria para torcida, mas fico feliz de ter conseguido chegar a segunda fase” – Comentou.

O canadense Felix-Auger Aliassine continua causando estrago na competição. Na última partida da quadra central, ele venceu o chileno Christian Garin por 2 sets a 0 com parciais de 7/5 e 6/4. Ele que venceu Fognini na estreia, está nas quartas de final da competição.

Confronto de brasileiros nas duplas foi destaque

A dupla cabeça de chave número 1 dos mineiros Bruno Soares e Marcelo Melo venceram no sufoco por 2 sets a 1 com parciais de 7/6, 3/6 e 10/8 os compatriotas Tiago Wild e Mateus de Carvalho e avançaram para as quartas de final numa partida emocionante na quadra 1.

Melo/Soares saíram perdendo por 4 a 1 e buscaram e conseguiram a vitória no tie break no primeiro set. No segundo, saíram ganhando, mas tomaram a virada e no super tie break, tiveram que suar bastante para conseguir a vitória.

“Essa não é a estreia que eu esperava aqui. Começamos errando muito no primeiro set, mas no segundo o Marcelo errou bastante e permitimos a virada dos garotos. A decisão ficou para o final e é sempre dramático. Mas conseguimos a vitória e avançamos e vamos esperar o próximo adversário em partida na quadra central amanhã” – Comentou Bruno após o jogo.

Nas duplas, quem também avançou foi Marcelo Demoliner que está jogando com o dinamarquês Frederik Nilsen por 2 sets a 0 com parciais de 6/0 e 7/6 contra o uruguaio Pablo Cuevas e o espanhol Mark Lopes.

Tomaz Bellucci e Rogério Dutra também venceram a sua partida no super tie break. Eles encaram o britânico Cameron Norrie e o português João Souza com parciais de 2/6, 6/3 e 10/4 e vão encarar Bruno e Marcelo na próxima rodada.

Já Tiago Monteiro que entrou jogando com Fernando Romboli, perdeu para os britânicos Luke Banbride e Jonny O´mara também no super tie break por 2 sets 1 com parciais de 6/2, 3/6 e 11/13.

Os colombianos Cabal e Farah, cabeças de chave número 2 do torneio, não tiveram dificuldade em vencer o americano Nicholas Moroe e o mexicano Miguel Reyes-Varela por 2 sets a 1 com parciais de 6/4 e 6/1.

Larry Passos recebe homenagem na quadra central

Larry foi homenageado na quadra central. Crédito: Bruno Lopes/EAZ

O ex-treinador de Guga Kuerten, Larry Passos foi homenageado na quadra central da competição e revelou que passou por um tratamento de câncer de próstata e se disse curado ao público e ficou emocionado na coletiva contando o caso.

"Quando detectaram o câncer falaram que era de grau 3 ou 4, mas depois quando examinaram melhor viram que era de grau 5, ainda maior. Logo que fiquei sabendo já queria operar. Acredito muito em deus e acho que ele me deu essa tarefa para aprender a ter mais cuidado comigo mesmo", contou Larri em entrevista coletiva após a homenagem.

Assinar este feed RSS