fbpx

Hugo Calderano conquista o ouro e torna-se o terceiro mesa-tenista da história bicampeão individual

Um dia histórico para o Brasil. Hugo Calderano confirmou seu favoritismo e venceu o torneio individual masculino dos Jogos Pan-Americanos de Lima. Passou a ser o terceiro mesa-tenista na história dos Jogos a conquistar um bicampeonato individual (Hugo Hoyama foi campeão em 1991 e 1995 e o chinês naturalizado dominicano Lin Ju venceu em 2003 e 2007). De quebra, carimbou o passaporte para a Olimpíada de Tóquio, em 2020. Bruna Takahashi, no torneio feminino, ficou com o bronze. Em seu primeiro Pan, já é a recordista de medalhas entre as mulheres do tênis de mesa brasileiro: uma prata e dois bronzes.

Para vencer o torneio masculino, Calderano teve que passar pelo chinês naturalizado dominicano Jiang Wu, por 4 a 3 (11/8, 6/11, 8/11, 11/7, 8/11, 11/8 e 11/2). Na semifinal, pela manhã, ele já havia derrotado o canadense Eugene Wang, por 4 a 2 (8/11, 11/7, 11/6, 7/11, 11/9, 11/6).

Diante de um jogador que fez parte das seleções de base chinesas e foi naturalizado há poucos meses, Calderano teve um bom desempenho no primeiro set. Controlou a partida e venceu por 11 a 8. Mas encontrou extrema dificuldade na recepção na parcial seguinte, sendo batido por 11 a 6.

As trocas muito rápidas do dominicano seguiram incomodando o brasileiro, que não conseguia impor seu ritmo no terceiro set. Ele abriu cinco pontos de diferença e Calderano não conseguiu reagir. O panorama mudou na parcial seguinte, quando Hugo voltou a encaixar seus golpes, fechando em 11 a 7.

O quinto set foi de grande equilíbrio, seguindo sem definição até a igualdade em 7 a 7, quando Wu voltou a dificultar a recepção do brasileiro e conseguiu a vitória. No sexto, novo equilíbrio até a metade da parcial, quando Hugo finalmente tomou conta do jogo. Fechou em 11 a 8 e partiu para o set decisivo, onde foi absoluto e garantiu a conquista.

"É uma sensação incrível ganhar pela segunda vez os Jogos. Estou muito feliz com esse segundo ouro em Lima. Uma sensação muito boa ser o terceiro bicampeão. O Hugo Hoyama fez muito pelo tênis de mesa, teve um outro chinês bicampeão e estou me juntando a esse grupo. Estou muito feliz com o meu nível, principalmente na final. Ele é um jogador muito forte tecnicamente e mentalmente. Ele estava domindo a partida no início, mas procurei achar soluções.

No torneio feminino, Bruna Takahashi, caiu na semifinal para a porto-riquenha Adriana Diaz, por 4 a 0 (9/11, 8/11, 3/11, 4/11). Adriana foi a campeã do torneio feminino, enquanto Bruna já entrou para a história do tênis de mesa do Brasil, ao conquistar três medalhas (prata nas duplas mistas, e bronze no individual e duplas femininas). Ela ainda pode conquistar mais uma medalha, no torneio de equipes.

Agenda

A quinta-feira terá o início da disputa de equipes. Cada partida tem cinco confrontos, sendo um de duplas e quatro individuais, levando a melhor quem conseguir vencer três. O time masculino é composto por Hugo Calderano, Gustavo Tsuboi e Eric Jouti, e estreia contra o Canadá, às 14h30 (de Brasília). Pouco antes, ao meio-dia, Bruna Takahashi, Jessica Yamada e Caroline Kumahara encaram as mexicanas, no torneio feminino.

Brasil conquista ouro na dupla masculina de tênis de mesa

O Brasil é campeão do torneio de duplas masculino dos Jogos Pan-Americanos de Lima. Nesta terça-feira (6), Gustavo Tsuboi e Hugo Calderano venceram os argentinos Gaston Alto e Horacio Cifuentes, por 4 a 2 (11/6, 12/14, 8/11, 11/6, 12/10 e 12/10). Este foi o primeiro ouro do tênis de mesa do Brasil neste Pan. Antes, já havíamos conquistado um bronze (duplas femininas) e uma prata (duplas mistas), além da garantia de mais duas medalhas no individual.

Calderano e Tsuboi formaram uma dupla de sucesso até o início de 2017, com algumas medalhas em torneios do Circuito Mundial. Depois, pouco atuaram juntos em torneios internacionais. Mas o entrosamento permaneceu, resultando no título do Pan-Americano. Foi a terceira medalha de Hugo em Jogos Pan-Americanos e a sétima de Gustavo, que disputou seu primeiro Pan em 2003.

Mesmo com toda a qualidade dos dois, uma final não teria como ser fácil e tranquila. A partida começou nervosa para os brasileiros, até o momento em que o placar apontava 5 a 5. Foi quando a dupla achou o jogo e não deu mais chances aos argentinos, fechando em 11 a 6.

No início da segunda parcial, só deu Argentina. Alto e Cifuentes chegaram a abrir 9 a 0 e fizeram 10 a 4, precisando de apenas um ponto para fechar. Os brasileiros foram salvando ponto a ponto e conseguiram a espetacular virada. Mas houve nova reação da parceria argentina e placar definido em 14 a 12.

“O importante quando isso acontece é manter a calma. Lógico que a gente sente o set que escapou pela mão, mas o importante era focar no próximo set. Não podemos ficar pensando no ponto que passou”, analisou Calderano.

O terceiro set mostrou os argentinos explorando os erros da parceria brasileira e fechando em 11 a 8. No quarto, os brasileiros conseguiram se recuperar, mas teriam dois sets de extremo equilíbrio pela frente, antes de poderem comemorar a vitória e o posto no lugar mais alto do pódio.

“Eu já esperava que fosse difícil, eles estavam lutando muito. O estilo deles é de muitos ralis, eles estavam neutralizando os nossos ataques. Mas, nos finais de sets, conseguimos finalizar”, disse Tsuboi.

Agenda

Nesta quarta-feira, Hugo Calderano pode ganhar mais um ouro. Ele está na semifinal do torneio individual masculino e enfrenta o canadense Eugene Wang, às 15h (de Brasília). No feminino, pouco antes, às 13h, Bruna Takahashi enfrenta a porto-riquenha Adriana Diaz, também na semifinal. Na quinta-feira, começa o torneio de equipes.

Hugo Calderano termina entre os oito melhores da primeira etapa do Circuito Mundial

O brasileiro Hugo Calderano fechou neste sábado (19) a sua participação no Aberto da Hungria de Tênis de Mesa, em Budapeste, ficando entre os oito melhores da competição. Na partida das quartas de final, ele foi superado pelo chinês Wang Chuqin, por 4 a 2 (11/5, 6/11, 8/11, 4/11, 14/12 e 5/11) e não se classificou para a semifinal. Os quatro vencedores das quartas de final foram chineses. Além de Chuqin, Xu Xin, Fan Zhendong e Lin Gaoyuan vão disputar o título da etapa.

Assim como já acontecera desde a estreia no Aberto da Hungria, Calderano começou muito bem o jogo. Fez um excelente primeiro set, vencendo por 11 a 5. Mas depois, encontrou extrema dificuldade com o estilo de jogo do chinês. A partir do segundo set, o brasileiro não conseguiu mais impor seu ritmo, encontrando extrema dificuldade nas devoluções. Chuqin abriu 6 a 1 na segunda parcial, fechando em 11 a 6. No terceiro set, o adversário abriu uma diferença ainda maior, de 7 a 1. Calderano ainda conseguiu reagir, mas não deu tempo de tentar a virada.

No quarto set, o brasileiro começou bem, fazendo 3 a 1. Após o adversário virar para 6 a 3, o técnico Jean-René Mounie pediu tempo, mas Calderano não conseguiu reverter o quadro, sendo batido por 11 a 4. Mesmo precisando vencer três parciais consecutivas, Calderano não se abateu e equilibrou finalmente o confronto, obrigando o técnico chinês a pedir tempo quando a partida estava 9 a 8 para o brasileiro. Porém, Chuqin não conseguiu a reação, perdendo por 14 a 12. No sexto set, o chinês voltou a impor as mesmas dificuldades ao brasileiro na devolução e conseguiu a vitória por 11 a 5, fechando o confronto.

No ano passado, Calderano foi semifinalista da mesma competição, o que poderá representar uma pequena perda de pontos no ranking mundial, mas não de colocação (deve manter-se na sexta posição), pois os adversários atrás dele na lista e que participaram da competição na Hungria não chegaram nesta fase. A diferença do brasileiro para o sétimo colocado (o sul-coreano Sangsu Lee) é de quase 600 pontos, enquanto o oitavo colocado (Wong Chung Ting, de Hong Kong) está quase 1.300 pontos atrás.

Hugo Calderano se aproxima do Top-5 Mundial no primeiro ranking de 2019

O mesa-tenista Hugo Calderano está muito próximo de atingir o Top-5 Mundial. Na manhã desta quarta-feira (2), o novo ranking mundial divulgado aponta o brasileiro na mesma posição do mês anterior, a sexta colocação. Porém, a distância para o quinto colocado é muito pequena, de apenas 110 pontos, e pode diminuir ainda mais neste mês, quando será disputado o Aberto da Hungria.

Calderano subiu 765 pontos em relação ao ranking anterior, somando agora 13.955 pontos. O quinto colocado era o japonês Tomokazu Harimoto, mas ele venceu o Grand Finals em dezembro (eliminando o brasileiro na semifinal) e subiu para o terceiro lugar. Por sua vez, o alemão Timo Boll, que estava em terceiro, caiu duas posições e está em quinto, com 14.065. O chinês Fan Zhendong segue liderando a lista, com 17.001 pontos.

A subida do brasileiro se deveu exatamente ao desempenho no Grand Finals, onde chegou na semifinal, superando inclusive o líder do ranking mundial nas quartas de final. Para conseguir diminuir ainda mais a distância para o Top-5 Mundial, Calderano terá de ser ao menos finalista do Aberto da Hungria, que começa no dia 15, pois foi semifinalista desta competição em 2018.

Calderano já é o melhor atleta das Américas desde a criação do ranking mundial e está próximo de ser considerado o melhor atleta das Américas de todos os tempos. O norte-americano Sol Schiff é considerado pela Federação Internacional de Tênis de Mesa (ITTF) como o número 4 do mundo, em 1938. Nesta época, não havia ranqueamento.

O primeiro ranking do ano mostra apenas ajustes nas posições dos demais brasileiros, em razão da ausência de competições internacionais no mês de dezembro. O país voltou a ter cinco atletas no Top-100 dos rankings masculino e feminino, com a subida de Lin Gui (100ª colocação). Gustavo Tsuboi (42º) e Eric Jouti (80º), no masculino, e Bruna Takahashi (73ª) no feminino completam a seleta lista.

Confira a posição de todos os brasileiros ranqueados: 

FEMININO

73ª Bruna Takahashi (73ª no ranking anterior)
100ª Lin Gui (101ª no ranking anterior)
156ª Caroline Kumahara (157ª no ranking anterior)
188ª Jéssica Yamada (189ª no ranking anterior)

MASCULINO

6º Hugo Calderano (6º no ranking anterior)
42º Gustavo Tsuboi (43º no ranking anterior)
80º Eric Jouti (81º no ranking anterior)
104º Thiago Monteiro (105º no ranking anterior)
114º Vitor Ishiy (116º no ranking anterior)
267º Cazuo Matsumoto (268º no ranking anterior)
279º Humberto Manhani (277º no ranking anterior)
863º Carlos Ishida (927º no ranking anterior)
903º Gustavo Yokota (964º no ranking anterior)
994º Vítor Santos (1.053º no ranking anterior)
1.061º Normando Alencar (1.113º no ranking anterior)

1.198º Luan Barbosa (primeira aparição no ranking)

Hugo Calderano é vice-campeão do Aberto do Catar

Após uma campanha surpreendente para todo o mundo do esporte, Hugo Calderano terminou sua participação como vice-campeão do do Aberto do Catar, disputado na capital do país, Doha. Na decisão, realizada na manhã deste domingo (11/03), o brasileiro foi superado por Fan Zhendong, da China, por 4 sets a 0 (11/13, 12/10, 7/11 e 7/11). O chinês, por sinal, é o maior pontuador da temporada e deverá ser confirmado como novo líder do ranking mundial.
 
A competição ficará marcada por mais um passo que o carioca de 21 anos dá na sua consolidação entre os melhores do mundo, com direito a vitórias marcantes e grandes atuações.
 
O vice-campeonato em uma competição Platinum - o Grand Slam do Tênis de Mesa - deu a Hugo uma premiação de US$ 14 mil. Ele agora é o segundo colocado do ranking da temporada, com 363 pontos, e deve aparecer entre os 10 do mundo na próxima listagem do ranking mundial. Esse foi o segundo torneio do Circuito Mundial que Hugo disputou no ano. Antes, ele tinha sido semifinalista do Aberto da Hungria.
 
O próximo compromisso de Hugo Calderano será o Aberto da Alemanha, outro torneio Platinum, no qual terá a companhia de Gustavo Tsuboi para representar o Brasil. A competição acontecerá na cidade de Bremen, entre 23 e 25 de março.
 
O jogo
O primeiro set teve a mesma cara dos duelos anteriores em seu início. Confiante, Hugo abriu vantagem de 8 a 2, aproveitando-se de alguns erros não-forçados do chinês, mas este equilibrou o jogo aos poucos, reduzindo a diferença para um ponto (9 a 8). O brasileiro pediu tempo e teve um set point não aproveitado. Zhendong virou o jogo para 11 a 10, mas Hugo buscou novo empate. Uma paralela que raspou a mesa deu a parcial ao chinês: 13 a 11.
 
Hugo veio atrás no marcador até o quarto ponto do segundo set, mas reagiu e abriu distância em 7 a 4. Novamente Zhendong reagiu, chegando ao empate em nove e salvando um set point de Calderano. Nova virada, agora em 12 a 10.
 
A terceira parcial foi dominada pelo chinês. Zhendong controlou o placar durante todo o tempo e venceu por 11 a 7. O mesmo panorama se deu no set final. Embora Hugo tenha evitado três match points, novo triunfo do rival por 11 a 7, confirmando a vitória.
 
A campanha
4 x 1 Lim Jonghoon (KOR) (11/1, 11/7, 11/9, 11/13 e 11/5)
4 x 1 Timo Boll (GER) (11/9, 11/9, 11/8, 7/11 e 12/10)
4 x 0 Tomokazu Harimoto (JAP) (11/5, 11/6, 11/6 e 11/7)
4 x 0 Lin Gayouan (CHN) (11/9, 11/8, 11/3 e 11/6)
0 x 4 Fan Zhendong (CHN) (11/13, 12/10, 7/11 e 7/11)

Assinar este feed RSS