fbpx

João Zwetsch encerra ciclo como capitão da equipe brasileira da Copa Davis

Após nove anos à frente da equipe Brasileira de Copa Davis e logo após o confronto entre Brasil e Bélgica pelo Qualifying da competição, João Zwetsch não ocupará mais a função de capitão. Ele colocou o cargo à disposição na noite do dia 02/02. “Eu e a CBT já vínhamos conversando sobre esse ciclo e no meu entendimento chegou o momento de fechamento”, avaliou Zwetsch.

“Foi um ciclo importante, que abrangeu várias gerações de atletas, um ciclo de aglutinação de jogadores, com grandes momentos como a vitória do Brasil sobre a Espanha, com a participação no Grupo Mundial da competição. Toda a equipe possui muito respeito com o trabalho desenvolvido pelo João, que sempre priorizou um clima de parceria e respeito na equipe, dentro e fora das quadras”,  salientou Westrupp. 
 
“Gostaria de agradecer a confiança depositada em mim, primeiramente pelo Jorge Lacerda e depois por Rafael Westrupp. Também agradecer a todos os profissionais que estiveram comigo nesse desafio, o técnico Daniel Melo, o preparador físico Eduardo Faria, os médicos Ricardo Diaz e Gilbert Bang, os fisioterapeutas Paulo Roberto Santos e Otávio Kiefer. Agradecer aos atletas que passaram pela equipe brasileira enquanto estive nela. Vivi momentos de muito crescimento com cada um da equipe”, falou João. 
 
O próximo confronto da equipe brasileira na Copa Davis será no mês de setembro e até lá será definido o próximo capitão.

Brasil é eliminado na Copa Davis jogando em casa

O cenário estava perfeito! Partida em casa diante da torcida em Uberlândia e uma dupla acostumada a trazer vitórias para o Brasil. Mas Bruno Soares e Marcelo perderam a partida diante da dupla belga Sander e Joran e depois Thiago Monteiro acabou perdendo para Kimmer Coopejans e o Brasil não irá jogar a fase principal da Copa Davis.

 

Dupla favorita perde na primeira do dia

A maior esperança de vitória brasileira nas duplas estava com a dupla Marcelo Melo (12o do ranking da ATP) e Bruno Soares (5º ) que encararam Gille Sander (83º) e Vliegen Joran (86º). Mas o que se viu foi uma derrota dos brasileiros por 2 sets a 1 com parciais de 6/4 e 7/6 em 1h21min de partida.

“A partida foi decidida no saque. Sabíamos um pouco do que eles poderiam fazer e conseguiram devolver melhor que a gente. O jogo realmente foi decidido no detalhe e eles souberam aproveitar melhor as condições daqui e se deram bem. DE longe não é as condições que gosto de jogar, mas temos que adaptar as condições aqui que são iguais para todos” -  Disse Bruno após a partida.

Marcelo Melo concordou com a sua dupla e ainda completou:

“As condições em altura dificultam muito e contra quem saca bem, fica mais difícil. Treinamos bastante essa semana e estamos acostumados a jogar juntos. Eles tiveram a sorte de quebrar no início e todos esperavam que íamos ganhar, mas eles estão acostumados a jogar em dupla e isso fez alguma diferença. Eu vim de lesão e todos esperam que nós ganhamos, mas isso não foi determinante” – Falou.

O jogo

No primeiro set deu para perceber como a dupla belga estava muito mais solta em quadra que os brasileiros. Enquanto que Sander e Joran não encontraram dificuldade em confirmar seus games e conseguir a quebra no terceiro game, Melo e Soares suavam muito a camiseta para confirmar seus games. E com a quebra obtida, os europeus conseguiram fechar o set em 6 a 4 e colocar 1 a 0 no jogo.

Melo e Soares começaram a entrar mais na partida no segundo set. Diferente do primeiro, souberam aproveitar bem seus games de serviço. Mas Sander e Joran mantiveram o mesmo ritmo do primeiro set e desse jeito, o jogo acabou decidido no Tie Break, onde os brasileiros cometeram pequenos erros e acabaram perdendo por 7 a 6 e os belgas viraram para 2 a 1 na série da Davis.

 

Thiago perde e elimina Brasil

Kimmer Coopejans venceu Thiago Monteiro e decretou o avanço da Bélgica no torneio. Crédito: Raphael Oliveira/EAZ

Na outra partida do dia, Thiago Monteiro bem que tentou, mas com dificuldade, não conseguiu passar por Kimmer Coopejans, perdendo por 2 a 0 com parciais de 6/3 e 6/4.

“Tentei dar o meu melhor, mas não consegui vencer ele. O belga jogou bastante nos saques e se aproveitou muito bem da velocidade para conseguir alcançar a vitória jogando um tênis num alto nível e mesmo me sentindo bem na quadra. Mesmo depois da derrota da dupla, nos reunimos para tentar motivar bastante, mas não deu mesmo.” – Comentou após a derrota.

Thiago foi quebrado logo no primeiro serviço do jogo e permitiu que Copejans abrisse 2 a 0 rapidamente e acabou depois permitindo uma segunda quebra. E apenas confirmando seus serviços, o belga não encontrou dificuldades e fechou o primeiro set em 6 a 3.

O enredo no segundo set foi parecido. Thiago ainda começou melhor, mas acabou tomando uma quebra que foi fundamental para o belga que depois só precisou administrar o jogo vencendo por 6 a 4 e eliminando o Brasil na disputa.

Com o resultado, o time brasileiro voltará a jogar o zonal americano, onde poderá novamente tentar uma chance de chegar à final da Copa Davis

Brasil e Bélgica empatam em primeiro dia de Davis Cup

Com direito a apoio da torcida no Sabiazinho em Uberlândia, a seleção brasileira começou bem a participação na Copa Davis diante de um time belga que veio sem suas principais estrelas conquistando uma vitória com Thiago monteiro e uma derrota com Rogério Dutra.

 

Thiago vence fácil na primeira do dia

 

Embalado pelo título de Montevidéu no último fim de semana, Thiago Monteiro (107º do ranking mundial) não encontrou dificuldades para vencer o belga Arthur de Greef (202º) por dois sets a zero com parciais de 6/3 e 6/2 e abriu 1 a 0 abrindo caminho para a permanência do Brasil na Copa Davis.

“Fiz alguns jogos agora em janeiro e isso me ajudou a dar segurança e confiança. Fiz o meu melhor jogo de Copa Davis e a torcida foi muito bacana comigo. A quadra está em ótima condição e a altitude aqui em Uberlândia junto com a quadra coberta ajudam com que eu possa fazer o meu melhor. Sai quebrando no primeiro e no segundo set e fiz o jogo fluir sendo fundamental para a minha vitória”.

Thiago não precisou fazer muita força para garantir a vitória. No primeiro set, ele saiu vencendo por 3 a 0 seu adversário e deu uma leve relaxada. Mas mesmo assim, não demorou a impor sua força novamente e conseguiu fechar o primeiro set em 6 a 3.

Já no segundo, mesmo com o belga quebrando a sua raquete, Thiago manteve firme seu jogo e venceu por 6 a 2 o set liquidando a fatura.

 

Rogério perde para Copejans

Na outra partida do dia, Rogério perdeu para o belga Kimer Copjeans por duplo 6 a 4 e permitiu que a Belgica empatasse o confronto.

“Não me senti como estava nos treinamentos. Estava tentando achar o ponto médio da bola e não estava me adaptando a altitude daqui. Faltou um pouquinho de sorte e competência de levar a partida para o terceiro set e incomodar o serviço do belga.” – Comentou Rogerinho após a partida

No primeiro set, uma partida muito equilibrada em que Copejans conseguiu quebrar o serviço do brasileiro e foi suficiente para ele administrar o jogo e faturar o primeiro set por 6 a 4.

Já no segundo, o belga já conseguiu a quebra ainda no primeiro game e foi o suficiente para ele controlar a partida e fechar novamente em 6 a 4 deixando Brasil e Bélgica empatados em 1 a 1 no primeiro dia de confrontos.

A Copa Davis segue amanhã com a partida de duplas entre Marcelo Melo e Bruno Soares contra Sander Gille e Joran Vliegen com partida marcada para as 14hrs.

Thiago Monteiro completa Time Brasil para Davis e realiza primeiro treino em Uberlândia

O cearense Thiago Monteiro chegou na noite de segunda-feira em Uberlândia e treinou pela primeira vez com a equipe brasileira, que agora está completa, no Ginásio Sabiazinho. Campeão do Challenger 80 de Punta Del Este, no Uruguai, no último domingo, o número 1 do Brasil fez o reconhecimento da quadra em um treinamento intenso com seu xará, o paranaense Thiago Wild, e aprovou as condições.

“Estou muito feliz de poder representar o Brasil mais uma vez na Copa Davis, gostei muito das condições daqui, estão um pouco mais rápidas do que em Punta, tem um pouco de altitude, a quadra é coberta. Estou muito motivado para esse confronto, que é importantíssimo para nós. Acho que a equipe está bem preparada e unida para tentar essa vaga no Grupo Mundial”, afirmou o tenista, que subiu 19 posições com o título no Uruguai e aproximou-se do top 100, na 107ª colocação. “Venho bem confiante, bem motivado e espero poder apresentar um bom nível de tênis nesse confronto”, completou.

Brasil e Bélgica se enfrentam nos dias 1 e 2 de fevereiro, no Ginásio Sabiazinho, por uma vaga na fase final do novo formato da competição entre países, que será disputada em Madri, em novembro. Comandada pelo capitão João Zwetsch, a equipe brasileira é formada por Thiago Monteiro e Rogério Dutra Silva, raquetes 1 e 2 nacionais, respectivamente, por Bruno Soares e Marcelo Melo, que formam a dupla, e pelo jovem Thiago Wild como quinto jogador.

A delegação do Brasil ainda conta com os atletas da transição João Menezes e Igor Marcondes e os juvenis Pedro Boscardin e Natan Rodrigues, como sparring dos profissionais; o preparador físico Eduardo Faria; os fisioterapeutas Paulo Santos e Rogério Kiefer, o Tatá; os técnicos Daniel Melo e Luiz Peniza; o médico Ricardo Savoldelli; além de chefe de delegação Eduardo Nunes.

Nesta quarta-feira, serão realizadas as coletivas de imprensa das duas equipes. Os primeiros a responderem as perguntas dos jornalistas serão os belgas, às 14h30. Na sequência será a vez do time brasileiro. O sorteio oficial será na quinta-feira, às 11h30, no Praia Clube.


Os ingressos para o confronto seguem com valores promocionais no site: www.ingressonacional.com.br.

Confira os valores para cada lote (ingressos válidos para os 2 dias):

Anel superior: de R$ 290 por R$ 174 (2º lote – desconto de 40%)
Anel inferior lateral: de R$ 370 por R$ 259 (3º lote – desconto de 30%)
Anel inferior fundo: de R$ 450 por R$ 315 (3º lote – desconto de 30%)

Tagged sob

Rio Open recebe nova geração no qualifying de 2019

A ATP divulgou nesta terça-feira (29) os jogadores classificados para o qualifying do Rio Open que acontece entre 16 e 24 de fevereiro, no Jockey Club Brasileiro. A fase classificatória do maior torneio de tênis da América do Sul será realizada nos dois primeiros dias (16 e 17) e definirá quatro tenistas que ganharão uma vaga na chave principal, com inicio dia 18. A entrada para o qualifying é franca. Os ingressos para a chave principal estão à venda em tudus.com.br/rioopen, com preços a partir de R$ 30.

A nova geração aparece em peso na lista. O britânico Cameron Norrie, de 23 anos, é o atual número 64 do mundo. Ele já fez uma final de ATP neste ano, em Auckland, e vem se destacando deste a última temporada, quando representou muito bem o seu país na Copa Davis durante a ausência de Andy Murray.

Outro nome de destaque é o canadense Felix Auger-Aliassime, um dos maiores prodígios dos últimos anos. Aos 14 anos e sete meses de idade, ele se tornou o tenista mais jovem a passar pelo qualifying e a vencer um jogo de chave principal de Challenger. Aos 18 anos, ele já tem quatro títulos de Challenger, marca similar à de nomes como Novak Djokovic e Juan Martin del Potro na mesma idade. Ele também venceu o US Open juvenil em 2016.

O paulista Rogério Dutra Silva representará o Brasil na luta pela vaga. Semifinalista do Rio Open em 2017, o norueguês Casper Ruud também jogará o qualifying, assim como o sueco Elias Ymer, o boliviano Hugo Dellien e o italiano Lorenzo Sonego.

"O público terá a chance de ver, com entrada gratuita, nomes que prometem ser o futuro do circuito. O Auger-Aliassime tem impressionado o mundo do tênis com um currículo de profissional mesmo ainda sendo adolescente. O Norrie vem em grande ascensão e tem tudo para estourar de vez neste ano. Sem falar no nosso guerreiro Rogerinho, que vai contar com todo o apoio dos torcedores", afirmou Luiz Carvalho, Diretor do Torneio.

O qualifying é composto por uma chave com 16 tenistas. Outras três vagas serão preenchidas com wild card (convites).

 Quem vencer duas rodadas entra na chave principal, que já tem cinco jogadores entre os 25 melhores do mundo: o austríaco Dominic Thiem, vice-campeão de Roland Garros, os italianos Fabio Fognini e Marco Cecchinato, o argentino Diego Schwartzman, atual campeão, e o espanhol Pablo Carreño Busta. Os brasileiros Thiago Monteiro e Thiago Wild receberam os dois primeiros convites.

Veja a lista do qualifying:

 

Cameron Norrie (GBR) - 64o

Pedro Sousa (POR) - 101o

Felix Auger-Aliassime (CAN) - 106o

Juan Ignacio Londero (ARG) - 112o

Lorenzo Sonego (ITA) - 113o

Paolo Lorenzi (ITA) - 114o

Elias Ymer (SUE) - 116o

Marco Trungelliti (ARG) - 117o

Hugo Dellien (BOL) - 119o

Casper Ruud (NOR) - 126o

Carlos Berlocq (ARG) - 135o

Rogério Dutra Silva (BRA) - 139o

Pedro Martinez (ESP) - 162o

 

ALTERNATES

Alessandro Gianessi (ITA) - 167o.

Andrea Arnaboldi (ITA) - 175o.

Horacio Zeballos (ARG) - 190o.

Kimmer Coppejans (BEL) - 195o.

Matteo Donati (ITA) - 207o.

Joao Domingues (POR) - 213o.

Thomaz Bellucci (BRA) - 223o.

Federico Gaio (ITA) - 226o.

Gian Marco Moroni (ITA) - 229o.

Kevin Krawietz (GER) - 232o.

Brasil realiza primeiro treino da Davis, no Ginásio Sabiazinho, em Uberlândia

A equipe brasileira realizou o primeiro treino no Ginásio Sabiazinho, em Uberlândia, na tarde deste domingo, visando o confronto do playoff da Copa Davis contra a Bélgica, nos dias 1 e 2 de fevereiro. 

Comandado pelo capitão João Zwetsch, o paulista Rogério Dutra Silva treinou por duas horas com João Menezes Igor Marcondes, que estão integrando a delegação nacional como sparring. Já o mineiro Marcelo Melo treinou com os jovens Pedro Boscardin e Natan Rodrigues, ambos atletas do Time Guga, que também fazem parte da equipe como sparring. 
 
Nesta segunda-feira, Bruno Soares e Thiago Wild se juntarão à equipe. Enquanto Thiago Monteiro disputa a final do Challenger de Punta Del Este, no Uruguai, na noite deste domingo.
 
“Começamos hoje a preparação, a equipe não está inteira aqui. O Bruno Soares chega amanhã, o Thiago Monteiro joga a final hoje em Punta del Este e também deve chegar amanhã e provavelmente começar a treinar na terça-feira. Mas temos esses quatro, cinco dias para se adaptar às condições, à altitude, quadra coberta”, avaliou Zwetsch, que também elogiou a estrutura e a quadra construída no Ginásio Sabiazinho. “A estrutura surpreendeu positivamente, a quadra ficou boa, as dependências também são excelentes, os vestiários. Temos tudo o que precisamos”, ressaltou. 
 
“Muito legal voltar a vestir a amarelinha, voltar a jogar em casa, fico imaginando o apoio da torcida, então é muito legal. As condições estão bem boas, primeiro dia ainda é difícil de falar, tem um pouquinho de altura, mas a quadra está bem boa, está picando legal”, avaliou Rogério Dutra Silva, que aproveitou para convocar a torcida para apoiar o Brasil. “Vamos fazer uma grande semana para nos preparar para este confronto contra a Bélgica e espero que a torcida brasileira lote o Sabiazinho para nos apoiar”, destacou. 
 
A Bélgica treinou pela manhã, com Arthur De Greef, e no fim da tarde com o raquete 1 e Kimmer Coopejans. A dupla formada por Sander Gille e Joran Vliegen chegará nesta segunda-feira. O capitão Johan Van Herck também ficou satisfeito com a estrutura do Ginásio Sabiazinho. “A estrutura é muito boa, a quadra também. Sabemos que será um confronto difícil, mas estamos preparados”, afimou.
 
Brasil e Bélgica se enfrentam nos dias 1 e 2 de fevereiro pelo playoff da Davis, valendo uma vaga na fase final da competição entre países em Madri, na Espanha. Os ingressos seguem com valores promocionais no site:www.ingressonacional.com.br.
 
Confira os valores para cada lote (ingressos válidos para os 2 dias):
 
Anel superior: de R$ 290 por R$ 174 (2º lote – desconto de 40%)
Anel inferior lateral: de R$ 370 por R$ 259 (3º lote – desconto de 30%)
Anel inferior fundo: de R$ 450 por R$ 315 (3º lote – desconto de 30%)

Bia vence a primeira no Australian Open e desafia número 2 do mundo

Em mais uma grande atuação, a tenista paulista Beatriz Haddad Maia estreou com vitória, na madrugada desta segunda-feira, na chave principal do Australian Open.

Bia bateu a norte-americana Bernarda Pera, 68o. do mundo, em 2 sets a 1, parciais de 6/3 5/7 6/4, em 2h22min de partida. “Foi muito bom hoje. Estava muito quente e consegui me manter bem forte de cabeça e acho que isso foi o diferencial. Pra menina era primeira rodada, ela estava um pouco mais nervosa. Em alguns momentos as duas oscilaram, mas faz parte”, analisou Bia, que antes havia vencido as três rodadas do qualifying.

Pela segunda rodada, a tenista número 1 do Brasil e 195o. do mundo terá um desafio pela frente: a alemã Angelique Kerber, número 2 do mundo, que passou pela eslovena Polona Hercog, por duplo 6/2. As duas canhotas se enfrentarão pela primeira vez.

“Contra a Kerber é ficar firme, manter meu jogo. Aproveitar o ritmo, já que já joguei contra uma canhota e continuar fazendo o meu jogo, não me preocupar com a minha adversária e, principalmente, acreditar em mim!”, afirmou a brasileira que tentará o feito inédito também de chegar à terceira rodada do Australian Open (no ano passado parou na segunda rodada).

Bia fura o quali e conhece adversária da estreia no Australian Open

A tenista paulista Beatriz Haddad Maia garantiu, na noite desta quinta-feira, sua vaga para a chave principal do Australian Open ao chegar à terceira vitória no qualifying. Bia é a única representante do Brasil no primeiro Grand Slam da temporada.

Com grande atuação na terceira e última rodada do quali, Bia superou a norte-americana Jennifer Brady, cabeça de chave 16 do qualifying e 125o. do mundo, por 6/3 6/4, em 1h26min de partida.

“Virei um jogo duro, estava 4/1 e vantagem pra ela, com saque e duas quebras na frente e eu consegui lidar com a situação. Fisicamente, senti que ela estava cansada e fiz ela jogar todos os pontos, fazendo ela correr e sair com a vitória”, explicou a tenista número 1 do Brasil e 176o. do mundo.

Bia disputa pela segunda vez o Australian Open. No ano passado chegou à segunda rodada, quando foi parada pela tcheca Karolina Pliskova, então sexta favorita ao título do torneio.

A brasileira fará sua estreia na chave contra a norte-americana Bernarda Pera, 69o. do mundo. Será o segundo encontro entre as duas. O primeiro aconteceu em 2014, no saibro de Breda, na Holanda, vencido pela norte-americana por 6/1 7/6(8).

“Estou muito feliz com a minha atuação no quali. Agora sim entramos no torneio. Estou com uma energia muito boa, confiante e jogando agressiva, o que eu acho que é o principal”, afirmou Bia.

ATP divulga lista completa do Rio Open 2019

A lista completa de jogadores garantidos na chave de simples do Rio Open foi divulgada nesta terça-feira (8) pela ATP. O maior torneio de tênis da América do Sul terá quatro tenistas do top 20 do ranking mundial: o austríaco Dominic Thiem (8º), os italianos Fabio Fognini (13º) e Marco Cecchinato (18º) e o argentino Diego Schwartzman (19º), atual campeão. Os ingressos para o evento, que acontece entre 16 e 24 de fevereiro no Jockey Club Brasileiro, estão à venda pelo site tudus.com.br/rioopen, com preços a partir de R$ 30. 

A chave será liderada pelo vice-campeão de Roland Garros, Thiem, que tentará o bicampeonato no Rio Open, assim como Schwartzman. Vice em 2015, Fognini é um dos grandes nomes da história do torneio carioca, e Cecchinato retorna após o melhor ano de sua carreira, em que derrotou Novak Djokovic nas quartas de final de Roland Garros e alcançou sua primeira semifinal de Grand Slam. Na última semana, ele alcançou as semifinais do torneio de Doha.

Finalistas da edição de 2016, o uruguaio Pablo Cuevas e o argentino Guido Pella retornam em 2019, assim como outros tenistas que já fizeram boas campanhas no Rio Open, como o espanhol Pablo Carreño Busta, o chileno Nicolas Jarry e o norueguês Casper Ruud.

Com nove jogadores entre os 50 melhores do mundo, o line-up conta com alguns estreantes no Rio Open. Por exemplo, o espanhol Jaume Munar, de 21 anos, que treina na academia de Rafael Nadal, em Mallorca, e já ocupa a 74ª colocação do ranking, meses após alcançar as semifinais do NextGen Finals. Outros jovens que farão sua primeira participação no torneio são o alemão Maximilian Marterer, 70º, e sérvio Laslo Djere, 91º, ambos com 23 anos. O veterano tunisiano Malek Jaziri, de 34 anos, também debuta na competição.

Caso alguns dos jogadores inscritos tenham que desistir do torneio, os cinco primeiros na lista de “alternates" são Cameron Norrie (GBR), Pedro Sousa (POR), Lorenzo Sonego (ITA), Felix Auger-Aliassime (CAN) e Paolo Lorenzi (ITA). Norrie e Auger-Aliassime são grandes esperanças para 2019. O britânico de 23 anos estreou na Copa Davis em 2018 com vitória sobre o número 23 do mundo Roberto Bautista Agut. Já o canadense foi o tenista mais jovem a vencer um jogo de Challenger da história, aos 14 anos, e venceu o US Open juvenil em 2016. Atualmente, ele tem 18 anos e se aproxima do top 100.

Além dos 23 que têm entrada garantida pelo ranking, o brasileiro Thiago Wild tem seu lugar garantido na chave principal. O paranaense de 18 anos conquistou a vaga ao vencer a Maria Esther Bueno Cup, torneio “next gen” entre tenistas brasileiros. Ainda há oito posições a serem preenchidas: quatro pelo qualifying (realizado nos dias 16 e 17 de fevereiro), mais três convidados e um special exempt (para tenistas que não puderem disputar o qualifying por estarem em ação em outro torneio). Um dos três convites é reservado para solicitação de tenistas da lista A+ da ATP. 

“Já tínhamos garantidos três dos melhores jogadores de saibro do mundo (Thiem, Fognini e Schwartzman) e teremos também o Cecchinato, que fez uma ótima temporada em 2018, com uma vitória sobre o Djokovic e uma semifinal de Grand Slam. Além deles teremos nomes da nova geração como o Munar, Garín, Jarry, Marterer, Norrie e o Auger-Aliassime. Tem tudo pra ser umas das edições mais disputadas com 7 dos 10 tenistas com mais vitórias no saibro em 2018 no circuito da ATP”, disse Luiz Carvalho, Diretor do Torneio.


Veja a lista de inscritos no Rio Open:


Dominic Thiem (AUT) - 8º

Fabio Fognini (ITA) - 13º

Marco Cecchinato (ITA) - 18º

Diego Schwartzman (ARG) - 19º

Pablo Carreño Busta (ESP) - 24º

Malek Jaziri (TUN) - 42º

Nicolas Jarry (CHI) - 43º

João Sousa (POR) - 44º


Dusan Lajovic (SER) - 45º


Leonardo Mayer (ARG) - 54º


Albert Ramos-Viñolas (ESP) - 65º


Guido Pella (ARG) - 66º


Aljaz Bedene (ESV) - 67º


Maximilian Marterer (ALE) - 70º

Roberto Carballes Baena (ESP) - 73º

Jaume Munar (ESP) - 74º


Federico Delbonis (ARG) - 77º


Taro Daniel (JAP) - 78º


Guido Andreozzi (ARG) - 80º


Pablo Andujar (ESP) - 82º


Christian Garin (CHI) - 86º


Pablo Cuevas (URU) - 90º


Laslo Djere (SER) - 91º


(WC) Thiago Wild (BRA) - 447º

 

Alternates

Cameron Norrie (GBR) - 93º

Pedro Sousa (POR) - 103º

Lorenzo Sonego (ITA) - 104º

Felix Auger Aliassime (CAN) - 106º

Paolo Lorenzi (ITA) - 109º

Com força máxima, Brasil é convocado para Copa Davis, em Uberlândia

O Brasil irá com força total em busca de uma vaga no Grupo Mundial da Copa Davis, contra a Bélgica. A equipe comandada pelo capitão João Zwetsch será formada pelos dois brasileiros mais bem colocados no ranking de simples da ATP, o cearense Thiago Monteiro (123o) e o paulista Rogério Dutra Silva (165o), e terá a forte dupla composta pelos mineiros Bruno Soares (7o) e Marcelo Melo (9o), além do paranaense Thiago Wild (530o), de apenas 18 anos, como quinto jogador.

O confronto será disputado nos dias 1 e 2 de fevereiro de 2019 no saibro do Ginásio Sabiazinho, em Uberlândia-MG. (Clique aqui para adquirir seu ingresso). 
 
“A equipe está bem formada. Rogerinho e Monteiro são os dois jogadores que tiveram os melhores resultados em 2018. A volta do Bruno também é importante para a equipe. O Bruno e o Marcelo são uma das melhores duplas da Copa Davis nos últimos anos, apesar de o Marcelo Demoliner ter demonstrado que pode suprir uma eventual ausência de um dos dois com qualidade. E o Thiago Wild como quinto jogador, de acordo com nosso critério de sempre chamar um garoto na fase de transição, que tenha qualidade e possa jogar eventualmente”, explicou Zwetsch.
 
O capitão brasileiro acredita em um confronto duro contra os belgas, que devem ter David Goffin, atual 22 do mundo e ex-top 10, na equipe. Mas Zwetsch aposta no fator casa para fazer a diferença. A última vez que o Brasil jogou em casa na Copa Davis foi em 2016, em Belo Horizonte, quando venceu o Equador por 3 a 1. 
 
“A gente prevê um jogo muito difícil contra a Bélgica do Goffin, que vem jogando em um nível muito alto nos últimos anos e consequentemente eleva o nível da equipe. Será um confronto difícil, mas o fator local ainda é importante na Copa Davis. O apoio da torcida, a energia que ela traz para dentro do jogo é muito importante. Temos que aproveitar bem isso. Nossa torcida é sempre forte, nos ajuda muito e tenho certeza que dessa vez será da mesma forma”, destacou.
 
O número 1 do Brasil, Thiago Monteiro também confia na força do fator local. O tenista, que está em pré-temporada com sua nova equipe na Argentina, está bastante motivado para o confronto contra a Bélgica e tem como uma das metas para 2019 obter um bom resultado na Copa Davis.
 
“Sem dúvida jogar em casa depois de cinco confrontos fora será uma motivação a mais. Sentir o calor da torcida, aquele clima diferenciado que a Davis proporciona. Estou muito motivado com minha nova equipe fazendo a pré-temporada, pretendo ter um grande ano em 2019 e jogar bem na Davis, ajudando a classificar o Brasil para o Grupo Mundial. Essa é uma meta não apenas minha, mas de toda a equipe”, ressaltou Monteiro.
 
De volta à equipe, após priorizar seu calendário na ATP em 2018, Rogerinho também está motivado. “Muito legal estar voltando para a Copa Davis, uma das competições que eu mais gosto. Jogar em casa, ainda mais agora que será diferente daqui pra frente. Então, vai ser muito bacana jogar, espero que possamos sair com a vitória em casa e quem sabe jogar o Grupo Mundial”, projetou. 
 
Bruno Soares, que também não jogou os confrontos da Davis em 2018 por questões pessoais – o nascimento do segundo filho –, também está feliz por voltar a representar o Brasil na competição entre países. “Depois de um ano afastado por questões pessoais será legal demais voltar para a equipe. Jogar em casa para classificar nesse formato novo. Muito bacana para o Brasil. Estou muito feliz em ser chamado e ter a confiança do capitão. Expectativa boa demais de jogar em terras mineiras. Muito especial. Espero que eu e Marcelo possamos contribuir com nosso ponto”, afirmou o tenista de Belo Horizonte.
 
Sétimo jogador que mais defendeu o Brasil em Copa Davis com 21 participações, Marcelo Melo comemorou mais uma convocação. “Estou muito feliz em mais uma vez ser convocado para fazer parte da equipe. Todos sabem a importância que eu dou para a Copa Davis, tenho um orgulho enorme em defender o Brasil”, revelou.
 
Por fim, o jovem Thiago Wild, que fez uma excelente temporada em 2018, conquistando o inédito título do US Open juvenil para o Brasil, e fazendo bons jogos no profissional, também ficou feliz com a convocação.
 
“Fazer parte da equipe da Davis é sempre muito interessante, o ambiente é bom e a convivência é legal. Eu já faço parte da equipe da Davis há dois anos, mas como jogador será a segunda vez. Como estou começando agora, acho que aos poucos irei me acostumando com o torneio, com o modo dos jogos e irei ganhando espaço na equipe”, avaliou Wild, que foi convocado pela primeira vez em Santo Domingo e participou do Programa Juniors/Pró da CBT, que dá a oportunidade para jovens tenistas acompanharem os profissionais na Copa Davis e em grandes torneios.
 
Este será o quarto confronto entre Brasil e Bélgica e a equipe brasileira tentará quebrar o tabu de nunca ter vencido os belgas na Copa Davis. Os europeus venceram os três duelos anteriores, todos em casa, em 1960, em 1993 (quando o Brasil perdeu o mando de quadra) e em 2016.
 
Caso vença a Bélgica, o Brasil garantirá vaga na fase final da competição, na Espanha, entre os dias 18 e 24 de novembro. Em 2019, a tradicional competição terá novo formato com 18 países disputando o cobiçado troféu em Madri, ao fim da temporada, depois do ATP Finals.
Assinar este feed RSS