fbpx

Guga Rechaça ser tecnico de tênis e quer curtir a familia

Em entrevista coletiva concorrida, Gustavo Kuerten, o Guga, contou um pouco sobre o que está fazendo da vida, como também recachou a ideia de ser treinador de tênis como alguns jogadores que estão na atividade no momento.

Ser técnico

- Estou com a cabeça voltada para estar para a família e respeitar o intervalo que estive no circuito, não penso em ser técnico no momento.  Pode ser que daqui há 10-15 anos eu pensei em ser técnico mas no momento não penso em ser técnico. É bom ver casos com o Djokovic com o Boris Becker fazendo sucesso, mas ainda não é para mim.

Tênis Brasileiro

O brasil surpreendeu nas últimas duas semanas com o feijão com apresentações consistentes  e está conseguindo lhe dar com defeitos que acontecem, tipo a jogada que ele errou ontem e ele conseguiu ganhar a partida. A confiança começa a sobrar e ajuda o jogador a se tornar consistente. A bia já teve resultado bom uns 2 anos atrás e hoje está conseguindo buscar de novo. Mantendo esses torneios aqui no rio e em sp e mantendo o investimento na base, vai mistificando um pouco e deixa bem claro o quanto de comprometimento tem que existir. Vc ve o nadal, chega 8 da manhã, não aguenta o calor, mas volta no dia seguinte e treina um pouco mais. A garotada tem que aproveitar bem essa oportunidade e aqui no Rio é uma oportunidade de atração que pode melhorar o tênis em 5 e 10 anos.

Bellucci

O Bellucci tem que melhorar a forma como joga e criar fatos para aprender a jogar com fatos para melhorar a situação. O Nadal vai jogar de qualquer jeito, mas dá um jeito e ganha. Fico surpresa como pegamos no pé dele, ele já foi o n. 22 do mundo, ele é muito bom, tem resultados consistentes, é um garoto novo e pode ainda melhorar mais e amadurecer. A carreria dele está em ascensão e ele tende a se estabilizar e tende a ir bem. O feijão pode ajudr ele. Me lembro do fininho nessa provocação e ele me ajudava e eu ajudava ele.  Se ele continuar melhorando, ele pode quebrar paradigmas e ser um top 10.

Competições no Brasil

Está de bom tamanho 2 torneios no brasil. Em breve podemos pleitear um máster 1000 e quantos brasileiros não vão ver torneios lá fora. Mas tem que ser uma visão construtiva.  Nos meus primeiros anos, joguei 150 torneios lá fora e só 5 no brasil. Só em 2000, quando fui n.1 que joguei pela atp por aqui. Hoje um dia os jogadores aqui estão com bastante incentivo, tem umas lacunas a serem preenchidas, mas os investimentos no brasil estão num segundo nível. Temos que ter a convicção de ter mais. Quem sabe não vem um torneio maior para cá. Os caras hoje não precisam negociar para ficar lá fora, eu tinha que negociar para ficar a casa de alguém, pleitear uma pizza ou Coca-Cola. Hoje eles chegam numa melhor condição, mas não deixam de ralar muito mesmo assim.  Hoje a realidade é muito mais fácil.

Rio Open

 

Pode melhorar sempre o rio open. Eu vejo que esse torneio está da média para cima. A estrutura está excelente. O sol não chorávamos tanto assim na minha época. Que torneio tem um Bellucci e Nadal numa primeira rodada de casa cheia? Por isso que o Nadal vem, ele se sente bem porque é agradável, o Ferrer tb. O torneio está interessado em dar as melhores condições. O desafio é ter uma estrutura fixa e todo ano ter que montar e desmontar. Se tivesse algo fixo seria muito melhor. É isso que impede o brasil a trazer gente de outros esportes, o não ter algo fixo não traz muitas pessoas.

Bia e Teliana vencem e estão na semifinal

Pela segunda vez no dia, Bia Maia venceu mais uma partida, dessa vez nas duplas ao lado de Teliana Pereira, por 2 sets a 0 com direito a pneu no segundo set e estão na semi-final do torneio. A dupla derrotou a americana Nicole Melichar e a romena Elena Bogdan

“É uma oportunidade para mim, sou uma menina de 18 anos e elas podem esperar qualquer coisa de mim, é manter minha agressividade e uma honra jogando bem como estou. No primeiro jogando estranhei as pessoas pedindo foto para mim, Está sendo uma coisa nova para mim e nunca soube o que é ser famosa. . A dupla é boa para pegar ritmo, melhoramos o posicionamento com a Teliana e estou me recuperando bem do jogo da simples para dupla com tudo o que preciso, depois jogo dupla e treino em seguida. Não faz diferença o horário para mim. É manter a rotina.” – Conta Bia que venceu mais cedo no jogo de simples.

No primeiro set, muita dificuldade das duas duplas de confirmar o serviço com a primeira quebra vindo somente no 7º game em favor das brasileiras e com Teliana jogando um game ruim em seguida, acabaram tendo devolvida a quebra e o game foi decidido no final com 7 a 5.

Com a torcida lotando a quadra 1, a dupla se inspirou e não deu a menor chance para as estrangeiras e acabam aplicando um pneu nas adversárias, vencendo por 6 a 0 e se classificando.

“Não tínhamos muito contato antes e está sendo uma oportunidade para gente.  Estamos indo bem por enquanto. O importante é estar sempre ganhando. Gosto de dupla que treino bastante e é um torneio WTA, vamos lutar pelo título e cada jogo que você ganha, ajuda." - Diz Teliana que está animada para próxima rodada.

 

Na próxima rodada, as brasileiras terão pela frente a belga Ysaline Bonaventure e a sueca Rebecca Peterson.

De Bakker desiste de jogo e Ferrer avança

Depois de um jogo equilibrado no primeiro set, o holandês De Bakker se sentiu mal e desistiu do jogo, fazendo com que o espanhol David Ferrer vença a partida e siga adiante.

“Fiz o meu melhor nessas duas partidas e espero poder seguir bem no torneio. Foi estranho a desistência do meu adversário, espero que ele melhore e espero poder continuar dando uma alegria ao publico que veio me ver” – Conta Ferrer após a partida

O primeiro set da partida marcou um grande equilibro entre Ferrer e De Bakker. Todos os games foram confirmados pelos jogadores que levou a decisão para o tie break e mantendo o equilíbrio, o jogo foi até a 10, quando o espanhol conseguiu fechar o set e venceu o primeiro set.

No segundo, De Bakker sentiu problemas estomacais quando o placar estava em 2 a 0 para o Ferrer e desistiu da partida.

 

Na próxima rodada, Ferrer terá pela frente o argetino Juan Monaco.

Bia vence e está nas quartas de final

Com muita facilidade, Bia Maia, número 234 do mundo venceu a eslovena Polona Hercog, cabeça de chave número 7 e avançou para as quartas de final. Com apenas 18 anos de idade e apenas sua segunda vitória num jogo de WTA, a brasileira não tomou conhecimento de sua adversária e em pouco mais de uma hora, fez dois sets a zero

“Estou muito feliz com esse resultado e não deixei minha adversária jogar em nenhum momento. Estava nervosa e não mostrei isso para a Hercog. Está sendo uma semana maravilhosa e a torcida está me dando muita força.” – Conta Bia sobre sua vitória para o Sportv.

Única brasileira na chave de simples, no primeiro set a brasileira se impôs e anulou sua adversária ao perceber que ela não estava bem. Jogou bolas ao fundo e a eslovena cedeu pontos com facilidade e ganhou por 6 a 1.

Já no segundo, a adversaria ameaçou reagir, mas não demorou muito para o jogo ficar igual ao primeiro set e a vitória veio por 6 a 2.

 

Bia agora descansa um pouco e daqui a pouco joga duplas com Teliana Pereira. Na chave de simples, ela aguarda a vencedora do jogo entre Sara Errani, cabeça de chave n.1 do torneio e a espanhola Lourdes Dominguez Lino que estão jogando neste momento na quadra 1.

Em disputa de três horas, Feijão vence e está nas quartas de final

Foram pouco mais de três horas de uma dura batalha e no final, João Souza, o feijão venceu o esloveno Blaz Rola por 2 sets a 1 e avançou para a próxima fase do Rio Open.

“Quando errei o voleio no segundo set que errei, pensei em me manter no jogo. Foi importante ter ganho o game seguinte e pude voltar a me concentrar e ficar no jogo. Vai ser um jogo duro que terei pela frente, meu adversário é meu amigo fora de quadra e até treinamos na Colombia. Hoje quero curtir a minha vitória e amanhã já penso no meu adversário. Tenho que aproveitar ao máximo o apoio da galera que é muito importante e se não fossem eles, tenho certeza que não sei o que seria de mim.” – Conta Feijão sobre sua vitória.

Feijão começou o ritmo frenético, tratou de abrir o placar colocando uma vantagem de 3 games de vantagem para Rola, Mas numa relaxada, deixou seu adversário chegar que quase empatou. No final, soube se superar e fechou o game 6 a 4 vencendo o primeiro set.

No segundo set, o equilíbrio marcou o set até o 6º game, quando Rola quebrou o serviço do brasileiro num avanço na rede que não deu certo com a bola indo para fora do jogo. Mas no game seguinte, Feijão devolveu a quebra sem tomar conhecimento do adversário.

No meio do 7º game, uma mariposa resolveu pousar em quadra e causou um momento de descontração para a plateia que riu com a tentativa de Rola e da pegadora de bola de tirar o animal de quadra.

O set acabou indo para o tie break. Rola esteve por ganhar o set tendo 6 a 3 de vantagem. Empurrado pela torcida, Feijão reagiu e virou para 7 a 6. Ele teve a chance de fechar o jogo em três oportunidades e desperdiçou todas. Quando seu adversário conseguiu a vantagem, soube aproveitar e levou o jogo para o terceiro set com 12 a 10.

No set decisivo, Feijão e Rola fizeram um bom jogo com muito equilíbrio. Tiveram quebras para os dois jogadores. Na hora decisiva, a torcida empurrou o brasileiro para a vitória e fechou a partida ao quebrar o saque no 10º game e fechou a partida em 2 a 1 passando para a próxima fase.

 

Na próxima fase, Feijão terá pela frente o austríaco Andreas Haider-Maurer que derrotou Tommy Robredo, cabeça de chave número 3 do torneio por 2 sets a 0.

Teliana e Bia vencem e avançam nas duplas

Foi uma partida emocionante na quadra 1, Teliana Pereira e Bia  Maia protagonizaram uma batalha de 2h de duração e venceram a dupla formada pela taiwanesa Chan e da romena Olaru por dois sets a zero, com os dois sets indo para o tie break.

“Nunca jogamos juntos antes. Foi importante conversamos bastante e cada uma impôs seu ritmo e fomos nos adaptando para dar certo em quadra. Acho que dá uma bela dupla, se tivermos uma boa oportunidade, podemos jogar juntas.” – Conta Teliana sobre a partida.

No primeiro set, muito equilíbrio no jogo. As estrangeiras quebraram um serviço logo no inicio da partida e as brasileiras souberam equilibrar as coisas e o jogo foi decidido no tie break com vantagem para Bia e Teliana por 7 a 2 e fecharam o set com 7 a 6

No segundo, as brasileiras começaram com ritmo total. Abriram 3 a 0, mas deram uma pequena escorregada permitindo quebra das adversárias que encostaram em 3 a 2 e viraram o placar quando chegou a 5 a 4. Porém elas conseguiram voltar ao jogo e levaram para mais um tie break.

A disputa foi emocionante com as gringas abrindo o placar, mas elas conseguiram equilibrar as coisas e venceram o jogo por 7 a 4 e avançam para próxima fase.

“Pela quadra 1 ser menor, ela arrepia. Foi uma experiência boa e curti muito.” – Diz Bia.

 

Na próxima rodada, as duas enfrentam a dupla formada pela romena Bogdan e da americana Melichar, que venceram na primeira rodada a argentina Bua e a venezuelana Gamiz.

Melo se machuca e está fora das duplas

No primeiro jogo de duplas na quadra central, o brasileiro Marcelo Melo junto com a sua dupla o austríaco Julian Knowle enfrentaram a dupla formada pelo espanhol Pablo Andujar e o austríaco Oliver Marach. Mas com Melo machucado e sem condições, a partida foi difícil e acabram derrotados por dois sets a zero.

“Eu aqueci normal, aqueci normal e quando baixei para pegar meu tênis, senti minha lombar e tentei fazer tratamento e todas as medidas possíveis. Não consegui nem levar minha raqueteira para a quadra. Então pedi para minha dupla para jogar e pelo jogo ser aqui e são poucos os torneios, quis continuar na partida e fui no meu limite, mas não deu.” – Conta Melo em coletiva realizada depois da partida.

No primeiro set, Marcelo Melo pediu atendimento médico. Sem conseguir jogar bem, a dupla com o brasileiro tomou um pneu e perdeu o primeiro set por 6 a 0. No intervalo entre um set e outro, houve um segundo atendimento.

Já no segundo, a dupla começou bem e saiu ganhando de 2 a 0, conseguindo uma quebra, mas deixou virar o placar e chegando a 3 a 2, quando Melo precisou de mais um atendimento médico. Mesmo assim, tentaram chegar até o final da partida e acabaram perdendo por 6 a 3.

 

Na próxima rodada, Andujar e Marach enfrentram os brasileiros André Sá e Feijão que na primeira rodada venceram os argentino Gonzalez e Monaco em sua estreia.

Bellucci tentou mas perdeu para Nadal na primeira rodada

Thomas Bellucci bem que tentou, mas não foi páreo para o espanhol Rafael Nadal e foi eliminado no último jogo da primeira rodada do Rio Open, perdendo por dois sets a zero.

“Eu sabia que hoje era um jogo que eu teria que sacar bem que é uma das minhas armas e as condições estavam desfavoráveis para mim. Em muitos momentos ele se aproveitou bem. Sabia que hoje seria um jogo muito difícil e com tudo contra mim e ele teve o mérito de ganhar hoje.” – Conta Bellucci sobre sua derrota na coletiva de imprensa

O inicio do jogo foi promissor para o brasileiro, onde ele conseguiu ganhar o primeiro game e ambos foram trocando games. No 5º game, Bellucci conseguiu salvar 4 quebras seguidas, mas não resistiu. O que se viu depois foram outros três games com quebras e no último e deciso, Nadal confirmou o serviço e faturou o primeiro set por 6 a 4 em pouco mais de 50 minutos.

Já no segundo set, Nadal não deu a menor chance ao brasileiro. Com muita facilidade derrotou o brasileiro por 6 a 1 e liquidou a partida, se classificando para a próxima rodada.

“Todas as vitorias me deixam confiante e me permitem seguir. Foi uma ótima partida e fazia um tempo que não jogava no saibro. Foi um primeiro set equilibrado, cometi uns erros, ele cometeu outros e no segundo set encaixei meu ritmo e conseguir fazer o resultado andar mais rápido. Belluci é um bom jogador e tem grande potencial, é difícil jogar com o jogador do país que tem a torcida ao seu favor.” – Diz Nadal sobre sua vitória

Nadal na próxima rodada joga contra seu compatriota Pablo Carreno Busta.

Ferrer estreia com vitória no Rio Open

O espanhol David Ferrer, cabeça de chave n.2 do torneio, estreou com vitória diante de seu compatriota Daniel Gimeno-Traver por dois sets a zero e avançou para a segunda fase no Rio Open. Foi uma vitória que não exigiu muito do número 9 do mundo e precisou de pouco mais de uma hora para vencer.

No primeiro set, Ferrer começou a partida forte e foi logo se impondo e não demorou para ele vencer seu adversário por 6 a 4.

 

Já no segundo, no mesmo ritmo, a vitória veio rapidamente ao ter duas quebras sobre Gimeno-Traver, vencendo por 6 a 3 e se classificando para a próxima rodada.

Paula Gonçalves e Gabriela Ce estão fora das duplas

Em um jogo emocionante na quadra 2, as brasileiras Gabriela Ce e Paula Cristina Gonçalves perderam no super tie break diante da dupla belga Bonaventure e da sueca Peterson e ficaram de fora do torneio de duplas femininas.

O primeiro set foi um jogo fácil para as estrangeiras que mostraram sua superioridade e venceram por 6 a 3.

Já no segundo, as brasileiras começaram a reagir e venceram por 3 a 0 logo de cara. Porém, num erro de Paula, a dupla se desconcentrou e permitiu o empate em 4 a 4 e estavam para perder o jogo.  Conseguiram uma virada espetacular e venceram por 7 a 5.

No super tie brake, começou no mesmo ritmo do segundo set com as brasileiras abrindo 3 pontos de vantagem. Mas acabaram permitindo o empate e no final, deixaram elas virarem e perderam por 10 a 8 e estão eliminadas do torneio.

 

Gabriela Ce volta à quadra amanhã joga na quadra central contra a sueca Johanna Larson as 11h

Assinar este feed RSS