Circuito Oceânico da Ilha de Santa Catarina tem início com disputas da regata longa

Na C30 o Zeus Team foi o mais rápido no primeiro dia Crédito imagem: Gabriel Heusi/ICSC Na C30 o Zeus Team foi o mais rápido no primeiro dia

Uma quarta-feira de chuva e ventos rondados. Foi assim que começou a disputa do 26º Circuito Oceânico da Ilha de Santa Catarina, nessa quarta-feira (4), em Jurerê. E logo no primeiro dia a Comissão realizou as disputas da regata longa, o que exigiu ainda mais dos velejadores das classes ORC, BRA-RGS, C30 e HPE25. Após a largada, o vento sueste com intensidade de 08 a 10 nós (aproximadamente 18km/h) e permaneceu dessa maneira até o final das disputas.

As Classes ORC e C30 fizeram o percurso mais longo de todas as regatas, conhecido como Grande Triângulo. Após largarem em frente à Sede Oceânica do Iate Clube de Santa Catarina, em Jurerê, as embarcações seguiram rumo a Ilha do Arvoredo, passando antes pela Ilha do Francês, e em seguida rumaram em direção à Ilha do Mata Fome, retornando a Jurerê. Essa regata é disputada desde a primeira edição do Circuito Oceânico, disputado em 1980, e tem aproximadamente 34 milhas náuticas.

Repetindo a disputa da Volta à Ilha, realizada em dezembro do ano passado, os veleiros C30 travaram um grande duelo, mas dessa vez o Zeus Team, do comandante Inácio Vandressen superou o Katana, atual campeão do Circuito Oceânico. Após 6h28m19s, o veleiro catarinense abriu as disputas na frente. Caballo Loco e Corta Vento vieram logo atrás, em 3º e 4º, respectivamente.

Na ORC, mais uma bela disputa entre os veleiros Mano Champ´s, que representa o Itajaí Sailing Team, e o carioca Ângela Star VI, campeão da classe na edição passada. Com Avelino Alvarez no comando, a embarcação catarinense levou vantagem nesse primeiro dia e confirmou a primeira posição na regata após 6h01m55s. Com isso, o Ângela Star VI, de Peter Siemsem, sai atrás na briga pelo bicampeonato.

“Nós fizemos uma ótima regata. Apesar dos ventos rondados e de muitos detalhes dentro do barco, nossa equipe conseguiu se sobressair. Temos um time experiente, com velejadores de Itajaí e Florianópolis”, disse Avelino Alvarez, comandante do Itajaí Sailing Team.

As classes RGS e HPE25 fizeram uma regata com percurso mais curto, de aproximadamente 23 milhas náuticas, velejando diretamente para a Ilha do Mata Fome e retornando a Jurerê. Na RGS Geral o Argonauta foi o grande vencedor, seguido por Massu I, Garrotilho, Açores III, Flash Best Felllow e Ursa Maior.

Já na HPE25 o catarinense Força 12, do comandante Arno Juk, venceu a primeira regata e saiu na frente. O Força 12 venceu em dezembro a XIV Ilha do Largo, que ocorre em paralelo a Volta à Ilha de Santa Catarina, e agora quer o título do Circuito Oceânico. Seu maior concorrente, o Tereza, chegou em segundo.

 

Resultados:

RGS Geral:

1º Argonauta

2º Massu I

3º Garrotilho

4º Açores III

5º Flash Best Fellow

6º Ursa Maior

 

HPE25:

1º Força 12

2º Tereza

 

C30:

1º Zeus Team

2º Katana

3º Caballo Loco

4º Corta Vento

 

ORC Geral:

1º Itajaí Sailing Team

2º Ângela Star VI

3º Bijupira 

Última modificação emQuinta, 05 Fevereiro 2015 00:12
Raphael Oliveira

Raphael Oliveira, Carioca morador de Uberlândia desde 2011 pós-graduado em Jornalismo Esportivo pela Faculdades Integradas Hélio Alosno (FACHA-RJ), apaixonado por esportes fundador do site de notícias esportivas “Esportes de A a Z” onde se divide entre editor e fotógrafo, possui na currículo cobertura de eventos como Grand Slam de Judo, Mundial de Judo, Liga Mundial de Vôlei, Finais do NBB e Superliga de Vôlei, Mundial de Natação Paralímpica, NBA e UFC e Paralímpiadas Rio 2016.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.