fbpx

Redação

Redação

Fognini estreia nesta segunda na abertura da sexta edição do Rio Open

Jogador com mais vitórias conquistadas nas cinco edições da competição, o italiano Fabio Fognini estreia nesta segunda-feira no maior torneio de tênis da América do Sul. Atual 15º do ranking mundial e cabeça de chave 2, Fognini soma 11 vitórias, que lhe valeram um vice-campeonato em 2015 e a semifinal no ano passado. Uma das estrelas da sexta edição, Fognini estreia contra o jovem canadense Felix Auger-Aliassime, às 19h, na quadra central do Jockey Club Brasileiro, e espera usar esse bom retrospecto para lutar pelo título.

"Estatísticas são apenas números, os jornalistas que gostam disso. Mas me sinto muito bem aqui, o público brasileiro gosta de mim. É um torneio grande, que jogo com muita vontade, então espero usar isso para ter uma boa semana e conquistar um bom resultado", disse o dono de oito títulos na carreira, sendo três deles conquistados no ano passado.

O adversário da estreia é o canadense Felix Auger-Aliassime, de 18 anos, um dos jogadores da Next Gen da ATP. Fognini, de 31 anos, e que foi pai há dois anos com a ex-jogadora Flavia Penetta, nunca enfrentou o jovem promissor. "Será um jogo bem duro, ele é um jogador jovem, mas tem qualidade e acredito que será uma grande estrela no futuro".

Auger-Aliassime é o 103º do ranking mundial, e um dos maiores prodígios dos últimos anos. Foi o tenista mais jovem a passar um qualificatório e vencer um jogo de torneio nível Challenger. Possui quatro títulos de Challenger, marca similar a nomes como do sérvio Novak Djokovic e do argentino Juan Martin Del Potro.

O primeiro dia de Rio Open também verá a estreia do jovem brasileiro Thiago Wild. O campeão juvenil do US Open 2018 enfrentará o japonês Taro Daniel, após a partida de Fognini. Mais cedo, na abertura da quadra central, às 16h30, o chileno Nicolas Jarry, semifinalista do Rio Open 2018, enfrentará o espanhol Roberto Carballes Baena.

Jarry, Auger-Aliassime e o brasileiro Thiago Monteiro visitaram neste domingo o Jardim Botânico, antes de estrearem na competição, e ficaram encantados com o local.  

Ordem dos jogos desta segunda

QUADRA GUGA KUERTEN start 4:30 pm
R. Carballes Baena (ESP) vs [8] N. Jarry (CHI) 

Not Before 7:00 pm
[WC] F. Auger-Aliassime (CAN) vs [2] F. Fognini (ITA) 
[WC] T. Seyboth Wild (BRA) vs T. Daniel (JPN)

QUADRA 1 start 4:30 pm
[7] M. Jaziri (TUN) vs F. Delbonis (ARG) 
[6] D. Lajovic (SRB) vs C. Norrie (GBR) 
[Q] E. Ymer (SWE) vs [Q] J. Londero (ARG)

QUADRA 2 start 4:30 pm
[WC] T. Monteiro (BRA) / F. Romboli (BRA) vs L. Bambridge (GBR) / J. O'Mara (GBR) 
G. Andreozzi (ARG) vs [Q] H. Dellien (BOL)

  • Publicado em Tênis

Viviane Lyra vence os 50 km da Copa Brasil de Marcha com recorde brasileiro

A marchadora Viviane Santana Lyra (FECAM-PR) venceu os 50 km da Copa Brasil Caixa de Marcha Atlética, neste domingo (17/2), em Bragança Paulista, com o tempo de 4:37.05. A carioca comemorou muito o resultado que é o novo recorde brasileiro da prova - a marca anterior pertencia a Nair Rosa (4:38:48, obtido em Sucúa, no Equador). Nair (AABLU-SC) foi a segunda colocada na competição.

No masculino, Claudio Richardson dos Santos (AABB Currais Novos-RN) conquistou o decacampeonato dos 50 km (4:30:03), com Rudney Dias Nogueira (USIPA-MG), ficando em segundo (4:55.46).

Os dois primeiros colocados no feminino e no masculino garantiram participação na Copa Pan-Americana, que será disputada dia 20 de abril, na cidade mexicana de Chihuahua, uma das referências da marcha no mundo.

Viviane ficou surpresa com o tempo para esta época do ano. "Fiz 4:41 no Troféu Brasil e não esperava baixar tanto o meu tempo. Fico feliz porque sei que estou no caminho certo. Uma marca dessas no início da temporada é muito boa e vou continuar trabalhando para evoluir. Também quero fazer os 20 km da Copa Brasil, dia 17 de março, no Balneário Camboriú. Por enquanto, estou fazendo as duas distâncias.”

Viviane tem 25 anos, nasceu no Rio de Janeiro, e conheceu a marcha numa competição da Escola Ramis Galvão, aos 12 anos. “Como não tem competição de marcha no Rio comecei a fazer os 3.000 m com obstáculos, mas no Evento-Teste para os Jogos Olímpicos, em 2016, voltei a marchar. Competi, fui bem e... não adianta: a marcha está no meu coração.”

O potiguar Claudio Richardson dos Santos conquistou o seu décimo título da competição (2000, 2002, 2003, 2004, 2009, 2010, 2011, 2013, 2014 e 2019. Claudio é dono também da melhor marca da Copa Brasil, obtida em Timbó (SC), em 2009, com 4:04:46. José Alessandro Bagio (FME Timbó-SC), bicampeão da Copa Brasil, desistiu da prova. “Foi uma prova dura, muitos atletas quebraram, mas estou bem satisfeito”, disse Claudio, de 42 anos, há 22 na marcha. “Agora vou treinar, com o professor Judson José de Lima, ir a Copa Pan-Americana e tentar fazer uma marca para ir aos Jogos Pan-Americanos.”

O decacampeonato de Cláudio Richardson certamente será um dos assuntos da semana em Currais Novos, especialmente no Salão Charme e Beleza, que o marchador tem na cidade em sociedade com a Jucilene e mais uma amiga. “Os clientes ficam sabendo, perguntam e começam a torcer pela marcha, pelas vitórias e o sucesso dos marchadores. Eles começam a conhecer o esporte e as dificuldades que o marchador enfrenta.” Claudio Richardson divide as funções de cabeleireiro com os treinos diários. “Tentei dar um tempo, mas fica um tédio. Voltei a treinar.”

O primeiro vencedor da Copa Brasil de Marcha, em 1989, Cícero Sabino de Moura, de 61 anos, esteve em Bragança Paulista para assistir à prova. Nasceu na Paraíba, morou a maior parte da vida em São Paulo e se naturalizou italiano - competiu os Jogos Olímpicos de Barcelona, em 1992, pela Itália, onde atuou no Clube Salerno por 12 anos. "A marcha era uma prova muito discriminada quando competi na primeira edição da Copa Brasil. Que bom ver que isso mudou.”

O pódio


Feminino
Viviane Santana Lyra - 4:37.05 (FECAM-PR)
Nair da Rosa - 4:54.09 (AABLU-SC)
Paula Raissa Paz da Silva - 5:13.13 (Sport Club do Recife-PE)

Masculino
Claudio Richardson dos Santos - 4:30.03 (AABB Currais Novos-RN)
Rudney Dias Nogueira - 4:55.46 (USIPA - MG)

As demais provas da Copa Brasil Caixa de Marcha Atlética serão disputadas no dia 17 de março na cidade de Balneário Camboriú, em Santa Catarina.

Quenianos vencem a 13ª Meia Maratona Internacional de São Paulo

Os corredores do Quênia levaram a melhor na 13ª Meia Maratona Internacional de São Paulo. Na manhã deste domingo (17), Geofry Kipchumba e Sharon Arusho confirmaram o favoritismo e venceram a prova. Após 21.097 metros por ruas e avenidas da capital paulista, Geofry marcou o tempo de 1h04min37seg, enquanto Sharon completou o percurso com o tempo de 1h17min03seg. Com o resultado, os estrangeiros agora dominam no masculino, com sete vitórias contra seis do corredores nacionais, e no feminino com a nona conquista na história da prova paulistana. 

O atletismo brasileiro ficou com o segundo lugar. Entre os homens, Gilmar Lopes cruzou a linha de chegada com o tempo de 1h05min51seg, seguido por Damião de Souza, campeão em 2009, com 1h06min51seg. Já na prova feminina Andréia Hessel foi vice com a marca de 1h19min22seg, vindo logo depois Simone Ferraz, 1h20min50seg. Na categoria Cadeirantes, Carlos Pierre de Jesus e Vanessa de Souza garantiram o topo do pódio. 

Uma das principais provas do calendário, a Meia Maratona Internacional de São Paulo completou sua 13ª edição. O dia nublado, com momentos de garoa, foi a marca deste ano, mas não tirou o entusiasmo dos atletas nem do público presente na Praça Charles Miller, em frente ao Estádio do Pacaembu. Na disputa entre brasileiros e estrangeiros, os africanos levaram vantagem, vencendo no masculino e feminino.

Geofry Kipchumba, de apenas 19 anos, deu sequencia a série de bons resultados do ano passado, quando venceu a Meia Maratona de Kilimanjaro, foi vice na corrida Shopping Aricanduva e terceiro colocado nas Dez Milhas Garoto. Ele largou bem, manteve um lugar entre os ponteiros para arrancar no km 5 rumo à vitória em São Paulo.

“A prova foi muito boa e adorei o percurso. Esta foi minha estreia nesta corrida e não poderia ser melhor. Espero repetir esse desempenho positivo nas próximas corridas”, destacou Geofry, campeão de 2019.

Gilmar Lopes, por sua vez, destacou o adversário. “Foi uma corrida um pouco dura e o queniano colocou um ritmo forte a partir do quilometro cinco. Como estou me preparando para a maratona dos Jogos Pan-Americanos no Peru, preferi não forças e estou bastante feliz com o segundo lugar”, declarou o vice-campeão. 

Feminino

No feminino, Sharon também não teve problemas para garantir mais uma conquista. Ela conseguiu superar o cansaço para ganhar neste domingo. “Foi  complicado, pois cheguei em cima da hora, na noite de sábado, e não consegui relaxar como queria. Mas valeu pelo resultado. Fiquei feliz em vir aqui e vencer”, afirmou Sharon, campeã no ano passado da Volta Internacional da Pampulha. 

Andréia Hessel, principal nome do país no evento, ressaltou o percurso. “Percurso desafiador, mas é que te instiga e exige bastante. Adorei o clima, que foi perfeito para correr. A ano começou desde o ano passado e não parei. Tenho índice para o Mundial e o Pan-Americano, ambos na maratona, espero chegar bem aproveitando provas fortes como esta”, disse a brasileira.

 

Resultados 2019 

 

Elite Masculino

1) Geofry Kipchumba (Quênia), 1h04min37seg

2) Gilmar Lopes (Brasil), 1h05min51seg 

3) Damião de Souza (Brasil), 1h06min51seg

4) Giovani dos Santos (Brasil), 1h07min18seg

5) Edson Amaro  dos Santos (Brasil), 1h07min37seg

 

Elite Feminino

1) Sharon Arusho (Quênia), 1h17min03seg

2) Andréia Hessel (Brasil), 1h19min22seg

3) Simone Ferraz (Brasil), 1h20min50seg 

4) Jaciane Araújo (Brasil), 1h23min59seg

5) Larissa Quintao (Brasil), 1h24min08seg

 

Cadeirante Masculino

1) Carlos Pierre de Jesus (Brasil), 58min03seg

2) Leonardo Melo (Brasil), 1h07min31seg

 

Cadeirante Feminino

1) Vanessa de Souza (Brasil), 58min57seg

2) Jéssica Giacomelli (Brasil), 1h12min47seg

 

Duelo de campeões Schwartzman x Cuevas é destaque na primeira rodada do Rio Open

O sorteio da chave principal do Rio Open apresentado pela Claro, neste sábado, definiu bons confrontos para a primeira rodada. O argentino Diego Schwartzman, campeão da última edição, e o uruguaio Pablo Cuevas, vencedor em 2016, se enfrentarão na estreia. O austríaco Dominic Thiem, número 8 do mundo e campeão no Rio em 2017, terá pela frente o sérvio Laslo Djere, 91º, e o italiano Fabio Fognini, 15º, encara a jovem promessa canadense Felix Auger-Aliassime,  que recebeu convite da organização.

A chave principal do Rio Open começa na segunda-feira, no Jockey Club Brasileiro. A estreia de Thiem e Schwartzman está programada para a sessão noturna da terça.  Os ingressos podem ser adquiridos em tudus.com.br/rioopen . Neste domingo, às 16h, acontece a última rodada do qualifying e também uma exibição de duplas mistas, entre Beatriz Haddad Maia/ Marcelo Melo e Teliana Pereira/Bruno Soares. A entrada é gratuita. O jogo exibição será por volta das 18h, na quadra 1. 

O Brasil tem dois representantes garantidos na chave principal. O cearense Thiago Monteiro enfrenta o português Pedro Sousa, e Thiago Wild joga contra o japonês Taro Daniel. A última rodada do qualifying neste domingo definirá os últimos quatro classificados para a chave.

Monteiro, que recebeu convite da organização, já viveu bons momentos no Rio Open. Alcançou as quartas de final em 2017 e, em 2016, eliminou o francês Jo Wilfried Tsonga, então número 9 do mundo, na primeira rodada. "Conheço bem meu adversário, já treinamos muitas vezes juntos. Ele terminou a temporada passada com títulos em challengers na América do Sul, mas estou confiante. Me sinto muito bem aqui, um dos meus torneios favoritos e conto com o apoio da torcida para fazer uma boa campanha", disse o brasileiro, que participou do sorteio na Praça Rio Open.

Em outro jogo da primeira rodada, o italiano Marco Cecchinato, 18º do mundo e semifinalista de Roland Garros no ano passado, enfrentará o esloveno Aljaz Bedene.

 

Confrontos da primeira rodada:

[1] Dominic Thiem (AUT) x Laslo Djere (SER)
[WC] Thiago Wild (BRA) x Taro Daniel (JAP)
Qualifier x Pablo Andujar (ESP)
Guido Pella (ARG) x [5] João Sousa (POR)
[3] Marco Cecchinato (ITA) x Aljaz Bedene (ESL)
Pedro Sousa (POR) x [WC] Thiago Monteiro (BRA)
Guido Andreozzi (ARG) x Qualifier
Roberto Carballes Baena (ESP) x [8] Nicolas Jarry (CHI)
[7] Malek Jaziri (TUN) x Federico Delbonis (ARG)
Lorenzo Sonego (ITA) x Albert Ramos-Vinolas (ESP)
Qualifier x Qualifier
Pablo Cuevas (URU) x [4] Diego Schwartzman (ARG)
[6] Dusan Lajovic (SER) x Cameron Norrie (GBR)
Jaume Munar (ESP) x Leonardo Mayer (ARG)
Christian Garin (CHI) x Maximilian Marterer (ALE)
[WC] Felix Auger-Aliassime (CAN) x [2] Fabio Fognini (ITA)

 

Rogerinho vence e está a uma vitória de entrar na chave principal do Rio Open

Rogério Dutra Silva venceu o italiano Matteo Donati, neste sábado, por 2 sets a 1, com parciais de 6/2, 3/6 e 6/1, e está a uma vitória de entrar na chave principal. O adversário deste domingo, com rodada começando às 16h, com entrada gratuita, será o argentino Juan Ignacio Londero.

Rogerinho foi o único brasileiro que avançou à segunda rodada do quali. Thomaz Bellucci perdeu do norueguês Casper Ruud por 2 sets a 0, com parciais de 7/6 (3) e 7/6 (6), e os jovens Rafael Matos, Natan Rodrigues e Mateus Alves também não avançaram.

 

 

Resultados do qualifying:

Rogério Dutra Silva (BRA) 2 x 1 Matteo Donati (ITA) - 6/2, 3/6 e 6/1

Casper Ruud (NOR) 2 x 0 Thomaz Bellucci (BRA) - 7/6 (3) e 7/6 (6)

Carlos Berlocq (ARG) 2 x 0 Natan Rodrigues (BRA) - 6/3 e 6/1

Pedro Martinez (ESP) 2 x 1 Mateus Alves (BRA) - 6/4, 3/6 e 7/5

Juan Ignacio Londero (ARG) 2 x 0 Alessandro Giannessi (ITA) - 7/6 (3) e 6/1

Hugo Dellien (BOL) 2 x 1 Rafael Matos (BRA) - 6/4, 1/6 e 6/0

Elias Ymer (SUE) 2 x 1 João Domingues (POR) - 3/6, 7/5 e 6/3

Facundo Bagnis (ARG) 2 x 0 Kimmer Coppejans (BEL) - 6/4 e 7/5

  • Publicado em Tênis
Assinar este feed RSS