fbpx

Barueri arranca vitória sobre o time do Sesc Rj

O time do Barueri veio ao Rio de Janeiro para encarar o Sesc Rj na Jeunesse Arena e acabou saindo com a vitória por 3 sets a 1 com parciais de 25/23, 18/25, 25/17 e 29/27 e se manteve firme no quarto lugar, tirando um pouco a diferença do próprio time do Rio que se segurou na terceira posição no campeonato.

O destaque da partida foi a polonesa Skowrosnka que no confronto direto contra a russa Kosheleva, saiu com a vantagem de 30 pontos contra 22 da sua adversária e foi peça fundamental do time paulista.

“Esse foi um jogo de nível alto! Foi muito importante ganhar essa partida e levar os pontos para casa. Temos alguns aspectos sempre a melhorar mais e mais e isso é algo que vamos sempre buscar atrás e eu continuar podendo ajudar o time assim, só contribui” – Comentou a polonesa após a partida.

Pelo lado do Sesc Rj, a levantadora Carol Leite lamentou a derrota e os muitos erros que a equipe cometeu ao longo do jogo que culminaram na derrota do time.

Kosheleva foi mais uma vez a maior pontuadora do time carioca, mas não foi suficiente para o time vencer. Crédito: Ricardo Dungó/EAZ

“Nossa equipe vinha crescendo, conquistou seis resultados positivos, mas hoje não deu. Acredito que a grande quantidade de erros foi o nosso maior problema. E em jogadas possíveis. O Bernardo sempre pontua isso e acabamos não conseguindo reverter em quadra” – Disse.

O Jogo

O primeiro set foi uma partida em alto nível. O Barueri começou mais forte e chegou a abrir para 8 a 5, quando as jogadoras do Sesc começaram a correr atrás e empataram a partida no 10 a 10 e viraram chegando a colocar 14 a 10. Mas com diversos erros, o time de São Paulo conseguiu virar o placar novamente e acabou fechando o set em 25 a 23.

Empolgado com a vitória no primeiro set, o Barueri deu uma desligada e o Sesc se aproveitou muito bem desse momento para fazer vantagem. Sem encontrar muita dificuldade, conseguiram fechar o set em 25 a 18 e empatar a partida em 1 a 1.

Mas aí no terceiro, quem começou a errar bastante foi o time carioca e o Barueri se aproveitou muito bem desse fato e devolveu em 25 a 17 o set e passou a frente com 2 a 1.

No quarto, o mais disputado de todo o jogo. O set começou muito equilibrado, mas em determinado momento, o Barueri chegou a ter 20 a 15 e encaminhava sua vitória e foi quando o time do Sesc reagiu e conseguiu virar a partida no 23 a 21 e parecia encaminhar o jogo ao tie break. Mas num bom saque de Dani Lins, o placar empatou no 23 e a 23 e o Barueri foi tendo a oportunidade de fechar a partida, mas sem o Sesc permitir por 6 oportunidades, mas numa boa de Thaísa, elas fecharam em 29 a 27 e venceram o jogo por 3 sets a 1.

Na próxima rodada, o Sesc tentará se reabilitar contra o Osasco no clássico fora de casa, enquanto que o Barueri receberá o Praia Clube.

SESC RJ perde para Bolívar e fica com o vice-campeonato da Copa Libertadores 2018-2019

O SESC RJ foi superado pelo Bolívar (Argentina) por 3 a 0 (parciais de 23-25, 18-25 e 27-29), em partida encerrada há pouco, nesta quarta-feira, dia 13, no Ginásio Abaeté (Taubaté), e ficou com o vice-campeonato da Copa Libertadores 2018-2019. O SESI SP venceu Taubaté por 3 a 2 e ficou com o terceiro lugar. Giovane Gávio lamentou a derrota e parabenizou os adversários.

- Cometemos alguns erros em momentos cruciais do jogo. Isso nos atrapalhou muito. Queríamos a vitória, entramos bastante concentrados, mas temos que dar os méritos ao Bolívar, que fez uma grande partida e mereceu a vitória - disse o técnico.

O equilíbrio esperado se confirmou em quadra. SESC RJ e Bolívar trocaram pontos durante todo o primeiro set, empatados em 21 a 21, até que a equipe argentina abriu frente num erro de ataque de Maurício Souza (23 a 21). Os cariocas tentaram a recuperação no placar, mas os hermanos fecharam a parcial em 25 a 23.

O segundo set começou da mesma maneira, com igualdade no placar e jogo parelho até 14 a 14. O SESC RJ voltou a errar na metade da parcial e viu os rivais abrirem 17 a 14, vantagem que aumentou até a vitória argentina por 25 a 18.

Veio o terceiro set e o SESC RJ precisava da vitória para manter vivo o sonho do título. Assim como nas duas primeiras parciais, placar igual, muito volume ofensivo e empate em 10 a 10. A equipe carioca voltou a errar e o Bolívar aproveitou, abrindo 15 a 12.

Giovane parou o jogo para o ‘tudo ou nada’. O time voltou melhor, melhorou no saque e se recuperou, empatando em 17 a 17, num ace de Tiago Barth, levando a igualdade até 23 a 23. O jogo seguiu empatado e emocionante, o SESC RJ lutou muito, mas o Bolívar fechou em 29 a 27, vencendo por 3 a 0 e conquistando o título.

O SESC RJ volta à quadra no próximo domingo, dia 17, para enfrentar o Fiat/Minas (MG) na Arena Minas (Belo Horizonte), a partir das 11h, pela sexta rodada do returno da Superliga Cimed 2018-2019.

Sesc vence o Fluminense e conquista sexta vitória seguida na Superliga

O Sesc RJ confirmou mais uma vez a boa fase no returno da Superliga Cimed Feminina 18/19. Diante do Fluminense, na noite desta terça-feira (12.02), o time comandado pelo técnico Bernardinho fez 3-0 (25-19, 25-16 e 25-23) e conseguiu sua sexta vitória seguida, alcançando os 37 pontos, na terceira colocação.
 
Destaque do time diante do Fluminense, a ponteira Kosheleva foi eleita a melhor em quadra. Com incríveis 19 pontos, ela também foi a maior pontuadora, comprovando sua evolução pessoal.
 
“Eu não acho, tenho certeza de que estamos evoluindo e mostrando nos jogos. Tivemos um início muito difícil na Superliga, principalmente para mim, que voltava de uma lesão grave. Mas sempre seguimos trabalhando muito, acreditando. E eu espero que melhoremos ainda mais”, afirmou Kosheleva, agradecendo ao apoio que recebeu de companheiras, comissão técnica e torcedores.
 
“O carinho que eu sempre recebi aqui é incrível. Preciso sempre dizer muito obrigado a todos. Jogar aqui tem me deixado muito feliz”.
 
Sobre o futuro, a estrela russa espera que possa brilhar ainda mais. Ciente de que terá adversários cada vez mais duros neste fim de returno, Kosheleva faz uma previsão otimista.
 
“Respeito muito todos os adversários e o trabalho realizado nas outras equipes. Mas eu não estaria sendo verdadeira se não dissesse que acredito muito no meu time. Não estou preocupada com o desempenho dos outros. Temos tudo para conseguir bons resultados diante de qualquer equipe”, finalizou.
 
O próximo compromisso do Sesc RJ será neste sábado (16.02), na Jeunesse Arena, diante do Barueri. A partida marcará o duelo entre o terceiro e o quarto colocado.
 
O jogo
O Sesc RJ começou a partida implacável, com Kosheleva sendo muito acionada e correspondendo. O time de Bernardinho abriu 4-1 com três pontos da russa, mas o Fluminense foi buscar o empate, após bobeadas do sistema de passe do Sesc: 5-5. A partir daí a partida teve um momento de equilíbrio, até Thaisinha cravar uma bola na entrada de rede e abrir dois pontos para o Tricolor: 10-8. A ponteira do Flu continuou sendo fundamental para seu time e emplacou um ace, colocando três pontos a frente: 13-10.
 
Bernardinho pediu tempo, acertou seu time e deu certo. Em um ace de Kosheleva o placar já mostrava 14-13 para o Fluminense. E a virada foi questão de tempo. Com uma chutada, Juciely empatou em 15-15. Logo em seguida, dois erros do Tricolor deram a vantagem que a equipe do Sesc precisava para deslanchar e fechar: 25-19 em uma bola de graça que Roberta converteu.
 
O segundo set começou como o primeiro, com Kosheleva sendo protagonista. A russa abriu o marcador com um ace. E logo depois a vantagem já era de quatro pontos: 6-2, após Joycinha mandar para fora um ataque na saída de rede do Fluminense. Bia bloqueou duas vezes Joycinha na saída de rede e aumentou a diferença para 13-8. Só que era a vez do Flu crescer. 
Depois de dois erros seguidos da equipe de Bernardinho, as donas da casa até esboçaram uma reação (14-17), mas já era tarde demais.
 
O Sesc voltou a crescer numa boa passagem de Monique pelo saque. Kosheleva fez dois pontos seguidos e praticamente decretou a vitória: 23-16. Drussyla, que ainda está em fase de recuperação de uma fratura por estresse, fez o ponto 24 numa pipe e um erro do Flu encerrou o set: 25-16.
 
A terceira parcial começou com o Fluminense na frente. Com uma instabilidade na linha de passe, o Sesc viu o rival abrir 4-1. Bernardinho parou a partida, fez seu time retomar a confiança e com Monique, na saída de rede, veio o empate: 7-7. Pressionado, o Flu começou a errar. Pri Daroit atacou para fora e deu a virada para o Sesc: 11-10. Kosheleva emplacou um ace logo em seguida: 12-10. E Pri Daroit acabou errando mais uma bola, obrigando Hylmer a pedir tempo: 13-10.
 
O Flu voltou para o jogo e foi buscar o empate em 14-14, fazendo Bernardinho também gastar um pedido de tempo. Com Drussyla em quadra, fazendo boa passagem pelo saque, o Sesc conseguiu abrir novamente. Em um erro de Thaisinha, tentando uma paralela na entrada de rede, o time de Bernardinho fez 18-15. Hylmer usou seu segundo pedido de tempo, mas não conseguiu voltar para o jogo: 25-23, em um ataque de Peña pela entrada de rede.

SESC RJ vence SESI SP e está na final da Copa Libertadores

O SESC RJ está na final da Copa Libertadores 2018-2019. A equipe carioca derrotou o SESI SP por 3 a 2 (17-25, 25-18, 25-23, 21-25 e 15-13), há pouco, na noite desta terça-feira, dia 12, pela semifinal da Copa Libertadores 2018-2019, no Ginásio Abaeté, em Taubaté (SP). Com a vitória, o SESC RJ vai enfrentar o vencedor de Taubaté x Bolívar (ARG), nesta quarta-feira, dia 13, na decisão do campeonato, a partir das 19h (horário de Brasília). O búlgaro Penchev marcou os últimos três pontos do tie-break, fechando o set num ace, e comemorou o resultado.

- Conseguimos uma grande vitória! Todos estão de parabéns! Estou muito feliz em poder ajudar o time, mas mais feliz porque mostramos a alegria e a união da nossa equipe. Somos mais do que um time. Agora temos uma final pela frente, precisamos estar concentrados para fazer um bom jogo - frisou.

Wallace elogiou o equilíbrio do time, e destacou a força do grupo.

- Esse jogo é mais do que uma semi... É um confronto entre equipes muito fortes. O SESI SP fez um baita jogo, conseguimos colocar a cabeça no lugar e oscilar menos na partida de hoje. O conjunto fez a diferença, a maneira como a equipe se comportou em quadra, além do saque, que foi fundamental para sairmos com a vitória. Demos o primeiro passo, agora é descansar e focar na decisão, entrar forte para lutar pelo título - afirmou o ponteiro.

Assim como se esperava, o equilíbrio marcou o início da partida. Trocando pontos, SESC RJ e SESI SP forçavam a mão no saque e seguiram empatados até 7 a 7. Mas que o time carioca passou a cometer erros na recepção, obrigando Giovane a pedir tempo com 14 a 9 para os adversários. A equipe esboçou uma reação, mas os paulistas abriram vantagem, controlaram o jogo e levaram o primeiro set em 25 a 17.

O SESC RJ voltou diferente. Os erros do fim do primeiro set foram corrigidos e a equipe voltou bem, com boa recepção e eficiente no ataque, abrindo 11 a 8. Com Thiaguinho inspirado, distribuindo bem no ataque, Wallace abriu 18 a 14. Pelo lado do SESI SP, William buscava Alan e Lipe, mas os comandados de Giovane mantiveram o ritmo forte para vencer a parcial por 25 a 18 e empatar a partida.

A equipe carioca seguiu bem no início do terceiro set. O SESC RJ abriu 6 a 3 e comandou o placar durante toda a parcial, resistindo à pressão do SESI SP no fim do set, para vencer por 25 a 23. No quarto set, um cartão vermelho dado para Lipe por reclamação deixou o SESC RJ em vantagem por 5 a 3. A parcial seguiu equilibrada, com as equipes virando bolas até 13 a 13. Só que o placar escapou, o SESI SP abriu vantagem para 21 a 17, frearam a reação carioca e fecharam em 25 a 21.

No tie-break, muito equilíbrio até que brilhou a estrela do búlgaro Penchev. O ponteiro pôs o SESC RJ em vantagem em bola de xeque, fez 14 a 13 vencendo o bloqueio paulista e, num ace, fechou o jogo: 15 a 13.

Minas Tênis Clube vence Dentil/Praia Clube e segue invicto

O Minas Tênis Clube (MG) é o último invicto na Superliga feminina de vôlei 18/19. Nesta sexta-feira (04.01), o time de Belo Horizonte venceu o duelo mineiro contra o Dentil/Praia Clube (MG) por 3 sets a 2 (26/24, 17/25, 25/22, 23/25 e 15/13), no ginásio do Praia, em Uberlândia (MG). A partida foi válida pela décima rodada do turno e contou com um público de 2.200 pessoas.

O resultado diminuiu a diferença entre os líderes na tabela de classificação. O Dentil/Praia Clube segue em primeiro, com 24 pontos (oito resultados positivos e um negativo). O Minas Tênis Clube, com um jogo a menos, está na segunda colocação, com 22 pontos e oito vitórias.

A central Carol Gattaz marcou 16 pontos, se destacou, foi a mais votada no site da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) e ficou com o Troféu VivaVôlei. A ponteira Gabi foi a maior pontuadora do confronto, com 22 pontos (17 de ataque, três de bloqueio e dois de saque). Pelo lado do Dentil/Praia Clube, a ponteira Fernanda Garay fez 21 pontos.

As duas equipes sofreram com problemas de lesão. O Dentil/Praia Clube não contou com a central Fabiana, com dores no joelho, e perdeu a central Fran ainda no primeiro set com uma torção no joelho esquerdo. Já o Minas Tênis Clube não começou a partida com a ponteira Natália que sentiu o joelho no duelo contra o Sesc RJ antes do recesso.

Ao final do confronto, a central Carol Gattaz fez uma análise do resultado e destacou a postura do time de Belo Horizonte (MG).

“Acredito que tivemos paciência no jogo e sabíamos que a partida seria decidida nos detalhes. Soubemos fazer tudo o que a nossa comissão técnica nos passou e conseguimos a importante vitória. Toda a equipe está de parabéns. Perdemos a Natália, mas a Lana entrou muito bem e conseguiu ajudar a equipe. Uma equipe é assim e, quem entra, consegue desempenhar um bom papel. O mérito desse Viva Vôlei é todo da equipe, e cada atleta tem uma parcela importante nesta vitória”, comentou Carol Gattaz.

No Dentil/Praia Clube, a central Carol lamentou a derrota, mas destacou fatores positivos do confronto.

“Perdemos a Fran, mas a Gabriella entrou muito bem e é isso que buscamos como equipe para mantermos o ritmo mesmo com mudanças no grupo. Foi um jogo difícil e lutamos bastante, mas infelizmente não conseguimos parar o time delas taticamente. No entanto, isso faz parte do nosso crescimento”, analisou Carol.

As duas equipes voltarão à quadra na próxima terça-feira (08.01). O Dentil/Praia Clube jogará com o Sesi Vôlei Bauru (SP), às 19h30, no ginásio Panela de Pressão, em Bauru (SP). Já o Minas Tênis Clube mediará forças com o Fluminense (RJ), às 19h30, no Hebraica, no Rio e Janeiro (RJ).

O JOGO

O Dentil/Praia Clube fez os dois primeiros pontos do jogo. Bem no bloqueio, o time de Uberlândia fez 6/3. A central Fran sentiu o joelho e foi substituída pela jovem Gabriella. O Minas Tênis Clube cresceu de produção e abriu dois pontos (9/7). Se aproveitando dos erros do time da casa, a equipe de Belo Horizonte fez 14/10. A ponteira Rosamaria fez um ponto de saque e o time de Uberlândia encostou no placar (17/15). Quando as donas da casa fizeram 18/17, o treinador Stefano Lavarini pediu tempo. A parcial ficou disputada ponto a ponto. A oposta Bruna se destacou no final da parcial e as visitantes venceram a primeira parcial por 26/24.

O Dentil/Praia Clube começou melhor no segundo set e abriu dois pontos (6/4). Quando as donas da casa abriram três pontos (8/5), o treinador Stefano Lavarini pediu tempo. A paralisação fez bem as visitantes que encostaram no marcador (9/8). Bem no saque, as donas da casa voltaram a abrir no placar (12/8). Jogando com velocidade, o Dentil/Praia Clube manteve a vantagem (16/12). Bem no saque e no bloqueio, o time da casa abriu seis pontos (22/16). A equipe do treinador Paulo Coco foi melhor até o final e venceu o segundo set por 25/17.

Com dois pontos de saque da ponteira Gabi, o Minas Tênis Clube abriu dois pontos (6/4) no início da terceira parcial. O Dentil/Praia Clube se aproveitou dos erros das visitantes e deixou tudo igual no placar (9/9). O set ficou disputado ponto a ponto. A central Mara conseguiu um ponto de bloqueio e o Minas Tênis Clube abriu dois pontos (14/12). As donas da casa cresceram de produção e, com dois pontos de saque da central Carol, viraram o marcador (16/14). A central Mara conseguiu uma boa sequência de saques e o Minas Tênis Clube voltou a liderar o placar (18/16). O final da parcial foi equilibrado. O time de Belo Horizonte venceu o terceiro set por 25/22.

O Minas Tênis Clube fez o primeiro ponto no quarto set. Quando o time de Belo Horizonte abriu três pontos (4/1), o treinador Paulo Coco pediu tempo. O time mineiro seguiu melhor e, numa bola rápida da central Carol Gattaz, as visitantes fizeram 11/8. Com um ponto de ataque da ponteira Gabi, a diferença no placar subiu para quatro pontos (15/11). O Dentil/Praia Clube cresceu de produção e encostou no placar (17/15). O time da casa conseguiu uma grande reação e venceu o quarto set por 25/23.

O quinto set começou disputado ponto a ponto. Com um ponto de ataque da ponteira Fernanda Garay, o Dentil/Praia Clube fez 6/6. A central Carol Gattaz conseguiu um ponto de bloqueio e as visitantes abriram dois pontos (8/6). A ponteira Fernanda Garay subiu de produção e o Dentil/Praia Clube deixou tudo igual no final da parcial (13/13). O Minas Tênis Clube foi bem no saque no momento decisivo e fechou o quinto set por 15/13 e o jogo por 3 sets a 2.

Sesc Rj se reabilita no clássico contra o Osasco

Depois de duas derrotas significativas para o Fluminense e pro Barueri, o Sesc Rj teve pela frente seu principal rival na Superliga, o time do Osasco, em partida realizada no ginásio do Tijuca e conseguiu uma vitória espetacular por 3 sets a 0 com parciais de 25-19, 25-23 e 25-12 sem dar a menor chance para suas adversárias.

O destaque da partida foi a oposta Monique do Sesc Rj que foi escolhida como a melhor em quadra. Ela foi importante na vitória com os pontos que fez.

"Não estávamos conseguindo colocar em prática o que vinhamos treinando nos últimos jogos. Hoje o saque funcionou e conseguir quebrar o passe de um time como o Osasco que tem um ataque muito forte. Conversamos que tínhamos que jogar mais juntas e saber jogar tanto com placar na frente, quanto buscando o resultado e as coisas deram muito certo hoje" - Comentou a após a partida.

O Jogo

O inicio da partida já dava sinais do que estava por vir. Em pouco tempo de partida, as cariocas estavam ganhando por 8 a 3 o que obrigou o técnico Luizomar a pedir tempo. Mesmo melhorando pouco, as paulistas não conseguiram ameaçar em nada e inclusive permitindo que Roberta fizesse 3 aces seguidos. Ao final, o Sesc Rj venceu por 25 a 19 e abriu 1 a 0 no placar.

Já o segundo set, teve contorno de um verdadeiro clássico. O Sesc Rj abriu 7 a 2 no placar e o técnico Luizomar pediu tempo e conseguiu acertar seu time e empatando a partida em 8 a 8. Ambos os times alternavam a liderança com viradas no placar. Mas coube a Bernardinho a pedir tempo e acertar o time e com ataque de Monique e Peña, conseguiram a vitória por 25 a 23 e 2 a 0 no jogo.

O terceiro set nem parecia que havia uma grande rivalidade em quadra. O Sesc Rj acelerou o jogo e em pouco tempo o placar já estava em 10 a 2. Sem pisar no freio, a vantagem só aumentava e ampliava. E num bloqueio de Juciely, o Sesc Rj venceu por 25 a 12 fechando em 3 sets a 0.

Com a vitória, o time do Rio sobe na tabela e está na terceira colocação com uma campanha de 6 vitórias 2 derrotas. O Osasco está em sétimo com 4 vitórias e 3 derrotas.

Na próxima rodada, o Sesc Rj viaja para Belo Horizonte para encarar o Minas, enquanto que o Osasco terá o líder Praia Clube. Ambas as partidas serão na terça-feira.  

Fluminense encerra invencibilidade do Sesc RJ

O Fluminense (RJ) terminou com a invencibilidade do Sesc RJ na Superliga Cimed 18/19 feminina de vôlei. Nesta sexta-feira (07.12), a equipe das Laranjeiras superou o time do treinador Bernardinho por 3 sets a 1 (25/15, 26/24, 15/25 e 25/12), na Jeunesse Arena, no Rio de Janeiro. A partida foi válida pela sexta rodada do turno da competição.

O resultado colocou o Fluminense na segunda colocação na classificação geral, com 13 pontos (quatro vitórias e duas derrotas). O Sesc RJ aparece em terceiro lugar, com 12 pontos (cinco resultados positivos e um negativo). O Dentil/Praia Clube (MG) é o líder, com 14 pontos e cinco vitórias.

A central Letícia Hage se destacou, foi a mais votada no site da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) e ficou com o Troféu VivaVôlei. A atacante, que marcou 14 pontos no confronto, chamou a atenção para a confiança do grupo tricolor. 

“Foi uma boa vitória. Estávamos confiantes depois das duas últimas vitórias e usamos isso nesse jogo. Entramos bem na partida e conseguimos superar um momento ruim no jogo depois da derrota no terceiro set. O grupo está de parabéns”, afirmou Letícia Hage.

A ponteira Pri Daroit e a oposta Joycinha, pelo Fluminense, e a ponteira Peña, pelo Sesc RJ, foram as maiores pontuadoras do confronto, com 17 pontos cada.

Pelo lado do Sesc Rj a central Juciely analisou:

“É muito difícil perder um jogo em casa. É claro que sentimos, mas temos que tirar coisas boas de tudo. Ainda estamos numa busca incessante por um padrão de jogo, uma regularidade. E o nível que atingimos hoje não foi suficiente para vencer o Fluminense. Temos que olhar para dentro de cada uma de nós e vermos o que podemos fazer melhor individualmente para contribuir para o grupo, para o time. E continuaremos trabalhando duro. Perdemos, mas quando ainda é possível perder”, afirmou.

O Sesc RJ voltará à quadra na próxima terça-feira (11.12), às 19h, contra o Hinode Barueri (SP) no José Correa, em Barueri (SP). Já o Fluminense medirá forças com o Curitiba Vôlei (PR) na próxima sexta-feira (14.12), às 20h, no ginásio da Univ. Positivo, em Curitiba (PR).

Sesc RJ vence Sesi Vôlei Bauru no tie-break e mantém a invencibilidade

O Sesc RJ segue invicto na Superliga feminina de vôlei 18/19. Nesta terça-feira (27.11), o time carioca venceu o Sesi Vôlei Bauru (SP) por 3 sets a 2 (25/23, 22/25, 21/25, 25/16 e 21/19), na Jeunesse Arena, no Rio de Janeiro (RJ). Foi a quarta vitória da equipe do treinador Bernardinho na competição.

A oposta dominicana Peña, do Sesc RJ, se destacou, foi eleita a melhor da partida em votação popular no site da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) e ficou com o Troféu VivaVôlei.

Ao final do duelo, a central Juciely, um dos destaques da partida, comentou sobre o duelo e elogiou a postura das cariocas.

“Estamos numa crescente, mesmo sofrendo com alguns problemas físicos. O Sesi Vôlei Bauru tem um poder de ataque muito grande e é uma equipe alta. Sabíamos que seria uma partida difícil, mas conseguimos essa vitória jogando como um grupo. Toda a equipe contribuiu e agora temos que seguir trabalhando forte. Essa Superliga está muito equilibrada e nós vamos buscar a evolução a cada dia”, afirmou Juciely.

O Sesc RJ voltará à quadra na próxima sexta-feira (30.11), às 20h, contra o Pinheiros (SP) no ginásio Henrique Villaboin, em São Paulo (SP). Já o Sesi Vôlei Bauru (SP) duelará com o Curitiba Vôlei (PR) no dia sete de dezembro, às 20h, na Univ. Positivo, em Curitiba (PR).

O JOGO

O Sesc RJ fez os dois primeiros pontos  da parcial. O set começou equilibrado e disputado ponto a ponto. Com dois erros de ataque do Sesi-SP, o Sesc RJ abriu dois pontos (15/13). A ponteira Peña conseguiu dois aces e as cariocas aumentaram a vantagem no placar para três pontos (20/17). O Sesc RJ segurou uma reação do Sesi Vôlei Bauru e levou a melhor no primeiro set por 25/23 com um ponto de bloqueio da central Juciely.

O segundo set começou equilibrado. Bem no saque, as visitantes abriram dois pontos (4/2). Com uma boa sequência de saques da ponteira Kosheleva, o Sesc RJ virou o marcador (10/9). Quando as donas da casa fizeram 13/11, o treinador Anderson parou o jogo. A partida ficou equilibrada. O Sesi Vôlei Bauru fez 19/18 e o treinador Bernardinho pediu tempo.  A ponteira Tifanny conseguiu uma boa sequência de saques e as visitantes fizeram 22/20. O Sesi Vôlei Bauru foi melhor na parte final e venceu o segundo set por 25/22.

O Sesi Vôlei Bauru fez os três primeiros pontos do terceiro set. Com um ponto de saque da oposta Diouf, as visitantes fizeram 5/2. Bem no saque, as cariocas empataram a parcial  (7/7). A ponteira Kosheleva fez um ponto de ataque e as cariocas fizeram 16/15. O final da parcial foi disputado ponto a ponto. A experiente Arlene conseguiu um ace e, com um ponto de bloqueio, o Sesi-SP venceu o terceiro set por 25/21.  

Bem no boqueio, o Sesc RJ fez 5/1 no início do quarto set. A ponteira Peña se destacava e a diferença no marcador subiu para cinco pontos (7/2). Com volume de jogo, as cariocas mantiveram a diferença no placar (12/7) e o treinador Anderson pediu tempo. Mesmo com a paralisação, as cariocas seguiram melhores e fizeram 17/10. O Sesc RJ foi melhor até o final e venceu o quarto set por 25/16 com um ace da levantadora Roberta.

O Sesi Vôlei Bauru fez os dois primeiros pontos do quinto set. Jogando com velocidade, as visitantes fizeram 6/3 e o treinador Bernardinho pediu tempo. Mesmo com a paralisação, as paulistas seguiram melhores e aumentaram a vantagem para cinco pontos (8/3). O Sesc RJ cresceu de produção e encostou no marcador (10/7). Neste momento, o treinador Anderson pediu tempo. Numa boa sequência de saques da ponteira Kosheleva, o Sesc RJ deixou tudo igual no marcador (10/10). O jogo ficou disputado ponto a ponto até o final, mas o Sesc RJ foi melhor os decisivos e, com um ataque da oposta Monique, fechou o set por 21/19 e o jogo por 3 sets a 2.

Fora de casa, Sesc RJ supera São Judas Voleibol por 3 sets a 0

O Sesc RJ conquistou na noite desta quarta-feira (21) sua quinta vitória consecutiva na Superliga jogando no Ginasio do Baetao, casa do São Judas Voleibol, em São Bernardo do Campo Os cariocas fecharam o placar por 3 sets a 0, com parciais de 21x25, 16x25 e 20x25.

No primeiro set, o time começou o jogo com bastante dificuldade, o que deu espaço para que a equipe do São Judas conseguisse pressionar no saque. Os donos da casa chegaram a abrir uma vantagem no placar (16x12), mas após uma bela sequência de saques do ponteiro Japa –  aliado a dois bloqueios - colocou o time de volta à partida, empatando a 17x17, depois foi só manter o ritmo de jogo até finalizar a parcial a 21x25.

Na segunda parcial, os visitantes reagiram e fizeram um set rápido.  Uma sequência de erros dos paulistas ajudou os cariocas a abrirem   uma larga vantagem (06x15). Apesar de uma reação, com várias trocas de bolas e bons bloqueios de ambos os lados o Sesc RJ conseguiu segurar o ritmo de jogo e fechar o set a 16x25.

Por fim, o terceiro período começou equilibrado para os dois times, com viradas de bolas até 9x9. Os paulistas passaram, então, a pressionar as jogadas nos ponteiros Japa e Djalma, com o objetivo de minar o poder de ataque destes atletas, no entanto, a boa recepção do líbero Tiago Brendle e do levantador Thiaguinho ajudou a administrar o resultado a favor da equipe até o fim da parcial, a 20x25. Não à toa, o líbero Thiago Brendle foi eleito o melhor jogador e recebeu o troféu Viva Vôlei.

“O São Judas começou fazendo um ótimo trabalho de saque, com jogo bastante ofensivo. Depois, a nossa equipe se organizou e conseguiu fechar com resultado a nosso favor. Estou bastante feliz por tudo que o time conquistou hoje e com essa evolução em mais uma rodada”, afirma o atleta gaúcho.

A próxima partida do Sesc RJ será no dia 24 de novembro, às 21h30, na Arena Jeunesse, contra o Fiat Minas.

Sesc-Rj e Fluminense vencem suas partidas

Em duas partidas no Rio de Janeiro pela segunda rodada da Superliga Feminina, os times cariocas do Sesc-Rj e do Fluminense venceram seus compromissos em casa, diante do Brasília e do Balneário Camburiú.

Sesc-Rj derrapou, mas venceu o Brasília

Na partida realizada no Tijuca Tênis Clube, o Sesc-Rj começou bem sua partida vencendo dois sets seguidos com parciais de 25/22 e 25/16 e em vez de liquidar a partida, permitiu a reação do time de Brasília que venceu os dois sets seguintes por 28/26 e 25/23 e o jogo foi parar no tie break, onde as cariocas suaram muito para conseguir vencer por 15/10 o que garantiu a segunda vitória na competição.

Destaque da partida, a oposta Monique comentou sobre o desempenho dela e de suas companheiras:

"Nós tivemos o domínio do jogo até o segundo set, onde sacamos e bloqueamos bem. A partir daí, começamos a oscilar muito. Abríamos três, quatro pontos, e tomávamos cinco. Deixamos elas chegarem e não conseguimos reagir. Ainda estamos errando demais, muito além do que deveríamos” - analisou

Na próxima rodada, o Sesc-Rj viaja pela primeira vez na competição e jogará na sexta contra o São Caetano na casa do adversário às 20hrs. 

Fluminense vence a primeira na competição

Fluminense venceu primeira partida na Superliga. Crédito: Mailson Santana/Fluminense FC 

Depois de estrear perdendo para o Pinheiros fora de casa na primeira rodada, o Fluminense se reabilitou em casa, jogando na Hebraica, e venceu por 3 sets a 1 o time do Balneário Camboriú com parciais de 25/11, 13/25, 25/20 e 25/19.

A líbero Sassá foi eleita a melhor jogadora em quadra e comentou um pouco sobre a vitória:

"Esse prêmio não é só meu. É de toda a equipe. No primeiro set começamos desconcentradas e conseguimos reverter. No segundo também cometemos alguns erros, mas melhoramos e conquistamos pontos importantes em casa. Espero que a torcida continue nos apoiando e vindo aos jogos" - Disse.

Na próxima rodada, o Fluminense recebe em casa o time de Barueri em partida também as 20hrs.

Assinar este feed RSS