fbpx

Redação

Redação

Flamengo vai disputar mundial em casa

A Copa Intercontinental está de volta ao Brasil. Depois de quatro anos da última edição realizada em solo verde-amarelo, o torneio, desta vez, contará com quatro times e acontecerá nos dias 15 e 17 de fevereiro, na Arena Carioca 1, no Rio de Janeiro (RJ).

Austin Spurs (EUA), campeão da NBA G-League, AEK Atenas (Grécia), campeão da Champions League da Europa, San Lorenzo de Almagro (Argentina), que conquistou o título da última Liga das Américas, e Flamengo, anfitrião e último clube brasileiro a ser campeão da Copa Intercontinental, serão os participantes.

O torneio será realizado no formato de mata-mata, com duas semifinais no dia 15 de fevereiro (sexta-feira), e, dois dias depois, 17 de fevereiro (domingo), as disputas do terceiro lugar e da grande Final. Os confrontos das semis serão: San Lorenzo de Almagro x AEK Atenas, e Flamengo x Austin Spurs.

Esta é a primeira edição da história da Copa Intercontinental da FIBA que contará com os atuais campeões da NBA G-League, da Champions League da Europa e da Liga das Américas.


Austin Spurs, atual campeão da NBA G-League, será o 1º rival do Flamengo. Crédito:Cam Bartlett/SnappedByCam

“Estamos empolgados em trazer a Copa Intercontinental da FIBA de volta às Américas e celebrar esta edição na excelente quadra olímpica do Rio de Janeiro, que foi a sede de tantos grandes momentos durante os Jogos de 2016. Os campeões da Liga das Américas da FIBA e da Liga dos Campeões de Basquete vão lutar e tentar criar suas próprias histórias. Também gostaria de expressar minha gratidão à cidade do Rio de Janeiro, à Confederação Brasileira de Basquete, à Liga Nacional de Basquete e ao clube anfitrião, o Flamengo, por sua colaboração”, disse o Secretário Geral da FIBA, Andreas Zagklis.

“Esse ano temos o prazer de confirmar a crescente grupo de equipes que competirá na Copa Intercontinental da FIBA no próximo mês. Além disso, a entrada dos campeões da NBA G-League para a Copa Intercontinental da FIBA é um sinal adicional da grande colaboração estabelecida pela FIBA e pela NBA através duma série de iniciativas em conjunto”, acrescentou Andreas Zaglikis.

O vice-comissário da NBA, Mark Tatum, comemorou a presença do campeão da NBA G-League na Copa Intercontinental.

San Lorenzo, atual campeão da Liga das Américas, estará na disputa. Crédito: Divulgação/FIBA

“Ter o Austin Spurs da NBA G League jogando na Copa Intercontinental da FIBA representa uma oportunidade fantástica, não apenas para que os jogadores demonstrarem suas habilidades de NBA, mas também para que a própria liga seja representada no cenário internacional”, disse Mark Tatum. “Estamos muito expectantes para este evento em fevereiro e agradecemos aos nossos parceiros da FIBA por esta colaboração única”, completou.

A última vez que a Copa Intercontinental aconteceu no Brasil foi em 2015. Na ocasião, o Bauru Basket, então campeão da Liga das Américas, mediu forças com o Real Madrid (ESP), dono do título da Euroliga daquele ano, no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo (SP), e ficou com o vice-campeonato.

AEK Atenas, da Grécia, é o atual campeão da Champions League da Europa. Crédito: Divulgação/AEKBC.gr

O único título brasileiro no torneio veio através do Flamengo, no ano anterior, em 2014. Na Jeunesse Arena, a equipe rubro-negra, que havia sido campeã da Liga das Américas daquele ano, contou com o apoio de sua para superar o Maccabi Tel-Aviv (ISR), campeão da Euroliga, e soltar o grito de campeão.

A última edição da Copa Intercontinental da FIBA aconteceu em San Cristóbal de la Laguna, Tenerife (ESP), em setembro de 2017, e teve como campeão o Iberostar Tenerife (Espanha) que, após uma vitória difícil por 76 a 71 contra os campeões da Liga das Américas, Guaros de Lara (Venezuela), sagrou-se campeão do torneio.

 

 

Calendário da Copa Intercontinental 2019*:

15/01 (Sexta-feira)

San Lorenzo (ARG) x AEK Atenas (GRE)

Flamengo x Austin Spurs (NBA G-League)

17/01 (Domingo)

Disputa de 3º lugar

Final

*Horários a definir

  • Publicado em Basquete

Bia vence a primeira no Australian Open e desafia número 2 do mundo

Em mais uma grande atuação, a tenista paulista Beatriz Haddad Maia estreou com vitória, na madrugada desta segunda-feira, na chave principal do Australian Open.

Bia bateu a norte-americana Bernarda Pera, 68o. do mundo, em 2 sets a 1, parciais de 6/3 5/7 6/4, em 2h22min de partida. “Foi muito bom hoje. Estava muito quente e consegui me manter bem forte de cabeça e acho que isso foi o diferencial. Pra menina era primeira rodada, ela estava um pouco mais nervosa. Em alguns momentos as duas oscilaram, mas faz parte”, analisou Bia, que antes havia vencido as três rodadas do qualifying.

Pela segunda rodada, a tenista número 1 do Brasil e 195o. do mundo terá um desafio pela frente: a alemã Angelique Kerber, número 2 do mundo, que passou pela eslovena Polona Hercog, por duplo 6/2. As duas canhotas se enfrentarão pela primeira vez.

“Contra a Kerber é ficar firme, manter meu jogo. Aproveitar o ritmo, já que já joguei contra uma canhota e continuar fazendo o meu jogo, não me preocupar com a minha adversária e, principalmente, acreditar em mim!”, afirmou a brasileira que tentará o feito inédito também de chegar à terceira rodada do Australian Open (no ano passado parou na segunda rodada).

  • Publicado em Tênis

Bia fura o quali e conhece adversária da estreia no Australian Open

A tenista paulista Beatriz Haddad Maia garantiu, na noite desta quinta-feira, sua vaga para a chave principal do Australian Open ao chegar à terceira vitória no qualifying. Bia é a única representante do Brasil no primeiro Grand Slam da temporada.

Com grande atuação na terceira e última rodada do quali, Bia superou a norte-americana Jennifer Brady, cabeça de chave 16 do qualifying e 125o. do mundo, por 6/3 6/4, em 1h26min de partida.

“Virei um jogo duro, estava 4/1 e vantagem pra ela, com saque e duas quebras na frente e eu consegui lidar com a situação. Fisicamente, senti que ela estava cansada e fiz ela jogar todos os pontos, fazendo ela correr e sair com a vitória”, explicou a tenista número 1 do Brasil e 176o. do mundo.

Bia disputa pela segunda vez o Australian Open. No ano passado chegou à segunda rodada, quando foi parada pela tcheca Karolina Pliskova, então sexta favorita ao título do torneio.

A brasileira fará sua estreia na chave contra a norte-americana Bernarda Pera, 69o. do mundo. Será o segundo encontro entre as duas. O primeiro aconteceu em 2014, no saibro de Breda, na Holanda, vencido pela norte-americana por 6/1 7/6(8).

“Estou muito feliz com a minha atuação no quali. Agora sim entramos no torneio. Estou com uma energia muito boa, confiante e jogando agressiva, o que eu acho que é o principal”, afirmou Bia.

  • Publicado em Tênis

Brasileiro cumpre meta de exercícios físicos com regularidade por 30 dias

Muita gente se compromete a ser mais saudável no ano novo. Seja se alimentando melhor ou fazendo exercícios físicos com regularidade. Os usuários do Strava, rede social voltada para quem pratica atividade física que já conta com 4,5 milhões de brasileiros conectados (36 milhões globalmente), seguem firme neste propósito até o dia 30 de janeiro, quando há a primeira grande queda no número de atividades inseridas na plataforma.
 
O Strava analisou dados dos usuários na Alemanha, Espanha, Estados Unidos, França, Japão, Irlanda, Reino Unido e no Brasil, a terceira maior base de usuários da plataforma, que recebe 20 uploads por segundo.
 
Os dados levantados pelo Strava em relação à faixa etária indicam que o brasileiro se mantém mais focado do que as outras pessoas nos países analisados. Independente da idade, no Brasil, o usuário demora um pouco mais para abandonar a meta do que os usuários de outras nacionalidades.
 
Confira os dados dos brasileiros:

Faixa Etária

Data de desistência

18 a 29 anos

05 de fevereiro

30 a 39 anos

30 de janeiro

40 a 49 anos

30 de janeiro

50 a 59 anos

26 de janeiro

60 a 69 anos

30 de janeiro

 

Quando os dados são filtrados por homens e mulheres, no Brasil, ambos diminuem o ritmo dos exercícios no dia 30 de janeiro. Nos EUA, por exemplo, essa data é o dia 16 do mesmo mês para as mulheres e 17 para os homens. E no Reino Unido e Irlanda, 18 é data para os homens e 20 para mulheres.
 
“Entre os países analisados, o Brasil é o único que está no verão. O astral da estação e os dias mais longos são dois pontos positivos que devem estimular as pessoas a se exercitarem mais do que no período de inverno”, comenta Guilherme Guimarães, Country Manager do Strava no Brasil.
 
No relatório Year in Sport (Ano no Esporte), divulgado recentemente, o Strava apontou ainda que o brasileiro é o mais engajado socialmente, pois têm 2,3 vezes mais seguidores que a média global e recebem quase 3 vezes mais Kudos (as curtidas do Strava) do que a média global.
 
Veja outros dados interessantes do Strava no relatório Year in Sport (com dados obtidos de 01/10/2017 a 30/09/2018):
 
   • A terça-feira é o dia mais popular para as atividades indoor. E também é o dia da semana em que os ciclistas alcançam as maiores velocidades.
   • Os atletas do Strava fizeram 624 milhões de uploads de atividades ao redor do mundo – o equivalente a 10,7 bilhões de quilômetros.
   • No Brasil, em relação aos deslocamentos ao trabalho, houve mais de 5,4 milhões de atividades de bicicleta (aumento de 70,3% em relação ao ano passado) inseridas na plataforma e 1,4 milhão de corridas (aumento de 94,6%).
   • Os atletas do Strava no Brasil fizeram 19,4 milhões de pedaladas nesse período, cuja média é de 21,8 atividades por usuário. A duração média foi de 1h46min, enquanto no resto do mundo foi de 1h37min.
   • Em relação à corrida, foram 11,1 milhões uploads com uma duração média de 48min48s. Globalmente, os atletas do Strava correm um minuto a mais do que os brasileiros. E domingo é o dia mais popular entre os corredores.
Assinar este feed RSS