SUPERCOPA FEMININA: Sesc RJ vence Camponesa/Minas e é tricampeão

Equipe carioca passou pelo time mineiro por 3 sets a 2, no CFO, em Fortaleza, e conseguiu um segundo título da temporada. Crédito: Jarbas Oliveira//MPIX/CBV

 

O Sesc RJ é tricampeão da Supercopa. Nesta sexta-feira (13.10), a equipe carioca venceu a decisão contra o Camponesa/Minas (MG) por 3 sets a 2 (21/25, 25/22, 25/19, 19/25 e 15/10), no Centro de Formação Olímpica (CFO), em Fortaleza (CE). Foi o segundo título da equipe do treinador Bernardinho na temporada. No início do mês, o time do Rio de Janeiro venceu o Campeonato Carioca ao superar o Fluminense por 3 sets a 1.

Um dos destaques na decisão, a oposta Monique elogiou a postura da equipe carioca contra o Camponesa/Minas.

“Esperávamos um confronto muito difícil. O Camponesa/Minas está com mais ritmo de jogo e sabíamos que tínhamos que entrar em quadra melhor do que nossa última partida pelo Carioca. Ainda estamos cometendo erros, mas hoje conseguimos nos superar e ficar com esse título. Jogamos como um time e isso foi o mais importante. Na nossa equipe todas as jogadoras têm que jogar bem porque não temos uma peça para fazer a diferença. Foi bom ganhar, mas sabemos que ainda precisamos melhorar muito para a Superliga”, disse Monique.

A líbero Fabi parabenizou a equipe carioca pelo título e relembrou bons momentos pelo time carioca.

“Essa é minha 13ª temporada no Sesc RJ e fiz um flashback sobre os momentos que vivi nessa equipe. O que me motiva é o amor que tenho pelo voleibol. Eu nasci para fazer isso e minha carreira se confunde com essa equipe. Jogamos pouco para disputar essa decisão e sabemos do valor da equipe do Camponesa/Minas. Hoje conseguimos nos superar e fizemos uma boa partida”, afirmou Fabi.

Pelo lado do Camponesa/Minas, a ponteira Rosamaria lamentou a derrota, mas fez questão de ressaltar o espírito de luta das mineiras.

 “Independentemente da perda do título, nosso time está em crescimento. Neste momento, tudo é válido, tudo é crescimento. Disputamos até o fim. Ainda temos uma jogadora para chegar, que faz a diferença. Estamos de parabéns, assim como o Sesc RJ. Estamos com a cabeça muito boa para a estreia na Superliga”, afirmou Rosamaria.

O JOGO

O Sesc RJ começou melhor e fez 3/1. O time mineiro cresceu de produção e empatou (4/4). Com volume de jogo, as cariocas abriram cinco pontos (9/4). Bem no bloqueio, o time comandado pelo treinador Bernardinho manteve a vantagem no placar (11/6). O Camponesa/Minas cresceu de produção e encostou (14/12). Se aproveitando dos erros das cariocas, as mineiras empataram (16/16). Quando o Camponesa/Minas fez 17/16, o treinador Bernardinho pediu tempo. O time mineiro foi melhor na parte final da primeira parcial e venceu o set por 25/21.

O segundo set começou equilibrado. Bem no saque, o Camponesa/Minas fez 5/3. O time mineiro segurou a vantagem e fez 9/6. O saque e o bloqueio das mineiras seguiram eficientes e a diferença no placar subiu para quatro pontos (13/9). Quando o placar estava 14/11 para as mineiras, o treinador Bernardinho trocou as centrais. Entrou Juciely e saiu Vivian. O Sesc RJ cresceu de produção e empatou (16/16). O final da parcial foi disputado ponto a ponto. Se aproveitando dos erros do Camponesa/Minas, o time carioca foi melhor na parte final da segunda parcial e venceu por 25/22.

O Sesc RJ seguiu melhor no início do terceiro set e fez 9/5. Numa boa sequência de saques da levantadora Roberta a diferença no placar subiu para seis pontos (11/5). Quando o placar estava 17/9 para as atuais campeãs da Supercopa, o técnico do Camponesa/Minas pediu tempo. O Sesc RJ segurou uma reação do time mineiro e levou a melhor no terceiro set por 25/19 com destaque para boas passagens pelo saque da oposta Monique.

O Camponesa/Minas voltou melhor para o quarto set e fez 4/3. Quando as mineiras abriram três pontos (7/4), o treinador Bernardinho pediu tempo. Com um ponto de saque da ponteira Drussyla, o time carioca encostou (9/8). Bem nos contra-ataques, as mineiras voltaram a abrir no marcador (14/10). O saque do Camponesa/Minas dificultava a recepção das cariocas e a diferença no placar subiu para nove pontos (21/12). O Camponesa/Minas dominou a parcial até o final e venceu o quarto set por 25/19.

O quinto começou equilibrado. O Sesc RJ cresceu de produção e abriu dois pontos (8/6). O Camponesa/Minas reagiu e empatou (8/8). Com um ponto de bloqueio, o time carioca voltou a abrir no marcador (10/8). O Sesc RJ dominou a parte final da parcial e venceu o set por 15/10 e o jogo por 3 sets a 2.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.