fbpx

Cruzeiro vence o Sesi-SP e conquista o sexto título

Cruzeiro vence o Sesi-SP e conquista o sexto título Equipe mineira levou a melhor no tie break. Crédito: Wander Roberto/Inovafoto/CBV

Dois grandes times, duas grandes forças do voleibol brasileiro, estiveram frente a frente na grande decisão da Superliga Cimed masculina de vôlei 2017/2018. Neste domingo (06.05), diante de um público de 14.800 pessoas, no Jogo 2 e último da final, melhor para o Sada Cruzeiro (MG), que venceu o Sesi-SP por 3 sets a 2 (25/16, 17/25, 25/22, 23/25 e 22/20), no ginásio do Mineirinho, em Belo Horizonte (MG). No Jogo 1, em São Paulo (SP), a equipe mineira já havia vencido, também por 3 a 2.

Nesta manhã, o levantador Uriarte foi o mais votado no site da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) e recebeu o último Troféu VivaVôlei Cimed da temporada após ser eleito o melhor jogador da grande final. Outro destaque ficou por conta do oposto Evandro, maior pontuador da partida ao lado de Leal, com 24 acertos cada um. Emocionado, o atacante falou sobre o duelo decisivo.

“Esse é um grande time, que tem uma grande comissão técnica, e que trabalha muito duro para momentos como esse. Hoje foi um jogo decidido realmente nos detalhes e deu certo para o nosso lado. Absolutamente todos estão de parabéns por mais uma vitória e mais um título. Tivemos parciais altas, um tie break altíssimo, e no momento decisivo, fomos melhores”, disse Evandro.

O técnico Marcelo Mendez relembrou a trajetória do Sada Cruzeiro, especialmente na semifinal, quando precisou jogar os cinco confrontos para passar pelo EMS Taubaté Funvic (SP) e garantir a vaga na final.

“Contamos com uma diretoria forte, um clube que nos dá tudo e acho que esse é o grande segredo para a conquista de mais um título. Hoje, vivemos uma emoção diferente em um jogo tão difícil e neste Mineirinho lotado. Já na semifinal foi uma grande emoção depois de perdemos os dois primeiros jogos e virarmos a série para 3 a 2. Agora, na final, um jogo muito difícil em São Paulo e agora também”, disse Mendez.

O Sada Cruzeiro liderou todo o campeonato. Na fase classificatória, fez 57 pontos após a campanha de 19 vitórias e três derrotas. Nas quartas de final, a equipe dirigida pelo técnico Marcelo Mendez eliminou o Lebes Canoas (RS) vencendo dois jogos na série melhor de três e, na semifinal, levou a melhor sobre o pelo EMS Taubaté Funvic (SP) em uma série bastante equilibrada, que só terminou no quinto e último duelo.

O JOGO

O oposto Evandro fez de ataque o primeiro ponto da partida. A partida ficou equilibrada. Com um ponto de bloqueio, o time celeste abriu dois pontos (5/3). Quando o Sada Cruzeiro abriu três pontos (6/3), o treinador Rubinho pediu tempo. O campeão olímpico Evandro conseguiu um ace e o time mineiro aumentou a vantagem no marcador (11/6). O Sesi-SP cresceu de produção e encostou (14/11). Se aproveitando dos erros da equipe paulista, os donos da casa voltaram a abrir no marcador (22/14). O Sada Cruzeiro dominou a parcial até o final e venceu o primeiro set por 25/16.

O Sada Cruzeiro fez o primeiro ponto do segundo set. A parcial iniciou equilibrada. Com um ataque pelo meio do central Isac, o time celeste deixou tudo igual no marcador (5/5). Bem no bloqueio, o Sesi-SP abriu dois pontos (7/5). Quando os paulistas fizeram 11/7, o treinador Marcelo Mendez pediu tempo. Jogando com velocidade, os visitantes abriram sete pontos no placar (17/10). O time mineiro conseguiu uma boa sequência de saques e diminuiu a vantagem no marcador para cinco pontos (18/13). O Sesi-SP segurou a vantagem e levou a melhor no segundo set por 25/17.

O Sesi-SP seguiu melhor no início do terceiro set e fez 4/2. O Sada Cruzeiro cresceu de produção e deixou tudo igual na parcial (5/5). Com um ponto de bloqueio, os paulistas abriram dois pontos (8/6). Quando os visitantes aumentaram a vantagem no placar para cinco pontos (12/7), o treinador Marcelo Mendez pediu tempo. Bem no bloqueio, o time celeste deixou tudo igual no marcador (16/16). Com um ponto de contra-ataque do ponteiro Filipe, os cruzeirenses viraram o marcador (17/16). O Sada Cruzeiro dominou a parte final da parcial e venceu o terceiro set por 25/22.

O Sesi-SP começou melhor no quarto set e fez 5/1. Com Evandro bem no saque e no ataque, a equipe celeste encostou (7/5). O Sesi-SP cresceu de produção e, com um ace do ponteiro Lipe, abriu cinco pontos (14/9). Bem no bloqueio, o time da casa encostou no marcador (15/13). O time mineiro deixou tudo igual no placar (16/16). O final da parcial foi disputado ponto a ponto. O Sesi-SP foi melhor no final da parcial e venceu o quarto set por 25/23.

O Sesi-SP fez o primeiro ponto do quinto set. Com dois pontos seguidos do cubano Simon, a equipe celeste fez 2/1. Quando os donos da casa fizeram 4/1, o treinador Rubinho pediu tempo. Bem no bloqueio, o Sesi-SP encostou no placar (5/3). Bem na virada de bola, a equipe celeste manteve a vantagem (7/5). O final da parcial novamente foi disputado ponto a ponto com as duas equipes se alternando na liderança do placar. Com um final emocionante, o Sada Cruzeiro levou a melhor no quinto set por 22/20 e se sagrou campeã da Superliga Cimed 17/18.

A despedida de Leal

Ele chegou ao Brasil em 2012. Direto para o Sada Cruzeiro (MG). Neste domingo (06.05), Leal se despede. Chega ao fim o ciclo de seis temporadas pelo time que o recebeu de braços abertos após quase dois anos parado assim que deixou a seleção de Cuba. A despedida, ou até breve, como ele prefere chamar, acontece com mais um título – o quinto de Leal pela equipe cruzeirense.

“Sem palavras para o que está acontecendo. Foi sensacional. Esse ano foi difícil para o nosso time, mas nosso time tirou forças, conseguiu sair das situações difíceis e, com essa torcida nos incentivando o tempo inteiro, conseguimos sair campeões”, disse Leal.

Emocionado ao falar de sua despedida, o ponteiro do Sada Cruzeiro fez questão de agradecer a torcida e a todos os companheiros de time.

“Estou muito agradecido por ter feito parte do Sada Cruzeiro durante seis anos. A trajetória aqui foi muito produtiva. Fico muito satisfeito por jogar sempre na frente desses torcedores que estiveram junto comigo o tempo todo. Hoje foi meu último jogo frente a torcida e junto com meus companheiros e daqui a pouco vai dar um pouco de tristeza, mas uma coisa é certa: vou ter todos para sempre no meu coração”, finalizou Leal.

Sob o comando de Uriarte

No primeiro ano atuando no Brasil e pelo Sada Cruzeiro, o levantador argentino Nicolas Uriarte foi campeão da Supercopa, do Campeonato Mineiro, Campeonato Sul-Americano de Clubes, Copa Brasil e, neste domingo (06.05), encerrou a temporada 2017/2018 com o título da Superliga Cimed. Um ano inesquecível.

“Estou vivendo uma felicidade absoluta. A minha família e os meus amigos estavam no ginásio assistindo e isso foi incrível. Finalizar minha primeira temporada no Brasil com essa vitória e comemorar com essa torcida é uma sensação indescritível. Estou muito feliz. Só tenho que agradecer a todo esse grupo”, disse o levantador.

O jogador foi eleito por votação popular o melhor atleta das duas partidas da decisão da Superliga Cimed 17/18. Uriarte fez uma análise do duelo decisivo e ressaltou bom desempenho do Sesi-SP.

“Foi uma partida digna de uma final. O Sesi-SP também é uma grande equipe e valorizou bastante nosso título. O jogo foi extremamente equilibrado com as duas equipes se alterando na liderança do placar, com intensidade e alto nível. Sabíamos que seria muito difícil e isso valoriza ainda mais o título da nossa equipe”, disse Uriarte, que chegou para substituir William, que havia ficado sete anos no comando dentro de quadra do time mineiro.

Filipe, capitão nato

Um dos grandes líderes do Sada Cruzeiro não só na atual conquista como em todas as outras cinco, Filipe se tornou o grande maestro deste time vencedor de forma oficial na temporada 17/18, quando se tornou capitão da equipe. Sempre atuando de forma enérgica e com muita vibração, o ponteiro encerrou seu oitavo ano entre os cruzeirenses completamente emocionado e feliz.

“Essa vitória motiva a nova geração que chega no Sada Cruzeiro. Eles assistem esse time treinando todas as manhãs e veem todos nós nos doando ao máximo. Essa vitória foi mais um capítulo na nossa história”, disse Filipe, que ainda lembrou outros momentos do time que defende há oito temporadas.

“Ao longo dos anos, perdemos jogadores identificados com o nosso projeto como o William, o Wallace e o Éder e soubemos nos manter entre os melhores times, chegando em finais e conquistando títulos. Esse time é incrível e sou muito orgulhoso de toda nossa história. Espero que o Sada Cruzeiro tenha um time ainda mais forte na próxima temporada”, concluiu o ponteiro.

OS MELHORES

Melhor saque - Simon (Sada Cruzeiro)

Melhor ataque - Leal (Sada Cruzeiro)

Melhor bloqueio - Maurício Souza (Sesc RJ)

Melhor levantamento - William (Sesi-SP)

Melhor defesa - Tiago Brendle (Sesc RJ)

Melhor recepção - Thales (EMS Taubaté Funvic)

Maior pontuador - Wallace (EMS Taubaté Funvic)