fbpx

Sesc RJ vence Sesi Vôlei Bauru no tie-break e mantém a invencibilidade

Sesc RJ vence Sesi Vôlei Bauru no tie-break e mantém a invencibilidade Equipe carioca mostrou superação para buscar resultado e se manter invicta na Superliga. Crédito: Divulgação/Sesc Rj

O Sesc RJ segue invicto na Superliga feminina de vôlei 18/19. Nesta terça-feira (27.11), o time carioca venceu o Sesi Vôlei Bauru (SP) por 3 sets a 2 (25/23, 22/25, 21/25, 25/16 e 21/19), na Jeunesse Arena, no Rio de Janeiro (RJ). Foi a quarta vitória da equipe do treinador Bernardinho na competição.

A oposta dominicana Peña, do Sesc RJ, se destacou, foi eleita a melhor da partida em votação popular no site da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) e ficou com o Troféu VivaVôlei.

Ao final do duelo, a central Juciely, um dos destaques da partida, comentou sobre o duelo e elogiou a postura das cariocas.

“Estamos numa crescente, mesmo sofrendo com alguns problemas físicos. O Sesi Vôlei Bauru tem um poder de ataque muito grande e é uma equipe alta. Sabíamos que seria uma partida difícil, mas conseguimos essa vitória jogando como um grupo. Toda a equipe contribuiu e agora temos que seguir trabalhando forte. Essa Superliga está muito equilibrada e nós vamos buscar a evolução a cada dia”, afirmou Juciely.

O Sesc RJ voltará à quadra na próxima sexta-feira (30.11), às 20h, contra o Pinheiros (SP) no ginásio Henrique Villaboin, em São Paulo (SP). Já o Sesi Vôlei Bauru (SP) duelará com o Curitiba Vôlei (PR) no dia sete de dezembro, às 20h, na Univ. Positivo, em Curitiba (PR).

O JOGO

O Sesc RJ fez os dois primeiros pontos  da parcial. O set começou equilibrado e disputado ponto a ponto. Com dois erros de ataque do Sesi-SP, o Sesc RJ abriu dois pontos (15/13). A ponteira Peña conseguiu dois aces e as cariocas aumentaram a vantagem no placar para três pontos (20/17). O Sesc RJ segurou uma reação do Sesi Vôlei Bauru e levou a melhor no primeiro set por 25/23 com um ponto de bloqueio da central Juciely.

O segundo set começou equilibrado. Bem no saque, as visitantes abriram dois pontos (4/2). Com uma boa sequência de saques da ponteira Kosheleva, o Sesc RJ virou o marcador (10/9). Quando as donas da casa fizeram 13/11, o treinador Anderson parou o jogo. A partida ficou equilibrada. O Sesi Vôlei Bauru fez 19/18 e o treinador Bernardinho pediu tempo.  A ponteira Tifanny conseguiu uma boa sequência de saques e as visitantes fizeram 22/20. O Sesi Vôlei Bauru foi melhor na parte final e venceu o segundo set por 25/22.

O Sesi Vôlei Bauru fez os três primeiros pontos do terceiro set. Com um ponto de saque da oposta Diouf, as visitantes fizeram 5/2. Bem no saque, as cariocas empataram a parcial  (7/7). A ponteira Kosheleva fez um ponto de ataque e as cariocas fizeram 16/15. O final da parcial foi disputado ponto a ponto. A experiente Arlene conseguiu um ace e, com um ponto de bloqueio, o Sesi-SP venceu o terceiro set por 25/21.  

Bem no boqueio, o Sesc RJ fez 5/1 no início do quarto set. A ponteira Peña se destacava e a diferença no marcador subiu para cinco pontos (7/2). Com volume de jogo, as cariocas mantiveram a diferença no placar (12/7) e o treinador Anderson pediu tempo. Mesmo com a paralisação, as cariocas seguiram melhores e fizeram 17/10. O Sesc RJ foi melhor até o final e venceu o quarto set por 25/16 com um ace da levantadora Roberta.

O Sesi Vôlei Bauru fez os dois primeiros pontos do quinto set. Jogando com velocidade, as visitantes fizeram 6/3 e o treinador Bernardinho pediu tempo. Mesmo com a paralisação, as paulistas seguiram melhores e aumentaram a vantagem para cinco pontos (8/3). O Sesc RJ cresceu de produção e encostou no marcador (10/7). Neste momento, o treinador Anderson pediu tempo. Numa boa sequência de saques da ponteira Kosheleva, o Sesc RJ deixou tudo igual no marcador (10/10). O jogo ficou disputado ponto a ponto até o final, mas o Sesc RJ foi melhor os decisivos e, com um ataque da oposta Monique, fechou o set por 21/19 e o jogo por 3 sets a 2.