fbpx

Sesc-Rj atropela Pinheiros e avança na Superliga

O time do Sesc-rj carimbou as vagas nas semifinais da Superliga Feminina depois de vencer pela segunda vez o time de Pinheiros por 3 sets a 0 em uma partida que o time oscilou um pouco nos dois primeiros sets e foi muito superior no último em jogo realizado no Jeunesse Arena diante de sua torcida que fez a sua parte.

Na primeira partida das quartas-de-final na semana passada, o Sesc-rj havia ganho com muitas dificuldades na casa do adversário por 3 sets a 2 em uma partida muito dura e equilibrada. A torcida que esperava um mesmo tipo de confronto, acabou vendo uma vitória mais tranquila do time carioca com mais facilidade.

O destaque da partida ficou por conta de Gabi, que foi eleita a melhor jogadora da partida. Ela contribuiu decisivamente para a vitória do Sesc-rj.

“Estou muito feliz com a vitória e todos do time estão me passando confiança e aos poucos estou voltando a minha melhor forma. Temos que dar parabéns ao Pinheiros pela linda campanha e agora é buscar uma constância maior e lutar com tudo na semifinal para buscar, quem sabe, mais uma final” – Conta.

Gabi foi um dos destaques da partida. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

Para a líbero Fabi que ao final do jogo recebeu uma homenagem, a partida foi mais tranquila que elas esperavam.

“O time jogou bem e estamos de parabéns. Elas lá quase conseguiram ganhar da gente e por aqui fizemos o jogo ficar mais tranquilo e saímos com a vitória. ” – Finaliza.

O jogo

O Pinheiros saiu na frente e ainda fez 2/0. Com Peña, o Sesc RJ empatou em 2/2. O set seguiu disputado ponto a ponto e as equipes empataram novamente em 6/6. O time carioca assumiu o comando do placar fazendo 8/7. Quando as adversárias chegaram a 11/8, o técnico do Pinheiros, Paulo de Tarso, pediu tempo. A vantagem carioca foi a 14/9. Em boa passagem de Lana pelo saque, o time visitante reagiu e tirou a diferença para 12/14. Foi a vez de Bernardinho pedir tempo. No bloqueio de Roberta, o Pinheiros empatou: 16/16. A equipe visitante passou a frente em 18/17. O Sesc RJ voltou a comandar o set, fazendo 21/19. No bloqueio de Mayhara, 23/20. O Pinheiros encostou em 22/23. No final, o time carioca fechou em 25/22.

No ponto de saque de Peña, o Sesc RJ marcou 3/1 logo no início da segunda parcial. O time do Rio de Janeiro teve dois de vantagem também em 5/3. O Pinheiros buscou e assumiu o comando do placar em 6/5. No ponto de saque de Bruninha, o placar foi a 10/8 a favor do time de São Paulo. O Sesc RJ reagiu e empatou em 11/11. Em boa passagem de Peña pelo saque, o time do Rio marcou 13/11 e Paulo de Tarso pediu tempo. Na largadinha de Juciley, 16/12. Com Gabi bem no saque, o Sesc RJ ampliou a vantagem e fez 20/12. No bloqueio de Vanessa, o Pinheiros reduziu a diferença no marcador: 16/21. Bernardinho pediu tempo. As visitantes seguiram pontuando e chegaram a 19/22. A reta final do sete seguiu com equilíbrio e o Pinheiros encostou em 22/23. E no ponto de saque de Carol Leite, assim como no set anterior, o Sesc RJ fechou em 25/22.

Time aguarda vencedor entre Minas e Fluminense nas semifinais. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

Com Gabi pontuando bem, o Sesc RJ abriu 5/2 no terceiro set com ponto de bloqueio. Neste momento, Paulo de Tarso pediu tempo. Na largadinha de Peña, o time da casa chegou a 7/4. Quando o placar chegou a 9/6, o treinador do Pinheiros pediu mais um tempo. Na volta, a equipe carioca ainda chegou a 11/5. Juciely colocou oito pontos de vantagem a favor do Sesc RJ: 18/10. No bloqueio duplo, o time da casa chegou a 20/11. Melhor em quadra, o marcador ainda marcou 23/22. Superior na parcial, o Sesc RJ venceu o terceiro set por 25/13.

O time do Sesc-Rj aguarda o vencedor da série entre Minas e Fluminense que se enfrentam amanhã em Minas. Na primeira partida, as mineiras se saíram melhor e venceram por 3 sets a 1.

“Se pegarmos o Minas, é um time que já conhecemos bem. Ano passado fizemos também a semifinais com elas e foram cinco partidas bem duras. Já o Fluminense é um time que vem jogando bem e tem chances de chegar. Seja quem vier, vamos treinar para conseguirmos nos dar bem na sequência de jogos seguidos que virão” – Finaliza Gabi

  • Publicado em Vôlei

Vôlei Nestlé quer manter invencibilidade em casa contra o Terracap/BRB/Brasília Vôlei

Com 37 pontos em 15 jogos, o Vôlei Nestlé aparece na terceira posição da Superliga 2016/17 e terá pela frente nesta sexta-feira (10) o Terracap/BRB/Brasília Vôlei, quarto colocado com 32 e uma partida a mais. O confronto está marcado para o ginásio José Liberatti, às 21h30. No primeiro turno, fora de casa, o time de Osasco foi superado pelo rival brasiliense em sets diretos. Como mandante, Dani Lins e suas companheiras estão invictas na competição nacional, com 8 resultados positivos. 

A ponteira Malesevic recorda-se da partida do primeiro turno e acredita que o caminho para conquistar o resultado positivo é a regularidade e o apoio da torcida. "O Brasília é uma equipe forte e que possui jogadoras com bastante experiência. Foi bem difícil jogar lá e penso que elas atuaram bem também. Mas agora jogamos em casa e ganhamos todos os confrontos que fizemos como mandante até o momento. Temos que fazer isso prevalecer e contamos com a ajuda da nossa torcida para fazer uma boa partida", afirma a sérvia.

Dani Lins aponta o aspecto coletivo como fundamental para conquistar mais três pontos. "Perdemos por 3 a 0 no primeiro turno, mas com parciais bem justas. Sabemos que precisamos ter paciência na hora de rodar uma bola e sabermos o momento certo para arriscar, evitando erros. Enfim, primeiro jogar como grupo, com todas atuando em bom nível. Não podemos ter nenhuma abaixo, todas precisam estar jogando perto do 100%. Pode observar que as partidas que ganhamos foi porque atuamos bem coletivamente. É um adversário que requer atenção porque é bastante qualificado, com atletas experientes como a Paula. Tem a Roberta que é uma central forte e a Amanda e Macris que estão fazendo uma ótima Superliga. Portanto, temos que ter cuidado e foco", analisa a levantadora. 

Como mandantes, o Vôlei Nestlé soma vitórias contra São Cristóvão Saúde/São Caetano, Pinheiros, Rio do Sul, Camponesa/Minas, Rexona-Sesc, Renata Valinhos/Country, Genter Vôlei Bauru e Sesi-SP. São 23 pontos ganhos em casa dos 37 no geral. O duelo contra o Terracap/BRB/Brasília Vôlei é a reedição das quartas de final da Superliga da temporada passada, quando o time de Osasco ganhou os dois embates e avançou para a fase semifinal da competição. 

  • Publicado em Vôlei

Vôlei Nestlé quer manter invencibilidade em casa contra o Terracap/BRB/Brasília Vôlei

Com 37 pontos em 15 jogos, o Vôlei Nestlé aparece na terceira posição da Superliga 2016/17 e terá pela frente nesta sexta-feira (10) o Terracap/BRB/Brasília Vôlei, quarto colocado com 32 e uma partida a mais. O confronto está marcado para o ginásio José Liberatti, às 21h30, e terá transmissão do SporTV. No primeiro turno, fora de casa, o time de Osasco foi superado pelo rival brasiliense em sets diretos. Como mandante, Dani Lins e suas companheiras estão invictas na competição nacional, com 8 resultados positivos. 

A ponteira Malesevic recorda-se da partida do primeiro turno e acredita que o caminho para conquistar o resultado positivo é a regularidade e o apoio da torcida. "O Brasília é uma equipe forte e que possui jogadoras com bastante experiência. Foi bem difícil jogar lá e penso que elas atuaram bem também. Mas agora jogamos em casa e ganhamos todos os confrontos que fizemos como mandante até o momento. Temos que fazer isso prevalecer e contamos com a ajuda da nossa torcida para fazer uma boa partida", afirma a sérvia.

Dani Lins aponta o aspecto coletivo como fundamental para conquistar mais três pontos. "Perdemos por 3 a 0 no primeiro turno, mas com parciais bem justas. Sabemos que precisamos ter paciência na hora de rodar uma bola e sabermos o momento certo para arriscar, evitando erros. Enfim, primeiro jogar como grupo, com todas atuando em bom nível. Não podemos ter nenhuma abaixo, todas precisam estar jogando perto do 100%. Pode observar que as partidas que ganhamos foi porque atuamos bem coletivamente. É um adversário que requer atenção porque é bastante qualificado, com atletas experientes como a Paula. Tem a Roberta que é uma central forte e a Amanda e Macris que estão fazendo uma ótima Superliga. Portanto, temos que ter cuidado e foco", analisa a levantadora. 

Como mandantes, o Vôlei Nestlé soma vitórias contra São Cristóvão Saúde/São Caetano, Pinheiros, Rio do Sul, Camponesa/Minas, Rexona-Sesc, Renata Valinhos/Country, Genter Vôlei Bauru e Sesi-SP. São 23 pontos ganhos em casa dos 37 no geral. O duelo contra o Terracap/BRB/Brasília Vôlei é a reedição das quartas de final da Superliga da temporada passada, quando o time de Osasco ganhou os dois embates e avançou para a fase semifinal da competição. 

  • Publicado em Vôlei

Vôlei Nestlé quer manter invencibilidade em casa contra o Terracap/BRB/Brasília Vôlei

Com 37 pontos em 15 jogos, o Vôlei Nestlé aparece na terceira posição da Superliga 2016/17 e terá pela frente nesta sexta-feira (10) o Terracap/BRB/Brasília Vôlei, quarto colocado com 32 e uma partida a mais. O confronto está marcado para o ginásio José Liberatti, às 21h30, e terá transmissão do SporTV. No primeiro turno, fora de casa, o time de Osasco foi superado pelo rival brasiliense em sets diretos. Como mandante, Dani Lins e suas companheiras estão invictas na competição nacional, com 8 resultados positivos. 

A ponteira Malesevic recorda-se da partida do primeiro turno e acredita que o caminho para conquistar o resultado positivo é a regularidade e o apoio da torcida. "O Brasília é uma equipe forte e que possui jogadoras com bastante experiência. Foi bem difícil jogar lá e penso que elas atuaram bem também. Mas agora jogamos em casa e ganhamos todos os confrontos que fizemos como mandante até o momento. Temos que fazer isso prevalecer e contamos com a ajuda da nossa torcida para fazer uma boa partida", afirma a sérvia.

Dani Lins aponta o aspecto coletivo como fundamental para conquistar mais três pontos. "Perdemos por 3 a 0 no primeiro turno, mas com parciais bem justas. Sabemos que precisamos ter paciência na hora de rodar uma bola e sabermos o momento certo para arriscar, evitando erros. Enfim, primeiro jogar como grupo, com todas atuando em bom nível. Não podemos ter nenhuma abaixo, todas precisam estar jogando perto do 100%. Pode observar que as partidas que ganhamos foi porque atuamos bem coletivamente. É um adversário que requer atenção porque é bastante qualificado, com atletas experientes como a Paula. Tem a Roberta que é uma central forte e a Amanda e Macris que estão fazendo uma ótima Superliga. Portanto, temos que ter cuidado e foco", analisa a levantadora. 

Como mandantes, o Vôlei Nestlé soma vitórias contra São Cristóvão Saúde/São Caetano, Pinheiros, Rio do Sul, Camponesa/Minas, Rexona-Sesc, Renata Valinhos/Country, Genter Vôlei Bauru e Sesi-SP. São 23 pontos ganhos em casa dos 37 no geral. O duelo contra o Terracap/BRB/Brasília Vôlei é a reedição das quartas de final da Superliga da temporada passada, quando o time de Osasco ganhou os dois embates e avançou para a fase semifinal da competição. 

  • Publicado em Vôlei
Assinar este feed RSS