fbpx

Corrida de Rua

Corrida de Rua (240)

Quenianos vencem a 13ª Meia Maratona Internacional de São Paulo

Os corredores do Quênia levaram a melhor na 13ª Meia Maratona Internacional de São Paulo. Na manhã deste domingo (17), Geofry Kipchumba e Sharon Arusho confirmaram o favoritismo e venceram a prova. Após 21.097 metros por ruas e avenidas da capital paulista, Geofry marcou o tempo de 1h04min37seg, enquanto Sharon completou o percurso com o tempo de 1h17min03seg. Com o resultado, os estrangeiros agora dominam no masculino, com sete vitórias contra seis do corredores nacionais, e no feminino com a nona conquista na história da prova paulistana. 

O atletismo brasileiro ficou com o segundo lugar. Entre os homens, Gilmar Lopes cruzou a linha de chegada com o tempo de 1h05min51seg, seguido por Damião de Souza, campeão em 2009, com 1h06min51seg. Já na prova feminina Andréia Hessel foi vice com a marca de 1h19min22seg, vindo logo depois Simone Ferraz, 1h20min50seg. Na categoria Cadeirantes, Carlos Pierre de Jesus e Vanessa de Souza garantiram o topo do pódio. 

Uma das principais provas do calendário, a Meia Maratona Internacional de São Paulo completou sua 13ª edição. O dia nublado, com momentos de garoa, foi a marca deste ano, mas não tirou o entusiasmo dos atletas nem do público presente na Praça Charles Miller, em frente ao Estádio do Pacaembu. Na disputa entre brasileiros e estrangeiros, os africanos levaram vantagem, vencendo no masculino e feminino.

Geofry Kipchumba, de apenas 19 anos, deu sequencia a série de bons resultados do ano passado, quando venceu a Meia Maratona de Kilimanjaro, foi vice na corrida Shopping Aricanduva e terceiro colocado nas Dez Milhas Garoto. Ele largou bem, manteve um lugar entre os ponteiros para arrancar no km 5 rumo à vitória em São Paulo.

“A prova foi muito boa e adorei o percurso. Esta foi minha estreia nesta corrida e não poderia ser melhor. Espero repetir esse desempenho positivo nas próximas corridas”, destacou Geofry, campeão de 2019.

Gilmar Lopes, por sua vez, destacou o adversário. “Foi uma corrida um pouco dura e o queniano colocou um ritmo forte a partir do quilometro cinco. Como estou me preparando para a maratona dos Jogos Pan-Americanos no Peru, preferi não forças e estou bastante feliz com o segundo lugar”, declarou o vice-campeão. 

Feminino

No feminino, Sharon também não teve problemas para garantir mais uma conquista. Ela conseguiu superar o cansaço para ganhar neste domingo. “Foi  complicado, pois cheguei em cima da hora, na noite de sábado, e não consegui relaxar como queria. Mas valeu pelo resultado. Fiquei feliz em vir aqui e vencer”, afirmou Sharon, campeã no ano passado da Volta Internacional da Pampulha. 

Andréia Hessel, principal nome do país no evento, ressaltou o percurso. “Percurso desafiador, mas é que te instiga e exige bastante. Adorei o clima, que foi perfeito para correr. A ano começou desde o ano passado e não parei. Tenho índice para o Mundial e o Pan-Americano, ambos na maratona, espero chegar bem aproveitando provas fortes como esta”, disse a brasileira.

 

Resultados 2019 

 

Elite Masculino

1) Geofry Kipchumba (Quênia), 1h04min37seg

2) Gilmar Lopes (Brasil), 1h05min51seg 

3) Damião de Souza (Brasil), 1h06min51seg

4) Giovani dos Santos (Brasil), 1h07min18seg

5) Edson Amaro  dos Santos (Brasil), 1h07min37seg

 

Elite Feminino

1) Sharon Arusho (Quênia), 1h17min03seg

2) Andréia Hessel (Brasil), 1h19min22seg

3) Simone Ferraz (Brasil), 1h20min50seg 

4) Jaciane Araújo (Brasil), 1h23min59seg

5) Larissa Quintao (Brasil), 1h24min08seg

 

Cadeirante Masculino

1) Carlos Pierre de Jesus (Brasil), 58min03seg

2) Leonardo Melo (Brasil), 1h07min31seg

 

Cadeirante Feminino

1) Vanessa de Souza (Brasil), 58min57seg

2) Jéssica Giacomelli (Brasil), 1h12min47seg

 

Maratona do Rio e Desafio Cidade Maravilhosa: a hora é agora

Para os amantes da longa distância e aqueles querem testar seus limites, as provas da tradicional Maratona do Rio (42km) e do Desafio Cidade Maravilhosa (21 + 42km), que acontecem nos dias 22 e 23 de junho, ainda estão com inscrições abertas. Faltando cinco meses para a prova, os corredores terão o tempo necessário de preparação para a competição.

“A Maratona e o Desafio são para corredores mais experientes, que já tem no currículo algumas Meias e Maratonas finalizadas e que desejam “esticar” um pouco mais e conhecer os seus limites. Para os que ainda não se inscreveram e estão na dúvida, este é o momento ideal, pois cria o compromisso desde já com a prova e tem tempo de sobra para planejar e treinar adequadamente objetivando completar a Maratona ou o Desafio da Cidade Maravilhosa”, disse o educador físico André Leta, integrante do time de especialistas da Maratona do Rio.

"Após a inscrição é importante contatar o seu treinador ou assessoria esportiva de corrida para elaborar a sua periodização de treinos visando as duas provas", completa.

As inscrições podem ser feitas através do site: www.maratonadorio.com.br . A prova de 42 quilômetros será realizada no domingo (23/06), quando também serão disputados os 5 e 10km. Já a Meia Maratona e a Maratoninha Gloob serão no sábado (22/06). As provas são disputadas no feriado de Corpus Christi, como uma oportunidade de potencializar o turismo e o esporte na cidade do Rio de Janeiro.

Em 2018, a Maratona do Rio recebeu 38 mil inscritos de todos os estados brasileiros e de 50 países. Para 2019, a organização espera receber mais de 40 mil corredores e já está trabalhando em melhorias para proporcionar uma ótima experiência para quem vai desfrutar de uma das corridas mais lindas do mundo. A primeira delas foi a mudança da distância de 6km para 5km. A intenção das organizadoras Dream Factory e Spiridon Eventos é criar uma prova ainda mais democrática e com maior fluidez no percurso. 

 

Percurso

 

A Maratona Caixa da Cidade do Rio de Janeiro terá a largada dos seus 42km no Recreio dos Bandeirantes, passando pelas praias do Recreio, Reserva, Barra da Tijuca, São Conrado, Leblon, Ipanema, Copacabana, Botafogo e chegando no Aterro do Flamengo. A largada da Meia Maratona (21km), será na Barra da Tijuca. Já os 6km e 10km por sua vez terão o início e o término no Aterro do Flamengo.

 

PROGRAMAÇÃO

Sábado – 2 de junho de 2018

Meia Maratona Olympikus da Cidade do Rio de Janeiro (21km) e Maratoninha Gloob

Domingo – 3 de junho de 2018

5km, 10km e Maratona da Cidade do Rio de Janeiro (42km)

Inscrições abertas para a Meia do Porto

Estão abertas as inscrições para a terceira edição da Meia do Porto, dia 12 de maio, no Rio de Janeiro. Com um percurso seletivo, a prova é perfeita para quem busca se desafiar dentro dos 21K, com premiação também por faixa etária. Quem gosta de provas rápidas terá a opção dos 5K.

Monotonia é exatamente o que os corredores não vão encontrar nos 21.095 metros de prova. Um percurso que contempla as belezas da Zona Portuária, como a Praça Mauá e seus museus, o Binário do Porto, a beleza e a tradição de corridas do Aterro do Flamengo e os túneis Marcello Alencar e Rio 450.

“A Meia do Porto vai para sua terceira edição como uma prova já consolidada no calendário nacional de meias maratonas. Um percurso sempre inovador que consegue reunir numa meia maratona quase tudo o que o corredor gosta. Sol, sombra, subida, descida, túneis, asfalto, jardins... E como as outras provas da De Castilho Sports, a Meia do Porto é praticamente um tour por algumas belezas do Rio de Janeiro”, afirma Virgílio de Castilho, organizador da prova.

Erica Santana, moradora de Miguel Pereira e adepta das corridas de montanha, se surpreendeu com a variação do percurso. Em 2018, a atleta ficou em quarto lugar no geral.

“Foi uma prova muito gostosa de correr. O sufoco do Túnel Marcello Alencar e logo em seguida o Aterro do Flamengo... As ladeiras foram um diferencial já que normalmente as meias no asfalto são muito planas”, diz Érica.

Meia do Porto

21K e 5K

12 de maio de 2019

Praça Mauá – Porto Maravilha

Concentração: 6h30

Largada Geral: 7h

Informações e inscrições: www.meiadoporto.com.br

Brasileiro cumpre meta de exercícios físicos com regularidade por 30 dias

Muita gente se compromete a ser mais saudável no ano novo. Seja se alimentando melhor ou fazendo exercícios físicos com regularidade. Os usuários do Strava, rede social voltada para quem pratica atividade física que já conta com 4,5 milhões de brasileiros conectados (36 milhões globalmente), seguem firme neste propósito até o dia 30 de janeiro, quando há a primeira grande queda no número de atividades inseridas na plataforma.
 
O Strava analisou dados dos usuários na Alemanha, Espanha, Estados Unidos, França, Japão, Irlanda, Reino Unido e no Brasil, a terceira maior base de usuários da plataforma, que recebe 20 uploads por segundo.
 
Os dados levantados pelo Strava em relação à faixa etária indicam que o brasileiro se mantém mais focado do que as outras pessoas nos países analisados. Independente da idade, no Brasil, o usuário demora um pouco mais para abandonar a meta do que os usuários de outras nacionalidades.
 
Confira os dados dos brasileiros:

Faixa Etária

Data de desistência

18 a 29 anos

05 de fevereiro

30 a 39 anos

30 de janeiro

40 a 49 anos

30 de janeiro

50 a 59 anos

26 de janeiro

60 a 69 anos

30 de janeiro

 

Quando os dados são filtrados por homens e mulheres, no Brasil, ambos diminuem o ritmo dos exercícios no dia 30 de janeiro. Nos EUA, por exemplo, essa data é o dia 16 do mesmo mês para as mulheres e 17 para os homens. E no Reino Unido e Irlanda, 18 é data para os homens e 20 para mulheres.
 
“Entre os países analisados, o Brasil é o único que está no verão. O astral da estação e os dias mais longos são dois pontos positivos que devem estimular as pessoas a se exercitarem mais do que no período de inverno”, comenta Guilherme Guimarães, Country Manager do Strava no Brasil.
 
No relatório Year in Sport (Ano no Esporte), divulgado recentemente, o Strava apontou ainda que o brasileiro é o mais engajado socialmente, pois têm 2,3 vezes mais seguidores que a média global e recebem quase 3 vezes mais Kudos (as curtidas do Strava) do que a média global.
 
Veja outros dados interessantes do Strava no relatório Year in Sport (com dados obtidos de 01/10/2017 a 30/09/2018):
 
   • A terça-feira é o dia mais popular para as atividades indoor. E também é o dia da semana em que os ciclistas alcançam as maiores velocidades.
   • Os atletas do Strava fizeram 624 milhões de uploads de atividades ao redor do mundo – o equivalente a 10,7 bilhões de quilômetros.
   • No Brasil, em relação aos deslocamentos ao trabalho, houve mais de 5,4 milhões de atividades de bicicleta (aumento de 70,3% em relação ao ano passado) inseridas na plataforma e 1,4 milhão de corridas (aumento de 94,6%).
   • Os atletas do Strava no Brasil fizeram 19,4 milhões de pedaladas nesse período, cuja média é de 21,8 atividades por usuário. A duração média foi de 1h46min, enquanto no resto do mundo foi de 1h37min.
   • Em relação à corrida, foram 11,1 milhões uploads com uma duração média de 48min48s. Globalmente, os atletas do Strava correm um minuto a mais do que os brasileiros. E domingo é o dia mais popular entre os corredores.

Desafio no verão carioca? Conheça a corrida de São Sebastião

O verão carioca está a pleno vapor com temperaturas que alcançam fácil a marca dos 40c. Correr nessas condições exige um treinamento mais leve e principalmente muita hidratação. Mas se você gosta de um desafio nessas condições, dia 20 de janeiro temos uma corrida que pode testar sua adaptação a essa época do ano, a tradicional Corrida de São Sebastião que será realizada no Aterro do Flamengo com largada às 7:30 trazendo novidades.

Essa é uma corrida para aqueles que gostam de correr em qualquer época do ano. E essa pode ser considerada a mais desafiante de todas no Aterro do Flamengo onde o dia sempre começa bonito e bem quente. A corrida do padroeiro da cidade nesta edição será no domingo, permitindo que pessoas de outras cidades do entorno, possam participar também.

Diferente de outros anos a corrida está com três pontos diferentes: A camiseta que vem com o kit terá cores diferentes para cada tamanho, diferente da última que foi branca com detalhes em vermelho, a corrida para crianças será junto a competição dos adultos e o principal baque de todos, a competição não terá um patrocinador máster e isso trará algumas consequências:

Maxweel Kortek Rotich venceu na edição de 2018. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotpress/EAZ

A corrida de São Sebastião sempre atraiu uma forte elite e uma intensa disputa entre brasileiros e africanos pelo pódio. No ano passado tivemos o queniano Maxweel Kortek Rotich vencendo a prova e em 2017 foi Giovani dos Santos que subiu ao alto do pódio. Mas sem premiação em dinheiro, será que teremos a elite?

Segundo Sergio Zenobia da Spiridon, empresa que organiza a Corrida de São Sebastião: “Fizemos convites aos principais atletas brasileiros e a atletas estrangeiros mesmo não havendo premiação em dinheiro nesta edição da corrida de São Sebastião e estamos aguardando as confirmações de participação dos atletas convidados”.

Mas para quem gosta realmente de correr, terá um kit diferenciado nessa edição. Para cada tamanho de camiseta, a cor será diferente e seis cores no total. “Estamos inovando quanto a camisa do evento. Decidimos colorir a prova e todo aterro do flamengo. As camisas serão unissex e cada tamanho terá sua cor. Essa decisão foi tomada, devido ao preço da camisa, foi a única maneira do nosso fornecedor conseguir um valor bom nas camisas, mantendo a qualidade das camisas, o fornecedor negociou com as fabricas de tecidos” – Completa Sergio

E também será uma possibilidade de levar toda a família junto. Diferente de outras edições, a Corrida de São Sebastiãozinho que sempre acontecia em outra data e local, será pouco depois da corrida dos adultos e as crianças contarão com espaço para brincar e se divertirem bastante e podem participar crianças dos 3 aos 12 anos de idade com distâncias compatíveis a elas.

As inscrições seguem abertas e podem ser feitas através do site http://www.corridadesaosebastiao.com.br/

94ª São Silvestre: destaques chegam otimistas

Bem preparados e confiantes. Assim estão os destaques nacionais e internacionais da 94ª Corrida de São Silvestre, programada para está segunda, 31 de dezembro, a partir das 8h20, com largada na Avenida Paulista, altura do número 2000. Os favoritos participaram das coletivas no Novotel Jaraguá  e ressaltaram estar  prontos para fazer um bom papel na principal prova de rua da América Latina.

Entre os brasileiros,Wellington Bezerra, do Cruzeiro, campeão das Dez Milhas Garoto e vice na Maratona de São Paulo, aposta numa boa estratégia. "Quero dar o melhor possível de mim e procurar brigar pelas primeiras colocações. Sei das dificuldades, mas vou fazer uma boa estratégia para poder lutar pelas primeira colocações", declarou.

Seu companheiro de equipe, Gilmar Lopes, terceiro colocado na Volta da Pampulha, destacou que a equipe tem uma motivação  extra. "Este ano é o objetivo fazer ainda mais bonito, pois a equipe do Cruzeiro vai acabar e queremos fechar com chave de ouro. Fiz uma preparação de dois meses de força para poder atingir esse objetivo no dia 31", afirmou.

Éderson Pereira, do Pinheiros, melhor brasileiro em 2017, disse estar em ótimas condições e espera um dia iluminado na segunda. "A expectativa é a melhor possível. Fizemos uma preparação boa nas últimas semanas e agora é descansar. Na segunda é buscar estar perto do favoritos e torcer para estar num dia iluminado e poder brigar pelo primeiro lugar".

Entre as mulheres, Joziane Cardoso, melhor brasileira no ano passado (10ª), e Andréia Hessel, campeã da Maratona de São Paulo 2018, também estão confiantes. "Treinei bastante me dediquei e espero estar no pódio. Este é sempre o objetivo e vamos lutar para isso no dia 31", afirmou Joziane.

Andréia, por sua vez, tem se dedicado às maratonas, mas não descarta ter um bom desempenho na São Silvestre. "Venho de uma temporada diferente, com algumas maratonas. Mas a São Silvestre é importante e uma forma de carimbar essa temporada de forma positiva", afirmou.

Estrangeiros

Dawitt Admasu, bicampeão da prova, foi outro que ressaltou a boa preparação para este ano. "Treinei por seis meses, sinto-me  bem e espero um bom resultado. Estou pronto para isso. Aliás, o mais importante é estar aqui, um país que gosto muito e que tem me dado bastante apoio", declarou o etíope, que agora defende as cores do Bahrein.

A  queniana Ester Kakuri, campeã da Meia Maratona do Rio de Janeiro 2018, também está confiante. "Para mim, estou preparada para um bom dia. Minha expectativa é que isso confirme na corrida e possa estar entre as primeiras", encerrou.

A programação no dia da corrida começará cedo. A categoria Cadeirante começará às 8h20, ficando o pelotão de elite feminino às 8h40. Logo em seguida, às 9h, será a vez da largada do pelotão de elite masculino e atletas da categoria geral. 

Entrega de kits

A entrega de kits acontecerá entre 27 e 30, durante a  EXPO Atleta, que este ano será em novo local: o Palácio de Convenções do Anhembi (Halls Nobres 2 e 3), na Zona Norte de São Paulo, localizado na Rua Professor Milton Rodrigues, s/n, Santana. A programação ficou assim: nos dias 27, 28 e 29 de dezembro, das 9h às 20h, e no dia 30 de dezembro de 2018, das 9h às 16h. Não haverá entrega de kits no dia da prova nem mesmo após a mesma, conforme regulamento.

A entrega será dividida por setores/cores e numeral. O atleta deverá verificar no e-mail cadastrado no ato da inscrição o setor e numeral que deverá retirar seu  kit. Os setores são os seguintes:  Setor Verde, abaixo de 1h20min, de 1.000 a 9.099;  Setor Marrom, entre 1h21min e 1h35min, de 10.000 a 19.199; Setor Azul, entre 1h36min e 1h50min, de 20.000 a 27.399, e Setor Laranja, acima de 1h51min, de 28.000 a 32.499.

 

A entrega de kit para terceiros só será feita mediante Procuração Particular. Informações sobre procedimentos e documentos necessários para a retirada estão informados no site oficial, www.saosilvestre.com.br

 

Seguem abertas as inscrições para a Corrida de São Sebastião

Estão abertas as inscrições para a Corrida de São Sebastião, prova que abre a temporada de corridas de rua do Rio de Janeiro e uma das mais tradicionais do calendário nacional. No dia 20 de janeiro milhares de corredores vão ocupar o Aterro do Flamengo para provas de 5K e 10K. A São Sebastiãozinho, corrida kids, que nos anteriores ocorreu em dias e locais diferentes da prova principal, este ano também será dia 20 no Aterro do Flamengo.

João Traven, da Spiridon Eventos, organizadora da prova está animado e acredita em pouco tempo as inscrições vão se esgotar. Ele cita dois fatores que vão contribuir para isso.

“Dia 20 de janeiro é feriado na cidade do Rio de Janeiro e quando cai no meio da semana faz da São Sebastião uma prova tipicamente carioca já que corredores de outras cidades estão trabalhando. Este ano a prova é num domingo e esperamos receber atletas de outras cidades e o aumentando da procura por inscrições. E ao levar a São Sebastiãozinho para o Aterro no mesmo dia, o evento será um programa de família. Estamos animados e o objetivo é oferecer aos corredores uma prova com a excelência de sempre”, afirma Traven.

A Corrida de São Sebastião vai premiar troféu os três primeiros colocados nas categorias masculina e feminina nas provas de 5 e 10K. As três equipes de academias, personal trainer, grupos de corridas, empresas ou colégios com maior número de inscritos também recebem troféus. 

 

 

Corrida de São Sebastião

Data: 20 de janeiro de 2019

Local: Aterro do Flamengo entre as ruas Cruz Lima e Tucumã

Largada: 7h30

Inscrições e informações: www.corridadesaosebastiao.com.br

Strava divulga no Brasil relatório anual de dados com percepções sobre o comportamento dos atletas

Uma semana após superar o número histórico de 2 bilhões de atividades publicadas em sua plataforma, o Strava lançou no Brasil seu relatório anual de dados “Year In Sport” (Ano do Esporte), revelando novos insights em sua comunidade com mais de 36 milhões de atletas, em 195 países. Só no Brasil, já são mais de 4,5 milhões de usuários.
 
Neste ano, os atletas do Strava fizeram mais de 624 milhões de uploads de atividades em todo o mundo, completando - coletivamente - o equivalente a mais de 10,7 bilhões de quilômetros. Os ciclistas fizeram mais de 8,36 bilhões de quilômetros em 2018 – o suficiente para chegar da Terra a Plutão. Já os corredores percorreram 1,5 bilhão de quilômetros no total, com uma distância média de 8,2 quilômetros por corrida.
 
No Brasil, os atletas do Strava fizeram upload de mais de 5,4 milhões de atividades de bicicleta (aumento de 70,3% em relação ao ano passado) e 1,4 milhão de corridas (aumento de 94,6%). Outro destaque local, é que a comunidade Strava por aqui é altamente engajada. Os brasileiros têm 2,3 vezes mais seguidores que a média global e recebem quase 3 vezes mais kudos (as curtidas do Strava) do que a média global.
 
Temos uma ferramenta que tem tudo a ver com o povo brasileiro, que gosta de ver e ser visto. O engajamento local mostra o quanto isso é relevante por aqui. E o crescimento das atividades também reforça o vértice social do Strava, que impulsiona a prática esportiva em conjunto”, afirma Guilherme Guimarães, country manager do Strava no Brasil.
 
Além disso, observando o conjunto de dados de 2018 do Strava, é possível apontar algumas tendências entre as metas estabelecidas, interações sociais e desempenho dos atletas. Os destaques globais incluem:
 
   • A definição de metas leva a resultados positivos:
         o corredores, ciclistas e nadadores que estabeleceram metas no Strava fizeram 15% a mais de upload de atividades seis meses depois de estabelecer metas em relação aos atletas que não fizeram.
 
   • Socializar durante o exercício pode fazer de você um atleta melhor:
         - os atletas que se juntaram a um clube no Strava inseriram, em média, três vezes mais atividades do que os atletas que não estavam ligados a um clube.
         - quando os atletas se exercitaram em grupos, essas atividades duraram, em geral, 10% mais e a distância percorrida foi 21% maior do que entre as pessoas que se exercitavam sozinhas.
 
   • Praticantes de modalidades variadas tendem a ter um número crescente de atividades realizadas:
         - os atletas que fizeram upload de atividades em vários tipos de esporte tiveram, em média, o dobro do total de envios de dados ao longo do ano do que aqueles que aderiram a uma única modalidade.
 
 
* O relatório Year In Sports 2018 contém dados de 01/10/2017 a 30/09/2018.

Maratona do Rio segue cumprindo seu papel social

A Maratona do Rio segue firme em sua missão social. Mais uma vez, o evento abraça projetos sociais e doa parte da verba das inscrições. A Spiridon Eventos e a Dream Factory, organizadoras da prova, que em 2018 aconteceu nos dias 2 e 3 de junho, no feriado de Corpus Christi, doaram mais de 117 mil reais para o Instituto da Criança, Instituto Todos na Luta e Ação Social pela Música do Brasil.

As doações foram possíveis porque no ato da inscrição, cada corredor podia escolher uma entre as três Instituições para receber parte do valor pago. Toda a renda arrecadada foi repassada diretamente à entidade escolhida pelo participante da Maratona do Rio.

A Ação Social pela Música que visa à formação da cidadania, através do ensino da música clássica, foi contemplada com mais R$27.500,00. Com a verba, foi possível investir em instrumentos que serão usados pelos alunos abraçados pelo Instituto, como violoncelos, violas, flautas doce, arcos de violino e contrabaixos.

"A Maratona é muito importante para a cidade do RJ como evento esportivo, mas vai além disso, porque os organizadores podem mostrar aos participantes, que além de buscar saúde e civilidade na competição, eles também podem contribuir para melhorar a vida de crianças e jovens de projetos sociais. Ficamos muito felizes com essa parceria, porque com a doação financeira podemos continuar realizando nossa missão de inclusão social através do aprendizado da música em comunidades de baixa renda. E por outro lado a nossa instituição ganha visibilidade para um público, que é formador de opinião, e que só é possível atingir através da Maratona", disse Fiorella Solares, diretora executiva do Instituto.

Já para o Instituto Todos na Luta, com a verba de R$27.500,00 foi possível reformar uma laje de aproximadamente 190m² na sede da academia. O espaço em terra batida, que antes não tinha uso, poderá ser usado de muitas formas pela Instituição.

“Temos várias atividades no nosso projeto, além do boxe, que é nosso carro chefe, que é oferecido para 120 crianças da comunidade. Também temos psicólogo, aula de dança e percussão de dança africana, atividades culturais no final de semana etc. Então essa laje será multifuncional. Teremos mais uma opção de espaço para nossas atividades. Dá para fazer inclusive um cine clube, reunião de pais, clínicas, oficinas, até mesmo atividades físicas com outras modalidades. Realizamos um sonho de transformá-la, além de construir dois banheiros. Fazer o bem é uma tarefa árdua, mas através dos nossos parceiros estamos conseguindo, então só temos a agradecê-los", disse Raff Giglio, sócio fundador do Todos na Luta. 

Além de criar a oportunidade da prática de educação pelo esporte, o Instituto propícia à descoberta de novos e promissores talentos e à preparação adequada para que os jovens possam competir em torneios nacionais, inspirando outros jovens a seguir este caminho.

Terceira e última Instituição apoiada pela Maratona, o Instituto da Criança que tem como foco o empreendedorismo social recebeu mais de R$ 62.360, beneficiando as seguintes Instituições patrocinadas:  AMUGUE – Comac, Gamboa Ação, Som da Vila - Associação Educacional Francisca Nubiana, Instituto Futuro Bom, Lar Santa Catarina, Associação de Apoio à Infância e Adolescência Nossa Turma e semente do Amanhã.

Os três cheques foram entregues por João Traven, um dos organizadores da Maratona.

Sobre a Maratona do Rio

A tradição e a excelência da prova, além do cenário único pela orla carioca, ajudaram a colocar o evento entre os melhores de sua categoria no mundo. O número recorde de inscritos e a diversidade do evento consolida a Maratona do Rio como o maior Festival de Corridas da América Latina e uma das provas mais desejadas do calendário mundial. Em 2018, a Maratona do Rio recebeu 38 mil inscritos de todos os estados brasileiros e de 50 países

A Maratona do Rio 2019 acontecerá nos dias 22 e 23 de junho e integra o calendário oficial de eventos e datas comemorativas da cidade do Rio de Janeiro. O evento é realizado e organizado pela Spiridon Eventos e pela Dream Factory, conta com patrocínio da Olympikus, Gatorade, Do Bem e Marriott.

 

Visite o site das Instituições contempladas:

http://www.todosnaluta.org.br

http://www.asmdobrasil.org.br

http://institutodacrianca.ning.com/

Quenianos vencem a 20ª Volta da Pampulha

Parece que foi ontem, mas há exatas duas décadas o principal cartão-postal de Belo Horizonte se tornou sinônimo de força nas pernas e superação. Ao longo de todo esse tempo, a única coisa que não cresceu foi o percurso, às margens de um complexo idealizado por Oscar Niemeyer. Prestígio, número de participantes e estrutura se tornaram a cada edição mais impressionantes. E, numa data tão especial, a 20ª Volta Internacional da Pampulha foi brindada com a presença do sol e a temperatura amena, o que ajudou os milhares de participantes, vindos de todo o país e do exterior. Aliás, o degrau mais alto do pódio esse ano foi ocupado por representantes da maior potência internacional das corridas de rua. Entre os homens e mulheres, deu Quênia, com Nicolas Kiptoo Kosgei e Sharon Arusho.

Depois da largada dos cadeirantes e da elite feminina, pontualmente às 8h a prova começou para o grupo de ponta masculino e a multidão que, por cerca de 15 minutos, ainda atravessava o pórtico da cronometragem. Na prova das mulheres, logo se formou um pelotão composto pelas três representantes africanas (Sharon e as também quenianas Emily Chebet e Janet Masai) e por Jenifer do Nascimento Silva, atleta do Pinheiros. Depois de algumas tentativas de acelerar o ritmo para se distanciar as adversárias, Sharon atacou na altura da Igrejinha de São Francisco para fazer ainda melhor do que ano passado, quando ficou em segundo. A atleta de Eldoret completou a prova em 1h05min11, superando Emily, Janet e Jenifer, melhor brasileira. 

Sharon Arusho venceu pela primeira vez a prova. Crédito: Elderth Theza/Upphoto

 

"Foi cansativo, mas estou bem e feliz por ter vencido desta vez. A temperatura estava baixa, mas não é fácil correr com essa umidade. Mantive um ritmo forte e realmente tentei em alguns momentos testar as adversárias, mas guardei forças para a subida final", destacou a campeã, de 24 anos.

Para a paulista Jenifer, o lugar no pódio foi um feito. "É minha primeira prova na distância, sou especialista nos 5.000m e 10.000m, era na verdade um teste. Acompanhei as quenianas o quanto pude, mas estou muito satisfeita, já que não sabia exatamente o que esperar".

Entre os homens, a expectativa era para saber quem daria fim a seis anos de domínio do mineiro Giovani dos Santos, mais uma vez com o duelo entre brasileiros e africanos como grande atração. O que até a altura do oitavo quilômetro era um grupo de sete atletas passou a ser de cinco e, no 12º quilômetro, restavam os quenianos Nicolas Kosgei, Nicholas Keter e os brasileiros Gilmar Silvestre Lopes e Damião Ancelmo de Souza. Mais uma vez, o trecho final se mostrou decisivo, com Kosgei atacando para fechar o percurso em 55min08, três segundos à frente do compatriota. Gilmar Lopes foi o terceiro, bastante próximo dos dois primeiros. 

"É um percurso característico, plano, plano, plano, até que vem a subida final. Me senti bem, as condições da prova estavam ideais", destacou o vencedor, também de 24 anos e, como Sharon, atleta da equipe Luasa, do ex-maratonista Luiz Antônio dos Santos.

 Atletas de vários cantos do Brasil estiveram presentes em Belo Horizonte. Crédito: Elderth Theza - Upphoto

Atleta do Cruzeiro, Gilmar, por sua vez, foi até além do que imaginava. "Esperava ficar entre os cinco, consegui ser o terceiro. É um percurso complicado por causa das curvas o tempo todo, além da subida no fim. Ainda estou em um período de preparação, de base, e minha participação na São Silvestre dependeria da minha marca aqui. Acredito que carimbei o passaporte", destacou.

 

Resultados da 20ª edição:

 

Elite Masculino

1º) Nicolas Kiptoo Kosgei (Quênia), 55min08

2º) Nicholas Kimeli Keter (Quênia), 55min11

3º) Gilmar Silvestre Lopes (Brasil), 55min21

4º) Damião Ancelmo de Souza (Brasil), 55min41

5º) Ederson Vilela Pereira (Brasil), 56min50

 

Elite Feminino

1º) Sharon Chelimo Arusho (Quênia), 1h05min11

2º) Emily Chebet (Quênia), 1h05min17

3º) Janet Cheruto Masai (Quênia), 1h05min28

4º) Jenifer do Nascimento Silva (Brasil), 1h05min37

5º) Marcela Cristina Gomez Cordeiro (Argentina), 1h07min30

Assinar este feed RSS