Corrida de Rua

Corrida de Rua (214)

O que leva as pessoas a fraudar uma corrida? Veja as consequências!

Olha lá! Joãozinho diminuiu seu tempo e muito na corrida. Será que ele correu mesmo ou só entrou para pegar medalha? Mariazinha está seca e perfumada, ela só quer aparecer! Algumas dessas histórias lhe parece familiar? O Esportes de A à Z tem notado um certo aumento nesses casos que viralizaram nas redes sociais. E o que leva essas pessoas a fraudarem o resultado?

Neste último fim de semana, o caso aconteceu em Divinópolis - MG na meia maratona local onde um atleta de Belo Horizonte até tentou solicitar a troca de titularidade da inscrição minutos antes da largada, algo que não foi possível atender. Ele tinha uma inscrição para sua esposa e ele acabou correndo 21 km o que gerou premiação a ela. Na hora do pódio o número surgiu com ela e tentou ganhar a inscrição. Resultado: Foi denunciado e confirmado que havia sido ele que correu, foi banido das corridas dessa organização e ainda denunciado à polícia por crime de falsidade ideológica.

Na semana anterior, uma menina em Porto Alegre que havia entrado na competição para buscar índice para Maratona de Boston e ao chegar 40 km, sentiu dores e no desespero, pegou uma bicicleta de aluguel e completou a prova carregando ela até o final. Segundo o Blog do Harry que a entrevistou (clique aqui e leia), foi uma ação de amor, onde ela havia prometido levar a medalha ao pai que está doente e se arrependeu de ter tido essa atitude, o que lhe rendeu expulsão da assessoria esportiva que treina.

Já na Maratona do Rio, tiveram relatos de corredores que também usaram do recurso da bicicleta para se adiantar na primeira parte da prova e o Esportes de A à Z que esteve presente na linha de chegada, notou algumas pessoas com “tempos extraordinários” aparentando que não fizeram o devido esforço que uma competição de 42 km exige depois de meses de treinamento.


Em ação desesperada, atleta terminou maratona de bicicleta e arrependida, pediu desclassificação. Crédito: Divulgação/Facebook

Apenas foi citado casos nacionais. Antes que você pense que este seja um fenômeno pela má fama que o brasileiro tem de querer passar a perna nos outros, os mesmos tipos de relato existem no mundo todo com os mesmos tipos de personagens e onde podemos incluir homens que correm com numeral de mulheres, dois chips para ajudar alguém que não pode correr, aqueles que se aproveitam da lei dos idosos inscrevendo parente para pagar menos, vendem sua inscrição para outros ou até pior, os que correm sem inscrição, algo que não abordaremos nesta matéria.

Falando um pouco de atletas de elite, impossível não falar de uma das maiores fraudes da história e vem do ciclismo. O americano Lance Armostrong ficou famoso por ter tido um câncer que quase tirou a sua vida e lutou muito para continuar vivo e na sua recuperação, foram cinco vitórias na famosa Tour de France. Mas o que ninguém sabia que para ele conseguir tais resultados, ele se dopava e depois de muitas denúncias, acabou confessando, perdendo seus títulos e banido do esporte, sem contar a perda de patrocinadores. Essa mancha o queimou em definitivo.

Casos não faltam e sempre haverá um novo a cada fim de semana e vindo tanto de atletas que competem por um lugar ao sol, como também pelo povo. Como podemos entender esse tipo de pessoa? Consultamos a psicóloga e corredora Vanessa Protásio que já venceu a Maratona do Rio e a Corrida da Ponte na década de 80 para tentar esclarecer um pouco e ela comenta:

“Pessoas apresentam comportamentos que estão alinhados com seus valores. Podemos dizer que a mentira mascara uma verdade, é no caso quando um corredor não atinge seu objetivo, a verdade perde força para a mentira. Suportar uma frustração é muito difícil e o corredor faz a opção de se esconder atrás da mentira para não enfrentar suas limitações físicas ou emocionais” – Comenta.

 

O comportamento nas redes sociais ou de nossos políticos pode ser alguma influência para aqueles que querem cometer algum tipo de fraude? Vanessa comenta:

 

“Acho que o comportamento do homem não vem de uma influência externa e seria péssimo aceitar que o homem se influencia por tão pouco e que direciona suas ações desta forma.

Inventar, mentir, fraudar fazem parte de uma educação errada, de falta de ética, de respeito ao próximo, de espirito esportivo, de competitividade. Quando alguém mente ou frauda, está prejudicando outro em seu lugar e este princípio deveria ser básico. Educação está ao alcance de todos, basta querer mudar”. – Finaliza

 

No outro lado da balança, estão as empresas organizadoras das corridas que é quem literalmente corre atrás por meses para oferecer uma estrutura mínima para que você corra e a maioria delas é preocupada com esse problema das fraudes, principalmente se ela tiver premiação do faixa etária.

 

O mecanismo de recurso que elas têm hoje em dia é a passagem por tapetes de chip ao longo do percurso e algumas tem filmagem também, sendo a maioria na linha de chegada. E a utilização desse recurso, incide diretamente no valor da inscrição fazendo com que seu custo aumente ainda mais por uma minoria que insiste em fraudar o resultado achando que não irá prejudicar ninguém, apenas por uma medalha.

 

Procuramos algumas das empresas e até o fechamento da matéria, a Yescom, responsável pela Meia Maratona Internacional do Rio, 10 milhas da Garoto, Volta da Pampulha, São Silvestre e outras nos respondeu. Desde a edição da São Silvestre de 2016, quando a quantidade de pipocas quase dobrou a quantidade de participantes da prova gerando falta de água a aqueles que pagaram, a empresa tem feito forte campanha contra vários comportamentos errados de participantes.

 

Dentre as medidas é isolar a linha de largada e chegada, só permitindo a entrada de inscritos e a hidratação com a quantidade somente para servir aos inscritos. Mesmo assim, na edição de 2017, ficou famoso o caso de uma assessoria de Sorocaba onde homens e mulheres corriam com o mesmo número.

 

Segundo a Yescom, desde o começo da campanha, houve uma diminuição na quantidade de fraudes, principalmente nas inscrições de idosos. E todos aqueles que tiverem a fraude comprovada, primeiramente são apenas desclassificados e em seguida banidos de qualquer evento organizado por eles.

 

Em caso de fraude, você pode fazer a sua parte. Não deixe de denunciar ao organizador da corrida que estiver participando se notar algo errado com outro participante. Eles costumam estar perto da linha de chegada e não faltam mecanismos para desclassificar quem estiver errado. Para aqueles que fraudam, as redes sociais podem ser cruéis com você. Mesmo que se o seu objetivo for só pegar a medalha, muitos fotógrafos estão pelo caminho para vender fotos e podem te clicar e sua imagem ficará queimada e poderá até ser banido de várias corridas.  Caso não possa participar da corrida e queira transferir a titularidade, você pode entrar em contato com o organizador e verificar se há essa possibilidade ou reembolso em caso de até sete dias de quando comprou a inscrição conforme o código de defesa do consumidor.

 

Em primeira maratona da vida, Etíope vence Maratona do Rio

Imagine você sair do seu país pela primeira vez, disputar sua primeira maratona, sem falar inglês e muito menos a língua local? Foi o que aconteceu hoje na Maratona do Rio que premiou o etíope Mersimoy Niguse Alem ao percorrer os 42,195km do Pontal ao Aterro do Flamengo mais rápido que todos os 14 mil inscritos na prova em uma manhã de céu nublado.

É uma proeza para poucos. O etíope se manteve sempre atrás no primeiro pelotão da prova e ao chegar no Leblon, puxou junto com o segundo colocado, o queniano Nicolas Kipkorir Chelimo e a vitória foi decidida apenas nos metros finais, quando ele acelerou e abriu 18 segundos de vantagem ao passar na linha de chegada.

Pelotão no entorno dos 5km de prova. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

Com a típica timidez de quem não está acostumado a dar entrevistas e ainda com a ajuda de um tradutor, ele contou um pouco sobre como foi a vitória de hoje:

“Fiquei muito honrado de competir aqui. Nunca tinha saído do meu país até vir para cá. Gostei muito da cultura do Rio e do clima. O visual é muito bonito. Só não esperava as duas subidas do percurso” – Diz.

No masculino, os melhores brasileiros foram os irmãos gêmeos Gilmar e Gilberto Silvestre Lopes que representavam a equipe do cruzeiro e pé de vento respectivamente. Mineiros de nascença, eles se mantiveram na cola dos africanos ao longo do percurso até eles abrirem na orla.

Com 15 km de prova. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

“A gente treina muito para chegar ao pódio. Corri no bloco da frente o tempo todo, junto com os africanos. No quilômetro 30 tentei sair, mas os africanos corresponderam e não consegui me aproximar nos últimos dois quilômetros. Já estava muito esgotado. A Maratona do Rio está crescendo cada vez mais, com o nível melhor a cada ano. A melhor coisa que fizeram foi ter botado a Meia Maratona no sábado e a Maratona no domingo. Foi muito bom”, afirmou Gilmar.

Já na competição feminina, vitória tranquila da etíope Zinash Estifo Banetirga. Representando a Marinha, Mirela Saturnino de Andrade conseguiu chegar em segundo lugar.

Pouco depois de cruzarem os 21 km. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

 

Carlos e Letícia Martins cumprem promessa:

Em matéria publicada na sexta-feira, o Esportes de A à Z publicou uma matéria contando a história do casal Carlos e Letícia Martins, onde Carlos, depois de uma doença no ano passado quase teve que amputar a perna, prometeram completar a maratona para comemorar a recuperação dele e juntos cruzaram a linha de chegada.

Carlos e Letícia cumpriram promessa feita na véspera dos 42 km. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

“Sofremos um bocado e foi tudo de bom. É isso que esperamos de uma maratona. Valeu a guerra e é mais uma para nossa coleção” – Declarou Carlos após cruzar a linha de chegada.

Junto com o casal, outros tantos corredores completaram os 42 km da prova. Outros participaram pela primeira vez do Desafio Cidade Maravilhosa e tiveram a oportunidade de correr 63 km somando com os 21 km da Meia Maratona de ontem e foram captados em imagens do nosso fotógrafo oficial e estarão no decorrer da matéria.

Muitos corredores completaram os 42 km depois de 21 km conseguindo a medalha do desafio Cidade Maravilhosa. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

RESULTADOS

 

MARATONA CAIXA DO RIO DE JANEIRO

 

Feminino

 

1)    Zinash Estifo Banetirga (Etiópia/Nova Flor), 2h41min40s

2)    Mirela Saturnino de Andrade (Brasil/Marinha), 2h42min26s

3)    Priscilla Lorchima (Quênia/Luasa Sports/Caixa), 2h44mins02s

4)    Roselaine de Souza Ramos Benitis (Brasil/Filé & Marcia Narloch), 2h46min35s

5)    Marcela Cristina Gomez Cordeiro (Brasil/Cruzeiro), 2h47min52s

 

65% dos corredores eram de fora do Rio de Janeiro. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

 

Masculino

 

1)    Mersimoy Niguse Alem (Etiópia/Nova Flor), 2h18min41s

2)    Nicolas Kipkorir Chelimo (Quênia/Luasa Sports/Caixa), 2h18min59s

3)    Gilmar Silvestre Lopes (Brasil/Cruzeiro), 2h21min01s

4)    Gilberto Silvestre Lopes (Brasil/Pé de Vento), 2h21min55s)

5)    Valdir Sergio de Oliveira (Brasil/Cruzeiro), 2h22min54s

 

MEIA MARATONA OLYMPIKUS DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO

 

Feminino

 

1)    Meseret Merine (Etiópia/ Luasa Sports Caixa), 1h15min21

2)    Gessica Ladeira (Brasi/ Filé e Marcia Narloch), 1h19min17s

3)    Rejane Ester Bispo da Silva (Brasil/ Filé e Marcia Narloch), 1h20min02s

4)    Caroline Jepkemei Kimosop (Quênia/ Luasa Sports Caixa), 1h25min20s

5)    Larissa Marcelle (Brasil/ Pé de Vento), 1h26min02s

Na chegada, valia de tudo para comemorar os meses de treinamento especifico. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

 

Masculino

 

1)    Paul Kipkemoi Kipkorir (Quênia/ Luasa Sports Caixa), 1h04min05s

2)    Giovane dos Santos (Brasil), 1h06min13s

3)    Jacob Kemboi Kiprotich (Quênia/ Luasa Sports Caixa), 1h07min17s

4)    Glenison Gilbert de Carvalho (Brasil/ Elite Academia), 1h08min23s

5)    Gustavo Henrique Pereira Nascimento (Brasil/ Luasa Sports Caixa RKM) 1h09min07s

 

FAMILY RUN 10KM

 

Feminino

 

1)    Gisele Barros de Jesus (Brasil/Filé & Marcia Narloch), 37min45s

2)    Solange Maria Mariano (Brasil/ Street Runner USA), 38min18s

3)    Luzinete Andrade dos Santos Miranda (Brasil/MT Fit Run), 39min41s

4)    Evillim Rezende Correa (Brasil/MT Fit Run), 40min05s

5)    Iris Ribeiro do Nascimento (Brasil), 41min22s

 

Masculino

 

1)    Pablo Fagundes da Costa (Brasil/MT Fit Run), 31min06s

2)    Alison Vinicios Leão Costa (Brasil/MT Fit Run), 31min08s

3)    Eduardo de Brito Ramos (Brasil), 32min46s

4)    Rodrigo Lira (Brasil/Diana Cretaro Sports), 33min22s

5)    José Ivanildo Amorim de Paiva (Brasil), 33min27s

 

FAMILY RUN 6KM

 

Feminino

 

1)    Margarita Andrea Masias Guineo (Argentina), 22min10s

2)    Joseli Janes de Castro (Brasil/Casa do Corredor), 22min21s

3)    Magda Amaral dos Santos Miranda (Brasil/Club da Corrida), 23min43s

4)    Maria Julia da Silva (Brasil/Marines), 24min09s

5)    Marina Malachias (Brasil/Massas de Geovani Braga), 24min18s

 

Masculino

 

1)    Welerson Rafael Pires do Nascimento (Brasil/Appai), 18min48s

2)    Paulo Machado dos Santos Silva (Brasil/Appai), 18min54s

3)    Equipe Solange Aparecida, 18min56s

4)    Marcelo Avelar (Brasil/Equipe Solange Aparecida), 19min02s

5)    Douglas C. da Silva (Brasil/Floripa Runners), 19min04s

 

Maratona do Rio se tornou a maior da América Latina. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

 

Deu Quênia na Meia Maratona do Rio

Com o cenário deslumbrante de um sábado perfeito de sol, a Meia Maratona Olympikus da Cidade do Rio de Janeiro terminou com vitórias de atletas africanos e estreantes na prova. Na disputa feminina de elite, a etíope Meseret Merine foi a primeira a cruzar a linha de chegada, em 1h15min21s. No masculino, o queniano Paul Kipkemoi Kipkorir venceu com o tempo de 1h04min05s. O Brasil ficou com a medalha de prata nas duas provas. Entre as mulheres, Gessica Ladeira ficou em segundo lugar (1h19min17s), enquanto Giovane dos Santos ficou com o vice entre os homens (1h06min13s). Além da disputa de elite, aproximadamente 15 mil corredores coloriram a orla carioca no percurso de 21km.  A prova largou na Avenida do Pepê, na Barra da Tijuca, e terminou no Aterro do Flamengo. O sábado ainda contou com a prova infantil - Maratoninha Gloob. 

A corrida foi muito boa. Estava fazendo um pouco de calor, mas com o vento vindo da orla e a torcida nos empurrando ao longo do percurso. Formamos um time muito competitivo de quenianos e brasileiros. Na marca de 10km, decidi apertar o ritmo e consegui a vitória”, afirmou Paul Kipkorir, da equipe Luasa Sports Caixa.

Giovani dos Santos chegou em segundo e foi o melhor brasileiro. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

A Maratona CAIXA do Rio de Janeiro terá sua 16ª edição neste domingo, dia 3, com largada marcada para 7h, na Praça Tim Maia, no Pontal. O evento promete disputas emocionantes entre nomes da elite do atletismo, como Franck Caldeira, campeão da maratona nos Jogos Pan-Americanos Rio 2007.  


O brasileiro Giovani dos Santos,  que foi campeão da Meia Maratona Olympikus da Cidade do Rio de Janeiro em 2017, falou sobre a disputa desse ano. O mineiro de Natércia estava empolgado com o resultado na Cidade Maravilhosa. 

 

“A gente disputa com os africanos, e o nível é muito alto. Estou feliz pelo pódio. Em maio, em Santos, a gente chegou praticamente na mesma posição de hoje: o queniano (Paul Kipkorir) ficou em segundo e eu fiquei em terceiro. Competir no Rio também é muito bom. O percurso é duro mas essa prova é muito especial. Tinha até torcida em alguns pontos como a Praia de Copacabana”, afirmou Giovane dos Santos.

Cerca de 15 mil corredores participaram da prova que saiu do Pepê até o Aterro. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ


“Foi meu segundo ano na Meia Maratona. Ano passado fui terceira colocada e este ano fui vice-campeã com muita fé, amor e persistência. Estou muito feliz”, disse Gessica Ladeira, de 24 anos.

Maratoninha Gloob bota a criançada para correr

 

Também neste sábado, dia 2, foi disputada a Maratoninha Gloob, novidade da programação do fim de semana da 16ª edição da Maratona CAIXA do Rio de Janeiro. A prova reuniu crianças de 3 a 10 anos, com percursos de 100m a 800m no Aterro do Flamengo. Mais do que o resultado, o que importava era a emoção de pais e filhos. O corredor Gastão Neder, por exemplo, conseguiu dar conta de um desafio especial. Completou a Meia Maratona em menos de duas horas, a tempo de participar da Maratoninha ao lado do filho João Pedro, de 5 anos.

 

“Foi a primeira corrida dele. Eu inscrevi o João Pedro, mas tinha combinado com a minha esposa e ela veio também, porque eu não sabia se chegaria da Meia Maratona a tempo”, descreveu Gastão, de 37 anos, que precisou se superar para encontrar o filho. “Eu tinha me preparado para fazer a Meia Maratona em menos de duas horas pela primeira vez, mas, quando cheguei ao quilômetro 4, senti um estiramento na panturrilha direita. Parei no quilômetro 5, peguei gelo e continuei. Como tinha prometido ao João Pedro que ia chegar para correr com ele, não queria decepcioná-lo. Ele foi a minha motivação para completar a prova em menos de duas horas.”

Cerca de 2 mil corredores ainda vão encarar a Maratona amanhã para fechar o Desafio Cidade Maravilhosa como o atleta Luiz Plácido. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ 

RESULTADOS MEIA MARATONA OLYMPIKUS DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO

  

Feminino

 

1)    Meseret Merine (Etiópia/ Luasa Sports Caixa), 1h15min21

2)    Gessica Ladeira (Brasi/ Filé e Marcia Narloch), 1h19min17s

3)    Rejane Ester Bispo da Silva (Brasil/ Filé e Marcia Narloch), 1h20min02s

4)    Caroline Jepkemei Kimosop (Quênia/ Luasa Sports Caixa), 1h25min20s

5)    Larissa Marcelle (Brasil/ Pé de Vento), 1h26min02s

 

Masculino

 

1)    Paul Kipkemoi Kipkorir (Quênia/ Luasa Sports Caixa), 1h04min05s

2)    Giovane dos Santos (Brasil), 1h06min13s

3)    Jacob Kemboi Kiprotich (Quênia/ Luasa Sports Caixa), 1h07min17s

4)    Glenison Gilbert de Carvalho (Brasil/ Elite Academia), 1h08min23s

5)    Gustavo Henrique Pereira Nascimento (Brasil/ Luasa Sports Caixa RKM) 1h09min07s

Jeitinho Brasileiro manteve Maratona do Rio que será neste fim de semana

O Esportes de A à Z começa hoje sua série de matérias sobre a Maratona do Rio que será neste fim de semana e vamos começar falando como ela se manteve mesmo com a greve dos caminhoneiros que causou muito impacto no país.

Com as manifestações dos caminhoneiros acontecendo no país, muitas pessoas nas redes sociais começaram a especular: “A Maratona do Rio vai ser cancelada? E aqueles que são fora do Rio? Como vou chegar na largada? ”. Mas essas pessoas se engaram e ela vai acontecer normalmente e precisou inclusive usar o famoso “jeitinho brasileiro” como mais um desafio para sua realização. Mas por que ela não poderia ser cancelada?

Mais que uma simples corrida que estamos acostumados a verem ser realizada somente no Aterro do Flamengo no Rio, na região do Pacaembu em São Paulo ou outras regiões que apenas interdita o trânsito por poucas horas numa manhã de domingo, a Maratona do Rio se diferencia completamente pelos números que ela alcança.

 Ela saltou de 3 mil corredores em 2003 quando estreou nos moldes atuais contando com duas distâncias (42k e 6km) e 16 anos depois, tem previsão de receber 38 mil corredores em dois dias de evento e saltando para cinco distâncias (Corrida Infantil, 6km, 10km, 21km e 42km). Considerando que 65% dos participantes são de fora do Rio, muito desse público tende a trazer acompanhantes o que aumenta ainda mais esse número impressionante no seu crescimento.

Olhando pelo lado do atleta, a maioria se inscreveu desde o ano passado quando as inscrições abriram logo após a edição de 2017 até o encerramento dela no final de outubro. Alguns conseguiram de vagas remanejadas nesse ano. Para se treinar para uma Maratona, o treinamento requer meses de sofrimento e angustia contando com a data de 3 de junho como alvo e um adiamento atrapalharia todo um planejamento que iria literalmente pelo ralo considerando que cada um deva estar no seu auge físico.

E sem esses corredores, a cidade do Rio que se planejou para receber esse público, perderia uma de suas maiores divulgações. Após o réveillon e o carnaval, a Maratona do Rio é dos maiores eventos que acontecem na cidade. Ajuda a encher a rede hoteleira, movimenta o comércio, transportes, pontos turísticos, sem contar que posiciona o Rio como destino esportivo que foi reforçado na Copa e os jogos olímpicos e paralímpicos.

Em coletiva de imprensa realizada ontem no Morro da Urca, João Traven, seu idealizador e organizador da corrida, contou que precisou usar do “jeitinho brasileiro” para conseguir trazer o que era preciso para Maratona do Rio continuar com o padrão e qualidade que adquiriu ao longo dos anos.

"Trabalhamos o ano inteiro para colocar a Maratona do Rio de pé. Olhamos para todos os detalhes para que o corredor tenha a melhor experiência possível. Tomamos medidas para em todos os âmbitos para que a prova aconteça da melhor forma possível desde a chegada dos suprimentos até a fluidez do percurso, deslocamento dos corredores, entrega de kits. Em nenhum momento, pensamos em adiar a Maratona e isso não seria bom para ninguém. Lógico que essa greve dos caminhoneiros dificultou um pouco. Para vocês terem noção, as medalhas que vem de Minas Gerais, eu pedi para trazerem dentro de um ônibus para não ficar presa no caminho. Os kits que vem de São Paulo, vieram com escolta armada para não faltar nada para ninguém. Conseguimos aumentar a frota de ônibus para o transporte até as largadas das provas de 42km e 21km. Temos aproximadamente 3 mil pessoas envolvidas nessa grande operação e dedicadas 100%.  Temos certeza que todos os corredores que estiverem na prova serão bem recebidos”. – Finaliza

Para se cancelar um evento desse porte, teria que realmente acontecer uma catástrofe muito grande. Pela Maratona ser 100% na praia, teria que acontecer algum tsunami para impedir a sua realização ou desabar o Viaduto do Joá e a Avenida Niemayer. Voltando para o mundo real, o Rio fica problemático quando acontecem aquelas chuvas de verão em que os serviços ficariam impedidos, mas sendo no outono, esse risco é mínimo.

Não custa lembrar que em Nova Iorque em 2012, a tempestade Sandy que causou muita destruiu na cidade e a maratona foi cancelada. Mas não impediu que os visitantes da cidade fossem para o Central Park e fizessem os 42 km dela dentro do parque. A organização inclusive distribuiu as medalhas para aqueles que correram por lá.

Mais que uma corrida, a Maratona do Rio é um grande evento para a cidade do Rio que através da prefeitura, apoia a realização do evento por tudo o que ela gera e o que poder público é necessário a oferecer.

Expo Run começa amanhã

O evento começa nesta quinta, dia 31 de maio e segue até 2 de junho, no Centro de Convenções Sul América, no Rio de Janeiro, com importantes marcas do segmento de running, beleza, farmácia, suplementos, nutrição, esportivos, acessórios e vestuário. Com entrada gratuita, são esperadas mais de 70 mil pessoas nos três dias de exposição. Para o quinto ano, a área da Expo teve um aumento de 22% e espera crescer em 25% o faturamento. A Expo Rio Run também se destaca por ser ponto de encontro para a retirada dos kits da Maratona CAIXA da Cidade do Rio de Janeiro. Seguindo a tradição, além das atrações dos expositores, haverá uma programação de palestras para os visitantes e exposição das fotos vencedoras do concurso Maratona com Arte. Um dos destaques fica por conta da palestra de Franck Caldeira com o tema "Quilômetros de história".

 

Programação da Expo

 

Quinta-Feira (31 de Maio) - 09h às 19h

Sexta-Feira (01 de Junho) - 08h às 18h

Sábado (02 de Junho) - 08h às 17h

 

Palestras:

 

31 DE MAIO – Quinta-feira

 

11h - O que é a Maratona do Rio

Integrantes do Time Maratona do Rio - Dr. Paulo Lourega (Diretor Médico da Maratona do Rio desde 1987), Dra. Fabíula Schwartz (cardiologista e Diretora da Sociedade de Medicina do Exercício e do Esporte do RJ), Roberta Lima (Nutricionista do esporte com mais de 10 anos de experiência no alto rendimento), Vanessa Protasio (Psicóloga do esporte e Especialista em treinamento mental), Dr. Sérgio Maurício (Ortopedista formado pela UFRJ, especialista em cirurgia de joelho) e Andre Leta (Professor de Educação Física e Treinador de corrida).

 

12h30 - Pronokal - A relação da dieta cetogênica e o impacto no desempenho esportivo

 

13h15 - Estratégias para as provas da Maratona           

Participantes: Alexandre Lima, Rodrigo Issac, Luiza Fellippa / Mediação: Alan Marques         

 

14h30 - Tema: O que não fazer na alimentação e na hidratação 

Participantes: Rafael Brasília, Samara Plentz, Cristina Perroni / Mediação: Roberta Lima          

 

16h -  Poder da mente

Participante: Márcio Villar

 

 

1º DE JUNHO – Sexta-feira

 

11h -  Para onde caminha a corrida 

Participantes: Marcius Duarte, Mário Sérgio Andrade Silva, Rodrigo Lobo

 

13h15 - Gatorade - Tema: Adequação de hidratação e consumo de carboidratos na corrida

Participantes: Priscila Damasceno - nutricionista consultora do Gatorade Sports Science Institute, especialista em esportes endurance e atleta de triathlon

O Instituto GSSI concentra toda a parte científica cuja missão é ajudar atletas a otimizar a saúde e performance através de pesquisas e ações educacionais 

 

14h30 - Quilômetros de história -  com Franck Caldeira

 

16h - Do sonho à realização de estar na maratona mais tradicional do mundo

Participante: Sérgio Xavier Filho / Mediação: Iúri Totti

 

 

2 DE JUNHO – Sábado

 

13h15 - A evolução da Maratona

Participantes: Nélson Evêncio, Alan Marques, Márcia Narloch

 

14h30 - Minha experiência na maratona

Participantes: Cristiano Goldenberg, Bruno Bussade

 

Circuito Rio Antigo: correndo por ruas, alamedas e jardins de história na Quinta da Boa Vista

Pelo segundo ano consecutivo a Quinta da Boa Vista recebe uma etapa do Circuito Rio Antigo. No dia 24 de junho cerca de cinco mil atletas são esperados para as provas de 5 e 10K de um dos mais tradicionais circuitos de corrida de rua do Rio.

Antes restrito às ruas do centro da cidade, o Circuito Rio Antigo começa a se consolidar também em outros pontos da capital fluminense com importante valor histórico. A Quinta da Boa Vista é um deles.

“Esta etapa é um dos raros momentos em que os participantes têm a chance de passar por lugares cheios de história, mas também com um ambiente perfeito para uma atividade esportiva como a corrida e a caminhada. Aliás é o que muita gente vem fazer na Quinta da Boa Vista diariamente”, conta Virgílio de Castilho, organizador do evento.

O Circuito Rio Antigo este ano tem quatro etapas. A primeira foi na Lapa, em 25 de março. Depois da Quinta da Boa Vista, o circuito chegará à Cinelândia, em 16 de setembro, e ao Porto Maravilha, em 9 de dezembro, encerrando a temporada de provas da De Castilho Sports. A novidade este ano é a mandala formada pelas medalhas das quatro etapas.

 

CIRCUITO RIO ANTIGO – ETAPA QUINTA DA BOA VISTA

24 de junho de 2018

Quinta da Boa Vista

Largada: 8h

Distâncias: 5k corrida e caminhada e 10k corrida

Mais informações: www.circuitorioantigo.com.br

 

São Paulo recebe o IAAF 24:1 - Global Running Day

A Federação Internacional de Atletismo - IAAF - celebrará a milha (1.609 m) no dia 6 de junho, uma quarta-feira. O IAAF 24:1 Global Running Day acontecerá simultaneamente em 24 das principais capitais do mundo, em todos os continentes, e São Paulo está na programação ao lado de cidades como Nova York, Londres, Sydney, Buenos Aires, Lima, entre outras.  Como colaboradores da IAAF, a  Maratona de São Paulo e a Yescom organizarão a etapa de São Paulo.

Os eventos acontecerão no mesmo horário, com 15 diferentes fusos, numa grande festa mundial do esporte em homenagem à distância. No Brasil, o evento será das 16h às 17h30.

A capital paulista sediará a prova em um de seus mais importantes símbolos, o Vale do Anhangabaú, no Centro da cidade. Serão cerca de sete (7) largadas, a partir das 16h, a cada 15 minutos, respeitando o desempenho de cada participante. O percurso terá uma milha.

As inscrições, gratuitas, já estão abertas no site
 www.yescom.com.br/run24-1/2018  e têm limite técnico de mil atletas. As confirmações poderão ser feita até o dia 28 de maio, ou até que o número seja atingido. A entrega de números será no mesmo dia, das 13h30 às 15h30, no próprio Vale do Anhangabaú.
O IAAF 24:1 - Global Running Day é uma iniciativa da Federação Internacional de Atletismo - IAAF, com organização da Yescom.


Mais informações no site
 www.yescom.com.br/run24-1/2018

Maratona do Rio abre inscrições limitadíssimas nesta sexta-feira

Faltando menos de três semanas para a Maratona da Cidade do Rio de Janeiro, a organização conseguiu liberar vagas para a maior corrida do país. As inscrições estarão disponíveis aqui nesta sexta-feira, dia 18 de maio, a partir das 12h. As vagas são limitadíssimas e estarão disponíveis para as distâncias de 6km, 10km, 21km ou 42km, além da Maratoninha. Como aconteceu no mês de abril, a liberação dessas inscrições só foi possível por conta de pagamentos não finalizados ou processados para venda, alguns cancelamentos e cota cedida por patrocinadores. Não serão disponibilizadas vagas para o Desafio Cidade Maravilhosa.

A Maratona da Cidade do Rio de Janeiro 2018 acontecerá dia 2 e 3 de junho. A grande novidade para a 16ª edição é que o evento passa a acontecer em dois dias, com a Meia Maratona Olympikus (21km) passando para o sábado (2). A Maratona (42km) passa a ser uma prova pura, no domingo, dia 3, com um percurso exclusivo (só para ela) e largada antecipada (7 am). Ainda no domingo, o Aterro do Flamengo recebe a nova prova de 10km (que acontecerá junto à de 6 Km). Neste ano, a Maratona do Rio também contará com o Desafio Cidade Maravilhosa (21km +42km).

 

Sobre a Maratona do Rio


A tradição e a excelência da prova, além do cenário único, ajudaram a colocar o evento entre os melhores de sua categoria no mundo. O número recorde de inscritos consolida prova como uma das corridas de rua mais desejadas do calendário mundial. Em 2018, a Maratona do Rio acontece nos dias 2 e 3 de junho, no feriado de Corpus Christi. Participam 38 mil pessoas nas distâncias de 6km, 10km, 21km e 42km, além da Maratoninha Gloob e Desafio Cidade Maravilhosa (21km + 42km).

PROGRAMAÇÃO

 

Sábado – 2 de junho de 2018

Maratoninha Gloob e Meia Maratona Olympikus da Cidade do Rio de Janeiro (21km)

 

Domingo – 3 de junho de 2018

6km, 10km e Maratona CAIXA da Cidade do Rio de Janeiro (42km)

 

Maratona do Rio divulga medalhas da edição 2018. Qual será a sua?

Em uma ação inédita na orla carioca, a Maratona do Rio apresentou na manhã deste domingo (13) as medalhas da edição 2018. A organização da maior corrida do país distribuiu águas para quem passava pelo calçadão do Leblon, na altura do Posto 12 e mostrou as desejadas peças. As pessoas puderam interagir, experimentar as medalhas e tirar fotos. A principal novidade para este ano é o formato quadrado. Elas também trazem detalhes com as cores das provas, além de uma fita mais larga. O evento que acontece nos dias 2 e 3 de junho, no feriado de Corpus Christi, contará com 38 mil pessoas nas distâncias de 6km, 10km, 21km e 42km, além da Maratoninha infantil e Desafio Cidade Maravilhosa (21km + 42km). 

 

"Escolhemos um ponto simbólico da prova que é o início da orla do Leblon, logo após a descida da Niemeyer. Sem dúvida, é um trecho muito emocionante e conta com um visual lindo. Sempre buscamos inovar. É uma honra poder participar do treino das pessoas dessa forma. As medalhas da Maratona do Rio, Meia Maratona, Family Run pesam 140g (cada). Já a do Desafio Cidade Maravilhosa veio mais pesada, com 200gr.", explica João Traven, Sócio-diretor da Spiridon Eventos empresa que organiza a Maratona do Rio ao lado da Dream Factory.

 

A ação contou com a participação de especialistas do Time Maratona do Rio. A nutricionista Roberta Lima e o professor de educação física André Leta interagiram com as pessoas e ainda aproveitaram para dar um corrida. Os participantes inscritos na edição 2018 do evento Mauro Sant'anna, Juliana Goulart e Bruna Dealtry, que participaram do lançamento das camisas oficiais da prova, também estiveram na ação. Os corredores que realizavam seu treino na zona sul carioca aprovaram a ação e o design das peças.  O carioca de coração Givan Carneiro celebrou quando passou e viu a medalha da Maratona desse ano. No dia 3 de junho, ele fará a prova de 42km e será a sua participação de número cinco no evento.

 

"Não existe palavra para descrever essa emoção. Quando você desce aqui no Leblon as pessoas aplaudindo é uma emoção fora do normal. Eu ainda não consegui explicar nem encontrar uma palavra. Eu amo essa prova e pra mim a organização não tem defeito. Eu amo as camisas e as medalhas. Guardo todas. É uma corrida que eu jamais vou deixar de fazer. Esse ano vou correr para chegar entre os primeiros na minha faixa etária. Amei essa ação" explica o corredor que treinava usando a camisa da Maratona do Rio 2016.

 

Os amigos Luiz Fernando Palmeira e Raul Sussekind foram os primeiros a conhecer as medalha. Os fãs da  42km da Maratona do Rio farão o Desafio Cidade Maravilhosa.

 

"Nosso quintal de treino é a zona sul, tirei foto com as medalhas e adorei. Elas estão lindas e vieram bem diferentes. Estou muito empolgado com a prova desse ano, pois minha meta será grande. Criei um desafio pessoal e pretendo correr 5km na quinta (antes da prova), sexta farei 10km, sábado e domingo irei para o Desafio (21km + 42km)", empolga-se Luiz. 

 

Sobre a Maratona do Rio

A tradição e a excelência da prova, além do cenário único, ajudaram a colocar o evento entre os melhores de sua categoria no mundo. O número recorde de inscritos consolida prova como uma das corridas de rua mais desejadas do calendário mundial. Em 2018, a Maratona do Rio acontece nos dias 2 e 3 de junho, no feriado de Corpus Christi.  Participam 38 mil pessoas nas distâncias de 6km, 10km, 21km e 42km, além da Maratoninha infantil e Desafio Cidade Maravilhosa (21km + 42km). 

Está curioso para conhecer as medalhas da Maratona do Rio 2018?

Descubra como serão as medalhas da Maratona do Rio 2018 neste domingo, dia 13 de maio, na orla do Leblon, no Rio de Janeiro. A partir das 7h30, você pode esbarrar com elas no calçadão do Leblon, altura do Posto 12, durante o seu treino de fim de semana. O mais bacana é que o Time de Especialistas da prova também estará por lá. Você poderá bater um papo com a nutricionista Roberta Lima, o ortopedista Sergio Mauricio,  o professor de Educação física Andre Leta, além da cardiologista Fabiula Schwartz. É um oportunidade única de interação com os profissionais que dão dicas de saúde e bem-estar para os corredores. Os participantes inscritos na edição 2018 Mauro Sant'anna, Juliana Goulart e Bruna Dealtry, que participaram do lançamento das camisas oficiais da prova, também marcarão presença na ação.

 

Conheça as Medalhas da Maratona do Rio 2018:

Quando? 13 de maio - domingo 

Onde? Orla do Leblon - altura do Posto 12 - Rio de Janeiro

Que horas? A partir das 7h30

Quem participa: 

Time de Especialistas :  Nutricionista - Roberta Lima / Ortopedista - Sergio Mauricio / Professor de Educação Física - Andre Leta / Cardiologista - Fabiula Schwartz

Corredores convidados para o lançamento das camisas:  Mauro Sant'anna (42km) / Juliana Goulart (21km) / Bruna Dealtry (Family Run)

 

#soumaratonadorio #VivaHistoriasparaContar #HistoriasMaratonadoRio  #maratonadorio2018 #LibereoSeuMelhor

Mais informações:

Instagram: @maratonadoriooficial 

Facebook: https://www.facebook.com/maratonadoriodejaneiro 

Site: www.maratonadorio.com.br

Maratona do Rio divulga camisas da 16ª edição

Faltando pouco menos de um mês para a Maratona do Rio, a organização escolheu corredores, entre os 38 mil que participarão do evento, para apresentarem o design das camisas de 42km, 21km e da Family Run (6km e 10km). A principal novidade para 2018 é que as blusas trazem imagens de pontos emblemáticos da Cidade Maravilhosa, como o Maracanã e os Arcos da Lapa, além de locais por onde passa o percurso, como o bairro de Ipanema e o visual do Cristo Redentor. A Maratona do Rio 2018 acontece nos dias 2 e 3 de junho, com provas de 6km, 10km, 21km e 42km, a Maratoninha (prova infantil) e o Desafio Cidade Maravilhosa (21km + 42km).

O design das camisetas foi desenvolvido pela Olympikus, marca esportiva oficial da prova, em conjunto com a organização. Considerando que o evento faz parte do calendário internacional de maratonas, a intenção foi destacar o Rio por meio de seus ícones. As peças são todas produzidas em 100% poliamida, material leve e que favorece a transpiração, e possuem proteção contra raios ultravioletas fator 50. Além do bem-estar dos atletas, a confecção das camisas também prioriza a proteção ao meio ambiente, com impressões feitas com tinta à base d’água.

“Trazer corredores reais para compartilhar as camisas têm um significado muito importante para nós. A Maratona do Rio é construída a partir dessas histórias. Esses três participantes representam um pouco das 38 mil pessoas que participam e vibram com a maior corrida da América do Sul”, explica Duda Magalhães, CEO da Dream Factory, empresa que organiza a prova ao lado da Spiridon Eventos.

O ponto escolhido para as fotos foi a orla de Ipanema, próximo ao Arpoador, altura do km 34 da Maratona e 13 da Meia Maratona. As imagens foram feitas pelo fotógrafo oficial da prova, Thiago Diz. O gestor de varejo Mauro Santa`Ana, de 39 anos, ficou honrado com o convite para mostrar a tradicional camiseta laranja, dos 42km. O corredor de Niterói fez sua estreia em maratonas na Maratona do Rio de 2013. Desde então, não parou mais e esteve em todas as edições do evento. Por meio da corrida, Mauro já superou problemas no joelho, deixou 22kg para trás e adotou hábitos saudáveis. Em 2018, ele tem uma meta ainda mais ousada, que é participar do Desafio Cidade Maravilhosa.

“Minha vida mudou totalmente por conta da corrida. Além de me sentir muito bem fisicamente, nossa autoestima melhora e nos sentimos mais felizes. Com a corrida, tive a oportunidade de fazer amizades que levarei para a vida toda. Em 2014, participei do projeto “Adote um corredor” da Maratona do Rio e tive a oportunidade única de hospedar na minha casa um corredor mexicano. Tenho um carinho muito especial pela Maratona do Rio,” lembra Mauro.

A gaúcha Juliana Goulart, de 34 anos, foi convidada para representar os participantes da prova de 21km e, de quebra, homenagear os corredores que vêm de outras regiões do Brasil. Ela já participou três vezes da Maratona do Rio, duas vezes na meia e uma vez na Family Run. Moradora do Rio há quatro anos, é uma grande apaixonada pela cidade e pelo estilo de vida carioca. Vestindo a famosa camisa verde, a corredora falou sobre a admiração que tem pelo percurso da prova.

“Comecei a correr aos 16 anos, numa época em que as provas de rua nem eram tão populares. Hoje, vejo a corrida como algo extremamente prazeroso e recompensador, algo que amo fazer. Costumo treinar na orla da zona sul carioca e considero essa a melhor pista de corrida do mundo. Estou muito feliz por representar corredores de fora do Rio, já que a Maratona é uma prova tão agregadora,” declara Juliana.

Novata nas corridas de rua, a jornalista e repórter Bruna Dealtry corre há menos de dois anos. Durante muitos anos foi jogadora de vôlei, e, após começar na carreira jornalística, encontrava muita dificuldade para conciliar trabalho e atividade física. Em 2018 resolveu mudar e começou a treinar pra valer. Uma das principais metas para esse ano é participar dos 10km da Family Run.

 “Vai ser a primeira vez correndo na Maratona do Rio. Já estive no evento algumas vezes como jornalista e descobri histórias incríveis para minhas matérias. Agora, vou experimentar o outro lado e sentir na pele a emoção de correr na minha cidade maravilhosa. A maratona do Rio é uma prova que sempre acompanhei e admirei quem corria. Sempre tive vontade de participar. Estou muito feliz em fazer a Family Run, mas um dia ainda quero chegar nos 42km", empolga-se Bruna.

 Mesmo seguindo a tradição das cores, as camisas da Maratona do Rio 2018 ainda apresentam novos detalhes. A Maratona (42 km) traz as camisas de cor laranja com costura em amarelo. A da Meia Maratona (21 km) será verde com outro tom de verde no acabamento. Já a da Family Run (6 km e 10km) mantém o azul, mas tem detalhes da logomarca na cor rosa.

Além das camisetas para as diferentes distâncias, os corredores recebem um kit de participação contendo uma sacola, número de peito, viseira e ainda brindes de patrocinadores. A retirada do material acontece nos dias 31 de maio, 1 e 2 de junho durante a Expo Rio Run, no Centro de Convenções SulAmérica, na Av. Paulo de Frontin, nº 1, na Cidade Nova.

Assinar este feed RSS