fbpx

Ricardo Erlich

Ricardo Erlich

URL do site:

Em uma final digna, Sesc-Rj vence e é campeão estadual

Todo clássico que se preza, tem disputa acirrada e equilíbrio. E quando a partida está ótima, você não quer que acabe. E foi assim num jogo de 2h30 e partida decidida no tie break que o Sesc-Rj ganhou pela 14º vez o título carioca de vôlei feminino jogando num ginásio do Tijuca lotado contra um Fluminense forte que fez valer acompanhar a partida com parciais de 25-21, 23-25, 16-25, 25-19 e 15-12.

Quem se destacou foi a russa Kosheleva que saiu como a melhor jogadora da final. Ela que foi campeã mundial pela Rússia em 2010, está vindo de um processo de recuperação e se emocionou ao ganhar o troféu.

Partida foi decidida no tie-break. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

“Eu me emocionei, sim. Toda a ajuda que tenho recebido das minhas companheiras, de toda a equipe, tem me ajudado a ir melhorando passo a passo. Sei que não estou nas minhas melhores condições, mas tudo o que eu consegui fazer eu fiz dentro de quadra. E isso ter ajudado as minhas companheiras representou muito para mim. Foi incrível ter essa atmosfera hoje, ver a torcida vibrando conosco. Achei incrível”, revelou.

A capitã do Sesc-Rj, Roberta imaginou as dificuldades que teria pela frente, ainda mais depois da derrota que sofreram também no tie-break para o mesmo Fluminense na primeira fase da competição e ficou feliz com o resultado.

“Foi uma final complicada e difícil como se esperava. Estamos ainda nos formando e criando uma dificuldade. Sabíamos aqui que íamos bater cabeça e lutamos muito contra nossa dificuldade. O time ainda está sofrendo, mas o que vale que estávamos olhando uma para outra e vamos focar agora na superliga e começar bem com o pé direito com esta luta que tivemos aqui hoje”. – Diz.

Pelo lado do Fluminense, Pri Daroit falou um pouco sobre o jogo

“Faltou acertar alguns detalhes. É sempre um jogo de igual para igual e erros bobos podem custar o título. Foi o que aconteceu. São dois times grandes, duas equipes muito entrosadas e unidas. Perdemos nos detalhes, erros bobos que nos tiraram o título" – Falou.

O ginásio do Tijuca ficou lotado com as duas torcidas apoiando seus times. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

O jogo

Um clássico não poderia ter começado de forma diferente com um primeiro set bem emocionante e equilibrado. Os dois times se entregaram em quadra e mantiveram uma constante troca de lideranças no placar. Mas num vacilo do ataque tricolor, o Sesc-Rj abriu dois pontos de vantagem o que obrigou o técnico do Fluminense a pedir tempo em duas bolas seguidas, mas não adiantou muito. O time do Rio abriu vantagem e fechou o set em 25 a 21 colocando 1 a 0 no placar.

No segundo set, uma partida com diversos momentos. O Fluminense abria vantagem na partida e o Sesc-Rj buscava e empatava o jogo. Por muitas vezes, o time das Laranjeiras chegou a abrir quatro pontos, o que obrigou Bernardinho a pedir tempo e o time do Rio veio com outra atitude e conseguiu o empate. Mas o set era do Fluminense que mesmo levando uma virada no final do set, conseguiu se recuperar e vencer por 25 a 23 e empatar o jogo em 1 a 1.

Times estreiam pela superliga na sexta-feira. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

Sentindo a derrota, o time do Rio entrou muito mal no terceiro set. Sem muita dificuldade, o Fluminense se aproveitando dos erros do Sesc-rj abriu e chegou a ter 10 pontos de vantagem. Até que o time do Rio esboçou uma reação, mas já era tarde de mais e fecharam o set em 25 a 16 e viraram para 2 a 1 o jogo.

O quarto set viu o Sesc-rj ressurgir na partida. O time de Bernardinho voltou muito melhor e comandou o placar o tempo todo. O Fluminense até chegou a empatar por duas vezes, mas com alguns bons saques de Kasiely, o Rio abriu e conseguiu fechar em 25 a 19, empatando em dois a dois e levando a partida para o tie-break.

Na decisão, o Fluminense abriu 3 pontos de vantagem e forçou Bernardinho a pedir tempo. O Sesc-rj então entrou na partida e conseguiu buscar a virada. O Fluminense por outro momento chegou a passar a frente, mas em outra virada o Sesc-rj não saiu mais da frente e fechou o jogo em 15 a 12 e foi campeão Carioca de 2018.

Primeira rodada da Superliga

O Sesc-Rj estreia nesta sexta também no Tijuca contra o Curitiba em partida que começa as 21:30. Já o Fluminense, encara o Pinheiros fora de casa as 20hrs.

  • Publicado em Vôlei

Em clássico, Marquinhos atinge 6 mil pontos no NBB e Flamengo vence Vasco fácil

Era para ser um clássico, era! Mas com uma grande diferença na qualidade entre os dois times, o Flamengo não encontrou muita dificuldade em vencer o Vasco pelo NBB por 90 a 70 e chegou a sua sétima vitória na competição em nove partidas que disputou até aqui.

O jogo marcou uma nova marca para Marquinhos do Flamengo. Com os 15 pontos que fez na partida de hoje, ele atingiu a expressiva 6 mil pontos no NBB, ainda no primeiro tempo e só perde para Shamell que já tem 6751.

“É uma jornada muito bonita. Só não participei de uma única edição do NBB que estava na Itália e vi toda a dificuldade e o crescimento da competição. Atingir essa marca é muito expressiva e ser o segundo então, melhor ainda. Que venham os 6500, 7 mil pontos e estarei continuando jogando pelos meus companheiros de time” – Diz Marquinhos sobre a marca histórica

Mas foi Olivinha quem saiu como o maior cestinha da partida com 18 pontos e também 10 rebotes na partida, que contribuíram com a vitória do Flamengo.

Time do Flamengo chegou a abrir 30 pontos de vantagem para o Vasco. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

“Nós abrirmos uma vantagem no primeiro tempo e no segundo apenas levamos o jogo. O Gustavo colocou nossas reservas para jogar e foi boa a vitória. Sempre é bom ganhar o um clássico diante do nosso maior rival. Nossa equipe está bem preparada para essa sequência de jogos que estamos passando e estamos segurando bem, nossa preparação está boa” – Conta sobre a partida.

O Jogo

A diferença entre os dois times foi muito grande. Enquanto que o Flamengo mostrava sua superioridade na defesa e evoluindo na pontuação, o time do Vasco não conseguia progredir e errava bastante, tanto que passou os dois primeiros quartos sem sequer acertar um arremesso de 3 pontos e sua pontuação foi devido aos poucos arremessos que davam certo e livres. Dessa forma, o Flamengo fez apenas a sua parte e ao final do segundo quarto, abriu uma vantagem considerável e fechou o placar em 51 a 24.

Mantendo o ritmo, o Flamengo prosseguiu ampliando a sua vantagem que chegou a 30 pontos em cima do Vasco. O técnico Gustavo Conti começou a poupar seus jogadores e foi quando o Vasco começou a crescer um pouco no jogo, mas não conseguiu nem chegar perto no placar. A diferença reduziu e ao final do jogo a vitória Flamengo foi de 90 a 70.

Time do Vasco terá partida contra o Corinthians no próximo sábado. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

Nessa semana, o Flamengo terá pela frente a equipe do São José na quarta e o Paulistano na sexta, todos os jogos serão em São Paulo.

“O São José é um time muito perigoso e bem montado com time bem identificado com a cidade. Jogar lá é duro e tem um histórico recente e temos que encarar. O Paulistano é um time que tenho muito respeito e terá um gosto diferente jogar lá. Vou voltar a quadra que vivi por 20 anos e será especial. Vou me preparar o máximo para que nada de fora possa influenciar dentro de quadra” – Diz Gustavo Conti, técnico do Flamengo.

Já o Vasco, só jogar na semana que vem contra o Corinthias em São Januário.

  • Publicado em Basquete

Big Riders vence Curitiba Silver Hakws e está na final

As cariocas do Big Riders estão na final na Copa Sport América do Brasil de futebol americano ao vencer de virada por 14 a 13 o Curitiba Silver Hakws em partida realizada no estádio do Olaria no Rio de Janeiro.

A final será disputada em São Paulo contra o vencedor de Sinop Coyotes x Spartnans Football em partida que está sendo realizada em Sinop no Mato Grosso.

 

Felipe Massa arrasta multidão para a Enseada de Botafogo

Com o Pão de Açúcar como cenário de fundo, o ex-piloto da categoria Felipe Massa participou de uma exibição na Enseada de Botafogo com um carro da Willians que ele guiou até a temporada passada e levantou o público que estava lá para assistir ele em evento que é prévio do GP Brasil de Formula 1 que será disputado na próxima semana.

Após a exibição, Felipe Massa concedeu uma entrevista coletiva em frente ao carro que guiou e falou um pouco sobre o que sentiu hoje na pista, seu futuro no automobilismo, como também comentou sobre a atual temporada em que Hamilton se sagrou pentacampeão no último GP disputado no México.

 

Formula 1 – temporada atual

Foi um campeonato incrível até a metade do ano e a segunda o Hamilton massacrou junto com a Mercedes. A Ferrari errou muito e o Vettel também. E isso causou uma grande diferença de pontos. Não é o que as pessoas querem com um campeonato acabar mais rápido, mas o Hamilton e a Mercedes estão de parabéns. O campeonato é feito de 21 corridas e os pontos são importantes. Faz 10 anos que a Ferrari venceu seu último campeonato, a equipe foi campeã e fiquei por um ponto nessa temporada. A pressão que a Ferrari viveu foi grande e erraram bastante.

 

Formula E

Eu testei os carros e tive a oportunidade de testar esses carros e é um mundo completamente diferente da formula 1. Não conheço nenhuma das pistas por onde o campeonato passa e será uma oportunidade e aprendizado para mim. Espero poder ter um ano bem competitivo e que possa me adaptar muito rápido

Felipe Massa se prepara para entrar na pista de rua em Botafogo. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ 

Sobre o exibição de hoje

A sensação foi única de guiar um carro de formula 1 no Rio. As pessoas curtiram muito essa emoção e para mim foi incrível estar dando essas voltas, cantando pneu e até estourando ele e fazendo zerinho. Esse carinho que senti das pessoas comigo, mostra que precisamos de um piloto da formula 1 o mais rápido possível. Sinto falta da competição e da adrenalina e hoje aqui me fez falta. Por isso que amo correr e vou continuar. Espero que venha a ter uma corrida no Brasil e quem sabe num lugar como o Rio. É uma pena não termos um autódromo aqui, mas quem sabe, nas ruas do Rio?

 

Formula 1 semana que vem

Vou estar como comentarista na TV passando um pouco da minha experiência de guiar um carro, mas não será algo que farei constantemente. Tive a experiência esse ano de comentar para TV italiana e de vez quando, posso vir a aceitar esse tipo de convite. Tomara que seja uma corrida muito legal para estar comentando.

Público vibrou com a oportunidade de ver um carro de Formula 1 de tão perto. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

Stock Car

Tenho a intensão de fazer algumas corridas, mas não o campeonato todo. Esse ano fiz duas e quem sabe esse ano não se repete, pois estou concentrado na formula E. Esse é o meu caminho e acho que dois campeonatos é muito. Para quem fazia 21 corridas e não parava em casa, será muita coisa. Esse ano terá muitas mudanças na formula E, traçado diferente, não terá troca de carro e terá muita coisa diferente.

Jovens pilotos brasileiros

Acredito que depois da mudança do regulamento da formula 1 poderemos ter algum brasileiro na categoria. Não será fácil alguém chegar tão logo como no ano que vem. Se eu tivesse que apontar algum nome, quem é o mais forte e quem já fez pela sua idade é o Caio Collet pelo que já fez até agora. Ele estar bem competitivo e temos que esperar o que vai acontecer que ele tem 16 anos. Outro é o Enzo Fittipaldi que foi bem na formula 4. O piloto que vier, tem que ter agressividade. Esses dois que tem alguma chance de chegar a formula 1.

Assinar este feed RSS