fbpx

Ricardo Erlich

Ricardo Erlich

URL do site:

Brasileira tenta entrar no livro dos recordes correndo 7 dias em esteira

Em uma semana certamente você acorda, sai para trabalhar, faz suas refeições, inclui uma atividade física e ainda aproveita seu fim de semana antes de começar essa rotina novamente. E o que acha de passar esses sete dias em cima de uma esteira correndo em busca de uma marca histórica? É o que a Débora Símas irá buscar a partir deste domingo ao meio dia no Shopping Beira-Mar em Florianópolis.

No Guinness Book, o livro dos recordes, a marca feminina nessa distância é da britânica Sheron Gayter que foi batida em 2011 na distância de 833,05km e é esse ó número que a catarinense sonha em passar. E tudo começou quando há quatro anos, o carioca Marcio Villar obteve a marca masculina com 827km.

“Já vinha procurando provas de diferentes quilometragens. Foi quando assisti uma palestra do Marcio, em Bombinhas (SC) e chorei muito, confesso. E me vi fazendo isso. Tomei coragem e me inscrevi no Guinness book, em 2018 e ele lançou a 1000km Brasil e lá fui eu para ver como era correr 10 dias e voltei determinada que em 2019 seria a tentativa de quebra de recordes em sete dias na esteira” – Conta

E se você acha que a história começou ontem, é aí que você se engana! A corrida foi aparecer em sua vida a partir de 2004 quando começou a trabalhar na lanchonete de uma academia quando conheceu sua primeira treinadora e disse que iria treinar para uma corrida de 9km. Mas ela viu um potencial na longa distância e sugeriu que ela fizesse uma maratona e que faria com o tempo de 3h30min e acabou completando em 3h27min e viu que era ali o que mais queria fazer e não parou mais.

No ano seguinte, já estava disputando uma ultramaratona de 50km no Rio Grande e foi aumentando suas distâncias, participando de provas de 24 e 48hrs em pista. Mas sem dúvidas, a corrida mais marcante para ela foram nos 1000km Brasil onde ela foi a campeã da prova e é a primeira mulher na américa do sul a obter essa marca.

Débora nos 1000km - Brasil. Crédito: Bruno Lopes/EAZ

“a 1000km Brasil, foi a melhor experiencia da minha vida, foram os 10 dias mais intensos.  Uma energia que jamais tinha sentido em qualquer outra prova e participarei novamente este ano no segundo semestre. Foi uma experiência maravilhosa que uniu atletas, organizadores, atletas e a comunidade local e o mais legal foram os cachorros que estavam por lá e adotamos eles, os alimentos” – Diz

Preparação para o recorde

Diferente de uma corrida em que você paga uma inscrição e tem direito a uma estrutura, bater esse recorde exige outros elementos como conseguir uma esteira que tenha condições de aguentar todos esses dias de atividade, conseguir um local que aceite realizar um evento particular e também atender tudo o que o Guiness Book exige, como ter as filmagens, fotógrafos e testemunhas para garantir a homologação. E fora tudo isso, ainda é preciso treinar!

Imagine que ela começou os treinos em dezembro, depois de descansar da experiência dos 1000 km e sem precisar sair do seu quarto com a esteira instalada por lá. Mas não só isso, sua rotina de trabalho é gerenciar uma lanchonete dentro de uma academia o dia todo.

Dono da marca masculina desse recorde, Márcio Villar também passou pelas mesmas dificuldades de Débora para conseguir a marca em 2015 que constantemente é ameaçada por outro corredor pelo mundo, mas ainda sem sucesso. Em sua tentativa bem-sucedida, o shopping escolhido por ele no Rio de Janeiro lotou e virou destaque e onde ele guarda boas lembranças e da os seguintes conselhos para que ela consiga igualar as duas marcas para o Brasil.

“A Débora tem que correr o tempo todo imaginando conseguir o recorde, abraçando todo mundo e chorando de alegria. Ela não pode desistir nunca e agarrar essa oportunidade que está tendo de atingir seu sonho. Dessa forma, ela vai conseguir sua marca e torço muito!” – Finaliza.

Para aqueles que estiverem em Florianópolis ou desejem acompanhar de perto, a esteira estará localizada no térreo do Shopping Beira-Mar no Centro.

Você também pode acompanhar a evolução dela por este link https://content.fit4.com.br/tentativaquebraderecordcorridaemesteira 

Meia Maratona Internacional do Rio terá novo percurso e horário esse ano

Conforme havíamos noticiado anteriormente e agora confirmado, a 23º edição da Meia Maratona Internacional do Rio que será realizada dia 18 de agosto sofreu alteração em seu tradicional percurso em função da interdição da Avenida Niemeyer passando a ter novo local de largada e sua chegada permanece no Aterro do Flamengo como vem acontecendo em todas as suas edições e com um direito a um bônus, a mudança no horário de largada.

Assim como a Meia Maratona que corre na véspera da Maratona do Rio, a largada será no Leblon, com a diferença de estar mais próximo do Jardim de Alah e seguirá para Ipanema, Copacabana, Botafogo, Aterro e incluirá algumas ruas do Centro histórico da cidade e retornará ao Aterro onde terá a sua linha de chegada.

Com o novo ponto de largada e a forma de organizar da Yescom, a tendência é de a corrida fluir muito melhor no início favorecendo obtenção de marcas pessoais tanto para a elite, como para aqueles que gostam de correr para tempo e superação pessoal. As largadas são cercadas com grades e controle por numeral com cores diferentes, bem como um controle mais forte em cima dos corredores que insistem em correr na chamada “pipoca”.

Fora o novo ponto de largada, a outra novidade é horário dela. Pela primeira vez na história, a principal largada será as 7:15 da manhã, mais um ponto positivo para a organização. Largando mais cedo, o sofrimento no calor carioca será menor, bem como a liberação das vias para o fim de semana na cidade se dará mais cedo o que fica bom para cidadãos cariocas e corredores.

Sendo assim os corredores devem estar atentos que a largada deverá ser sem som para não incomodar os moradores do Leblon. Do mesmo jeito para quem for disputar os 5 km que a largada será as 6:40 no Aterro do Flamengo.

As inscrições para a Meia Internacional do Rio seguem abertas no site oficial da prova e com a possibilidade de parcelamento em 2x no cartão. A entrega dos kits está mantida para a Marina da Glória nos dias 16 e 17, opção com bastante vagas de estacionamento e próximo ao aeroporto para aqueles que vem de fora da cidade.

Mais informações e inscrições, você pode acessar por aqui o site oficial.

Meia Maratona Internacional do Rio poderá ter percurso alterado? Yescom responde

Depois de passada a euforia da Maratona do Rio no último fim de semana é hora de já pensar num próximo desafio. E a Meia Maratona Internacional do Rio que também atraí um grande público fora da cidade se aproxima e será realizada no dia 18 de agosto com previsão de largada para 8:15 e uma dúvida até lá: Será que o percurso também será alterado?

A Avenida Niemeyer que começa ainda no primeiro quilômetro de prova segue interditada por uma ordem da justiça depois de alguns deslizamentos nas fortes chuvas que caíram na cidade ao longo do ano e sua ameaça de pedras rolarem a qualquer momento. O prejuízo econômico aos poucos estabelecimentos locais segue acontecendo e um dos motéis da avenida inclusive já fechou suas portas em definitivo.

No momento, a avenida tem sido utilizada como uma grande área de lazer dos moradores da região, enquanto as obras seguem acontecendo e com previsão de somente em novembro para sua liberação.

Faltando cerca de 50 dias para realização da Meia Maratona, entramos em contato com a organização que nos enviou a seguinte informação através de sua assessoria de imprensa:

“A Yescom está acompanhando o caso e tem planos alternativos, mas se reunirá com os órgãos municipais para fechar tudo. Teremos notícias em breve”.

Mesmo com uma possível alteração do local de largada, a estrutura da organização não será afetada que deverá manter a largada com baias de ritmo e controle na largada para evitar os pipocas, hidratação suficiente para a quantidade de inscritos e a passagem por locais de destaque da cidade maravilhosa, podendo o Centro da cidade entrar no radar do percurso.

Para aqueles que são de fora do Rio, a recomendação é se hospedar em hotéis entre o Leblon e o Centro até uma definição por parte da prefeitura na liberação da avenida onde o deslocamento para um novo local de largada, facilite a logística. É provável que a chegada não seja alterada no Aterro do Flamengo como na Maratona do Rio.

Inscrições seguem abertas

As inscrições para a Meia Maratona seguem abertas no site oficial da corrida com três opções de inscrição: R$120 com o kit sem camiseta, R$140 com a camiseta e R$300 na inscrição premium. Em todas as categorias, está sendo solicitada a doação de 1kg de alimento não perecível. Ainda é possível parcelar no cartão a inscrição em duas vezes sem juros.

Mais informações em: https://www.yescom.com.br/2019/meiamaratonadoriodejaneiro

Festa brasileira na Maratona do Rio

Foi um turbilhão de emoções! A Maratona do Rio chegou a sua maioridade no atual formato revivendo percurso inicial pelas ruas do Centro e da Zona Sul e para ficar ainda mais bonito, teve vitória brasileira tanto no masculino, quanto no feminino, fora as conquistas pessoas de cada um que se alinhou para completar os mágicos 42,195km na cidade maravilhosa.

Com largada 5:30 da manhã, a competição começou com um clima muito agradável e Giovani dos Santos, um dos principais nomes do atletismo brasileiro na atualidade, tomou a liderança da prova ainda no Aterro e não largou mais fechando a prova em 2h18min48 botando mais de um minuto para cima de Antônio Wilson Sousa Lima (2h20m05seg) e Edmilson Santana (2h20min47seg) que completaram o pódio nacional. E logo após a sua chegada, o campeão precisou sair carregado direto para atendimento médico com bastante câimbra.

“Eu estou muito feliz com essa conquista. Ganhar a Maratona do Rio não é para qualquer um. Ainda estou me adaptando às provas de 42km, é um desafio para mim. Vim tentar o índice olímpico, que apesar de chegar até o KM30 com ele, infelizmente não rolou. Mas, foi uma manhã incrível e quero voltar ano que vem para quem sabe, brigar pelo bi”, disse Giovani dos Santos.

Cristiane Alves Silva completou a dobradinha brasileira na Maratona. Crédito: Ricardo Dungó/EAZ

No feminino, Cristiane Alves Silva venceu com o tempo de 2h50min23 deixando a queniana Monica Cheruto em segundo com Monica Cheruto e a brasileira completou em terceiro Roselaine Souza Ramos Benites.

“Como foi minha primeira vez aqui, meu objetivo era ficar entre as cinco do pódio. Então eu fiquei ali entre as meninas. Mas no decorrer da prova eu fui desenvolvendo e fui surpreendida com o primeiro lugar. Não tenho palavras para agradecer. Treinei bastante para estar aqui e vim com o objetivo de subir no pódio. Acabei sendo a primeira, então, é muita gratidão”, disse Cristiane empolgada com o resultado.

As vitórias de Geovani e Cristiane, quebraram um jejum de vitórias brasileiras. No masculino ela era mais curta e vinha de 2014 com o mesmo terceiro colocado, Edmilson Santana que havia faturado ali. Já no feminino, o jejum era maior. Fazia 10 anos que uma brasileira não subida o pódio no lugar mais alto com Sirlene Pinho.


Queniano protagonizou cena única na linha de chegada. Crédito: Ricardo Dungó/EAZ

Ainda na chegada da elite, uma cena curiosa: O queniano David Kemboi Kiyeng literalmente parou metros antes da linha de chegada e ficou algum tempo parado ali. Mesmo o público o incentivando a terminar sua corrida, ele permanecia estático, quando finalmente decidiu fechar a prova e sair com ajuda para atendimento médico.

À medida que o tempo ia passando, o sol que estava escondido até umas 3hrs de prova, surgiu com força total e passou a castigar aqueles corredores que dão um brilho especial a Maratona do Rio. Gente de tudo o que é lugar do Brasil e do mundo escolheram a prova da cidade maravilhosa para estrear na distância nobre do atletismo ou tentar melhorar a sua marca pessoal e não faltaram alguns casos de fraude onde certamente a organização do evento deverá desclassificar esses corredores.


A maratona do Rio conta com prova paralímpica em algumas categoria como para cegos. Crédito: Ricardo Dungó

Avaliação do percurso de 2019

O Esportes de A à Z fez uma enquete rápida com os corredores que completavam ainda na linha de chegada para que falassem do novo percurso. A reclamação mais comum foram as duas passagens pelo túnel Rio 450 onde não havia ventilação e sair dele, parecia um alívio. Entendemos que foi uma solução de última hora a mudança de percurso, mas caso ano que vem, tenhamos uma repetição, a maratona poderia seguir pela Avenida Marechal Floriano virando na Rio Branco, seguindo pela Rodrigues Alves e voltando pela Avenida Venezuela e retomar o percurso o que o tornaria bem mais plano.

Também não faltaram elogios nos outros pontos, onde foi possível receber a energia dos amigos ao longo do percurso e poder ter uma referência de quem estava por perto e também a melhor localização da largada/chegada que facilitou bastante a logística pré e pós prova. Outro ponto elogiado foi a entrega dos kits, mais organizada neste ano, com filas menores e mais localizadas pelos numerais, sem a centralização de outros anos e um andar só para feira.

Companheiro é algo que faz parte do DNA dos corredores. Crédito: Ricardo Dungó

Uma coisa é certa, a Maratona do Rio de 2020 deverá ser realizada em 13 e 14 de junho também junto ao feriado de Corpus Christi com inscrições abrindo em breve. Acredito que a organização deverá ouvir seus participantes em pesquisa de satisfação e decidir se manterá o percurso de 2019 ou se a cidade permitir, voltar ao percurso original com a meia largando da Barra e a maratona do Recreio. Será uma decisão difícil!

A Maratona do Rio também tem se concretizado como um palco de pedidos de casamento. Ontem na meia maratona foi um pedido e testemunhamos outros três na prova principal. Será que não vale a organização investir em algo nesse sentido? 

Resultados Maratona do Rio

Masculino

1- Giovani dos Santos (Brasil) – 2h18min48s

2- Antonio Wilson Sousa Lima (Brasil) – 2h20min05

3- Edmilson dos Reis Santana (Brasil) 2h20min47

4- William Kimbor (Quênia) – 2h22min14

5- Antonio de Souza Dias (Brasil) 2h23min04


Crédito: Ricardo Dungó/EAZ

Feminino

1- Cristiane Alves Silva (Brasil) – 2h50min23

2- Monica Cheruto (Quênia) – 2h51min52

3- Roselaine Souza Ramos Benites (Brasil) – 2h52min49

4- Conceição de Maria Carvalho de Oliveira (Brasil) – 2h57min03

5- Maurine Jelagat Kipchumba (Quênia) – 2h59min03

Assinar este feed RSS