Brasil é penta no futebol de 5

Brasil é penta no futebol de 5 Em 7 mundiais, Brasil chega ao seu quinto título. Crédito: Renan Cacioli/CBDV

O mundo do futebol de 5 é verde e amarelo pela quinta vez na história. Neste domingo, 17, o Brasil derrotou a Argentina por 2 a 0 na final do Mundial da modalidade em Madri, na Espanha, e garantiu não só a taça como a vaga para os Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020. Ricardinho e Nonato fizeram os gols no Colégio Sagrado Coração de Chamartín, palco do torneio. 

“O Brasil tem força, quantidade e qualidade. Estamos muito felizes. Dentro de campo, a gente correspondeu. Mesmo com o Ricardinho no sacrifício, conseguimos vencer. É um título importante também pensando no planejamento até 2020” , disse o técnico Fábio Vasconcelos.

A referência ao sacrifício do camisa 10 da seleção se deve ao fato de Ricardinho ter disputado a final com o nariz quebrado, após um choque involuntário na semifinal diante da China. O ala jogou menos tempo do que o habitual contra a Argentina, mas, mesmo assim, contribuiu com um gol e terminou a competição como artilheiro isolado, com dez gols.

“Temos uma geração muito vitoriosa, mas o principal segredo é o trabalho forte, todos os dias. É um time com um controle emocional muito grande. Sou muito grato por fazer parte dessa equipe”, destacou o craque da equipe.

O título faz o Brasil ampliar seu amplo domínio na modalidade: das sete edições da Copa realizadas até hoje, ganhou cinco – Madri (2018), Tóquio (2014), Hereford (2010), Jerez de la Frontera (2000) e Paulínia (1998). Só não ficou no topo do pódio em Buenos Aires (2006), quando foi vice, e no Rio de Janeiro (2002), ano em que terminou a competição na terceira colocação.

A conquista ratifica ainda a freguesia histórica dos argentinos diante da seleção canarinho: esta foi a 20ª final de campeonato entre os rivais sul-americanos, a 17ª em que os brasileiros levam a melhor. Os hermanos ganharam apenas o Mundial de 2006 e as edições de 2005 e 2017 da Copa América. Em todas as demais acabaram sendo derrotados. No histórico geral, dos 48 encontros entre os países, o Brasil ganhou 24, empatou 19 e perdeu cinco. Marcou 51 gols e sofreu 17.

“Jogar contra a Argentina tem um gosto especial para a gente. É muito difícil, por tudo o que envolve a rivalidade. Eles valorizam demais todos os jogos, então uma vitória contra eles em um Mundial é algo fantástico”, disse o fixo Cássio.

O jogo
Mesmo com Ricardinho lesionado, o treinador brasileiro utilizou a escalação tradicional deste Mundial: Luan; Cássio, Gledson, Ricardinho e Jefinho. O primeiro tempo foi de poucas oportunidades para os dois lados e muita marcação.

Logo no início da etapa final, aos 22 minutos, Ricardinho acertou um lindo chute rasteiro que ainda bateu na trave esquerda do goleiro Germán Muleck antes de entrar: 1 a 0. O gol tranquilizou a equipe, e o técnico utilizou a força do banco de reservas para rodar a equipe com Nonato e Tiago Paraná. Aos 35, o próprio Nonato arrancou com a bola de trás da defesa, conduziu até a entrada da área e bateu no canto do goleiro argentino para definir o marcador: 2 a 0.

Campanha perfeita
O Brasil encerrou o Mundial da Espanha com 100% de aproveitamento. Na fase de grupos, venceu Mali (6 a 1), Costa Rica (14 a 1) e Inglaterra (3 a 0). Nas quartas, bateu a Colômbia por 3 a 0. Na semifinal, fez 1 a 0 na China.

O próximo grande desafio da seleção de futebol 5 acontecerá em Lima, no Peru, palco dos Jogos Parapan-Americanos de 2019.