fbpx

Ricardo Erlich

Ricardo Erlich

URL do site:

Deu Pedro Barros, Yndiara Asp, Kelvin Hoefler e Leticia Bufoni no STU

Pedro Barros confirmou seu favoritismo e faturou no Park. Crédito: Ludmila Villalba/EAZ

 

Com aquele clima de 40c no Rio de Janeiro, a Praça Duó na Barra da Tijuca recebeu a última etapa do ano do STU. Na modalidades Park a vitória foi de Pedro Barros e Yndiara Asp  e na modalidade Street deu Kelvin Hoefler e Leticia Bufoni, atletas que já contam com uma grande experiência internacional.

Park

Na modalidade Park, nenhuma surpresa. Pedro Barros foi o grande campeão da competição ao conseguir 87,67 de nota com uma manobra espetacular, deixando Pedro Quintas em segundo e Luiz Francisco em terceiro.

“Esse ano inteiro foi uma grande preparação. O skate tem uma história de muitos anos, é um estilo de vida, e a Olimpíada é algo novo. Por isso o preparo será muito grande. Vamos lá com uma missão e ver se conseguimos. A mensagem é o skate acima de tudo. É algo que nos dá vida e abre novos horizontes, nos traz amigos que considero minha família. O lifestyle tem que sempre ser valorizado por que é uma forma de se expressar. A competição foi demais, mostra o nível do skate brasileiro. Para você ver o Alex Sorgente não ficou no pódio e ele é campeão do mundo”, disse Pedro.

Yndiara Asp se prepara para entrar na pista e sair campeã da competição. Crédito: Ludmila Villalba/EAZ

Na categoria feminina, Yndiara Asp também confirmou o favoritismo e venceu com 81 de nota seguida por Isadora Pacheco e Dora Varella.

“Hoje eu acordei bem e vi que seria um dia perfeito. As meninas arrasaram muito. E agora é partir para a próxima competição e crescer ainda mais. Muito feliz de estar dentro da Seleção, junto com as meninas, que são super merecedoras. A expectativa para 2019 é mostrar o que eu amo fazer, no meu estilo, e apresentar isso cada vez mais para o mundo”, afirmou Yndiara Asp.

Street

Já na categoria Street, a tarde foi dele: Kelvin Hoefler estava inspirado e chegou ao título da competição seguido por Felipe Gustavo e pelo canadense Micky Papa


Kelvin Hoefler entrou forte na final para ser campeão. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

“O evento teve uma vibe muito positiva, o que ajudou muito no desempenho de todos os skatistas. Estou muito feliz com o resultado. Espero voltar ano que vem e representar bem o país na classificatória brasileira”, completou o número 1, Kelvin Hoefler.

Na chave feminina, ficando sempre entre as primeiras, Leticia Bufoni usou de sua experiência e faturou a competição com 330.33 deixando a então líder de toda as eliminatórias Pâmela Rosa em segundo seguida por Rayssa Leal, a anjinho.

“A competição foi animal, a energia está incrível. Amei andar no Rio, foi um clima incrível e só mostra a energia do skate”, declarou Bufoni.


Mesmo ficando atrás nas seletivas, Leticia Bufoni brilhou na final e saiu campeã. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

Seleção Brasileira:

No final do dia, a Confederação Brasileira de Skate anunciou os três atletas de cada modalidade que já garantiram uma vaga na seleção brasileira 2019 de skate, através do ranking brasileiro. Ainda serão anunciados os atletas indicados pela Confederação por critérios técnicos e fecharão a seleta lista de atletas contemplados pela seleção.

Seleção Park Feminino:

1- Yndiara Asp

2- Isadora Pacheco

3- Leticia Gonçalves

Seleção Park Masculino:

1- Pedro Barros

2- Pedro Quintas

3- Luiz Francisco

Seleção Street Feminino:

1- Pamela Rosa

2- Rayssa Leal

3- Virginia Fortes

Seleção Street Masculino:

1- Kelvin Hoefler

2- Felipe Gustavo

3- Tiago Lemos

Resultados:

Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

Park Masculino

1- Pedro Barros -  87.67

2- Pedro Quintas - 78.67

3- Luiz Francisco - 75.00

4- Augusto Akio Takahashi dos Santos -74.00

5- Matheus Mello - 73.80

6- Hericles Fagundes - 73.63

7- Pedro Carvalho - 73.59

8- Alex Sorgente - 73.00

Park Feminino

1- Yndiara Asp - 81.00

2- Isadora Pacheco - 75.33

3- Dora Varella - 68.67

4- Karen Jonz - 66.92

5- Leticia Goncalves - 63.33

6- Camila Borges - 61.01

7- Victoria Bassi - 59.00

8 - Deise Reis - 56.00

Street Masculino

1- Kelvin Hoefler - 359,37

2- Felipe Gustavo - 350,63

3- Micky Papa (Canadá) – 339,33

4- Mauro Iglesias (Argentina) – 335,70

5- Luan Oliveira – 322,33

6- Patrik Mazzuchini – 320,93

7- Lucas Rabelo – 303,0

8- Maxim Kruglov (Rússia) – 212,43

Street Feminino

Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopres/EAZ

1- Letícia Bufoni – 330.3

2- Pamela Rosa – 316,37

3- Rayssa Leal – 312,17

4- Karen Feitosa – 298,30

5- Virginia Fortes Águas – 279,70

6 – Isabela Menezes – 275,07

7- Isabelly Ávila – 250,67

8- Giovana Dias – 227,24

  • Publicado em Skate

Everaldo sai do banco e leva Sesc-rj a vitória

Depois de um início mais tenso no ginásio do Tijuca, o Sesc-Rj conseguiu vencer de virada o time do Vôlei Renata de Campinas por 3 sets 1 com parciais de 21-25, 26-24, 25-18 e 25-19 e segue invicto na Superliga Masculina.

Destaque da partida foi Everaldo. O levantador que é reserva do time entrou durante a partida e conseguiu dar o equilíbrio que o time do Sesc-Rj precisava para conseguir a vitória diante do Vôlei Renata que já derrubou na atual temporada grandes times como o Cruzeiro e o Sesi, atuais campeão e vice da última Superliga.

“A força do grupo é muito importante. Nosso time não é só o time titular que é importante, temos um banco e todos treinam forte. Hoje precisou de alguns jogadores e entramos para contribuir. Esse time de Campinas vem jogando bem e tivemos dificuldade. No início estávamos mais nervosos e conseguimos acalmar e entender o que estava acontecendo no jogo e foi fundamental para conseguirmos mais essa vitória. ” – Comentou Everaldo após a partida.

Time do Sesc-Rj segue invicto na Superliga Masculina. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

O Sesc-rj segue invicto na Superliga Masculina e chegou a sua quarta vitória e está no segundo lugar na tabela. Só atrás do Cruzeiro que já tem duas partidas a mais.

O Jogo

O time de Campinas começou bem a partida. Mais concentrado no jogo, chegou a abrir cinco pontos de vantagem no 10 a 5. Com Wallace no saque, o time do Rio começou a esboçar uma reação e conseguiram encostar no placar diminuindo a diferença e até a conseguir uma virada por um instante com 13 a 12. Mas durou pouco e o vôlei Renata voltou a se impor e retomou a liderança de onde não saiu mais, fechando o set em 25 a 21 e colocando 1 a 0 no placar.

O Segundo set foi emocionante. Ambos os times estavam concentrados e nenhum conseguia escapar na liderança disputando bola a bola, mas com o time de Campinas sempre na liderança. A entrada de Everaldo deu uma nova cara ao time do Rio, que ajudou a dominar o time paulista. A decisão acabou sendo apenas no final do set na virada do Sesc-Rj, com um saque para fora de Campinas e um ponto decisivo de Everaldo que botou o placar em 25 a 24 e na bola seguinte, o time do Rio fechou o set 26 a 24, empatando o jogo em 1 a 1.

A virada do Sesc-Rj veio no terceiro set. Em pouco tempo, o time carioca estava com cinco pontos de vantagem no 10 a 5. O Vôlei Renata nesse momento até esboçou uma reação, mas com ataques concisos de Wallace, Japa e Moreira Jr, os cariocas ampliaram ainda mais a vantagem e chegaram a ter 18 a 10. Mas deixaram permitir os paulistas se aproximarem um pouco, mas sem permitir a reação. O set acabou 25 a 18 e o Sesc-Rj ficou com 2 a 1 no jogo.

Com o domínio da partida, o Sesc-Rj conseguiu repetir o desempenho que teve no terceiro set e abrir no placar. Mais uma vez, a vantagem ia só se ampliando e a vitória não demorou a sair com o ponto decisivo de Mauricio Souza marcando 25 a 17, decretando a vitória por 3 a 1 e chegando a quarta vitória na competição.

Na próxima rodada, o Sesc-rj terá pela frente o São Judas fora de casa em São Paulo.

  • Publicado em Vôlei

Sesc-Rj estreia com vitória em casa

Depois de ganhar o título estadual na última segunda-feira, o Sesc-Rj voltou a quadra do Tijuca para a sua estreia na competição e não decepcionou o torcedor que foi apoiar o time. Com uma grande atuação da dominicana Peña, as cariocas venceram o Curitiba Vôlei que fazia sua estreia por 3 a 0.

Eleita a melhor em quadra, a ponteira Peña é daquelas jogadoras que batem forte na bola, porém de poucas palavras: “Acho que fui bem, mas ainda tenho muito o que melhorar” – Comentou após a partida.

Pelo lado do Curitiba Vôlei, a levantadora Ana Cristina lamentou a derrota, mas ressaltou a boa atuação das curitibanas nos dois primeiros sets.

“Sabíamos da dificuldade de jogar no Rio com um time campeão como o Sesc RJ. No primeiro e no segundo set fizemos o nosso trabalho. Passamos a semana inteira estudando o Sesc RJ e hoje cometemos muitos erros. Nosso time está no caminho certo e queremos trazer novamente o voleibol para Curitiba”, afirmou Ana Cristina.

Sesc-Rj enfrenta o Brasília em casa na terça. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

O Jogo

O primeiro set foi uma partida muito equilibrada. Quando as cariocas conseguiam abrir alguns pontos de vantagem, as curitibanas conseguiam chegar atrás e empatar a partida novamente e chegou até a liderar o jogo, obrigando Bernardinho a pedir tempo e colocar a aniversariante de ontem, Carol Leite em quadra. Ela fez um estrago na defesa do Curitiba e ajudou na vitória por 25 a 21 e a abrir 1 a 0 no placar.

Já no segundo set, o Curitiba foi quem saiu na frente e muito bem abrindo 5 a 1. Bernardinho pediu tempo e colocou o time no lugar. O Sesc-Rj conseguiu empatar a partida no 7 a 7 e foi quando Peña começou a se destacar no jogo com pontos importantes e contribuíram com a vitória de 25 a 20 e 2 a 0 no jogo.

E no terceiro set, o gás das curitibanas parecia ter acabo. As cariocas com muita facilidade venceram o set por 25 a 11, decretar 3 a 0 no jogo e sair com a primeira vitória da Superliga.

Próxima partida:

O Sesc-Rj volta à quadra no feriado desta terça-feira (20) jogando no Tijuca contra o Brasília as 19h30, mesmo horário para o Curitiba que viaja para Uberlândia e encara o atual campeão Praia Clube também no mesmo horário.  

  • Publicado em Vôlei

Em uma final digna, Sesc-Rj vence e é campeão estadual

Todo clássico que se preza, tem disputa acirrada e equilíbrio. E quando a partida está ótima, você não quer que acabe. E foi assim num jogo de 2h30 e partida decidida no tie break que o Sesc-Rj ganhou pela 14º vez o título carioca de vôlei feminino jogando num ginásio do Tijuca lotado contra um Fluminense forte que fez valer acompanhar a partida com parciais de 25-21, 23-25, 16-25, 25-19 e 15-12.

Quem se destacou foi a russa Kosheleva que saiu como a melhor jogadora da final. Ela que foi campeã mundial pela Rússia em 2010, está vindo de um processo de recuperação e se emocionou ao ganhar o troféu.

Partida foi decidida no tie-break. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

“Eu me emocionei, sim. Toda a ajuda que tenho recebido das minhas companheiras, de toda a equipe, tem me ajudado a ir melhorando passo a passo. Sei que não estou nas minhas melhores condições, mas tudo o que eu consegui fazer eu fiz dentro de quadra. E isso ter ajudado as minhas companheiras representou muito para mim. Foi incrível ter essa atmosfera hoje, ver a torcida vibrando conosco. Achei incrível”, revelou.

A capitã do Sesc-Rj, Roberta imaginou as dificuldades que teria pela frente, ainda mais depois da derrota que sofreram também no tie-break para o mesmo Fluminense na primeira fase da competição e ficou feliz com o resultado.

“Foi uma final complicada e difícil como se esperava. Estamos ainda nos formando e criando uma dificuldade. Sabíamos aqui que íamos bater cabeça e lutamos muito contra nossa dificuldade. O time ainda está sofrendo, mas o que vale que estávamos olhando uma para outra e vamos focar agora na superliga e começar bem com o pé direito com esta luta que tivemos aqui hoje”. – Diz.

Pelo lado do Fluminense, Pri Daroit falou um pouco sobre o jogo

“Faltou acertar alguns detalhes. É sempre um jogo de igual para igual e erros bobos podem custar o título. Foi o que aconteceu. São dois times grandes, duas equipes muito entrosadas e unidas. Perdemos nos detalhes, erros bobos que nos tiraram o título" – Falou.

O ginásio do Tijuca ficou lotado com as duas torcidas apoiando seus times. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

O jogo

Um clássico não poderia ter começado de forma diferente com um primeiro set bem emocionante e equilibrado. Os dois times se entregaram em quadra e mantiveram uma constante troca de lideranças no placar. Mas num vacilo do ataque tricolor, o Sesc-Rj abriu dois pontos de vantagem o que obrigou o técnico do Fluminense a pedir tempo em duas bolas seguidas, mas não adiantou muito. O time do Rio abriu vantagem e fechou o set em 25 a 21 colocando 1 a 0 no placar.

No segundo set, uma partida com diversos momentos. O Fluminense abria vantagem na partida e o Sesc-Rj buscava e empatava o jogo. Por muitas vezes, o time das Laranjeiras chegou a abrir quatro pontos, o que obrigou Bernardinho a pedir tempo e o time do Rio veio com outra atitude e conseguiu o empate. Mas o set era do Fluminense que mesmo levando uma virada no final do set, conseguiu se recuperar e vencer por 25 a 23 e empatar o jogo em 1 a 1.

Times estreiam pela superliga na sexta-feira. Crédito: Bruno Lopes/BNLPhotopress/EAZ

Sentindo a derrota, o time do Rio entrou muito mal no terceiro set. Sem muita dificuldade, o Fluminense se aproveitando dos erros do Sesc-rj abriu e chegou a ter 10 pontos de vantagem. Até que o time do Rio esboçou uma reação, mas já era tarde de mais e fecharam o set em 25 a 16 e viraram para 2 a 1 o jogo.

O quarto set viu o Sesc-rj ressurgir na partida. O time de Bernardinho voltou muito melhor e comandou o placar o tempo todo. O Fluminense até chegou a empatar por duas vezes, mas com alguns bons saques de Kasiely, o Rio abriu e conseguiu fechar em 25 a 19, empatando em dois a dois e levando a partida para o tie-break.

Na decisão, o Fluminense abriu 3 pontos de vantagem e forçou Bernardinho a pedir tempo. O Sesc-rj então entrou na partida e conseguiu buscar a virada. O Fluminense por outro momento chegou a passar a frente, mas em outra virada o Sesc-rj não saiu mais da frente e fechou o jogo em 15 a 12 e foi campeão Carioca de 2018.

Primeira rodada da Superliga

O Sesc-Rj estreia nesta sexta também no Tijuca contra o Curitiba em partida que começa as 21:30. Já o Fluminense, encara o Pinheiros fora de casa as 20hrs.

  • Publicado em Vôlei
Assinar este feed RSS