fbpx

Festa gringa na final da Street League

Festa gringa na final da Street League Nyjah Huston foi o campeão mundial no masculino. Crédito: Bruno Lopes/EAZ

A Arena Carioca 1 no parque olímpico ficou de casa cheia e a torcida apoiou demais os atletas brasileiros que chegaram a final. Letícia Bufoni e Kelvin Hoefler foram carregados pela torcida, mas acabam ficando em segundo lugar e a festa foi dos estrangeiros na final da Street League, o campeonato mundial de skate no estilo Street.

Deu para ter uma prévia do que estar por vir nos jogos olímpicos de 2020 em Tóquio e os atletas que virão para a disputa e os brasileiros possuem grandes chances de conquistar algumas das medalhas.

Bateria feminina

Aori Nishimura venceu no feminino. Crédito: Bruno Lopes/EAZ

A grande expectativa do público presente na Arena Carioca 1 era ver a paulista Leticia Bufoni vencer a competição. A torcida fez tudo, mas a japonesa Aori Nishimura resolveu estragar a festa brasileira e faturou o título com manobras simples e que os juízes deram notas maiores.

“Foi uma competição difícil e não é fácil disputar com a Leticia que é uma pessoa que admiro muito. Fiz o melhor que eu pude e consegui sair com o título e me emociono por isso. ” – Diz a japonesa após a vitória.

Letícia Bufoni fez bonito mas acabou em segundo. Crédito: Bruno Lopes/EAZ

Letícia precisava de uma boa manobra no final para ter a chance, desde que a japonesa não tirasse 8,5 na sua última tentativa. Ela conseguiu atingir uma nota 9 dos juízes e Nishimura acabou conseguindo a pontuação que deu o título para ela.

“Eu achei que ela ia conseguir uma nota mais baixa por ela ter repetido a mesma manobra antes, mas não dá para ficar lamentando nota de juiz. Mesmo assim, saio satisfeita com o meu resultado na competição. Foi muito bom ter a energia da galera que me apoiou em casa e isso foi um grande diferencial para mim. Agora tenho que treinar mais e que a disputa será acirrada com ela até as olimpíadas” – Finaliza

Bateria masculina

Já os homens, a disputa foi muito apertada com manobras bem ousadas que levantavam o público. A disputa ficou entre o americano Nyjah Huston e o brasileiro Kelvin Hoefler e mesmo com alguma chance na final, o brasileiro errou duas manobras e acabou dando a vitória para o americano.

Kelvin ficou em segundo no masculino. Crédito: Bruno Lopes/EAZ

 

“Foi a final mais disputada da história e um nível muito alto que exigiu muito de todos nós. O Kelvin que foi o campeão anos atrás fez uma boa prova e contando com a torcida a seu favor e isso o ajudou bastante. Mas saio satisfeito em sair campeão aqui. ” – Diz Huston sobre vitória.

Já Kelvin ficou muito empolgado com toda a torcida presente e ficou arrepiado com o que testemunhou.

“Essa torcida foi arrepiante e eu só tenho a agradecer e nos outros países não é assim. Não treinei direito e eles me empurram. Nunca na história do skate teve uma final desse porte e foi muito incrível. Essa pista estava perigosa e acredito que nas próximas etapas será diferente e ai quem sabe, né? – Finaliza.

Veja mais imagens da final:

Crédito: Bruno Lopes/EAZ

 

Crédito: Bruno Lopes/EAZ

Crédito: Bruno Lopes/EAZ