Tiro Esportivo

Tiro Esportivo (2)

Alexandre Galgani conquista o tricampeonato em três provas no Brasileiro de Tiro Esportivo

Alexandre Galgani foi destaque mais uma vez nesta disputa. Crédito: Márcio Rodrigues/MPIX/CPB

 

Terminou neste domingo, 20, o Campeonato Brasileiro de Tiro Esportivo, no Centro de Treinamento de Tiro Esportivo da Escola Naval (CTTE-EN), no Rio de Janeiro. Nas disputadas de carabina, Alexandre Galgani, um dos quatro atletas que representaram o Brasil nos Jogos Paralímpicos Rio 2016, alcançou uma marca incrível  com a conquista do tricampeonato nas três provas em que normalmente compete: R4 (Carabina de Ar 10m  Em pé – Misto – SH2), R5 (Carabina de ar 10m – Deitado – Misto – SH2) e R9 (Carabina .22 50m Deitado – Misto – SH2). Há apenas três anos na modalidade, o atleta de 33 anos, vê um futuro promissor para o próximo ciclo.

 

"Todos esses títulos são fruto de muito treino, graças a Deus os resultados estão vindo. Agora, vou poder viver um ciclo completo para os Jogos e vou me dedicar muito em busca de uma vaga – e uma medalha – em 2020", comenta o tricampeão.

 

O técnico de carabina da Seleção Brasileira, James Lowry Neto, acredita que a perseverança é umas das principais qualidades que levaram Alexandre ao lugar onde ele está. "Com apenas três anos de carreira, ele já acumula nove títulos nacionais [I e II Copas Caixa e o Brasileirão] e logo no primeiro ano [2013] ficou em quarto lugar no campeonato mundial, em Suhl (Alemanha), garantindo ao Brasil a melhor colocação na história do esporte paralímpico nesta prova. Somado a isto, no ano passado, ele já trouxe as primeiras medalhas internacionais em torneios na Austrália, Estados Unidos e Alemanha", lista algumas das conquistas. Para o ciclo pós-Rio 2016, toda a técnica está sendo modificada e todo o equipamento do atleta foi trocado. Requer um tempo para adaptação, mas os resultados tendem a ser ainda melhores.

 

Recordes

Na R6 (Carabina .22 50m – Deitado – Misto – SH1), Carlos Garletti, melhorou a própria marca em finais. Neste final de semana, alcançou 205,0  antes a marca era de 202,1 – quebrando o recorde nacional. Também em finais, Alexandre Galgani fez uma marca 210,7 na R5 (Carabina de ar 10m – Deitado – Misto – SH2)  até então o recorde era de 210,1 do próprio Galgani. Na P5 (Pistola Standard 10m – Misto – SH1), Geraldo Von Rosenthal também superou a própria marca. O novo recorde brasileiro de pontuação é de 361 pontos, antes era de 348.

 

 

Confira o resultados de todas as provas:

 

R1: Carabina de Ar 10m – Em pé – Masculino – SH1

1º Marcelo Hiroshi (Ilitc)

2º Carlos Garletti (Apedef)

3º Geremias Soares (SMCC)

 

R2: Carabina de Ar 10m – Em pé – Feminino – SH1

1º Clenilza Gonçalves (ARPP)

2º Juliana Francelino (ARPP)

3º Silva Regina (ARPP)

 

R3: Carabina de ar 10m – Deitado – Misto – SH1

1º Carlos Garletti (Apedef)

2º Marcelo Hiroshi (Ilitc)

3º Geremias Soares (SMCC)

 

R4: Carabina de Ar 10m  Em pé – Misto – SH2

1º Alexandre Galgani (ADDG)

2º Bruno Stov (Cnrac)

3º Ana Lucia (ARPP)

 

R5: Carabina de ar 10m – Deitado – Misto – SH2

1º Alexandre Galgani (ADDG)

2º Bruno Stov (Cnrac)

3º Alessandro Silva (ARPP)

 

R6: Carabina .22 50m – Deitado – Misto – SH1

1º Carlos Garletti (Apedef)

2º Nelson Azevedo (ARPP)

3º Geremias Soares (SMCC)

 

R7: Carabina .22 50m – 3x40 – Masculino – SH1

1º Carlos Garletti (Apedef)

2º Geremias Soares (SMCC)

3º Benedito Silva (ARPP)

 

R9: Carabina .22 50m – Deitado – Misto – SH2

1º Alexandre Galgani (ADDG)

2º Rodrigo Vianna (SMCC)

3º Daniel Auer (Apedef)

 

P1: Pistola de Ar 10m – Masculino – SH1

1º Ricardo Augusto (ARPM)

2º Walter Calixto (ARPM)

3º Sergio Vida (SMCC)

 

P2: Pistola de Ar 10m – Feminino – SH1

1º Débora Campos (SAC)

2º Beatriz Cunha (Aflodef)

3º Andreia Lima (Ciedef)

 

P3: Pistola Sport 25m – Misto – SH1

1º Geraldo Vom Rosenthal (Asasepode)

2º Sergio Vida (SMCC)

3º Débora Campos (SAC)

 

P4: Pistola Livre 50m – Misto – SH1

1º Geraldo Vom Rosenthal (Asasepode)

2º Débora Campos (SAC)

3º Sergio Vida (SMCC)

 

P5: Pistola Standard 10m – Misto – SH1

1º Geraldo Vom Rosenthal (Asasepode)

2º Watachos Queiroz (CLT)

3º Débora Campos (SAC)  

Carlos Garletti e Alexandre Galgani se destacam na II Copa Brasil de Tiro Esportivo

Carlos Garletti na II Copa Brasil de Tiro Esportivo. Crédito: Ricardo Erlich/Esportes de A á Z

A II Copa Brasil de Tiro Esportivo, realizada na Escola Naval, no Rio de Janeiro, é o último torneio da modalidade antes dos Jogos Paralímpicos Rio 2016, em setembro. Como a seleção brasileira de tiro já está definida, esta é uma das últimas oportunidades para aclimação e ajustes para a principal competição do ano. O evento tem a participação de mais de 70 atletas de 11 estados para a disputa de 14 provas nas diferentes categorias de carabina e pistola. 

Entre os destaques brasileiros nos jogos paralímpicos, está Carlos Garletti praticante desde 2003 e único do país a já ter disputado os jogos e Alexandre Galgani que começou em 2012.

Ambos entraram no esporte paralimpico depois dos acidentes que sofreram. Garletti que é médico oftalmologista, andava sozinho de parapente quando teve um problema na aterrissagem e sofreu uma lesão lombar que tirou o equilíbrio nos membros inferiores. Já Galgani, perdeu o movimento das pernas e parcialmente dos braços ao dar um mergulho uma piscina e ambos acabaram descobrindo o tiro esportivo.

“Sempre gostei de atirar e meus pais sempre me davam apoio, mas tive a primeira oportunidade assistindo a uma competição até que participei de uma. Nessa minha primeira participação, tive um ótimo resultado e não demorou nem dois anos para poder estar sendo convocado para a seleção e fui para um campeonato fora do país, onde consegui pela primeira vez índice para estar nos jogos paralimpicos. A partir de então, é não parei mais.” - Conta Garletti.

Competição segue até amanhã na escola naval. Crédito: Bruno Neves Lopes/Esportes de A á Z

Já Galgani tem menos tempo no esporte. Há quatro anos quando começou a praticar, não demorou a ter resultados expressivos e ao final do ano passado, conseguiu a sua vaga para os jogos com um ótimo resultado num torneio nos Estados Unidos.

“O Fato de eu ter ido para Curitiba para receber orientação sobre o esporte com o técnico da seleção me ajudou muito. ” – Diz.

A II Copa Brasil de Tiro Esportivo segue até amanhã na Escola Naval. Quem quiser acompanhar de perto estes atletas nas paralimpiadas em setebro, basta comprar ingresso para a competição que será realizada em Deodoro.

 

Assinar este feed RSS