Brasil fica sem medalhas mundial de atletismo

Time brasileiro sai com duas vagas garantidas nas olimpíadas em Tóquio

Revezamento 4x100m está garantido nas olimpíadas. Crédito: Wagner Carmo/CBAt

O mundial de atletismo em Doha no Catar termina hoje sem a participação de nenhum atleta brasileiro nas provas do dia que começam logo mais e também sem nenhuma medalha ganha nesta edição, repetindo campanhas como em outras edições que o time passou em branco.

Mas mesmo sem um pódio, tivemos brasileiros em 8 finais, algo que não se via já há algum tempo e destes, foram três quarto lugares com o revezamento 4x100m que havia ganho o mundial de revezamento em Tóquio e Darlan Romani no arremesso de peso que tinha saído com o vice na liga diamante e a Érica de Sena nos 20 km da marcha atlética.

Porém, em suas competições no mundial, participaram de uma competição de alto nível e mesmo não estando no pódio, conseguiram marcas fantásticas e quebra de recorde sul-americano.

Se apenas formos considerar a campanha por pontos, esta é a segunda melhor da história com 25 pontos, perdendo apenas para o mundial de Sevilha em 1999 em que o país fez 26, o que significa que está se tendo alguns novos talentos que podem ter bons resultados nos jogos olímpicos de 2020.

Veja a campanha do Brasil neste mundial:

4º – Erica de Sena – 20 km de marcha atlética
4º – Darlan Romani – arremesso do peso
4º – Revezamento 4×100 m masculino (com recorde sul-americano)
5º – Thiago Braz – salto com vara
6º – Fernanda Borges – lançamento do disco
7º – Alisson Santos – 400 m com barreiras (com recorde sul-americano sub-20)
8º – Revezamento 4×400 m misto

Dois finalistas (provas de campo) entre os 12 melhores
10º – Augusto Dutra – salto com vara
12º – Almir Cunha – salto triplo

Campanha brasileira ao longo dos mundiais de atletismo:


Helsinque 1983 – Bronze – Joaquim Cruz – 800m
Roma 1987 – Bronze – Zequinha Barbosa – 800m
Tóquio 1991 – Prata – Zequinha Barbosa – 800m
Stuttgart 1993 – Sem medalhas
Gotemburgo 1995 – Bronze Luíz Antônio dos Santos – Maratona
Atenas 1997 – Bronze Claudinei Quirino – 200m
Sevilha 1999 – Prata – Claudinei Quirino – 200m , Prata – Sanderlei Parrela – 400m – Bronze – Raphael de Oliveira, Claudinei Quirino, Édson Luciano e André Domingos – 4x100m
Edmonton 2001 – Sem medalhas
Paris 2003 – Prata- Vicente de Lima, Édson Luciano, André Domingos e Cláudio Roberto Souza – 4x100m
Helsinque 2005 – Sem medalhas
Paris 2007 – Prata – Jadel Gregório – Salto Triplo
Berlim 2009 – Sem medalhas
Daegu 2011 – Ouro – Fabiana Murer Salto com Vara
Pequim 2015 – Sem medalhas –
Londres 2017 – Bronze – Caio Bonfim Marcha 20 Km
Doha 2019 – Sem medalhas

O Esportes de A à Z é um portal de noticias que acompanha os brasileiros nos esportes olímpicos, paralímpicos, neve e se aventura nas corridas de rua, montanha e ultramaratonas. Estamos nas redes socias com @esportesdeaaz no instagram e no facebook e no youtube com TV EAZ. Siga-nos e se atualize!

Avatar

dungo

Jornalista, corredor e admirador da cidade maravilhosa

E o que achou sobre esse assunto? Contribua com o Esportes de A à Z! Basta preencher o comentário abaixo.

%d blogueiros gostam disto: