Alemanha elimina Brasil na Copa Davis

Crédito: Bruno Neves Lopes/EAZ

A torcida gritou e incentivou bastante, mas o Brasil perdeu o confronto por 3 a 1 na Copa Davis disputado no parque olímpico em dois dias de disputa na Arena de Tênis do Parque Olímpico no Rio de Janeiro.

Duplas começam bem e levam virada

O dia não começou bem para os Brasil. Nas duplas, Bruno Soares e Felipe Meligeni começaram bem o jogo, mas tomaram uma virada de 2 a 1 com parciais de 6/4, 6/7 e 4/6 para krawietz e Putzz em uma partida que poderiam ter ganho ainda no segundo set.

“A partida foi decidida nos detalhes. O saque deles foi muito bom e tive dificuldade na recepção. Depois eles quebraram nosso serviço e aí ficou difícil conseguir acha a virada. Conseguimos executar bem nosso jogo dentro do que treinamos essa semana”. – Comentou Bruno Soares após a partida.

Para Felipe Meligeni, foi uma oportunidade poder defender o Brasil e encarar um jogo dificil na atmosfera que estava o jogo.

Nunca tinha jogado num clima desses e realizei meu sonho. Me dediquei tudo o que podia, mas não conseguimos trazer essa vitória para o Brasil. Foi um prazer dividir a quadra com o Bruno. Ele me deu uns toques para fazermos um bom trabalho junto”. – Disse

Sverev sacramentou a vitória da Alemanha

E na segunda partida do dia, Sverev, número 3 do mundo venceu Thiago Monteiro por 2 sets a 0 com parcial de 6/1 e 7/5. No primeiro set, Sacha literalmente atropelou Thiago e no segundo, teve mais dificuldades e por pouco não perdeu o set. Mas conseguiu se recompor, quebrar o serviço do brasileiro e fechar a partida. A torcida não parou de incentivar o brasileiro e provocou bastante o alemão aos gritos de “Ah é Acapulpo”, querendo lembrar do epísodio em que ele jogou a raquete no juiz e outras foram além como comentou após a partida.

“Você pode me amar ou me odiar, para mim tanto faz. Mas quando chega em ofensas à família, ou alguém que você ama, é aí que chega a linha do respeito. Hoje essa linha foi cruzada. Quando começa a falar da mãe de alguém, da filha, é aonde para mim as pessoas cruzaram a linha”, afirmou Sascha.

Mesmo assim, ele afirma que espera poder voltar a jogar no Brasil e que não guardará mágoas do que viveu por aqui e espera poder ser convidado a jogar o Rio Open dependendo do seu calendário.

Por outro lado, Thiago lamentou a derrota:

Ele começou bem solto. O resultado da dupla influenciou e ele fez uma partida bem sólida. Eu tive que aumentar minha qualidade de jogo, mas ele tinha muita qualidade. No segundo set, até reagi, mas na bola decisiva que tinha o set na mão, ele recuperou e conseguiu fechar o jogo. A torcida fez sua parte o que me motivou a buscar o resultado e todos estiveram bem, mas eles foram bem melhores. – Afirmou

Derrota empurra Brasil a disputar repescagem no final do ano

Com a derrota por 3 a 1 no qualifyng que classificou a Alemanha para o finais, o Brasil terá que disputar a repescagem em setembro para conseguir ter uma nova oportunidade de disputar a mesma etapa no ano que vem. Mesmo derrotado, o capitão Jayme Oncins comentou que a campanha do país foi positiva e sua escolhas foram convictas.

Saímos com a derrota e como capitão do time, tive orgulho das minhas escolhas. Conversei com todos os jogadores para poder tomar minhas decisões e eles se esforçaram como pedi. Vamos aguardar em setembro o próximo sorteio da Davis para poder definir o que faremos na próxima convocação.

dungo

Jornalista, corredor e admirador da cidade maravilhosa

E o que achou sobre esse assunto? Contribua com o Esportes de A à Z! Basta preencher o comentário abaixo.

%d blogueiros gostam disto: