Vinicius Moretti e Fernanda Martello vencem o L’Étape Rio

Crédito: Caio Souza/On Board Sports

A segunda edição do L’Étape Rio by Tour de France foi realizada neste domingo (26) na Cidade Maravilhosa. Quase 2 mil atletas se alinharam para a largada da prova às 6h, em frente à Marina da Glória, local em que foi montado o Village. A maior prova de ciclismo amador da América Latina contou com dois percursos: o longo, de 102 quilômetros com altimetria de 1096 metros, e o curto, com 46 quilômetros e altimetria de 450 metros.

A chancela do maior evento de ciclismo mundial, o Tour de France, fez com que os ciclistas experimentassem todo o clima da competição desde a entrega dos kits até a linha de chegada. O tempo fechado no Rio de Janeiro não desanimou os 1.800 ciclistas inscritos. A prova foi desafiadora desde a largada até a linha de chegada, mas confirmou a segurança dos participantes como um de seus principais pilares. 

“A segunda edição do Rio foi diferente. Tivemos a noite inteira com chuva, e o dia amanheceu nublado. Foi tranquilo na parte de intensidade, mas estávamos com as ruas molhadas. É sempre um desafio muito grande colocar todo mundo para correr dentro da cidade do Rio e curtir esse visual, ainda mais nestas circunstâncias. Para a gente foi exemplar. Conseguimos colocar todo mundo para correr e vivenciar essa experiência. Toda a estrutura estava fechada para os atletas. Foi demais”, disse Fernando Cheles, diretor da prova.

Campeão geral masculino dos 102 km, Vinicius Moretti completou a prova em 2h39min49s. Atleta da equipe Pedal Power, o paulista de Votuporanga montou uma estratégia eficaz em meio às condições climáticas e completou o percurso na Cidade Maravilhosa com o primeiro lugar do pódio. Guilherme do Couto chegou em segundo lugar, com 2h41min11s, e Raphael Serpa completou o pódio, com 2h41min21s.

“Foi uma prova muito top. O clima parecia que não seria tão favorável, mas para mim foi ótimo. Eu gosto do tempo frio. Choveu, mas tudo bem. O percurso é lindo. A subida foi dura, mas na medida para um cara mais forte como eu, que não sou escalador puro. Consegui passar pelos escaladores e fiz a descida de forma controlada, pois era necessário cuidado. Foram quatro escapadas até o final. No túnel, senti que eu teria grandes chances, com força. Vim sozinho até a chegada”, comentou o campeão. 

“O L’Étape Rio tem uma organização única. Cada detalhe é muito bem feito. É para o atleta se sentir como se estivesse em uma etapa do Tour de France mesmo, como se fosse um ciclista profissional. O Rio é lindo. Sem palavras”, completou Vinicius. 

No percurso longo, após a largada na Marina da Glória, os ciclistas seguiram pela orla em direção às famosas praias de Copacabana, Ipanema e Leblon. Depois, contornaram o Jardim Botânico e iniciaram uma das mais famosas subidas do Rio de Janeiro – Vista Chinesa e Mesa do Imperador. 

Na prova feminina, o título no percurso longo ficou com Fernanda Martello, com a marca de 2h57min55s. Ela chegou à frente de Cristiane Pereira, segunda colocada, com 2h59min33s, e Ana Luiza Cavalcante, terceira colocada, com 2h59min37s.

O trajeto, que se assemelhou ao da prova de ciclismo de estrada dos Jogos Olímpicos do Rio 2016, foi totalmente fechado para os ciclistas do L’Étape Rio by Tour de France.

Mais resultados da prova

Na prova curta, a vitória geral masculina ficou com Pedro Victor Fonseca, que completou a prova em 1h12min51s, seguido por Luiz Flávio Rosa, com 1h13min39s. André Almeida terminou em terceiro, com 1h15min14s.

“Foi duro. Quando vi que o segundo lugar estava chegando perto de mim, eu pensei ‘vou morrer, mas vou chegar’. Fiz força, mais do que eu esperava que conseguiria. Isso rendeu o primeiro lugar. Estou muito feliz com a vitória”, contou Pedro Silva. 

No feminino, Paula Weinschenck foi a primeira, com o tempo de 1h20min17s, em segundo ficou Gabrielle Sparenberg, com 1h21min19s, e Carolina Simoni terminou em terceiro, com o tempo de 1h21min55s. 

“Foi uma prova maravilhosa. A curta passou rápido, mas valeu demais! Uma pena que não fez sol, mas tudo foi ótimo. Eu amei. Sou do Rio, então subo até a Mesa do Imperador sempre. Uma prova super rápida, bem legal e muito segura para os ciclistas”, disse Paula Weinschenck. 

dungo

Jornalista, corredor e admirador da cidade maravilhosa

E o que achou sobre esse assunto? Contribua com o Esportes de A à Z! Basta preencher o comentário abaixo.

%d blogueiros gostam disto: